DermatopatiasPele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.Vírus da Doença Nodular Cutânea: Espécie de CAPRIPOXVIRUS que causa doença no gado, ocorrendo na África.Psoríase: Doença cutânea inflamatória, crônica, comum, determinada geneticamente, caracterizada por placas escamosas arredondadas, eritematosas, secas. As lesões têm predileção por unhas, couro cabeludo, genitália, superfícies extensoras e a região lombossacral. A epidermopoese acelerada é considerada como a característica patológica fundamental na psoríase.Dermatopatias Vesiculobolhosas: Doenças cutâneas caracterizadas por distribuições locais ou generalizadas de bolhas. São classificadas de acordo com o sítio e modo de formação da bolha. As lesões podem surgir espontaneamente ou serem precipitadas por infecções, trauma, ou luz solar. As etiologias incluem fatores genéticos e imunológicos.Doença Nodular Cutânea: Doença bovina por poxvirus caracterizada pelo aparecimento de nódulos em todas as partes da pele.Dermatite: Qualquer inflamação da pele.Dermatopatias Parasitárias: Doenças de pele causadas por ARTRÓPODES, HELMINTOS ou outros parasitas.Neoplasias Cutâneas: Tumores ou câncer da PELE.Dermatopatias Virais: As doenças de pele causadas por vírus.Envelhecimento da Pele: Processo de envelhecimento devido a alterações na estrutura e na elasticidade da pele ao longo do tempo. Pode ser parte do envelhecimento fisiológico ou ser devido aos efeitos da radiação ultravioleta, geralmente por exposição à luz solar.Dermatite Atópica: Doença inflamatória crônica da pele, determinada geneticamente, marcada pela habilidade elevada em formar reagina (IgE), com suscetibilidade aumentada à rinite alérgica e asma, e disposição hereditária para um limiar diminuído para prurido. Manifesta-se por liquenificação, escoriação e crostas, principalmente nas superfícies das curvaturas do cotovelo e joelho. Em recém-nascidos, é conhecida como eczema infantil.Dermatologia: Especialidade médica voltada para a pele, sua estrutura, funções, doenças e tratamentos.Dermatite Ocupacional: Dermatite de contato recidivante causada por substâncias encontradas no local de trabalho.Dermatopatias Genéticas: Doenças cutâneas com um componente genético, sendo normalmente o resultado de vários erros inatos do metabolismo.Fenômenos Fisiológicos da Pele: Funções da pele no corpo humano e no do animal. Inclui a pigmentação da pele.Epiderme: Camada externa (não vascularizada) da pele. É composta (de dentro para fora) por cinco camadas de EPITÉLIO: camadas (estratos) basal, espinhosa, granulosa, lúcida e córnea (da epiderme).Acne Vulgar: Transtorno crônico do aparelho pilossebáceo associado com um aumento na secreção sebácea. É caracterizado por comedões abertos ("cravos" de cabeça preta), comedões fechados (de cabeça branca) e nódulos pustulares. A causa é desconhecida, sendo a hereditariedade e a idade fatores predispostos.Dermatopatias Infecciosas: As doenças de pele causadas por bactérias, fungos, parasitas e vírus.Queratinócitos: Células epidérmicas que sintetizam queratina, e que passam por transformações características durante sua movimentação em direção à superfície, saindo das camadas basais da epiderme até a camada queratinizada (córnea) da pele. Os estágios sucessivos de diferenciação dos queratinócitos que formam as camadas da epiderme são: célula basal, célula espinhosa e célula granulosa.Prurigo: Nome aplicado a várias erupções cutâneas pruriginosas de causa desconhecida, nas quais a lesão característica (pápula de prurigo) é em forma de cúpula com uma pequena vesícula transitória no topo, seguida por encrostamento ou liquenificação. Os tipos específicos são geralmente indicados por um termo modificador. (Dorland, 28a ed)Pênfigo: Grupo de doenças bolhosas crônicas, caracterizadas histologicamente por ACANTÓLISE e formação de bolhas dentro da EPIDERME.Testes Cutâneos: Aplicação epicutânea ou intradérmica de um sensibilizador para demonstração de hipersensibilidade retardada ou imediata. Usado no diagnóstico de hipersensibilidade ou como testes para imunidade celular.Eczema: Dermatite papulovesicular que ocorre como reação a muitos agentes endógenos e exógenos, caracterizada na fase aguda por eritema, edema associado com um exsudato seroso entre as células da epiderme (espongiose) e um infiltrado inflamatório na derme, exsudação e vesiculação, e encrostamento e escamação, além de sinais de escoriações e hiperpigmentação ou hipopigmentação ou ambas. Dermatite atópica é o tipo mais comum de dermatite. (Dorland, 28a ed)Absorção Cutânea: Captação de substâncias através da PELE.Dermatite Seborreica: Doença cutânea inflamatória crônica, de etiologia desconhecida. Caracteriza-se por ERITEMA moderado, escamação gordurosa, úmida ou seca, com pedaços amarelos encrustados em várias áreas, especialmente no couro cabeludo, que se esfolia como caspa. A dermatite seborreica é comum em crianças e adolescentes com INFECÇÕES POR HIV.Prurido: Sensação de coceira intensa que produz a necessidade de friccionar ou coçar a pele para obter alívio.Úlcera CutâneaDermatopatias Bacterianas: As doenças da pele causadas por bactérias.Rosácea: Transtorno cutâneo principalmente de convexidades da parte central da FACE, como TESTA, BOCHECHA, NARIZ e QUEIXO. Caracteriza-se por RUBOR, ERITEMA, EDEMA, RINOFIMA, pápulas e sintomas oculares. Pode ocorrer em qualquer idade, porém sua manifestação é mais típica após os 30 anos de idade. Há vários tipos de rosáceas: eritematotelangiectásica, papulopustular, fimatosa e ocular. (Tradução livre do original: National Rosacea Society's Expert Committee on the Classification and Staging of Rosacea, J Am Acad Dermatol 2002; 46:584-7).Dermatomicoses: As infecções superficiais da pele ou seus apêndices por um de vários fungos.Epidermólise Bolhosa: Grupo de transtornos determinados geneticamente, caracterizados por bolhas de pele e mucosas. Há quatro tipos principais: adquirido, simples, juncional e distrófico. Cada um dos últimos três tipos possui diversas variedades.Ceratose: Qualquer crescimento