Esquizofrenia: Transtorno emocional grave de profundidade psicótica caracteristicamente marcado por um afastamento da realidade com formação de delírios, ALUCINAÇÕES, desequilíbrio emocional e comportamento regressivo.Psicologia do Esquizofrênico: O estudo dos processos e do comportamento dos esquizofrênicos.Esquizofrenia Paranoide: Forma crônica de esquizofrenia caracterizada primariamente pela presença de delírios de perseguição ou grandeza, frequentemente associados a alucinações.Antipsicóticos: Fármacos que controlam o comportamento psicótico agitado, aliviam os estados psicóticos agudos, reduzem os sintomas psicóticos, e exercem um efeito tranquilizador. São usados na ESQUIZOFRENIA, demência senil, psicose passageira após cirurgia ou INFARTO DO MIOCÁRDIO, etc. Embora estes fármacos sejam frequentemente chamados neurolépticos (com alusão à tendência para produzir efeitos neurológicos colaterais) é pouco provável que todos os antipsicóticos produzam esse tipo de efeito. Muitos destes fármacos também podem ser eficazes contra náusea, êmese e prurido.Esquizofrenia Hebefrênica: Tipo de esquizofrenia caracterizado por incoerência frequente, vagueza acentuada das associações, ou comportamento grosseiramente desorganizado e afeto embotado ou grosseiramente inapropriado que não satisfazem os critérios para o tipo catatônico. As características associadas incluem afastamento social extremo, trejeitos, maneirismos, contemplação em espelhos, riso à socapa inapropriado, e outros comportamentos estranhos. (Dorland, 28a ed)Esquizofrenia Infantil: Conceito obsoleto historicamente usado para transtornos mentais da infância que eram considerados uma forma de esquizofrenia. Aparecia nas versões iniciais do DSM, mas agora está incluída no amplo conceito de TRANSTORNOS GLOBAIS DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL.Transtornos Psicóticos: Transtornos em que há uma perda dos limites do ego e um prejuízo acentuado do teste da realidade, com delírios ou alucinações proeminentes.(Tradução livre do original: From DSM-IV, 1994)Esquizofrenia Catatônica: Tipo de esquizofrenia caracterizado por anormalidade do comportamento motor que envolve formas particulares de estupor, rigidez, excitação ou postura inapropriada.Escalas de Graduação Psiquiátrica: Procedimentos padronizados baseados em escalas de avaliação ou roteiros de entrevistas conduzidos por profissionais da saúde para a avaliação do grau de doença mental.Transtorno da Personalidade Esquizotípica: Transtorno de personalidade em que estão presentes excentricidades do pensamento (pensamento mágico, ideação paranoide, desconfiança), percepção (ilusões, despersonalização), fala (digressiva, vaga, excessivamente elaborada), e comportamento (afeto inapropriado nas interações sociais, isolamento social frequente) que não são graves o suficiente para caracterizar a esquizofrenia.Transtornos Cognitivos: Distúrbios do processo mental relacionados com o aprendizado, pensamento, o raciocínio e o julgamento.Linguagem do Esquizofrênico: A linguagem artificial dos pacientes esquizofrênicos - neologismos (palavras formuladas pelo próprio paciente com novos significados)Testes Neuropsicológicos: Testes projetados para a avaliação da função neurológica associada a certos comportamentos. São utilizados no diagnóstico de disfunção ou dano cerebral e dos transtornos ou lesões do sistema nervoso central.Transtorno Bipolar: Transtorno afetivo importante caracterizado por graves oscilações do humor (episódios de mania ou de depressão significativa) e por uma tendência à remissão e à recorrência.Risperidona: Bloqueador seletivo dos RECEPTORES DOPAMINÉRGICOS DO TIPO D2 e dos RECEPTORES 5-HT2 DE SEROTONINA que age como antipsicótico atípico. Tem mostrado que melhora tanto os sintomas positivos como os negativos no tratamento da ESQUIZOFRENIA.Clozapina: Dibenzodiazepina tricíclica, classificada como agente antipsicótico atípico. Liga-se a vários tipos