Volume de Ventilação Pulmonar: Volume de ar inspirado ou expirado durante cada ciclo respiratório normal, tranquilo. As abreviações comuns são VVP (TV) ou V com VP (T) subscrito.Respiração Artificial: Qualquer método de respiração artificial que emprega meios mecânicos ou não mecânicos para forçar a entrada e saída de ar dos pulmões. A respiração ou ventilação artificial é usada em indivíduos que sofreram parada respiratória ou têm INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA para aumentar sua captação de oxigênio (O2) e a liberação de dióxido de carbono (CO2).Mecânica Respiratória: Ação física ou mecânica dos PULMÕES, DIAFRAGMA, COSTELAS e PAREDE TORÁCICA durante a respiração. Inclui fluxo de ar, volume pulmonar, controles neural e reflexo, mecanorreceptores, padrões respiratórios, etc.Respiração: Ato de respirar com os PULMÕES, consistindo em INALAÇÃO ou captação do ar ambiente para os pulmões e na EXPIRAÇÃO ou expulsão do ar modificado, que contém mais DIÓXIDO DE CARBONO que o ar inalado. (Tradução livre do original: Blakiston's Gould Medical Dictionary, 4th ed.). Não está incluída a respiração tissular (= CONSUMO DE OXIGÊNIO) ou RESPIRAÇÃO CELULAR.Ventiladores Mecânicos: Dispositivos mecânicos usados para produzir ou auxiliar na ventilação pulmonar.Respiração com Pressão Positiva: Método de ventilação mecânica no qual é mantida uma pressão para aumentar o volume de gás que permanece nos pulmões até o final da expiração, reduzindo assim o desvio de sangue através dos pulmões e melhorando a troca gasosa.Ventilação Pulmonar: Volume total de gás inspirado ou expirado por unidade de tempo, geralmente medido em litros por minuto.Complacência Pulmonar: Capacidade dos PULMÕES em distender-se sob pressão, que é medida pelo volume pulmonar alterado por unidade de pressão alterada. Embora não seja claramente uma descrição completa das propriedades de volume e pressão do pulmão, assim mesmo é usado na prática como uma medida da rigidez comparativa do pulmão.Lesão Pulmonar Induzida por Ventilação Mecânica: Lesão pulmonar causada por efeitos adversos da utilização de VENTILADORES MECÂNICOS. A alta frequência respiratória e o grande volume corrente produzidos por um ventilador mecânico pode causar ruptura dos alvéolos e EDEMA PULMONAR.Espaço Morto Respiratório: Parte do TRATO RESPIRATÓRIO (ou o ar dentro dele) que não troca OXIGÊNIO e GÁS CARBÔNICO com o sangue dos capilares do pulmão.Medidas de Volume Pulmonar: Medida da quantidade de ar que os pulmões podem conter em vários pontos no ciclo respiratório.Síndrome do Desconforto Respiratório do Adulto: Síndrome caracterizada por INSUFICIÊNCIA RESPIRATÓRIA progressiva com risco de morte na ausência de PNEUMOPATIAS conhecidas, normalmente depois de um insulto sistêmico como cirurgia ou TRAUMA importante.Dióxido de Carbono: Gás incolor, inodoro, não venenoso, componente do ar ambiental, também chamado de dióxido de carbono. É um produto normal da combustão de materiais orgânicos e da respiração. Tem um importante papel na vida dos animais e das plantas.Volume Sanguíneo: Volume de SANGUE circulante. É a soma do VOLUME PLASMÁTICO e VOLUME DE ERITRÓCITOS.Pressão do Ar: Força por unidade de área exercida pelo ar sobre qualquer superfície em contato com ele. Principalmente usado para artigos que tratem da pressão do ar em ambientes fechados.Troca Gasosa Pulmonar: Troca de OXIGÊNIO e DIÓXIDO DE CARBONO entre o ar alveolar e os capilares sanguíneos pulmonares que ocorre através da BARREIRA SANGUE-AR.Taxa Respiratória: Número de vezes que um organismo respira com os pulmões (RESPIRAÇÃO) por unidade de tempo, geralmente por minuto.Resistência das Vias Respiratórias: Fisiologicamente representa a oposição do fluxo de ar causado pelas forças de fricção. Como uma parte do teste da função pulmonar, é a relação da pressão propulsora para a taxa de fluxo de ar.Hipercapnia: Manifestação clínica de aumento anormal na quantidade de dióxido de carbono no sangue arterial.Inalação: RESPIRAÇÃO para dentro.Barotrauma: Traumatismos seguidos a alterações de pressão; incluem