Hiperpigmentação: Pigmentação excessiva da pele, normalmente como resultado da melanização aumentada da epiderme ou derme, a hipermelanose. A hiperpigmentação pode ser localizada ou generalizada. A afecção pode surgir da exposição à luz, produtos químicos, outras substâncias ou de um desequilíbrio metabólico primário.Melanose: Transtornos da pigmentação de melanina elevada, que se desenvolvem sem nenhuma doença inflamatória precedente.Pigmentação da Pele: Coloração da pele.Transtornos da PigmentaçãoLentigo: Pequenas melanoses circunscritas semelhantes, mas diferentes histologicamente de sardas. O conceito inclui lentigo senil ('máculas hepáticas') e lentigo nevoide (nevo spilus, lentigo simples), podendo também ocorrer em associação com defeitos congênitos múltiplos ou síndromes congênitas (ex., síndrome de Peutz-Jeghers).Melaninas: Polímeros insolúveis de derivados de TIROSINA (encontrados na pele), causadores do escurecimento da pele (PIGMENTAÇÃO DA PELE), cabelo e penas, e trazem proteção contra QUEIMADURA SOLAR induzida pela LUZ SOLAR. Os CAROTENOS contribuem com as cores amarela e vermelha.Dermatoses FaciaisManchas Café com Leite: Máculas pigmentadas de coloração marrom claro, associadas com NEUROFIBROMATOSE e síndrome de Albright (v. DISPLASIA FIBROSA POLIOSTÓTICA).Clareadores: Compostos químicos que são usados para oxidar pigmentos e, assim, afetam o branqueamento (MeSH). Soluções aquosas à base de hipoclorito de sódio ou cálcio com o teor de cloro ativo entre 2,0 por cento p/p a 2,5 por cento p/p, durante o prazo de validade (máximo de seis meses). O produto poderá conter apenas hidróxido de sódio ou cálcio, cloreto de sódio ou cálcio e carbonato de sódio ou cálcio como estabilizante (ANVISA, Brasil).Monofenol Mono-Oxigenase: Enzima da classe das oxidorredutases, que catalisa a reação entre L-tirosina, L-dopa e oxigênio, para fornecer L-dopa, dopaquinona e água. É uma proteína de cobre que age nos catecóis, catalisando algumas das mesmas reações que a CATECOL OXIDASE. EC 1.14.18.1.Melanócitos: Células pigmentares de mamíferos que produzem MELANINAS, pigmentos encontrados principalmente na EPIDERME, mas também nos olhos e cabelos por um processo denominado melanogênese. A coloração pode ser alterada por inúmeros melanócitos ou pela quantidade de pigmento produzida e armazenada nas organelas, denominadas MELANOSSOMAS. As grandes células contendo melanina dos não mamíferos são denominadas MELANÓFOROS.Hipopigmentação: Afecção causada por deficiência ou perda da pigmentação por melanina na epiderme, também conhecida como hipomelanose. A hipopigmentação pode ser localizada ou generalizada e pode resultar de defeitos genéticos, trauma, inflamação ou infecções.Eritema: Vermelhidão da pele produzida pela congestão dos capilares. Esta afecção pode resultar de uma variedade de causas.Dermatite Fototóxica: Tipo de fotossensibilidade quimicamente induzida, não imunológica, produzindo uma dermatite algumas vezes vesicular. Resulta em hiperpigmentação e descamação das áreas da pele expostas à luz.Nevo de Ota: Lesão macular na FACE, envolvendo a CONJUNTIVA e as PÁLPEBRAS, bem como a pele adjacente à face, a ESCLERA, os MÚSCULOS OCULOMOTORES e o PERIÓSTEO. As características histológicas variam desde uma MANCHA MONGÓLICA até aquelas de um NEVO AZUL.Tinha Versicolor: Distúrbio crônico comum, não inflamatório e usualmente assintomático, caracterizado pela ocorrência de múltiplas áreas maculares, de todos os tamanhos e formatos, variando de esbranquiçadas na pele pigmentada a castanho-claro ou castanho na pele pálida. É mais frequentemente encontrada