duro, áspero, como uma verruga ou calo.Fármacos Dermatológicos: Fármacos usados para o tratamento ou prevenção de afecções cutâneas ou para o cuidado habitual com a pele.Penfigoide Bolhoso: Doença bolhosa subepidermal crônica e relativamente benigna, normalmente ocorrendo nos idosos e sem acantose histopatológica.Lúpus Eritematoso Cutâneo: Forma de lúpus eritematoso no qual a pele pode ser o único órgão envolvido ou no qual o envolvimento da pele precede o alastramento para outros sistemas do corpo. Foi classificado em três formas - aguda (=LÚPUS ERITEMATOSO SISTÊMICO com lesões cutâneas), subagudo e crônico (=LÚPUS ERITEMATOSO DISCOIDE).Pigmentação da Pele: Coloração da pele.Dermatite Alérgica de Contato: Dermatite de contato devido à sensibilização alérgica a várias substâncias. Estas substâncias produzem subsequentemente reações inflamatórias na pele de indivíduos que possuem hipersensibilidade adquirida às mesmas, como resultado de uma exposição prévia.Terapia Ultravioleta: Utilização de radiação eletromagnética ultravioleta no tratamento de doenças, geralmente da pele. Esta é a parte do espectro da soma que causa eritema solar e bronzeamento. A luz ultravioleta A, utilizada em PUVA, é mais próxima do visível e menos danosa que a ultravioleta B, que é ionizante.Capripoxvirus: Gênero da família POXVIRIDAE, subfamília CHORDOPOXVIRINAE, que compreende poxvirus que infectam carneiros, cabras e gado. A transmissão é geralmente mecânica por artrópodes, mas também inclui contato, rotas aéreas e reservatórios não vivos (fomitos).National Institute of Arthritis and Musculoskeletal and Skin Diseases (U.S.): Componente do NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH (U.S.). Sustenta pesquisas sobre causas, tratamento e prevenção de artrite, doenças musculoesquelética e cutânea, treinamento básico e clínico de cientistas para executar pesquisas, disseminar informação para o progresso da pesquisa. Foi fundado em 1986.Vesícula: Acúmulos visíveis de líquido dentro ou próximo da epiderme.Tinha dos Pés: Lesão dermatológica prurídica nos pés, causada por Trichophyton rubrum, T. mentagrophytes ou Epidermophyton floccosum.Malassezia: Gênero de fungo mitospórico que causa várias doenças cutâneas. A Malassezia furfur (Pityrosporum orbiculare) causa a TINHA VERSICOLOR.Terapia PUVA: Fotoquimioterapia que usa FUROCUMARINAS como agente fotossensibilizante e luz ultravioleta tipo A (UVA).Escabiose: Inflamação cutânea contagiosa causada pela picada do piolho SARCOPTES SCABIEI. É caracterizada por erupções papulares com prurido e escavações na pele principalmente nas axilas, cotovelos, punhos e genitália, embora possa se espalhar e cobrir o corpo inteiro.Eritema: Vermelhidão da pele produzida pela congestão dos capilares. Esta afecção pode resultar de uma variedade de causas.Administração Tópica: Aplicação de preparações de droga às superfícies do corpo, especialmente na pele (ADMINISTRAÇÃO CUTÂNEA) ou nas mucosas. Este método de tratamento é usado para evitar efeitos colaterais sistêmicos quando doses altas são necessárias a uma área localizada ou como uma via alternativa de administração sistêmica, por exemplo, para evitar o processo hepático.Colágenos não Fibrilares: Família de colágenos de cadeia curta relacionados estruturalmente, que não formam grandes feixes de fibrilas.Mycobacterium ulcerans: Micobactérias de crescimento lento que infecta a pele e tecidos subcutâneos, dando origem a ÚLCERA DE BURULI indolente.Líquen Plano: Doença prurítica, inflamatória, da pele e mucosas, podendo ser tanto generalizada como localizada. É caracterizada por pápulas planas, púrpuras distintas, que possuem uma predileção pelo tronco e superfícies das curvas. As lesões podem ser discretas ou unir-se para formar placas. Histologicamente, há um padrão tipo "dente serrado" de hiperplasia epidérmica e alteração vacuolar da camada basal da epiderme, juntamente com um infiltrado inflamatório dérmico superior intenso, composto predominantemente por células-T. A etiologia é desconhecida.Vitiligo: Transtorno constituído de áreas de despigmentação macular, comumente encontrado nos aspectos extensores das extremidades, no rosto ou pescoço, e nas pregas cutâneas. Geralmente a idade de início da doença é na fase adulta jovem e a afecção tende a progredir gradualmente com lesões que se ampliam e estendem até que um estado dormente seja alcançado.Derme: Camada de tecido conjuntivo vascularizado abaixo da EPIDERME. A superfície da derme contém papilas inervadas. Na derme (ou abaixo dela) encontram-se GLÂNDULAS SUDORÍPARAS, folículos pilosos (FOLÍCULO PILOSO) e GLÂNDULAS SEBÁCEAS.Dermatoses da Mão: Lesões cutâneas das mãos, que podem ter diversas etiologias, tais como infecciosas, irritativas, alérgicas, etc.Esclerodermia Localizada: Termo utilizado para descrever vários espessamentos assimétricos e localizados na PELE, semelhantes aos do ESCLERODERMA SISTÊMICO, porém sem as características da doença nos diversos órgãos internos e VASOS SANGUÍNEOS. As lesões podem ser caracterizadas como crostas ou placas (morfeias), bandas (lineares) ou nódulos.Processos Fisiológicos da Pele: Atividades e funções biológicas da PELE.Desmogleína 1: Caderina desmossômica que é um autoantígeno do transtorno de pele adquirido PÊNFIGO VULGAR.Pele Artificial: Material sintético usado para tratamento de queimaduras e outras afecções envolvendo perda de pele em larga escala. Consiste em geral de uma camada externa (epiderme) de silicone e uma camada interna (derme) de colágeno e de condroitina 6-sulfato. A camada de derme elicia proliferação celular e invasão vascular e a camada externa é depois removida e substituída por um enxerto.Dermatopatias Eczematosas: Qualquer forma de uma variedade de transtornos cutâneos eruptivos, caracterizados por eritema, vesiculações e escamação. A etiologia é variada.Ictiose: Qualquer um de vários transtornos cutâneos generalizados, caracterizados por secura, aspereza e escamação, devido à hipertrofia do estrato córneo epidérmico. A maioria tem origem genética, mas alguns são