traumas á trompa de eustáquio, cavidade auditiva, pulmões e estômago.Pulmão: Cada um dos órgãos pareados que ocupam a cavidade torácica que tem como função a oxigenação do sangue.Lesão Pulmonar: Lesão a qualquer compartimento do pulmão causada por agentes físicos, químicos ou biológicos, que caracteristicamente desencadeia uma reação inflamatória. Estas reações inflamatórias podem ser agudas e dominadas por NEUTRÓFILOS, ou crônicas e dominadas por LINFÓCITOS e MACRÓFAGOS.Trabalho Respiratório: Contração dos MÚSCULOS RESPIRATÓRIOS durante a INALAÇÃO. O trabalho é realizado em três fases: trabalho de COMPLACÊNCIA PULMONAR que necessita expandir os PULMÕES contra suas forças elásticas; trabalho de resistência tecidual que necessita superar a viscosidade do pulmão e estruturas da parede torácica; trabalho de RESISTÊNCIA DAS VIAS RESPIRATÓRIAS que necessita superar a resistência do fluxo de ar durante o movimento do ar nos pulmões. O trabalho da respiração não se refere à expiração, que é um processo totalmente passivo causado pelo recuo elástico do pulmão e caixa torácica. (Tradução livre do original: Guyton, Textbook of Medical Physiology, 8th ed, p406)Testes de Função Respiratória: Medidas de vários processos envolvidos na respiração: inspiração, expiração, troca de oxigênio e dióxido de carbono, volume e deformação do pulmão, etc.Capacidade Residual Funcional: Volume de ar que permanece nos PULMÕES ao final de uma expiração normal e tranquila. É a soma do VOLUME RESIDUAL e do VOLUME DE RESERVA EXPIRATÓRIA. A abreviação comum é FRC.Gasometria: Medida de oxigênio e dióxido de carbono no sangue.Oxigênio: Elemento com símbolo atômico O, número atômico 8 e peso atômico [15.99903; 15.99977]. É o elemento mais abundante da Terra e essencial à respiração.Pletismografia: Registro da mudança no tamanho de uma região quando modificada pela circulação presente.Pletismografia Total: Medida do volume de gás nos pulmões, incluindo o que é armazenado nos espaços insuficientes de ar comunicante. Em especial, é de uso em doença pulmonar crônica obstrutiva e enfisema. (Tradução livre do original: Segen, Dictionary of Modern Medicine, 1992)Músculos Respiratórios: Neste grupo de músculos estão incluídos o DIAFRAGMA e os MÚSCULOS INTERCOSTAIS.Hiperventilação: Ritmo de ventilação pulmonar mais rápido do que metabolicamente é necessário para a troca de gases. É resultado de um aumento na frequência respiratória, aumento no Volume de Ventilação Pulmonar (tidal) ou combinação de ambos. Causa um excesso na ingestão de oxigênio e na expulsão de dióxido de carbono.Lesão Pulmonar Aguda: Lesão no pulmão caracterizada por infiltrados pulmonares bilaterais (EDEMA PULMONAR) ricos em NEUTRÓFILOS e na ausência de INSUFICIÊNCIA CARDÍACA clínica. Isto pode representar um conjunto de lesões pulmonares, endoteliais e epiteliais, devido a inúmeros fatores (físicos, químicos ou biológicos).Diafragma: Divisão fibromuscular que separa a CAVIDADE TORÁCICA da CAVIDADE ABDOMINAL. A contração do diafragma aumenta o volume da cavidade torácica auxiliando na INALAÇÃO.Pressão: Tipo de estresse exercido uniformemente em todas as direções. Sua medida é a força exercida por unidade de área. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Fenômenos Fisiológicos Respiratórios: Processos e propriedades do SISTEMA RESPIRATÓRIO como um todo, ou de quaisquer de suas partes.Pressão Parcial: Pressão que seria exercida por um componente de uma mistura de gases se ele estivesse presente sozinho ou em um contêiner. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Intubação Intratraqueal: Procedimento que envolve a colocação de um tubo na traqueia através da boca ou do nariz a fim de proporcionar oxigénio e anestesia ao paciente.Ventilação de Alta Frequência: Sistema de suporte ventilatório que utiliza frequências de 60-900 ciclos/min ou mais. Tem sido distinguido três tipos de sistemas com base na frequência, volume e sistema utilizado. São eles, ventilação com pressão positiva de alta frequência (VPPAF), VENTILAÇÃO EM JATOS DE ALTA FREQUÊNCIA (VJAF) e oscilação de alta frequência (OAF).Insuficiência Respiratória: Incapacidade para proporcionar oxigênio adequado às células do organismo e para remover o excesso de dióxido de carbono. (Stedman, 25a ed)Capnografia: Registro contínuo do dióxido de carbono contido no ar expirado.Desmame do Respirador: Técnicas para efetuar a transição de um paciente com deficiência respiratória, da respiração mecânica para a respiração espontânea, enquanto reúne os critérios para os quais o volume de ventilação pulmonar esteja acima de um dado limite (maior que 5 ml/kg), a frequência respiratória esteja abaixo de uma dada soma (menor que 30 batimentos/min) e a pressão parcial de oxigênio esteja acima de um dado limite (PaO2 maior que 50mm Hg). Os estudos de desmame focam nos métodos encontrados para monitorar e prognosticar o resultado do desmame do respirador mecânico assim como as técnicas de suporte respiratório encontradas, que facilitam o sucesso do desmame. Os métodos apresentados incluem respiração intermitente obrigatória, respiração intermitente de pressão positiva e volume de respiração obrigatória por minuto.Volume Sistólico: Quantidade de SANGUE bombeada para fora do CORAÇÃO por batimento. Não deve ser confundido com débito cardíaco (volume/tempo). É calculado como a diferença entre o volume diastólico final e o volume sistólico final.Receptores Pulmonares de Alongamento: Os receptores de alongamento são encontrados nos brônquios e bronquíolos. Os receptores pulmonares de alongamento são sensores de um reflexo que inibe a inspiração. Em humanos, este reflexo é protetor e provavelmente não está ativado durante a respiração normal.Tórax: Parte superior do tronco entre o PESCOÇO e o ABDOME; contém os principais órgãos dos sistemas circulatório e respiratório. (Tradução livre do original: Stedman, 25a ed)Volume Plasmático: Volume de PLASMA na circulação. Geralmente mede-se por TÉCNICAS DE DILUIÇÃO DO INDICADOR.Alvéolos Pulmonares: Pequenas bolsas poliédricas localizadas ao longo das paredes dos sacos alveolares, ductos alveolares e bronquíolos terminais. A troca gasosa entre o ar alveolar e o sangue capilar pulmonar ocorre através das suas paredes.Capacidade Inspiratória: Volume máximo de ar que pode ser inspirado após alcançar o final de uma expiração normal e tranquila. É a soma do VOLUME DE VENTILAÇÃO PULMONAR e do VOLUME INSPIRATÓRIO DE RESERVA. A abreviação normal é IC.Apneia: Ausência transitória da respiração espontânea.Volume Expiratório Forçado: Medida da quantidade máxima de ar que pode ser expelido em vários segundos durante uma determinação da CAPACIDADE VITAL FORÇADA. Geralmente é dado como FEV seguido por uma indicação subscrita de vários segundos sobre o qual a medida é feita, embora algumas vezes é dado como uma porcentagem da capacidade vital forçada.Pneumopatias: Processos patológicos que envolvem qualquer parte do PULMÃO.Desenho de Equipamento: Métodos de criação de máquinas e dispositivos.Espirometria: Medida do volume de ar inspirado ou expirado pelo pulmão.Vagotomia: Interrupção ou remoção de qualquer parte do nervo vago (décimo nervo craniano). A vagotomia pode ser feita para fins de pesquisa ou terapêuticos.Pletismografia de Impedância: Registro de alterações na impedância elétrica entre eletrodos colocados em lados opostos de uma parte do corpo, como medida de alteração de volume no trajeto da corrente. (Stedman, 25a ed)Anestesia: Estado caracterizado pela perda dos sentidos ou sensações. Esta depressão da função nervosa geralmente é resultante de ação farmacológica e é induzida para permitir a execução de cirurgias ou outros procedimentos dolorosos.Expiração: O ato de exalar.