de receptores do sistema nervoso central, e exibe um perfil farmacológico único. A clozapina é um antagonista de serotonina, com forte ligação ao subtipo 5-HT 2A/2C do receptor. Também exibe forte afinidade por vários receptores dopaminérgicos, mas mostra apenas um fraco antagonismo com o receptor D2 da dopamina, um receptor comumente considerado como modulador da atividade neuroléptica. A agranulocitose é o principal efeito adverso associado com a administração deste agente.Escalas de Graduação Psiquiátrica Breve: Escala que consiste de 18 constructos de sintomas escolhidos para representar dimensões relativamente independentes da psicopatologia manifesta. O objetivo inicial era o de proporcionar uma forma mais eficiente de avaliação da resposta ao tratamento em pesquisa clínica psicofarmacológica. Contudo, a escala foi prontamente adaptada para outros usos. (Tradução livre do original: Hersen, M. and Bellack, A.S., Dictionary of Behavioral Assessment Techniques, p. 87)Delusões: Crença falsa sobre si mesmo ou sobre as pessoas ou objetos externos a si próprio que persiste apesar dos fatos e não é considerada sustentável pelas pessoas com quem o indivíduo convive.Alucinações: Sensações experimentadas subjetivamente na ausência de um estímulo apropriado, mas que são guardadas pelo indivíduo como se fossem reais. Podem ter origem orgânica ou estarem associadas com TRANSTORNOS MENTAIS.Córtex Pré-Frontal: Parte rostral do lobo frontal, delimitado pelo sulco pré-central inferior nos humanos, o qual recebe fibras de projeção do NÚCLEO MEDIODORSAL DO TÁLAMO. O córtex pré-frontal recebe fibras aferentes de numerosas estruturas do DIENCÉFALO, MESENCÉFALO e SISTEMA LÍMBICO, bem como também de aferências corticais de origem visual, auditivas e somáticas.Encéfalo: A parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL contida no CRÂNIO. O encéfalo embrionário surge do TUBO NEURAL, sendo composto de três partes principais, incluindo o PROSENCÉFALO (cérebro anterior), o MESENCÉFALO (cérebro médio) e o ROMBENCÉFALO (cérebro posterior). O encéfalo desenvolvido consiste em CÉREBRO, CEREBELO e outras estruturas do TRONCO ENCEFÁLICO (MeSH). Conjunto de órgãos do sistema nervoso central que compreende o cérebro, o cerebelo, a protuberância anular (ou ponte de Varólio) e a medula oblonga, estando todos contidos na caixa craniana e protegidos pela meninges e pelo líquido cefalorraquidiano. É a maior massa de tecido nervoso do organismo e contém bilhões de células nervosas. Seu peso médio, em um adulto, é da ordem de 1.360 g, nos homens e 1.250 g nas mulheres. Embriologicamente, corresponde ao conjunto de prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Seu crescimento é rápido entre o quinto ano de vida e os vinte anos. Na velhice diminui de peso. Inglês: encephalon, brain. (Rey, L. 1999. Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde, 2a. ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro)Transtornos Psicóticos Afetivos: Transtornos cuja característica essencial é um grave distúrbio do humor (depressão, ansiedade, elação e excitação) acompanhado de sintomas psicóticos como delírios, alucinações, prejuízo extremo do teste da realidade, etc.Filtro Sensorial: Habilidade do CÉREBRO de suprimir respostas nervosas a estímulos sensoriais externos, como estímulos auditivos e visuais. O filtro sensorial permite que os humanos bloqueiem estímulos irrelevantes, sem sentido ou redundantes.Delirium, Demência, Transtorno Amnéstico e Outros Transtornos Cognitivos: Transtornos cognitivos que incluem o delirium, a demência e outros. Estes podem ser resultantes do uso de substâncias, traumas ou outras causas.Imagem por Ressonância Magnética: Método não invasivo de demonstração da anatomia interna baseado no princípio de que os núcleos atômicos em um campo magnético forte absorvem pulsos de energia de radiofrequência e as emitem como ondas de rádio que podem ser reconstruídas nas imagens