Endocrinologia: Subespecialidade da medicina interna que lida com o metabolismo, fisiologia e distúrbios do SISTEMA ENDÓCRINO.Doenças do Sistema Endócrino: Processos patológicos das GLÂNDULAS ENDÓCRINAS E doenças resultantes do nível anormal de HORMÔNIOS disponíveis.Neuroendocrinologia: Estudo das relações anatômicas e funcionais entre o sistema nervoso e o sistema endócrino.Neoplasias das Glândulas Endócrinas: Tumores ou câncer das GLÂNDULAS ENDÓCRINAS.Sistema Endócrino: Sistema de glândulas que liberam sua secreção (hormônios) diretamente no sistema circulatório. Em adição às GLÂNDULAS ENDÓCRINAS, o SISTEMA CROMAFIM e os SISTEMAS NEUROSSECRETORES estão inclusos.Hormônios: Substâncias químicas que possuem um efeito regulador específico sobre a atividade de um determinado órgão ou órgãos. O termo foi aplicado originalmente às substâncias secretadas por várias GLÂNDULAS ENDÓCRINAS e transportadas através da circulação sanguínea para os órgãos alvos. Às vezes, se incluem aquelas substâncias que não são produzidas pelas glândulas endócrinas, mas apresentam efeitos semelhantes.Fenômenos Reprodutivos Fisiológicos: Processos, fatores, propriedades e características fisiológicos pertencentes à REPRODUÇÃO.National Institute of Diabetes and Digestive and Kidney Diseases (U.S.): Componente do NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH (U.S.). Administra e sustenta a pesquisa básica e aplicada para um programa nacional em diabetes, endocrinologia e doenças metabólicas; doenças digestivas e nutrição; doenças renais, urológicas e hematológicas. Foi fundado em 1948.Infectologia: Ramo da medicina interna que lida com o diagnóstico e o tratamento de DOENÇAS INFECCIOSAS.Glândulas Endócrinas: Glândulas sem ducto, que secretam HORMÔNIOS (os quais afetam o METABOLISMO e outras funções celulares) diretamente na CIRCULAÇÃO SANGUÍNEA.Reprodução: O processo total pelo qual organismos geram a prole. (Stedman, 25a ed)Terapia de Reposição Hormonal: Uso terapêutico de hormônios para aliviar os efeitos da deficiência hormonal.Tireotropina: Hormônio glicoproteico secretado pela ADENO-HIPÓFISE. A tireotropina estimula a GLÂNDULA TIREOIDE ao aumentar o transporte de iodo, a síntese e liberação de hormônios tireóideos (TIREOXINA e TRI-IODOTIRONINA). A tireotropina consiste em duas subunidades, alfa e beta, ligadas não covalentemente. Dentro de uma espécie, a subunidade alfa é comum nos hormônios glicoproteicos hipofisários (TSH, HORMÔNIO LUTEINIZANTE e FSH), porém a subunidade beta é única e confere sua especificidade biológica.Phodopus: Gênero de hamsters caracterizados pelo pequeno tamanho, cauda muito curta, e patas curtas e largas com sola peluda.Hormônio do Crescimento Humano: Hormônio polipeptídico de 191 aminoácidos secretado pela ADENO-HIPÓFISE, também conhecido como GH ou somatotropina. O hormônio do crescimento sintético, denominado somatotropina, tem substituído a forma natural na utilização terapêutica, como para o tratamento de nanismo em crianças com deficiência de hormônio do crescimento.Síndrome do Ovário Policístico: Transtorno complexo de sintomas clínicos caracterizado por infertilidade, HIRSUTISMO, OBESIDADE e vários distúrbios menstruais, como OLIGOMENORREIA, AMENORREIA e ANOVULAÇÃO. A síndrome do ovário policístico, geralmente está associada com aumento bilateral dos ovários crivados de folículos atrésicos e não por cistos. A nomenclatura de ovário policístico não é apropriada.Testosterona: Esteroide androgênico potente e produto principal secretado pelas CÉLULAS DE LEYDIG do TESTÍCULO. Sua produção é estimulada por HORMÔNIO LUTEINIZANTE da HIPÓFISE. Por sua vez, a testosterona exerce controle de retroalimentação na secreção do LH e FSH da hipófise. Dependendo dos tecidos, a testosterona pode ser convertida a DIIDROTESTOSTERONA ou ESTRADIOL.Hiperplasia Suprarrenal Congênita: Grupo de transtornos hereditários das GLÂNDULAS SUPRARRENAIS, causados por