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Edema Pulmonar: Acúmulo excessivo de fluido extravascular no pulmão, uma indicação de uma doença ou distúrbio básico (subjacente) sério. O edema pulmonar impede a TROCA GASOSA PULMONAR eficiente nos ALVÉOLOS PULMONARES, e pode oferecer risco à vida.Hemodinâmica: Movimento e forças envolvidos no movimento do sangue através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.Anestesia Geral: Procedimento em que os pacientes são induzidos a um estado de inconsciência por meio do uso de vários medicamentos, a fim de que não sintam dor durante a cirurgia.Células Quimiorreceptoras: Células especializadas na detecção de substâncias químicas e na retransmissão destas informações centralmente no sistema nervoso. Células quimiorreceptores podem monitorar estímulos externos, como na GUSTAÇÃO e OLFAÇÃO, ou estímulos internos, tais como as concentrações de OXIGÊNIO e DIÓXIDO DE CARBONO no sangue.ManequinsÁcido Dioctil Sulfossuccínico: Surfactante de amplo uso, umectante e solubilizante utilizado na indústria farmacêutica, alimentícia e de cosméticos. Foi também utilizado como laxativo e como cerumenolítico. É geralmente administrado na forma de sal de cálcio, potássio ou sódio.Capacidade Pulmonar Total: Volume de ar contido nos pulmões ao final de uma inspiração máxima. É o equivalente a cada uma das seguintes somas: CAPACIDADE VITAL mais VOLUME RESIDUAL, CAPACIDADE INSPIRATÓRIA mais CAPACIDADE RESIDUAL FUNCIONAL, VOLUME DE VENTILAÇÃO PULMONAR mais VOLUME DE RESERVA INSPIRATÓRIA mais capacidade residual funcional ou, volume de ventilação pulmonar mais volume de reserva inspiratória mais VOLUME DE RESERVA EXPIRATÓRIA mais volume residual.Volume de Reserva Expiratória: Volume de ar extra que pode ser expirado com o máximo de esforço além do nível alcançado ao final de uma expiração normal, tranquila. A abreviação comum é VRE (ERV).Líquido da Lavagem Broncoalveolar: Fluido obtido pela irrigação do pulmão, incluindo os BRÔNQUIOS e os ALVÉOLOS PULMONARES. É geralmente utilizado para se avaliar o estado bioquímico, inflamatório ou infeccioso do pulmão.Consumo de Oxigênio: A velocidade com que o oxigênio é utilizado por um tecido; microlitros de oxigênio nas CNTP (condições normais de temperatura e pressão) usados por miligrama de tecido por hora; velocidade com que o oxigênio do gás alveolar entra no sangre, igual no estado de equilíbrio dinâmico, ao consumo de oxigênio pelo metabolismo tecidual em todo o corpo. (Stedman, 27a ed, p358)Volume de Eritrócitos: Volume de ERITRÓCITOS circulantes. Geralmente se mede pela TÉCNICA DE DILUIÇÃO DE RADIOISÓTOPOS.Débito Cardíaco: Volume de SANGUE que atravessa o CORAÇÃO por unidade de tempo. Geralmente é expresso em litros (volume) por minuto. Não deve ser confundido com VOLUME SISTÓLICO (volume por batimento).Capacidade Vital: Volume de ar que é exalado por uma expiração máxima seguido de uma inspiração máxima.Arritmia Sinusal: FREQUÊNCIA CARDÍACA irregular causada por função anormal do NÓ SINOATRIAL. Caracteriza-se por alteração maior que 10 por cento entre o comprimento do ciclo sinusal máximo e mínimo ou 120 milissegundos.Aerossóis: Coloides com uma fase de dispersão gasosa e outra fase de dispersão líquida (nevoeiro) ou sólida (fumaça). Usados em fumigação ou em terapia por inalação. Podem conter agentes propelentes.Surfactantes Pulmonares: Substâncias e drogas que diminuem a TENSÃO SURPEFICIAL da camada mucoide que reveste os ALVÉOLOS PULMONARES.Anóxia: Ausência relativamente total de oxigênio em um ou mais tecidos.Nervo Frênico: O nervo motor do diafragma. As fibras do nervo frênico se originam na medula espinhal cervical (a maioria na C4) e correm através do plexo cervical até o diafragma.Parede Torácica: Parede externa do tórax contendo PELE, FASCIA profunda, VÉRTEBRAS TORÁCICAS, COSTELAS, ESTERNO e MÚSCULOS.Pneumopatias Obstrutivas: Qualquer transtorno caracterizado pela obstrução das vias aéreas nos pulmões. A OBSTRUÇÃO DAS VIAS RESPIRATÓRIAS pode ser crônica, intermitente ou persistente.Determinação do Volume Sanguíneo: Método para determinar o volume sanguíneo circulante por introdução de uma quantidade conhecida de uma substância estranha no sangue e determinação de sua concentração alguns minutos mais tarde, quando já tenha ocorrido uma homogeneização completa. Desses dois valores, o volume sanguíneo pode ser calculado dividindo a quantidade de material injetado por sua concentração no