computadorizadas. O conceito inclui técnicas tomográficas do spin do próton.Haloperidol: Fenil-piperidinil-butirofenona utilizado principalmente para tratar ESQUIZOFRENIA e outras PSICOSES. Também é utilizado em transtornos esquizoafetivos, ESQUIZOFRENIA PARANOIDE, balismo e SÍNDROME DE TOURETTE (droga de escolha) e ocasionalmente como terapia adjunta na DEFICIÊNCIA INTELECTUAL e coreia da DOENÇA DE HUNTINGTON. É um antiemético potente e utilizado no tratamento do SOLUÇO intratável. (Tradução livre do original: AMA Drug Evaluations Annual, 1994, p279)Ajustamento Social: Adaptação de uma pessoa ao ambiente social. O ajuste pode ocorrer por adaptação do indivíduo (self) ao ambiente ou por transformação do ambiente (Tradução livre do original: Campbell, Psychiatric Dictionary, 1996).Estudos de Casos e Controles: Estudos epidemiológicos observacionais nos quais grupos de indivíduos com determinada doença ou agravo (casos) são comparados com grupos de indivíduos sadios (controles) em relação ao histórico de exposição a um possível fator causal ou de risco. (Tradução livre do original: Last, 2001)Predisposição Genética para Doença: Suscetibilidade latente a doenças de caráter genético, podendo ser ativada sob determinadas situações.Endofenótipos: Marcadores cognitivos ou biológicos mensuráveis (características fisiológicas, bioquímicas e anatômicas) que são encontrados com maior frequência em indivíduos doentes do que na população em geral. Devido ao fato dos endofenótipos estarem presentes antes do estabelecimento da doença e em indivíduos com risco herdável para doença (como familiares não afetados), eles podem ser usados para auxiliar o diagnóstico e a investigação de genes causadores.Mapeamento Encefálico: Técnicas de imagem usadas para colocalizar os sítios das funções ou atividades fisiológicas do encéfalo com suas respectivas estruturas.Análise de Variância: Técnica estatística que isola e avalia a contribuição dos fatores incondicionais para a variação na média de uma variável dependente contínua.Reação de Alarme: Resposta involuntária complexa a um forte e inesperado estímulo, geralmente de natureza auditiva.Benzodiazepinas: Grupo de compostos heterocíclicos de dois anéis consistindo em um anel benzeno fundido a um anel diazepino. É permitido qualquer grau de hidrogenação, qualquer substituinte e qualquer isômero H.Lobo Frontal: Parte do hemisfério cerebral anterior ao sulco central e superior ao sulco lateral.National Institute of Mental Health (U.S.): Componente do NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH (U.S.) que se ocupado de pesquisa, planejamento global, promoção e administração de programas de saúde mental e pesquisa. Fundado em 1949.Dominância Cerebral: Dominância de um hemisfério cerebral sobre o outro nas funções cerebrais.Atenção: Ato de focalizar certos aspectos da experiência atual e excluir outros. É o ato de levar em consideração, de notar ou de se concentrar.Lobo Temporal: Parte lateral inferior do hemisfério cerebral responsável pelo processamento auditório, olfatório e semântico. Está localizado em posição inferior à fissura lateral e anterior ao LOBO OCCIPITAL.DibenzotiazepinasProcessamento de Imagem Assistida por Computador: Técnica de entrada de imagens bidimensionais em um computador e então realçar ou analisar a imagem em uma forma que é mais útil ao observador humano.Memória de Curto Prazo: Lembrança de informação por poucos segundos a horas.Pensamento: Atividade mental, que não é predominantemente perceptiva, através da qual se apreende algum aspecto de um objeto ou situação com base no aprendizado e experiência anteriores.Giro do Cíngulo: Uma das circunvoluções da superfície medial dos hemisférios cerebrais (ver CÉREBRO). Circunda a parte rostral do encéfalo do CORPO CALOSO e forma parte do SISTEMA LÍMBICO.Psicoses Induzidas por Substâncias: Transtornos mentais orgânicos psicóticos, resultantes do efeito tóxico de drogas e substâncias químicas, ou outras substâncias dolosas.Potenciais Evocados Auditivos: Resposta elétrica evocada no CÓRTEX CEREBRAL por ESTIMULAÇÃO ACÚSTICA ou estimulação das VIAS AUDITIVAS.Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais: Classificação categórica de TRANSTORNOS MENTAIS baseada nos grupos de critérios com características definidas. É produzido pela American Psychiatric Association. (DSM-IV, página xxii)Córtex Cerebral: Camada delgada de SUBSTÂNCIA CINZENTA localizada na superfície dos hemisférios cerebrais (ver CÉREBRO) que se desenvolve a partir do TELENCÉFALO e se molda em giros e sulcos. Alcança seu maior desenvolvimento no ser humano, sendo responsável pelas faculdades intelectuais e funções mentais superiores.Transtornos da Percepção: Transtornos cognitivos caracterizados pela capacidade deficiente em perceber a natureza de objetos ou conceitos através do uso dos órgãos dos sentidos. Estes incluem síndromes de omissão espacial, nas quais o indivíduo não responde a estímulos visuais, auditivos ou sensoriais apresentados de um lado do corpo.Catecol O-Metiltransferase: Enzima que catalisa o movimento de um grupo metil da S-adenosilmetionina para um catecol ou catecolamina.Teste de Realidade: A avaliação objetiva que o indivíduo faz do mundo externo e a capacidade em diferenciar adequadamente entre o mundo externo e o mundo interno; é considerado função primária do ego.Transtornos da Memória: Distúrbios no registro de uma impressão, na retenção de uma impressão adquirida, ou na lembrança de uma impressão. Deficiências de memória estão associadas com DEMÊNCIA, TRAUMA CRANIOCEREBRAL, ENCEFALITE, ALCOOLISMO (ver também TRANSTORNO AMNÉSICO ALCOÓLICO), ESQUIZOFRENIA e outras afecções.Tempo de Reação: Tempo desde o início de um estímulo até que uma resposta seja observada.Cognição: Processo intelectual ou mental por meio do qual um organismo obtém conhecimento.Grupos Controle: Grupos que servem como padrão de comparação nos estudos de pesquisa. São semelhantes nas características relevantes ao grupo experimental, porém não aceitam a intervenção experimental.Eletroencefalografia: Registro de correntes elétricas produzidas no cérebro, pela medida de eletrodos adaptados ao couro cabeludo, na superfície do cérebro, ou colocados no cérebro.Percepção Social: A percepção dos atributos, características e comportamentos dos próprios colegas ou grupo social.Fenciclidina: Alucinógeno usado antigamente como anestésico veterinário, e por pouco tempo como anestésico geral em humanos. A fenciclidina é similar à QUETAMINA em estrutura e em muitos dos seus efeitos. Como a quetamina, pode produzir um estado dissociativo. Exerce sua ação farmacológica através da inibição de receptores de NMDA (RECEPTORES DE N-METIL-D-ASPARTATO). Como droga de abuso, é conhecida por PCP e Pó-de-Anjo.Família: Grupo social que consiste de pais ou pais substitutos e crianças.Ego: A porção consciente da estrutura da personalidade, que serve como mediadora entre as exigências dos impulsos instintivos primitivos (o id), das proibições parentais e sociais internalizadas ou consciência (o superego), e da realidade.Flufenazina: Fenotiazina utilizada no tratamento de psicoses. Suas propriedades e usos geralmente são semelhantes às da CLORPROMAZINA.Cromossomos Humanos Par 22: Par específico de cromossomos do grupo G na classificação dos cromossomos humanos.Vias Neurais: Tratos neurais que conectam partes distintas do sistema nervoso.Lateralidade Funcional: Manifestações comportamentais da dominância cerebral em que há um uso preferencial e um funcionamento superior do lado esquerdo ou direito, como no uso preferencial da mão direita ou do pé direito.Polimorfismo de Nucleotídeo Único: Variação nucleotídica única em sequência genética que ocorre com frequência apreciável na população.Acetato de Metilazoximetanol: A aglicona da CICASINA. Atua como um potente carcinógeno e neurotoxina, inibindo a síntese hepática