adquiridos, desenvolvidos em associação com outra doença sistêmica ou síndrome genética.Dermatopatias Metabólicas: Doenças cutâneas associadas com transtornos metabólicos de base.Higiene MilitarDermatite de Contato: Tipo de reação cutânea crônica ou aguda, na qual a sensibilidade é manifestada pela reatividade a materiais ou substâncias mantidos em contato com a pele. Pode envolver mecanismos alérgicos ou não alérgicos.Anormalidades da Pele: Anormalidades estruturais congênitas da pele.Ceratodermia Palmar e Plantar: Grupo de transtornos principalmente hereditários, caracterizados por engrossamento das palmas e solas das mãos e pés, como resultado da formação excessiva de queratina, levando à hipertrofia do estrato corneano (hiperceratose).Acantólise: Separação de células com espinhos do extrato espinhoso da epiderme, resultando em atrofia da camada de células espinhosas. É encontrada em doenças como pênfigo vulgar (ver PÊNFIGO) e DOENÇA DE DARIER.Desmogleína 3: Caderina de desmossomos, um autoantígeno adquirido no transtorno de pele PÊNFIGO VULGAR.Testes do Emplastro: Testes dermatológicos nos quais um sensibilizador é aplicado a um pedaço de tecido de algodão ou gaze, mantido no local por aproximadamente 48-72 horas. É utilizado para provocar uma reação de hipersensibilidade de contato.Infecções Cutâneas Estafilocócicas: As infecções da pele causadas por bactérias do gênero STAPHYLOCOCCUS.Infestações por Ácaros: Infestações com artrópodes da subclasse ACARI, superordem Acariformes.Administração Cutânea: Aplicação de doses adequadas de medicamentos na pele para efeitos locais ou sistêmicos.Doenças dos Trabalhadores Agrícolas: Doenças de pessoas envolvidas no cultivo e adubo do solo, cultivo de plantas, colheita de safras, pecuária ou qualquer outra atividade relacionada com criação e lavoura. As doenças não se restringem a fazendeiros, no que concerne aqueles que desenvolvem tarefas agrícolas; se aplica também àqueles engajados com as atividades individuais determinadas acima, como também àqueles que atuam somente na colheita de safras ou àqueles que somente recolhem pó e cinzas.Eritema Multiforme: Doença de pele e das mucosas, caracterizada por uma erupção de máculas, pápulas, nódulos, vesículas, e/ou bolhas com características lesões tipo "olhos de boi", geralmente ocorrendo na região dorsal das mãos e antebraços.Ectoparasitoses: Infestações por PARASITOS que vivem na superfície (ou dentro) da EPIDERME de seu hospedeiro. A maioria dos ectoparasitas são ARTRÓPODES.Hidradenite Supurativa: Doença crônica supurativa e cicatricial das glândulas apócrinas que ocorre principalmente nas axilas de mulheres e nas regiões da virilha e do ânus em homens. É caracterizada pela oclusão dos poros somada a uma infecção bacteriana secundária evoluindo para abcessos que eventualmente se rompem. À medida que a doença torna-se crônica aparecem úlceras, fístulas aumentam e se desenvolvem e fibrose e cicatrizes se tornam evidentes.Dermatoses do Couro CabeludoInfecções por Poxviridae: As doenças infecciosas causadas pelo POXVIRIDAE.Dermatite Irritante: Dermatite de contato não alérgica causada pela exposição prolongada a agentes irritantes e não explicada por mecanismos de hipersensibilidade tardia.Pioderma Gangrenoso: Doença severamente debilitante, idiopática e de evolução rápida, mais comumente encontrada em associação com colite ulcerativa crônica. É caracterizada pela presença de úlceras púrpuras, pantanosas com margens pouco delimitadas, que surgem principalmente nas pernas. A maioria dos casos ocorre em pessoas entre os 40 e 60 anos de idade. A etiologia é desconhecida.Dermatite Esfoliativa: Comprometimento muito disseminado da pele por uma dermatite eritematosa escamosa ocorrendo como um processo secundário ou reativo a uma doença cutânea subjacente (e.g., dermatite atópica, psoríase, escabiose, líquen plano) ou como uma doença primária ou idiopática, e muitas vezes associada com perda de pelos e unhas, hiperceratose das palmas e plantas, prurido, e algumas vezes efeitos fisiológicos secundários graves e debilitantes. (Dorland, 28a ed)Úlcera de Buruli: Lesão na pele e nos tecidos subcutâneos devida às infecções por MYCOBACTERIUM ULCERANS. Foi mencionada pela primeira vez na Uganda (África).Verrugas: Tumores ou proliferações epidérmicas benignas; algumas são de origem viral.Raios Ultravioleta: Parte do espectro da [radiação] eletromagnética imediatamente abaixo da faixa visível, e se estendendo para as frequências dos raios X. Os comprimentos de onda maiores (raios UV próximos, ou bióticos, ou vitais) são necessários à síntese endógena da vitamina D, sendo ainda chamados raios antirraquíticos; os comprimentos de onda menores, ionizantes (raios UV distantes, ou abióticos, ou incompatíveis com a vida) são viricidas, bactericidas, mutagênicos e carcinogênicos, sendo usados como desinfetantes.Ceratolíticos: Substâncias que amaciam, separam, e causam a descamação do epitélio corneificado ou da camada córnea da pele. São usados para expor os micélios de fungos infectantes ou para tratar calos, verrugas, e algumas outras doenças de pele.Queratina-14: Queratina tipo I encontrada associada com a QUERATINA-5 no EPITÉLIO estratificado interno. As mutações no gene da queratina-14 estão associadas com a EPIDERMÓLISE BOLHOSA SIMPLES.Esclerodermia Difusa: Forma de início rápido de ESCLERODERMA SISTÊMICO com disseminação progressiva de espessamento da PELE sobre os braços, pernas e tronco resultando em rigidez e incapacidade.Urticária: Reação vascular da pele, caracterizada por eritema e formação de feridas devido ao aumento localizado da permeabilidade vascular. O mecanismo causativo pode ser alergia, infecção ou estresse.Dermatomiosite: Doença inflamatória crônica ou subaguda do músculo e pele, caracterizada por fraqueza muscular proximal e uma característica erupção cutânea quimicamente induzida. A doença ocorre com frequência aproximadamente igual em crianças e adultos. As lesões de pele normalmente tomam a forma de uma erupção arroxeada (ou, com menor frequência, uma dermatite esfoliativa) envolvendo nariz, bochechas, testa, parte superior do tronco e braços. A doença está associada com uma microangiopatia intramuscular mediada por complemento, levando à perda de capilares, isquemia muscular, necrose de fibras musculares e atrofia perifascicular. A forma infantil desta doença tende a evoluir a uma vasculite sistêmica. A dermatomiosite pode ocorrer em associação com neoplasias malignas. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6a ed., pp 1405-6)Carcinoma Basocelular: Neoplasia maligna de pele que raramente metastatiza, mas tem capacidade de invasão e destruição local. É clinicamente dividido nos tipos: nodular, esclerodermiforme, tipo morfeia e tipo superficial (pagetoide). Desenvolvem-se em pele pilosa, mais comumente em áreas expostas ao sol. Aproximadamente 85 por cento são encontrados na área da cabeça e do pescoço e os 15 por cento remanescentes, no tronco e membros. (De DeVita Jr et al., Cancer: Principles & Practice of Oncology, 3d ed, p1471)Queratinas: Classe de proteínas fibrosas ou escleroproteínas que representa o principal constituinte da EPIDERME, CABELO, UNHAS, tecido córneo, e matriz orgânica do ESMALTE dentário. Dois principais grupos conformacionais foram caracterizados: a alfa-queratina, cuja estrutura peptídica forma uma alfa-hélice espiralada consistindo em QUERATINA TIPO I, uma QUERATINA TIPO II e a beta-queratina, cuja estrutura forma um zigue-zague ou estrutura em folhas dobradas. As alfa-queratinas são classificadas em pelo menos 20 subtipos. Além disso, foram encontradas várias isoformas dos subtipos que pode ser devido à DUPLICAÇÃO GÊNICA.Células de Langerhans: Células apresentadoras de antígenos, recirculantes e dendríticas, contendo grânulos característicos em forma de raquete de tênis (grânulos de Birbeck). São encontradas principalmente na camada espinhosa da EPIDERME, e são ricas em moléculas do COMPLEXO PRINCIPAL DE HISTOCOMPATIBILIDADE Classe II. As células de Langerhans foram as primeiras células dendríticas a serem descritas, e têm sido um modelo de estudo para outras células dendríticas (CDs), especialmente outras CDs migratórias, como as CDs dérmicas e CÉLULAS DENDRÍTICAS INTERSTICIAIS.Alopecia em Áreas: Perda de pelos da cabeça e do corpo que envolve microscópicas áreas inflamatórias desiguais.Neurodermatite: Doença cutânea eczematosa extremamente variável, presumida em ser uma resposta a uma coceira vigorosa prolongada, fricção, ou apertão, para aliviar um prurido intenso. Varia em intensidade, severidade, curso, e expressão morfológica em diferentes indivíduos. Alguns pesquisadores acreditam que a neurodermatite seja psicogênica. A forma localizada ou circunscrita é geralmente referida como líquen simples crônico.Erupção por Droga: Reações cutâneas adversas causadas por ingestão, uso parenteral ou aplicação local de uma droga. Podem assumir vários padrões morfológicos e produzir vários tipos de lesões.Dermatopatias Papuloescamosas: Grupo de dermatoses com sinais morfológicos distintos. A lesão primária geralmente é uma pápula, normalmente eritematosa, com um grau variado de escamas na superfície. As placas se formam através da união das lesões primárias.Emolientes: Substâncias oleaginosas usadas topicamente para aliviar, amaciar ou proteger a pele ou as mucosas. Também usados como veículos para outros agentes dermatológicos.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Desmogleínas: Grupo de caderinas desmossômicas com caudas citoplasmáticas que se assemelham àqueles de CADERINAS clássicas.Doenças Autoimunes: Transtornos caracterizados pela produção de anticorpos que reagem com tecidos do hospedeiro ou com células efetoras imunes autorreativas aos peptídeos endógenos.Dermatoses do Pé: Doenças cutâneas do pé, geral ou inespecífica.Antipruriginosos: Agentes, geralmente tópicos, que aliviam a coceira (prurido).Quimiocina CCL27: Quimiocina tipo CC com especificidade para os RECEPTORES CCR10. É constitutivamente expressa na pele e pode desempenhar um papel no tráfego das CÉLULAS T durante a INFLAMAÇÃO cutânea.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Imunoglobulina E: Imunoglobulina associada com MASTÓCITOS. A superexpressão tem sido associada com hipersensibilidade alérgica (HIPERSENSIBILIDADE IMEDIATA).Dermocidinas: Peptídeos com 47 aminoácidos secretados por GLÂNDULAS ÉCRINAS com um papel natural na defesa cutânea, sendo antimicrobiano para algumas BACTÉRIAS patogênicas. São muito expressos em células de CÂNCER DE MAMA primário. São derivados de PRECURSORES DE PROTEÍNAS de 110 resíduos.Parapsoríase: O termo é aplicado a um grupo de erupções escamosas, maculopapulares, inflamatórias, relativamente incomuns, de etiologia desconhecida e resistentes ao tratamento convencional. As erupções são tanto psoríaticas como liquenoides na aparência, mas as doenças são distintas da psoríase, líquen plano, ou outras dermatoses reconhecidas. A nomenclatura proposta divide parapsoríase em dois distintos subgrupos: PITIRÍASE LIQUENOIDE e parapsoríase em placas (parapsoríase de placas pequenas e placas grandes).Alcatrão: Subproduto da destilação destrutiva do carvão betuminoso, usado como um antieczemático tópico. É antipruriginoso e queratoplástico, sendo usado também no tratamento da psoríase e de outros problemas de pele. De acordo com o 'Quarto Relatório Anual sobre Carcinógenos', a exposição ocupacional à fuligem, ao alcatrão e a certos óleos minerais é carcinogênica (Tradução livre do original: (NTP 85-002, 1985) (Merck Index, 11th ed)).Ictiose Lamelar: Ictiose congênita, crônica, herdada como caráter autossômico recessivo. Os neonatos normalmente nascem envoltos em uma membrana de colódio que se desprende após poucas semanas. A escamação é generalizada e caracterizada por crostas quadrilaterais marrom-acinzentadas, aderentes em seus centros e livres nas extremidades. Em alguns casos, as crostas são tão grossas que se assemelham a capas blindadas.Foliculite: Inflamação dos folículos, principalmente folículos capilares.Alopecia: Ausência de cabelo em áreas onde normalmente