sangue, quando homogêneo. Geralmente se expressa em centímetros cúbicos ou litros por quilograma de peso corporal.Hélio: Gás incolor, inodoro, sem sabor, que não é combustível e não suporta combustão. É um dos elementos gasosos inertes, que foi primeiro detectado no sol e agora é obtido de gás natural. Símbolo, He; número atômico, 2; peso atômico, 4,003. Usado em medicina como diluente para outros gases, sendo especialmente útil com oxigênio no tratamento de certos casos de obstrução respiratória e como veículo para anestésicos gerais. (Dorland, 28a ed)Técnicas de Imagem de Sincronização Respiratória: Determinação do tempo de aquisição de dados de imagem para pontos específicos do ciclo respiratório a fim de minimizar interferências na imagem e outros artefatos de moção. As imagens, usadas em diagnóstico e intervenção, são empregadas para coordenar os ciclos de ligamento e desligamento dos feixes de radiação, a fim de proteger tecidos saudáveis quando da movimentação dentro do campo de feixes durante diferentes tempos no ciclo respiratório.Máscaras Laríngeas: Tipo de via respiratória orofaríngea que dá uma alternativa à intubação endotraqueal e anestesia padrão com máscara em certos pacientes. É introduzida na hipofaringe formando um selo em volta da laringe, permitindo então ventilação por pressão espontânea ou positiva sem penetração da laringe ou esôfago. É utilizada no lugar de máscara facial em anestesia de rotina. A vantagem sobre máscaras de anestesia padrão é melhor controle das vias respiratórias, mínimo vazamento de gás anestésico, via respiratória segura durante transporte do paciente à área de recuperação e mínimos problemas pós-operatórios.Broncoconstritores: Agentes que causam o estreitamento da luz de um brônquio ou bronquíolo.Suporte Ventilatório Interativo: Ventilação mecânica fornecida para suprir os esforços do paciente em respirar, conforme detectado pelo dispositivo interativo de ventilação.Conversão Análogo-Digital: O processo de converter dados analógicos, como voltagem medida continuamente, para uma distinta forma digital.Frequência Cardíaca: Número de vezes que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS se contraem por unidade de tempo, geralmente por minuto.Ressuscitação: A restauração à vida ou consciência de alguém aparentemente morto; inclui medidas tais como respiração artificial e massagem cardíaca. (Dorland, 28a ed)Broncoconstrição: Estreitamento do calibre do BRÔNQUIO, fisiologicamente ou como resultado de intervenção farmacológica.Neonatologia: Subespecialidade de Pediatria [preocupada com] voltada para a criança recém-nascida.Paralisia Respiratória: Fraqueza completa ou grave dos músculos da respiração. Este estado pode estar associado com DOENÇAS DO NEURÔNIO MOTOR, doenças dos nervos periféricos, DOENÇAS DA JUNÇÃO NEUROMUSCULAR, DOENÇAS DA MEDULA ESPINHAL, lesão do NERVO FRÊNICO e outros transtornos.Fluxo Expiratório Forçado: Medida do fluxo de ar durante uma determinação da CAPACIDADE VITAL FORÇADA.Ventilação com Pressão Positiva Intermitente: Aplicação de pressão positiva à fase inspiratória quando o paciente tem uma via aérea artificial e está conectado a um respirador.Modelos Anatômicos: Representação tridimensional para mostrar estruturas anatômicas. Para ensinar, praticar e estudar pode-se usar modelos no lugar de animais ou organismos intactos.Pressão Sanguínea: PRESSÃO do SANGUE nas ARTÉRIAS e de outros VASOS SANGUÍNEOS.Imagem por Ressonância Magnética: Método não invasivo de demonstração da anatomia interna baseado no princípio de que os núcleos atômicos em um campo magnético forte absorvem pulsos de energia de radiofrequência e as emitem como ondas de rádio que podem ser reconstruídas nas imagens computadorizadas. O conceito inclui técnicas tomográficas do spin do próton.Decúbito Ventral: Posição de um indivíduo deitado com o rosto voltado para baixo.Atelectasia Pulmonar: Ausência de ar no pulmão inteiro ou em parte dele, como no pulmão incompletamente inflado do recém-nascido ou num pulmão adulto colapsado. Atelectasia pulmonar pode