de DNA, RNA e proteínas.Receptores de Dopamina D2: Subfamília de RECEPTORES ACOPLADOS A PROTEÍNA-G que se liga ao neurotransmissor DOPAMINA e modula seus efeitos. Os genes de receptor da classe D2 contêm ÍNTRONS, e os receptores inibem ADENILIL CICLASES.Idade de Início: A idade, estágio de desenvolvimento ou período da vida no qual uma doença, seus sintomas iniciais ou manifestações aparecem em um indivíduo.Mudanças Depois da Morte: Alterações fisiológicas que ocorrem nos corpos após a morte.Dopamina: Uma das catecolaminas NEUROTRANSMISSORAS do encéfalo. É derivada da TIROSINA e precursora da NOREPINEFRINA e da EPINEFRINA. A dopamina é a principal transmissora no sistema extrapiramidal do encéfalo e importante na regulação dos movimentos. Sua ação é mediada por uma família de receptores (RECEPTORES DOPAMINÉRGICOS).Teoria da Construção Pessoal: Teoria psicológica baseada nas dimensões ou categorias utilizadas por uma determinada pessoa para descrever ou explicar a personalidade ou o comportamento dos outros ou os próprios. A ideia básica é que pessoas diferentes utilizam-se de categorias consistentemente diferentes. A teoria foi formulada nos anos cinquenta por George Kelly. Dois testes elaborados por ele são o teste de repertório de constructos de papéis e o teste de grade de repertório.Genótipo: Constituição genética do indivíduo que abrange os ALELOS presentes em cada um dos LOCI GÊNICOS.Expressão Facial: Alterações da expressão da face, em resposta a um estímulo emocional.Transtornos do Humor: Aqueles transtornos que têm como principal característica o distúrbio do humor.Transtornos da Percepção Auditiva: Transtornos cognitivos adquiridos ou desenvolvidos de PERCEPÇÃO AUDITIVA, caracterizados por uma redução da capacidade em perceber informações contidas em estímulos auditivos apesar de vias auditivas intactas. Os indivíduos afetados têm dificuldade com a percepção da fala, localização sonora e compreensão do significado de inflecções da fala.Estatística como Assunto: A ciência e arte de coletar, resumir e analisar dados que são sujeitos à variação aleatória. O termo é também usado para os próprios dados e para o resumo desses dados.Emoções Manifestas: Frequência e qualidade das emoções negativas, como por exemplo, a raiva ou a hostilidade, expressas pelos parentes ou pessoas próximas, que muitas vezes levam a uma alta taxa de recaída, especialmente dos pacientes esquizofrênicos.Variação Contingente Negativa: Variação negativa dos potenciais elétricos corticais, que aumenta com o tempo. Está associada a uma resposta antecipada a um estímulo esperado. É também um evento elétrico indicativo de um estado de prontidão ou expectativa.Emoções: Aqueles estados afetivos que podem ser experimentados e que têm a propriedade de excitar e motivar o indivíduo.Comportamento Social: Qualquer comportamento que é causado por um outro indivíduo, ou que afeta outro indivíduo, em geral da mesma espécie.Ensino de Recuperação: Instrução especializada para estudantes com desempenho abaixo do esperado.Rede Nervosa: Estrutura emaranhada composta de células nervosas que se interconectam. Estas células podem estar separadas na fenda sináptica ou juntas a outras células pelos processos citoplasmáticos. Em invertebrados, por exemplo, a rede nervosa permite que os impulsos nervosos se espalhem sobre uma área ampla da rede uma vez que as sinapses podem passar informação em qualquer direção.Estimulação Acústica: Uso do som para extrair uma resposta no sistema nervoso.Potencial Evocado P300: Componente de aparecimento tardio do potencial relacionado com o evento. P300 é abreviatura de potencial de voltagem positiva, e 300 representa 300 milissegundos pós-estímulo. Sua amplitude aumenta com estímulos não predizíveis, improváveis ou altamente significantes, constituindo assim um índice de atividade mental. (Tradução livre do original: Campbell, Psychiatric Dictionary, 6th ed)Irmãos: Pesssoas ou animais