estaria presente.Metoxaleno: Composto furocumarínico de ocorrência natural encontrado em várias espécies de plantas, incluindo Psoralea corylifolia. É uma substância fotoativa que forma ADUTORES DE DNA na presença de radiação ultravioleta A.Glândulas Sebáceas: Órgãos formados por pequenas bolsas, localizados na DERME. Cada glândula apresenta um único ducto que emerge de um grupo de alvéolos ovais. Cada alvéolo é constituído por uma membrana basal transparente, encerrando células epiteliais. Os ductos da maior parte das glândulas sebáceas se abrem nos folículos pilosos, porém alguns se abrem na superfície da PELE. Glândulas sebáceas secretam SEBO.Doenças do Cão: Doenças do cão doméstico (Canis familiaris). Este termo não inclui doenças de cães selvagens, LOBOS, RAPOSAS e outros Canidae, para os quais o termo CARNÍVOROS é utilizado.Pomadas: Preparações semissólidas usadas topicamente para obtenção de efeitos emolientes protetores ou como veículo para administração local de medicamentos. As bases das pomadas são várias misturas de gorduras, ceras, óleos animais e vegetais, e hidrocarbonetos sólidos e líquidos.Cicatrização: Restauração da integridade a tecido traumatizado.Autoanticorpos: Anticorpos que reagem com AUTOANTÍGENOS do organismo que os produziu.Inflamação: Processo patológico caracterizado por lesão ou destruição de tecidos, causada por uma variedade de reações químicas e citológicas. Geralmente se manifesta por sinais típicos de dor, calor, rubor, edema e perda da função.Larva Migrans: As infecções causadas por larvas de nematoides que nunca atingem o estágio adulto e que migram através de vários tecidos do organismo. Elas normalmente infectam a pele, os olhos e as vísceras no homem. O Ancylostoma brasiliensis causa a larva migrans cutânea. O Toxocara causa a larva migras visceral.Camundongos Transgênicos: Camundongos de laboratório que foram produzidos de um OVO ou EMBRIÃO DE MAMÍFEROS, manipulados geneticamente.Irritantes: Drogas que agem localmente nas superfícies cutâneas ou mucosas para produzir inflamação. As que causam rubor devido à hiperemia são rubefacientes, as que produzem bolhas são vesicantes, e as que penetram nas glândulas sebáceas e causam abscessos são pustulantes. O gás lacrimogênio e o gás mostarda também são irritantes.Desmossomos: Tipo de junção que une uma célula à célula vizinha. Uma das inumeras regiões diferenciadas que ocorrem, por exemplo, onde membranas citoplasmáticas de células epiteliais adjacentes encontram-se justapostas. Esta junção consiste de uma região circular de cada membrana juntamente com microfilamentos intracelulares associados e material intercelular que pode incluir, por exemplo, mucopolissacarídeos. (Tradução livre do original: Glick, Glossary of Biochemistry and Molecular Biology, 1990; Singleton & Sainsbury, Dictionary of Microbiology and Molecular Biology, 2d ed)Síndrome de Stevens-Johnson: Erupção cutânea rara caracterizada por apoptose generalizada de QUERATINÓCITOS, resultando em descolamento da pele com envolvimento da mucosa. É frequentemente provocada pelo uso de drogas (por exemplo, antibióticos e anticonvulsivantes) ou associada com PNEUMONIA POR MYCOPLASMA. É considerada uma progressão de necrólise epidérmica tóxica.Antiparasitários: Fármacos usados para tratar ou para prevenir infecções parasitárias.Hiperceratose Epidermolítica: Forma de ictiose congênita herdada como um caráter autossômico dominante e caracterizada por ERITRODERMA e hiperqueratose grave. É manifestada ao nascimento por bolhas acompanhadas pelo aparecimento de escamas verruciformes, calosas e espessas por todo o corpo, mas acentuadas nas áreas flexurais. As mutações nos genes que codificam a QUERATINA-1 e QUERATINA-10 têm sido associadas com este transtorno.Ivermectina: Mistura composta na maior parte de avermectina H2B1a (RN 71827-03-7) com pouca avermectina H2B1b (Rn 70209-81-3), que são macrolídeos obtidos de STREPTOMYCES avermitilis. Esta mistura se liga aos canais de cloreto controlados por glutamato causando aumento na permeabilidade e hiperpolarização de células nervosas e musculares. Interagem também com outros CANAIS DE CLORETO. É um antiparasitário de amplo espectro e ativo contra microfilárias de ONCHOCERCA VOLVULUS, mas não contra a forma adulta.Dermatopatias Vasculares: Doenças cutâneas que afetam ou envolvem os vasos sanguíneos cutâneos, geralmente manifestadas como inflamação, edema, eritema, ou necrose na área afetada.Líquen Escleroso e Atrófico: Doença inflamatória mucocutânea e crônica que geralmente afeta a genitália feminina (LÍQUEN ESCLEROSO VULVAR) e a BALANITE XERÓTICA OBLITERANTE no sexo masculino. Também é chamado doença da mancha branca e doença de Csillag.Dermatite Herpetiforme: Doença papulovesicular, crônica, rara, caracterizada por uma erupção prurítica intensa, consistindo de várias combinações de lesões bolhosas, vesiculares, papulares, eritematosas ou simétricas. A doença é fortemente associada com a presença de antígenos HLA-B8 e HLA-DR3. Uma variedade de diferentes autoanticorpos foi detectada em pequeno número, em pacientes com dermatite herpetiforme.Oncocercose: Infecção com nematoide do gênero ONCHOCERCA. Entre as características estão a presença de nódulos subcutâneos firmes preenchidos por vermes adultos, PRURIDO e lesões oculares.Prevalência: Número total de casos de uma dada doença em uma população especificada num tempo designado. É diferenciada de INCIDÊNCIA, que se refere ao número de casos novos em uma população em um dado tempo.Folículo Piloso: Invaginação (em forma de tubo) da EPIDERME, a partir da qual se desenvolve o folículo piloso e na qual se abrem as GLÂNDULAS SEBÁCEAS. O folículo é revestido por uma bainha celular radicular de origem epidérmica, composta por uma camada interna e outra externa, e guarnecido por uma bainha fibrosa originada da derme. (Tradução livre do original: Stedman, 25a ed). Os folículos de pelos muito longos se estendem para dentro da camada subcutânea (tecido abaixo da PELE).Impetigo: Infecção bacteriana superficial e comum causada