ser causada obstrução das vias respiratórias, compressão pulmonar, contração fibrótica ou outros fatores.Reprodutibilidade dos Testes: Propriedade de se obter resultados idênticos ou muito semelhantes a cada vez que for realizado um teste ou medida. (Tradução livre do original: Last, 2001)Imagem Tridimensional: Processo de geração de imagens tridimensionais por métodos eletrônicos, fotográficos, ou outros. Por exemplo, imagens tridimensionais podem ser geradas por montagem de imagens tomográficas variadas, com o auxilio de um computador, enquanto as imagens fotográficas em 3-D (HOLOGRAFIA) podem ser feitas por exposição de filme ao padrão de interferência criado quando duas fontes de luzes a laser iluminam sobre um objeto.Abdome: Região do corpo que se localiza entre o TÓRAX e a PELVE.Análise de Variância: Técnica estatística que isola e avalia a contribuição dos fatores incondicionais para a variação na média de uma variável dependente contínua.Nervo Vago: O décimo nervo craniano. O nervo vago é um nervo misto que contém fibras aferentes somáticas (da pele da região posterior da orelha e meato acústico externo), fibras aferentes viscerais (da faringe, laringe, tórax e abdome), fibras eferentes parassimpáticas (para o tórax e abdome) e fibras eferentes para o músculo estriado (da laringe e faringe).Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Obstrução das Vias Respiratórias: Qualquer impedimento na passagem de ar para dentro ou para fora dos pulmões.Tamanho do Órgão: Medida de um órgão em volume, massa ou peso.Traqueotomia: Incisão cirúrgica da traqueia.Respiração com Pressão Positiva Intermitente: Aplicação de pressão positiva à fase inspiratória da respiração espontânea.Músculos Abdominais: Músculos que formam a PAREDE ABDOMINAL; entre eles: RETO DO ABDOME, músculos oblíquos (externo e interno), abdominal transverso e quadrado do abdome. (Tradução livre do original: Stedman, 25a ed)Ventilação Líquida: RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL usando um líquido oxigenado.Respiração por Pressão Positiva Intrínseca: A pressão positiva ao final da expiração, não terapêutica que ocorre frequentemente em pacientes com obstrução grave das vias aéreas. Ela pode aparecer com ou sem a administração de pressão externa positiva ao final da expiração (RESPIRAÇÃO COM PRESSÃO POSITIVA). Ela representa uma carga importante nos músculos inspiratórios que estão operando numa desvantagem mecânica devido à hiperinsuflação. Auto-PEEP pode causar hipotensão profunda que deve ser tratada com expansão de volume intravascular, aumentando o tempo para expiração e/ou mudando do modo assistido para o modo de ventilação mandatória intermitente.Cloreto de Metacolina: Agente parassimpatomimético de amônio quaternário com ações muscarínicas da ACETILCOLINA. É hidrolisado pela ACETILCOLINESTERASE a uma taxa consideravelmente baixa em relação à ACETILCOLINA e é mais resistente a hidrólise por COLINESTERASES não específicas resultando em uma ação mais prolongada. É utilizado como um broncoconstritor parassimpatomimético e um auxiliar no diagnóstico da asma brônquica. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p1116)Modelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Síndrome do Desconforto Respiratório do Recém-Nascido: Afecção do recém-nascido caracterizada por DISPNEIA com CIANOSE, anunciada por sinais prodrômicos, como dilatação das asas do nariz, grunhido expiratório e retração da incisura supraesternal ou margens costais. Frequentemente ocorrem mais em lactentes prematuros, crianças de mães diabéticas e lactentes extraídos por cesariana e, às vezes, sem nenhuma causa predisponente evidente.Circulação Pulmonar: Circulação do SANGUE através do PULMÃO.Monitorização Fisiológica: Medida contínua dos processos fisiológicos, pressão sanguínea, batimento cardíaco, débito renal, reflexos, respiração, etc., em pacientes ou animais experimentais; inclui monitorização farmacológica, dosagem de drogas administradas ou seus metabólitos no sangue, tecidos ou urina.