defeitos enzimáticos durante a síntese de cortisol (HIDROCORTISONA) e/ou ALDOSTERONA, levando ao acúmulo dos precursores de ANDROGÊNIOS. Dependendo do desequilíbrio hormonal, a hiperplasia adrenal congênita pode ser classificada como perda de sal, hipertensiva, virilizante ou feminizante. Defeitos na ESTEROIDE 21-HIDROXILASE, ESTEROIDE 11-BETA-HIDROXILASE, ESTEROIDE 17-ALFA-HIDROXILASE, 3-beta-hidroxisteroide desidrogenase (3-HIDROXIESTEROIDE DESIDROGENASES), 3-OXO-5-ALFA-ESTEROIDE 4-DESIDROGENASE ou proteína regulatória esteroidogênica aguda, entre outros, são subjacentes a estas doenças.Hormônios Hipofisários: Hormônios secretados pela HIPÓFISE, entre eles, aqueles provenientes do lobo anterior (adeno-hipófise), lobo posterior (neuro-hipófise) e lobo intermediário mal definido. Estruturalmente são os pequenos peptídeos, proteínas e glicoproteínas. Estão sob a regulação dos sinais neurais (NEUROTRANSMISSORES) ou sinais neuroendócrinos (HORMÔNIOS HIPOTALÂMICOS) provenientes do hipotálamo, bem como, da retroalimentação a partir de seus alvos, como CORTICOSTEROIDES, ANDROGÊNIOS e ESTROGÊNIOS.Síndrome de Turner: Síndrome de desenvolvimento gonadal defeituoso em indivíduos fenotipicamente femininos associados com um cariótipo 45,X (ou 45,XO). Os pacientes geralmente são de baixa estatura com GÔNADAS indiferenciadas (gônadas estriadas), INFANTILISMO SEXUAL, HIPOGONADISMO, pescoço alado, valgo cúbito, níveis elevados de GONADOTROPINAS, níveis reduzidos de ESTRADIOL no sangue e CARDIOPATIAS CONGÊNITAS. A SÍNDROME DE NOONAN (também chamada de Síndrome Pseudo-Turner e de Síndrome de Turner Masculina) assemelha-se a este transtorno. Entretanto, ocorre em homens e mulheres com cariótipo normal e é herdada como uma característica autossômica dominante.Hipotireoidismo: Síndrome clínica resultante da secreção anormalmente baixa dos HORMÔNIOS TIREÓIDEOS da GLÂNDULA TIREOIDE. Leva a uma diminuição nos processos metabólicos e, em sua forma mais severa, ao acúmulo de mucopolissacarídeos na pele, causando um EDEMA conhecido como MIXEDEMA.Neurociências: Disciplinas científicas interessadas na embriologia, anatomia, fisiologia, bioquímica, farmacologia, etc., do sistema nervoso.Disruptores Endócrinos: Agentes exógenos, sintéticos que ocorrem naturalmente e são capazes de romper as funções do SISTEMA ENDÓCRINO incluindo a manutenção da HOMEOSTASIA e a regulação dos processos de desenvolvimento. Os disruptores endócrinos são compostos que podem imitar HORMÔNIOS ou aumentar ou bloquear a ligação dos hormônios aos seus receptores, ou por outro lado, conduzir a ativação ou inibição das vias de sinalização endócrina e do metabolismo hormonal.História do Século XX: Período de tempo a partir de 1901 até 2000 da era comum.Sistemas Neurossecretores: Sistema de NEURÔNIOS especializados na produção e secreção de HORMÔNIOS, constituindo, em sua totalidade ou em parte, um SISTEMA ENDÓCRINO ou órgão endócrino respectivamente.Hormônio Luteinizante: Principal gonadotropina secretada pela ADENO-HIPÓFISE. O hormônio luteinizante regula a produção de esteroides pelas células intersticiais do TESTÍCULO e OVÁRIO. O HORMÔNIO LUTEINIZANTE pré-ovulatório aparece em fêmeas induzindo a OVULAÇÃO e subsequente LUTEINIZAÇÃO do folículo. O HORMÔNIO LUTEINIZANTE consiste em duas subunidades ligadas não covalentemente, uma alfa e outra beta. Dentro de uma espécie, a subunidade alfa é comum nos três hormônios glicoproteicos hipofisários (TSH, LH e FSH), porém a subunidade beta é única e confere sua especificidade biológica.Doenças da Glândula Tireoide: Processos patológicos envolvendo a GLÂNDULA TIREOIDE.Hormônios Esteroides Gonadais: Hormônios esteroidais produzidos pelas GÔNADAS. Estimulam os órgãos reprodutores, maturação das células germinativas e as características sexuais secundárias em machos e fêmeas. Entre os hormônios esteroidais sexuais mais importantes estão ESTRADIOL, PROGESTERONA e TESTOSTERONA.