pelo STAPHYLOCOCCUS AUREUS ou por estreptococos beta-hemolíticos do grupo A. As características incluem lesões em pústulas que se rompem e liberam um fluido fino, da cor do âmbar que seca e forma uma crosta. Essa afecção é frequentemente encontrada sobre a face, especialmente em torno da boca e do nariz.Biópsia: Remoção e avaliação patológica de amostras, na forma de pequenos fragmentos de tecido do corpo vivo.Injeções Intradérmicas: Introdução através da pele, de medicação líquida, nutrientes ou outros fluidos através de uma agulha, que perfura a camada superior da pele.Molusco Contagioso: Infecção viral comum, benigna, usualmente autolimitada da pele e ocasionalmente das conjuntivas por um poxvírus, transmitida por autoinoculação, contato estreito ou fômites. Afeta principalmente crianças, mas também pode ser vista em adolescentes e adultos, nos quais muitas vezes é sexualmente transmitida. A lesão característica, que ocorre isoladamente ou em grupos, é uma pápula umbilicada da cor da pele ou acinzentada que se torna branco-pérola e tem um centro caseoso que pode ser espremido e no qual podem ser encontradas inclusões intracitoplasmáticas, patognomônicas (corpos de molusco) contendo virions em replicação. (Dorland, 28a ed)Doença de Bowen: Placa em crostas ou escamosa vermelha, não elevada, progressiva e persistente que se deve a um carcinoma intradérmico e é potencialmente maligna. Células escamosas atípicas proliferam através de toda a espessura da epiderme. As lesões podem ocorrer em qualquer lugar da superfície da pele ou sobre as superfícies mucosas. A causa mais frequentemente encontrada são compostos de arsênico trivalente. Congelamento, cauterização ou coagulação diatérmica são frequentemente efetivos como tratamento.Autoantígenos: Constituintes de tecidos endógenos que possuem capacidade de interagir com AUTOANTICORPOS e causar uma resposta imune.Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.Eritroceratodermia Variável: Doença de pele autossômica dominante caracterizada por ERITEMA não inflamatório transiente e variável e hiperceratose. Tem sido associada com mutações nos genes que codificam para CONEXINAS. Para a eritroceratodermia variável também foi descrito o tipo de herança autossômico recessivo. Frequentemente, os indivíduos afetados desenvolvem CERATODERMIA PALMOPLANTAR.Micose Fungoide: Linfoma de células T cutâneo, maligno e crônico. Nos estágios tardios são afetados os linfonodos e vísceras.Epidermólise Bolhosa Juncional: Forma de epidermólise bolhosa, que se inicia no nascimento ou durante o período neonatal, e é transmitida por herança autossômica recessiva. É caracterizada pela formação generalizada de bolhas, desnudação extensa, e separação e clivagem das membranas plasmáticas das células basais, da membrana basal.Artrite Psoriásica: Tipo de artrite inflamatória associada com PSORÍASE, frequentemente envolvendo as articulações axiais e as articulações interfalangianas terminais periféricas. É caracterizada pela presença de ESPONDILOARTROPATIA associada ao HLA-B27, e pela ausência de fator reumatoide.Proteínas de Filamentos Intermediários: Filamentos de 7-11 nm de diâmetro encontrados no citoplasma de todas as células. Muitas proteínas específicas pertencem a este grupo, por exemplo, a desmina, vimentina, decamina, esqueletina, neurofilina, proteína neurofilamento e proteína ácida fibrilar da glia.Citocinas: Proteínas, que não são anticorpos, secretadas por leucócitos inflamatórios e por células não leucocíticas que agem como mediadores intercelulares. As citocinas diferem dos hormônios clássicos no sentido de que elas são produzidas por vários tecidos ou tipos celulares e não por glândulas especializadas. Elas geralmente agem localmente de modo parácrino ou autócrino em vez de endócrino.Procedimentos Cirúrgicos Dermatológicos: Procedimentos cirúrgicos realizados na PELE.Linfócitos T: Linfócitos responsáveis pela imunidade mediada por células. Foram identificados dois tipos: LINFÓCITOS T CITOTÓXICOS e linfócitos T auxiliadores (LINFÓCITOS T AUXILIARES-INDUTORES). São formados quando os linfócitos circulam pelo TIMO e se diferenciam em timócitos. Quando expostos a um antígeno, dividem-se rapidamente, produzindo um grande número de novas células T sensibilizadas a este antígeno.Epidermólise Bolhosa Simples: Forma de epidermólise bolhosa caracterizada por bolhas serosas sem cicatrização. As mutações nos genes que codificam a KERATINA-5 e KERATINA-14 têm sido associadas com vários subtipos de epidermólise bolhosa simples.Linfoma Cutâneo de Células T: Grupo de linfomas que mostra expansão clonal de linfócitos T malignos interrompidos em vários estágios de diferenciação, bem como infiltração maligna da pele. Os transtornos mais bem caracterizados são: MICOSES FUNGOIDES, SÍNDROME DE SÉZARY, PAPULOSE LINFOMATOIDE e LINFOMA ANAPLÁSICO CUTÂNEO PRIMÁRIO DE CÉLULAS GRANDES.Transtornos de Fotossensibilidade: Respostas anormais à luz solar ou luz artificial, devido à reatividade extrema de moléculas absorvedoras de luz nos tecidos. Refere-se quase que exclusivamente à fotossensibilidade cutânea, incluindo queimadura solar, reações devido à exposição prolongada repetida na ausência de fatores fotossensibilizantes, e reações que necessitam de fatores fotossensibilizantes, como agentes fotossensibilizantes e determinadas doenças. Com referência restrita ao tecido cutâneo, não inclui fotossensibilidade dos olhos à luz, como na fotofobia ou epilepsia fotossensível.Camundongos Endogâmicos C57BLEscleroderma Sistêmico: Transtorno crônico multissistêmico do TECIDO CONJUNTIVO. É caracterizado por ESCLEROSE na PELE, PULMÕES, CORAÇÃO, TRATO GASTROINTESTINAL, RINS, e SISTEMA MUSCULOSQUELÉTICO. Outras características importantes incluem VASOS SANGUÍNEOS e AUTOANTICORPOS anormais. O transtorno recebe este nome por sua característica mais proeminente (pele dura), e se classifica em subgrupos pela extensão do engrossamento da pele: ESCLERODERMIA LIMITADA e ESCLERODERMIA DIFUSA.Orelha: Sistema auditivo e de equilíbrio do corpo. Consiste em três partes: ORELHA EXTERNA, ORELHA MÉDIA e ORELHA INTERNA. As ondas sonoras são transmitidas através deste órgão, onde vibrações são transduzidas para [outra forma de] sinais que passam pelo nervo acústico para o SISTEMA NERVOSO CENTRAL. A orelha interna contém ainda o órgão vestibular, que mantém o equilíbrio transduzindo sinais para o NERVO VESTIBULAR.Creme para a Pele: Preparação medicinal solúvel em água aplicada à pele.