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Nebulizadores e Vaporizadores: Dispositivos que convertem um líquido ou sólido em um aerossol (jato - "spray") ou um vapor. É usado na administração de medicamentos por inalação, umidificação do ar ambiental e em certos instrumentos analíticos.Ratos Sprague-Dawley: Linhagem de ratos albinos amplamente utilizada para propósitos experimentais por sua tranquilidade e facilidade de manipulação. Foi desenvolvida pela Companhia de Animais Sprague-Dawley.Dispneia: A respiração com dificuldade ou com esforço.Relação Ventilação-Perfusão: A relação entre a ventilação alveolar e o fluxo sanguíneo capilar alveolar simultâneo em qualquer parte do pulmão. (Stedman, 25a ed)Respiradores de Pressão Negativa: Ventiladores corporais que auxiliam na ventilação por aplicar pressão subatmosférica intermitente em volta do tórax, abdômen ou vias aéreas e periodicamente expandir a parede do peito e inflar os pulmões. Eles são relativamente simples de operar e não requerem traqueostomia. Esses dispositivos incluem recipientes de ventilação ("pulmão de ferro"), Portapulmão, Pneumoinvólucro e armadura do peito ("revestimento de tartaruga").Esforço Físico: Gasto de energia durante ATIVIDADE MOTORA. A intensidade do esforço pode ser medida pela taxa de CONSUMO DE OXIGÊNIO, CALOR produzido ou FREQUÊNCIA CARDÍACA. O esforço percebido, uma medida psicológica do esforço, também é incluído.Decúbito Dorsal: Posição de um indivíduo deitado com o rosto voltado para cima.Reflexo: Movimento involuntário, ou exercício de função, de determinada região estimulada, em resposta ao estímulo aplicado na periferia e transmitido ao cérebro ou medula.Acidose Respiratória: A retenção respiratória de dióxido de carbono. Ela pode ser aguda ou crônica.Administração por Inalação: Administração de medicamentos pela via respiratória. Abrange insuflação no trato respiratório.Insuflação: Ato de insuflar pó, vapor ou gás em alguma cavidade do corpo para propósitos experimentais, diagnósticos ou terapêuticos.Corpo Carotídeo: Pequeno grupamento de quimiorreceptores e células de suporte localizado na bifurcação da artéria carótida interna. O corpo carotídeo, ricamente suprido com capilares fenestrados, é sensível ao pH e às concentrações de dióxido de carbono e oxigênio no sangue, e desempenha um papel crucial no controle homeostático destas substâncias.Hiperóxia: Aumento anormal na quantidade de oxigênio nos tecidos e órgãos.Centro Respiratório: Parte do encéfalo localizado no BULBO e na PONTE. Recebe os sinais nervosos, químicos e hormonais, além de controlar a taxa respiratória e a profundidade dos movimentos respiratórios do DIAFRAGMA e outros músculos respiratórios.Ventilação Não Invasiva: Técnicas para administrar respiração artificial sem a necessidade de INTUBAÇÃO INTRATRAQUEAL.Broncodilatadores: Substâncias que causam um aumento na expansão dos brônquios ou tubos brônquicos.Ventilação em Jatos de Alta Frequência: Sistema de suporte respiratório utilizado principalmente com frequências de cerca de 100 a 200/min com volumes de um a três vezes o espaço morto anatômico previsto. Utilizado para tratar deficiência respiratória e manter a ventilação em circunstâncias graves.Hidratação: Terapia cujo objetivo básico é restaurar o volume e a composição dos líquidos corporais aos níveis normais, relacionados ao EQUILÍBRIO HIDROELETROLÍTICO. Os líquidos podem ser administrados por via intravenosa, oral, gavagem intermitente ou por HIPODERMÓCLISE.Valores de Referência: Faixa (ou distribuição de frequências) dos [valores] medidos em uma população (de organismos, órgãos ou coisas) que não foi selecionada para [indicar] a presença de doença ou de anormalidade.Umidade: Medida da quantidade de VAPOR DE ÁGUA no ar.Transtornos Respiratórios: As doenças do sistema respiratório em geral ou não especificadas ou para uma doença respiratória específica não disponível.Músculos Intercostais: Músculos respiratórios que se originam da borda inferior de uma costela e se inserem na borda superior da costela abaixo; e se contraem durante a inspiração e a expiração. (Stedman, 25a ed)Teste de Esforço: Atividade física controlada que é realizada para permitir a avaliação das funções fisiológicas, especialmente as cardiovasculares e pulmonares, mas também a capacidade aeróbica. O exercício máximo (mais intenso) é geralmente exigido, mas o submáximo também é utilizado.Terapia Intensiva: Cuidado avançado e altamente especializado prestado a pacientes clínicos ou cirúrgicos, cujas condições ameaçam a vida e requerem amplos cuidados e constante monitorização. É geralmente administrado em unidades especialmente equipadas de instituições de cuidados de saúde.