que têm pelo menos um pai em comum. (Tradução livre do original: American College Dictionary, 3d ed)Aprendizagem Verbal: Ato de aprender a responder verbalmente a um sinal de estímulo verbal.Transtornos Paranoides: Transtornos mentais crônicos nos quais há um desenvolvimento insidioso de um sistema delirante permanente e inquestionável (delírios persecutórios e delírios de ciúme), acompanhados pela preservação do pensamento organizado e claro. As respostas e os comportamentos emocionais são consistentes com o estado delirante.Hipocampo: Elevação curva da SUBSTÂNCIA CINZENTA, que se estende ao longo de todo o assoalho no LOBO TEMPORAL do VENTRÍCULOS LATERAIS (ver também LOBO TEMPORAL). O hipocampo, subículo e GIRO DENTEADO constituem a formação hipocampal. Algumas vezes, os autores incluem o CÓRTEX ENTORRINAL na formação hipocampal.Psicometria: A avaliação de variáveis psicológicas através da aplicação de procedimentos matemáticos.Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Índice de Gravidade de Doença: Níveis dentro de um grupo de diagnósticos estabelecidos por vários critérios de medição aplicados à gravidade do transtorno de um paciente.Discinesia Induzida por Medicamentos: Movimentos anormais incluindo HIPERCINESIA, HIPOCINESIA, TREMOR e DISTONIA associados com uso de determinados medicamentos ou drogas. Os músculos da face, tronco, pescoço e extremidades são os mais afetados. A discinesia tardia se refere aos movimentos hipercinéticos anormais dos músculos da face, língua e pescoço associados com uso de agentes neurolépticos (v. AGENTES ANTIPSICÓTICOS). (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1199)Teoria da Mente: Habilidade de atribuir estados mentais (ex.: crenças, desejos, sentimentos, intenções, pensamentos etc.) para si e para os outros, permitindo que um indivíduo entenda e infira comportamento na base dos estados mentais. A diferença ou déficit na teoria da mente está associada com a SÍNDROME DE ASPERGER, TRANSTORNO AUTÍSTICO e ESQUIZOFRENIA etc.Neuregulina-1: Fator peptídeo originalmente identificado pela sua habilidade de estimular a fosforilação do receptor erbB-2 (RECEPTOR ERBB-2). É um ligante do receptor erbB-3 (RECEPTOR ERBB-3) e o receptor erbB-4. Formas variantes de NEUREGULINA-1 ocorrem devido ao splicing alternativo de seus RNA mensageiros.Transtornos Mentais: Doenças psiquiátricas que se manifestam por rupturas no processo de adaptação expressas primariamente por anormalidades de pensamento, sentimento e comportamento, produzindo sofrimento e prejuízo do funcionamento.Inibição (Psicologia): O impedimento ou prevenção de uma resposta comportamental ou verbal apesar do estímulo para aquela resposta estar presente. Em psicanálise, a repressão inconsciente de um processo instintivo.Desempenho Psicomotor: A coordenação de um processo (cognitivo) sensorial ou ideacional e uma atividade motora.Idade Paterna: Idade do pai biológico.Anedonia: Incapacidade de sentir prazer devido ao prejuízo ou disfunção de mecanismos psicológicos e neurobiológicos normais. É um sintoma de muitos TRANSTORNOS PSICÓTICOS (por exemplo, TRANSTORNO DEPRESSIVO MAIOR e ESQUIZOFRENIA).Reabilitação Vocacional: Treinamento de deficientes físicos ou mentais em trabalhos especializados para que estas pessoas possam empregar-se regularmente com o ofício aprendido.Sintomas Afetivos: Humor ou repostas emocionais dissonantes ou inapropriadas ao comportamento e/ou estímulo.Neuroimagem Funcional: Métodos para visualização de FLUXO SANGUÍNEO REGIONAL, atividades elétricas, metabólicas ou qualquer outra fisiológica no SISTEMA NERVOSO CENTRAL, por meio da utilização de várias modalidades de técnicas de imagem.Proteínas do Tecido NervosoMeio Social: O agregado de instituições sociais e culturais, formas, padrões e processos que influenciam a vida de um indivíduo ou comunidade.Doenças em Gêmeos: Transtornos afetando GÊMEOS (um ou ambos) em qualquer idade.Inteligência: Habilidade para aprender e manejar novas situações e desempenhar eficientemente tarefas que envolvam abstração.