em regiões tropicais quentes, úmidas e causadas por Malassezia furfur. (Dorland, 28a ed)Acne Vulgar: Transtorno crônico do aparelho pilossebáceo associado com um aumento na secreção sebácea. É caracterizado por comedões abertos ("cravos" de cabeça preta), comedões fechados (de cabeça branca) e nódulos pustulares. A causa é desconhecida, sendo a hereditariedade e a idade fatores predispostos.Acantose Nigricans: Tipo de melanose circunscrita constituída de uma verrucosidade veludosa de pigmentação marrom, ou papilomatose fina surgindo nas axilas e outras pregas do corpo. Ocorre em associação com transtornos endócrinos, malignidades subjacentes e administração de determinados medicamentos, ou como transtorno hereditário.DermatopatiasLinguados: Nome vulgar da ordem Pleuronectiformes. Grupo peculiar pela assimetria adquirida durante o desenvolvimento (p.ex., um olho migra, ficando adjacente ao outro; nadam do lado em que não há olhos). O LINGUADO, solha, turbot e várias outras espécies fazem parte desta ordem.Transtornos de Fotossensibilidade: Respostas anormais à luz solar ou luz artificial, devido à reatividade extrema de moléculas absorvedoras de luz nos tecidos. Refere-se quase que exclusivamente à fotossensibilidade cutânea, incluindo queimadura solar, reações devido à exposição prolongada repetida na ausência de fatores fotossensibilizantes, e reações que necessitam de fatores fotossensibilizantes, como agentes fotossensibilizantes e determinadas doenças. Com referência restrita ao tecido cutâneo, não inclui fotossensibilidade dos olhos à luz, como na fotofobia ou epilepsia fotossensível.HidroquinonasErupção por Droga: Reações cutâneas adversas causadas por ingestão, uso parenteral ou aplicação local de uma droga. Podem assumir vários padrões morfológicos e produzir vários tipos de lesões.Fármacos Dermatológicos: Fármacos usados para o tratamento ou prevenção de afecções cutâneas ou para o cuidado habitual com a pele.Agaricales: Vasta ordem de fungos basidiomicetos cujos corpos de frutificação são comumente chamados de cogumelos.Neurofibromatoses: Grupo de transtornos caracterizado por um padrão autossômico dominante de transmissão com altas taxas de mutação espontânea e neurolemomas e neurofibromas múltiplos. A NEUROFIBROMATOSE 1 (neurofibromatose generalizada) compreende aproximadamente 95 por cento dos casos, embora múltiplos subtipos adicionais (p.ex., NEUROFIBROMATOSE 2, neurofibromatose 3, etc.) têm sido descritos.Melanossomas: Organelas, contendo melanina, encontradas em melanócitos e melanóforos.Fator de Transcrição Associado à Microftalmia: Fator de transcrição de zíper de leucina e hélice-alça-hélix básico que regula a DIFERENCIAÇÃO CELULAR e o desenvolvimento de uma variedade de tipos celulares, incluindo os MELANÓCITOS, OSTEOCLASTOS e EPITÉLIO PIGMENTADO DA RETINA. Mutações na proteína MITF estão associadas com OSTEOPETROSE e SÍNDROME DE WAARDENBURG.Doenças da Unha: Doenças da placa da unha e tecidos ao redor desta. O conceito é limitado a primatas.Doença de Addison: Doença suprarrenal caracterizada pela destruição progressiva do CÓRTEX SUPRARRENAL, resultando em produção insuficiente de ALDOSTERONA e HIDROCORTISONA. Entre os sintomas clínicos estão ANOREXIA, NÁUSEA, PERDA DE PESO, DEBILIDADE MUSCULAR e HIPERPIGMENTAÇÃO da PELE devido ao aumento nos níveis circulantes do hormônio precursor de ACTH que estimula os MELANÓCITOS.Polipose Intestinal: Crescimento de PÓLIPOS INTESTINAIS. Os processos de crescimento podem ser neoplásico (ADENOMA e CARCINOMA) e não neoplásico (hiperplásico, mucoso, inflamatório e outros pólipos).