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Hipoventilação: Redução na quantidade de ar que entra nos alvéolos pulmonares.Postura: Posição ou atitude do corpo.Recém-Nascido: Criança durante o primeiro mês após o nascimento.Cardiografia de Impedância: Tipo de pletismografia por impedância onde a impedância bioelétrica é medida entre eletrodos posicionados ao redor do pescoço e em partes mais inferiores do tórax. É utilizada principalmente para calcular volume sistólico e volume cardíaco, mas também se relaciona com a contractilidade miocardíaca, conteúdo de líquido torácico e circulação das extremidades.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Hipocapnia: Manifestação clínica constituída por deficiência de dióxido de carbono no sangue arterial.Sistema Respiratório: Órgãos e estruturas tubulares e cavernosas, por meio das quais a ventilação pulmonar e as trocas gasosas entre o ar externo e o sangue são realizadas.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Volume Residual: Volume de ar que permanece nos PULMÕES ao final de uma expiração máxima. A abreviação habitual é VR (RV).Estatísticas não Paramétricas: Classe de métodos estatísticos aplicáveis a um grande grupo de distribuição de probabilidades utilizado para testes de correlação, localização, independência, etc. Na maioria dos testes não paramétricos, o escore original ou as observações são substituídas por outra variável contendo menos informação. Uma classe importante de testes utiliza informação sobre se uma observação está acima ou abaixo de algum valor fixado, tal como uma mediana, e uma terceira classe é baseada na frequência de ocorrência dos períodos no dado.Pneumonia: Infecção do pulmão frequentemente acompanhada por inflamação.Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Órgãos Artificiais: Dispositivos planejados para substituir órgãos não funcionais. Eles podem ser temporários ou permanentes. Desde que são planejados para funcionar sempre como órgãos naturais eles são substituídos, devem ser diferenciados de PRÓTESES E IMPLANTES e tipos específicos de próteses que, embora também sejam substitutivos para partes do corpo, são frequentemente cosméticos (OLHO ARTIFICIAL) assim como funcionais (MEMBROS ARTIFICIAIS).Cuidados Críticos: Tratamento de saúde prestado a pacientes em estado crítico.Filtros de Ar: Barreiras usadas para separar e remover MATERIAL PARTICULADO do ar.Terapia Respiratória: Atenção a pacientes com deficiências e anormalidades associadas ao sistema cardiopulmonar. Abrange o uso terapêutico de gases medicinais e seus aparatos de administração, sistemas de controle ambiental, umidificação, aerossóis, suporte ventilatório, drenagem broncopulmonar e exercícios, reabilitação respiratória, assistência com ressuscitador cardiopulmonar e manutenção das vias aéreas naturais, artificiais e mecânicas.Traqueostomia: Formação cirúrgica de um orifício na traqueia através do pescoço, ou do orifício criado.Fluxo Expiratório Máximo: Medida da taxa do fluxo de ar durante o primeiro litro expirado após os primeiros 200 ml terem se exaurido durante uma determinação da CAPACIDADE VITAL FORÇADA. As abreviações normais são MEFR, FEF 200-1200 e FEF 0.2-1.2.Ovinos: Qualquer mamífero ruminante com chifres curvados (gênero Ovis, família Bovodae) que possuem sulco lacrimal e glândulas interdigitais (ausentes nas CABRAS).Impedância Elétrica: Resistência ao fluxo da corrente elétrica (alternada ou direta).