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Valores de Referência: Faixa (ou distribuição de frequências) dos [valores] medidos em uma população (de organismos, órgãos ou coisas) que não foi selecionada para [indicar] a presença de doença ou de anormalidade.Efeitos Tardios da Exposição Pré-Natal: Consequências da exposição do FETO no útero a certos fatores, como FENÔMENOS FISIOLÓGICOS DA NUTRIÇÃO, ESTRESSE FISIOLÓGICO, DROGAS, RADIAÇÃO e outros fatores físicos ou químicos. Estas consequências são observadas tardiamente na prole após o NASCIMENTO.Hospitais Psiquiátricos: Hospitais especializados na prestação de assistência a pacientes com doenças mentais.Terapia Psicanalítica: Tipo de tratamento psiquiátrico baseado nos princípios freudianos, que procura eliminar ou diminuir os efeitos indesejáveis dos conflitos inconscientes ao buscar a conscientização do paciente sobre a existência e a origem destes conflitos, assim como da sua expressão inapropriada nas emoções e no comportamento.Psicopatologia: O estudo das causas e processos significativos para o desenvolvimento da doença mental.Desenvolvimento da Personalidade: Evolução dos padrões habituais de comportamento durante a infância e adolescência.Receptores Dopaminérgicos: Proteínas de superfície celular que ligam dopamina com alta afinidade e desencadeiam mudanças intracelulares influenciando o comportamento das células.Terapia Cognitiva: Forma de psicoterapia baseada na interpretação das situações (estrutura cognitiva das experiências) que determinam o modo como um indivíduo se sente e se comporta. É baseada na premissa de que a cognição, o processo de aquisição do conhecimento e de formação de crenças, é primariamente determinado pelo humor e o comportamento. A terapia utiliza técnicas comportamentais e verbais para identificar e corrigir pensamentos negativos que estão na raiz dos comportamentos aberrantes.Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Doenças dos Gânglios da Base: Doenças dos GÂNGLIOS DA BASE (que incluem o PUTAMEN, GLOBO PÁLIDO, claustro, AMÍGDALA e NÚCLEO CAUDADO). As DISCINESIAS (movimentos involuntários mais evidentes e alterações na taxa de movimento) são as manifestações clínicas primárias destes transtornos. Entre as etiologias comuns estão: TRANSTORNOS CEREBROVASCULARES, DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS e TRAUMA CRANIOCEREBRAL.Estudos de Associação Genética: Análise de uma sequência molecular, como uma região de um cromossomo, um haplótipo, um gene ou um alelo, em relação a seu envolvimento no controle do fenótipo de uma determinada característica, da via metabólica ou da doença.Anfetamina: Poderoso estimulante do sistema nervoso central e simpatomimético. Anfetamina apresenta múltiplos mecanismos de ação incluindo o bloqueio da recaptação de adrenérgicos e dopamina, estimulação da liberação de monoaminas e inibição da enzima monoamino oxidase. Anfetamina é também uma droga de abuso e psicotomimético. A forma l- e d,l- são incluídas aqui. A forma l apresenta menor atividade no sistema nervoso central, porém poderosos efeitos cardiovasculares. O forma d é a DEXTROANFETAMINA.Receptores de N-Metil-D-Aspartato: Classe de receptores ionotrópicos do glutamato caracterizados pela afinidade pelo N-metil-D-aspartato. Os receptores NMDA possuem um sítio alostérico de ligação para a glicina que deve ser ocupado para a abertura eficiente do canal e um sítio dentro do próprio canal ao qual se liga o íon magnésio de maneira dependente de voltagem. A dependência de voltagem positiva da condutância do canal e a alta permeabilidade de condutância aos íons cálcio (bem como para cátions não covalentes) são importantes na excitotoxicidade e plasticidade neuronal.Comportamento Verbal: Inclui tanto a produção de palavras como as respostas a elas, sejam escritas ou faladas.