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Óleo de Cróton: Óleo viscoso e nauseante obtido do arbusto Croton tiglium (Euphorbaceae). É vesicante e irritante de pele utilizado como padrão farmacológico para inflamações de pele e alergia e causa câncer de pele. Foi inicialmente utilizado como emético e catártico, com mortalidade frequente.Fotomicrografia: Fotografia de objetos visualizados ao microscópio utilizando métodos fotográficos usuais.Camundongos Pelados: Linhagens de camundongos mutantes que produzem muito pouco pelo ou não o produzem.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Antialérgicos: Fármacos usados para tratar reações alérgicas. A maioria age impedindo a liberação de mediadores inflamatórios ou inibindo as ações dos mediadores liberados em suas células alvo.Interleucina-17: Citocina pró-inflamatória produzida principalmente pelos LINFÓCITOS T ou seus precursores. Vários subtipos de interleucina-17 têm sido identificados, cada qual é um produto de um único gene.Sarcoptes scabiei: Espécie de ácaro causador da ESCABIOSE em humanos e doença sarcóptica em outros animais. Há diferentes espécies de S. scabei específicas para humanos e animais, porém muitas têm a habilidade de entrecruzar espécies e causar doenças.Anti-Inflamatórios: Agentes que reduzem ou eliminam a INFLAMAÇÃO.Ictiose Vulgar: Forma mais comum de ICTIOSE caracterizada por proeminente escamação, especialmente nas superfícies externas das extremidades. É herdada como caráter autossômico dominante.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Dinitrofluorbenzeno: Irritantes e reagentes para a marcação de grupamentos terminais de aminoácidos.Antagonistas dos Receptores Histamínicos H1: Fármacos que se ligam seletivamente aos receptores H1 da histamina, bloqueando assim a ação da histamina endógena, mas sem ativar os receptores H1. Estão incluídos aqui os anti-histamínicos clássicos que antagonizam ou impedem a ação da histamina principalmente na hipersensibilidade imediata. Eles agem nos brônquios, nos capilares, e sobre alguns outros músculos lisos, sendo usados para impedir ou aliviar o enjoo que ocorre durante a viagem (motion sickness), a rinite sazonal, a dermatite alérgica e ainda para induzir sonolência. Os efeitos do bloqueio dos receptores H1 do sistema nervoso central ainda não são bem compreendidos.Colágeno Tipo VII: Colágeno não fibrilar que ancora a MEMBRANA BASAL epidérmica ao tecido subjacente. É um homotrímero composto por domínios C-terminal e N-terminal globulares conectados entre si por uma região central em tripla hélice.Antagonistas dos Receptores Histamínicos H1 não Sedativos: Classe de fármacos não sedativos que se ligam aos receptores de histamina (AGONISMO INVERSO), mas não os ativa e, desta maneira, bloqueia as ações da histamina ou dos agonistas da histamina. Estes anti-histamínicos representam um grupo heterogêneo de compostos com diferentes estruturas químicas, efeitos colaterais, distribuição e metabolismo. Comparado aos anti-histamínicos anteriores (primeira geração), este tipo não sedativo apresenta grande especificidade ao receptor, baixa penetração na BARREIRA HEMATOENCEFÁLICA e menor possibilidade de causar sonolência ou dificuldade psicomotora.Telepatologia: Transmissão e interpretação de amostras de tecidos através da telecomunicação, geralmente para diagnóstico ou consulta, mas também pode ser usada em educação continuada.Medicina Tradicional: Sistemas de medicina baseados em crenças culturais e práticas passadas de geração a geração. O conceito inclui rituais místicos e mágicos (TERAPIAS ESPIRITUAIS), FITOTERAPIA e outros tratamentos que podem não ser esclarecidos pela medicina atual.Doença de Darier: Transtorno de pele autossômico herdado de forma dominante caracterizado por pápulas verrugosas malcheirosas que coalescem em placas. É causado por mutações no gene ATP2A2 que codifica a proteína SERCA2, uma das ATPASES TRANSPORTADORAS DE CÁLCIO DO RETÍCULO SARCOPLASMÁTICO. Esta afecção é semelhante clínica e histologicamente ao PÊNFIGO FAMILIAR BENIGNO, outra doença de pele autossômica dominante. Ambas as doenças possuem bombas de cálcio defeituosas (ATPASES TRANSPORTADORAS DE CÁLCIO) e junções de adesão desmossomais instáveis (DESMOSSOMOS) entre os QUERATINÓCITOS.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Epidermólise Bolhosa Distrófica: Forma de epidermólise bolhosa caracterizada por atrofia de áreas bolhosas, cicatrizes graves e trocas de unha. É mais frequente no nascimento ou na primeira infância e ocorre tanto nas formas autossômicas dominante como na recessiva. Todas as formas de epidermólise bolhosa distrófica resultam de mutações sobre o COLÁGENO TIPO VII, um dos principais componentes de fibrilas da MEMBRANA BASAL e EPIDERME.Catelicidinas: Peptídeos catiônicos antimicrobianos com domínio amino terminal semelhante a catelina altamente conservado e um domínio carboxi terminal mais variável. Inicialmente são sintetizados como pré-proteínas e, em seguida, clivados. São expressos em muitos tecidos humanos e localizadas nas CÉLULAS EPITELIAIS. Destroem os patógenos não virais por meio da formação de poros nas membranas.Imunossupressores: Agentes que suprimem a função imunitária por um dos vários mecanismos de ação. Os imunossupressores citotóxicos clássicos agem inibindo a síntese de DNA. Outros podem agir através da ativação de CÉLULAS T ou inibindo a ativação de LINFOCITOS T AUXILIARES-INDUTORES. Enquanto no passado a imunossupressão foi conduzida basicamente para impedir a rejeição de órgãos transplantados, estão surgindo novas aplicações que envolvem a mediação do efeito das INTERLEUCINAS e outras CITOCINAS.Peptídeos Catiônicos Antimicrobianos: Pequenos peptídeos catiônicos que são componentes importantes, na maioria das espécies, das defesas inatas e induzidas contra micróbios invasores. Nos animais, encontram-se nas superfícies mucosas, dentro dos grânulos fagocíticos, e na superfície do corpo. Também são encontrados em insetos e plantas. Entre outros, este grupo inclui as DEFENSINAS, protegrinas, taquiplesinas, e tioninas. Eles substituem CÁTIONS DIVALENTES de grupos fosfatos de LIPÍDEOS DA MEMBRANA levando ao rompimento da membrana.Otite Externa: Inflamação da ORELHA INTERNA, inclusive CANAL AUDITIVO externo, cartilagens da aurícula (CARTILAGEM DA ORELHA), e MEMBRANA TIMPÂNICA.Extratos Vegetais: Preparações farmacêuticas concentradas de plantas obtidas pela remoção dos constituintes ativos com um solvente adequado (que é eliminado por evaporação) e ajuste do resíduo [seco] a um padrão prescrito.Exposição Ocupacional: Exposição a agentes químicos, físicos ou biológicos potencialmente prejudiciais, que ocorre como resultado da ocupação profissional.Doença Crônica: Doenças que têm uma ou mais das seguintes características: são permanentes, deixam incapacidade residual, são causadas por alteração patológica não reversível, requerem treinamento especial do paciente para reabilitação, pode-se esperar requerer um longo período de supervisão, observação ou cuidado.Índice de Gravidade de Doença: Níveis dentro de um grupo de diagnósticos estabelecidos por vários critérios de medição aplicados à gravidade do transtorno de um paciente.Alérgenos: Substâncias do tipo antígeno que produzem HIPERSENSIBILIDADE IMEDIATA.Doenças do Gato: Doenças do gato doméstico (Felis catus ou F. domesticus). Este termo não inclui doenças dos chamados gatos grandes, como Chitas (Xitas), LEÕES, tigres, pumas, panteras, leopardos e outros Felidae, para os quais é utilizado o termo CARNÍVOROS.Onchocerca volvulus: Espécie de nematoides parasitas amplamente distribuídos pela África Central e também encontrados no norte da América do Sul, sul do México e Guatemala. Seu hospedeiro intermediário e vetor é a mosca preta ou espécies semelhantes.Camundongos Knockout: Linhagens de camundongos nos quais certos GENES dos GENOMAS foram desabilitados (knocked-out). Para produzir "knockouts", usando a tecnologia do DNA RECOMBINANTE, a sequência do DNA normal no gene em estudo é alterada para impedir a síntese de um produto gênico normal. Células clonadas, nas quais esta alteração no DNA foi bem sucedida, são então injetadas em embriões (EMBRIÃO) de camundongo, produzindo camundongos quiméricos. Em seguida, estes camundongos são criados para gerar uma linhagem em que todas as células do camundongo contêm o gene desabilitado. Camundongos knock-out são usados como modelos de animal experimental para [estudar] doenças (MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS) e para elucidar as funções dos genes.Melanócitos: Células pigmentares de mamíferos que produzem MELANINAS, pigmentos encontrados principalmente na EPIDERME, mas também nos olhos e cabelos por um processo denominado melanogênese. A coloração pode ser alterada por inúmeros melanócitos ou pela quantidade de pigmento produzida e armazenada nas organelas, denominadas MELANOSSOMAS. As grandes células contendo melanina dos não mamíferos são denominadas MELANÓFOROS.Fototerapia: Tratamento de doenças por exposição à luz, especialmente por raios de luz com concentrações variadas ou comprimentos de ondas específicos.Proteínas Secretadas Inibidoras de Proteinases: Peptídeos e proteínas encontrados nas SECREÇÕES CORPORAIS e nos LÍQUIDOS CORPORAIS que são INIBIDORES DE PROTEASES. Desempenham um papel na INFLAMAÇÃO, reparo dos tecidos e IMUNIDADE INATA, inibindo as proteinases endógenas, como as produzidas pelos LEUCÓCITOS, e as proteinases exógenas, como as produzidas por micro-organismos invasores.Imunoglobulina G: Principal classe de isotipos da imunoglobulina no soro normal humano. Há várias subclasses de isotipos de IgG, por exemplo, IgG1, IgG2A e IgG2B.Diferenciação Celular: Restrição progressiva do potencial para desenvolvimento e especialização crescente da função que leva à formação de células, tecidos e órgãos especializados.Camundongos Endogâmicos BALB CInfecções por Micobactéria não Tuberculosa: Infecções pelas denominadas micobactérias atípicas (bacilos tuberculoides): M. kansasii, M. marinum, M. scrofulaceum, M. flavescens, M. gordonae, M. obuense, M. gilvum, M. duvalii, M. szulgai, M. intracellulare (v. COMPLEXO MYCOBACTERIUM AVIUM), M. xenopi (littorale), M. ulcerans, M. burulii, M. terrae, M. fortuitum (minetti, giae), M. chelonae.Hidroxicloroquina: Agente quimioterapêutico contra formas eritrocíticas dos parasitas da malária. A hidroxicloroquina parece se concentrar nos vacúolos de alimento dos protozoários afetados. Inibe a polimerase da heme do plasmódio. (Tradução livre do original: Gilman et al., Goodman and Gilman's The Pharmacological Basis of Therapeutics, 9th ed, p970)Camundongos Mutantes: Camundongos que portam genes mutantes que são fenotipicamente expressos nos animais.Regulação da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influenciam o controle diferencial (indução ou repressão) da ação gênica ao nível da transcrição ou da tradução.Psoralenos: Furanocumarinas lineares encontradas em várias PLANTAS, especialmente nas UMBELLIFERAE, RUTACEAE e PSORALEA, nas quais foram originalmente descobertos. Podem intercalar DNA, e alquilar PIRIMIDINAS (em reação iniciada por UV na porção furânica), causando TRANSTORNOS DE FOTOSSENSIBILIDADE.Papiloma: Tumor epitelial benigno, circunscrito, que se projeta da superfície adjacente; mais precisamente, uma neoplasia epitelial benigna que consiste em crescimentos vilosos ou arborescentes de estroma fibrovascular coberto por células neoplásicas. (Stedman, 27a ed)Edema: Acúmulo anormal de líquido em TECIDOS ou cavidades do corpo. Na maioria dos casos, estão presentes sob a PELE, na TELA SUBCUTÂNEA.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.