Craniotomia: Qualquer operação no crânio; incisão no crânio. (Dorland, 28a ed)Procedimentos Neurocirúrgicos: Cirurgia feita no sistema nervoso ou suas partes.Pneumocefalia: Presença de ar ou gás dentro da cavidade intracraniana (ex. espaço epidural, espaço subdural, intracerebral, etc.), podendo ser resultado de lesões traumáticas, formação de tratos fistulosos, erosões cranianas de NEOPLASIAS ou infecções, PROCEDIMENTOS NEUROCIRÚRGICOS e outras situações.Osso Frontal: Osso que forma o aspecto frontal do CRÂNIO. Sua parte achatada forma a testa, que se articula inferiormente com o OSSO NASAL e com o ZIGOMA em cada lado da face.Hematoma Subdural Agudo: Acúmulo de sangue no ESPAÇO SUBDURAL associado com sintomas neurológicos de início agudo. Entre os sintomas podem-se incluir perda de consciência, CEFALEIA grave, e degeneração do estado mental.Trepanação: Remoção de um disco circular do crânio.Traumatismos Cranianos Penetrantes: Traumatismos cranianos caracterizados por comprometimento do crânio e dura mater. Podem resultar de ferimentos por armas de fogo (FERIMENTOS POR ARMAS DE FOGO), ferimentos por facas (FERIMENTOS POR FACAS) e outras formas de trauma.Neoplasias Encefálicas: Neoplasias dos componentes intracranianos do sistema nervoso central, incluindo os hemisférios cerebrais, gânglios da base, hipotálamo, tálamo, tronco encefálico e cerebelo. As neoplasias encefálicas são subdivididas em formas primárias (originárias do tecido encefálico) e secundárias (i. é, metastáticas). As neoplasias primárias são subdivididas em formas benignas e malignas. Em geral, os tumores encefálicos podem ser classificados pela idade de início, tipo histológico ou local de apresentação no cérebro.Recuperação Demorada da Anestesia: Intervalo de tempo anormalmente longo para a recuperação do ESTADO DE CONSCIÊNCIA após ANESTESIA GERAL geralmente dada durante procedimentos cirúrgicos. Esta afecção é caracterizada por sonolência persistente.Hematoma Subdural: Acúmulo de sangue no ESPAÇO SUBDURAL entre as camadas DURA-MATER e aracnoide das MENINGES. Esta afecção ocorre principalmente sobre a superfície de um HEMISFÉRIO CEREBRAL, mas pode desenvolver no canal espinhal (HEMATOMA SUBDURAL ESPINHAL). O hematoma subdural pode ser classificado como forma aguda ou crônica, com início de sintoma imediato ou tardio, respectivamente. Entre os sintomas podemos incluir perda de consciência, CEFALEIA grave, e estado mental degenerado.Aneurisma Intracraniano: Bolsa externa anormal na parede de vasos sanguíneos intracranianos. Os aneurismas saculares (em grãos) são os mais comuns e estão localizados em pontos das ramificações no CÍRCULO ARTERIAL DO CÉREBRO na base do encéfalo. A ruptura resulta em HEMORRAGIA SUBARACNOIDE ou HEMORRAGIAS INTRACRANIANAS. Os aneurismas gigantes (maiores que 2,5 cm de diâmetro) podem comprimir as estruturas adjacentes, incluindo o NERVO OCULOMOTOR (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p841).Dura-Máter: A mais externa das três MENINGES, uma membrana fibrosa de tecido conjuntivo que cobre o encéfalo e cordão espinhal.Dispositivos de Fixação Cirúrgica: Dispositivos utilzados para manter unidas as estruturas de reparo, reconstrução ou fechamento de feridas. Podem ser de material absorvível ou não, natural ou sintético. Incluem bandagens, esparadrapo, suturas, botões, grampos, clips, parafusos, etc., projetados para se adequarem à geometria do tecido em questão.Neoplasias Meníngeas: Processos neoplásicos malignos e benignos que surgem ou que envolvem secundariamente as coberturas meníngeas do cérebro e medula espinhal.Neoplasias Supratentoriais: Tumores primários e metastáticos (secundários) do cérebro localizados acima do tentório do cerebelo, uma dobra da dura-mater, separando o CEREBELO e o TRONCO ENCEFÁLICO dos hemisférios cerebrais e DIENCÉFALO (i. é, TÁLAMO, HIPOTÁLAMO e estruturas relacionadas). Em adultos, as neoplasias primárias tendem a surgir no compartimento supratentorial, enquanto que, em crianças, elas ocorrem mais frequentemente no espaço infratentorial. As manifestações clínicas variam com a localização da lesão, mas CONVULSÕES, AFASIA, HEMIANOPSIA, hemiparesia e déficits sensoriais são características relativamente comuns. As neoplasias metastáticas supratentoriais são frequentemente múltiplas quando se manifestam.Seio Frontal: Um dos espaços cheios de ar pareados, mas raramente simétricos, localizados entre as camadas compactas interna e externa do OSSO FRONTAL na testa.Meningioma: Neoplasia relativamente comum do SISTEMA NERVOSO CENTRAL, que surge de células da aracnoide. A maioria é de tumores vasculares bem diferenciados, de crescimento lento e baixo potencial de invasão, embora ocorram subtipos malignos. Meningiomas surgem com maior frequência na região parassagital, convexidade cerebral, borda esfenoidal, sulco olfatório e CANAL VERTEBRAL (Tradução livre do original: DeVita et al., Cancer: Principles and Practice of Oncology, 5th ed, pp 2056-7).Cistos Aracnóideos: Cavidades espinhais ou intracranianas contendo um líquido similar ao cefalorraquidiano, cujas paredes são compostas por células da aracnoide. São mais frequentemente desenvolvidas ou relacionadas ao trauma. Os cistos aracnóideos intracranianos ocorrem geralmente adjacentes à cisterna aracnóidea e podem se apresentar com HIDROCEFALIA, CEFALEIA, CONVULSÕES e sinais neurológicos focais. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1994, Ch44, pp105-115)Espaço Subdural: Cavidade em potencial que separa a ARACNOIDE-MÁTER da DURA-MÁTER.Microcirurgia: Execução de procedimentos cirúrgicos com auxílio de um microscópio.Escala de Coma de Glasgow: Escala que avalia a resposta aos estímulos em pacientes com lesões craniocerebrais. Os parâmetros são abertura dos olhos, resposta motora e resposta verbal.Hematoma Epidural Craniano: Acúmulo de sangue no ESPAÇO EPIDURAL entre CRÂNIO e DURA-MATER, frequentemente resultante de sangramento das ARTÉRIAS MENÍNGEAS associado com fratura óssea parietal ou temporal. O hematoma epidural tende a se expandir rapidamente, comprimindo a dura e o encéfalo subjacente. Entre as características clínicas estão CEFALEIA, VÔMITO, HEMIPARESIA e deficiência da função mental.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Hematoma Subdural Crônico: Acúmulo de sangue no ESPAÇO SUBDURAL com sintomas neurológicos de início tardio. Entre os sintomas podem-se incluir perda de consciência, CEFALEIA grave, e degeneração do estado mental.Rinorreia de Líquido Cefalorraquidiano: Derrame de líquido cefalorraquidiano através do nariz. Etiologias comuns incluem trauma, neoplasias e cirurgias prévias, embora tal afecção possa ocorrer espontaneamente. (Tradução livre do original: Otolaryngol Head Neck Surg 1997 Apr;116(4):442-9)Osso Temporal: Cada um de um par de ossos compostos formando as superfícies laterais (esquerda e direita) e a base do crânio, contendo os órgãos da audição. É um osso grande formado pela fusão das partes escamosa (parte anterossuperior achatada), timpânica (parte anteroinferior curva), mastoide (porção posterior irregular) e petrosa (a parte na base do crânio).Fossa Craniana Anterior: Compartimento contendo as extremidades anterior e parte da inferior dos lobos frontais (LOBO FRONTAL) dos hemisférios cerebrais. É formada principalmente pelas partes orbitais do OSSO FRONTAL e as asas menores do OSSO ESFENOIDE.Quarto Ventrículo: Cavidade de formato irregular no ROMBENCÉFALO, localizada entre a MEDULA OBLONGA, a PONTE e o istmo na frente, e o CEREBELO atrás. É contínua ao canal central da medula abaixo e ao AQUEDUTO DO MESENCÉFALO acima e, através de suas aberturas lateral e mediana, comunica-se com o ESPAÇO SUBARACNÓIDEO.Técnicas Estereotáxicas: Técnicas, a maior parte, usadas durante a cirurgia encefálica que empregam um sistema de coordenadas tridimensionais para localizar o lugar a ser operado.Abscesso Encefálico: Coleção circunscrita de exudato purulento no cérebro, devido à infecção bacteriana (ou outra). A maioria é causada por disseminação de material infectado a partir de um foco de supuração em algum lugar do corpo, especialmente SEIOS PARANASAIS, ORELHA MÉDIA, CORAÇÃO (ver também ENDOCARDITE BACTERIANA) e PULMÃO. TRAUMA CRANIOCEREBRAL penetrante e PROCEDIMENTOS NEUROCIRÚRGICOS também podem estar associados com este estado. Entre as manifestações clínicas estão CEFALEIA, CONVULSÕES, déficit neurológico focal e alterações de consciência.Neurocirurgia: Especialidade cirúrgica voltada para o tratamento de doenças e de distúrbios do cérebro, da medula espinhal e do sistema nervoso periférico e simpático.Hematocele: Hemorragia em um canal ou cavidade do corpo, como o espaço coberto pelas membranas serosas (túnica vaginalis) ao redor do TESTÍCULO levando a hematoceles testicular ou escrotal.Imagem por Ressonância Magnética: Método não invasivo de demonstração da anatomia interna baseado no princípio de que os núcleos atômicos em um campo magnético forte absorvem pulsos de energia de radiofrequência e as emitem como ondas de rádio que podem ser reconstruídas nas imagens computadorizadas. O conceito inclui técnicas tomográficas do spin do próton.Instrumentos Cirúrgicos: Ferramentas ou implementos manuais usados por profissionais de saúde para o desempenho de tarefas cirúrgicas.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.Doenças Cerebelares: Doenças que afetam a estrutura ou função cerebelar. As manifestações cardinais de disfunção cerebelar incluem dismetria, MARCHA ATÁXICA e HIPOTONIA MUSCULAR.Ventriculostomia: Criação cirúrgica de um orifício no ventrículo cerebral.Retalhos Cirúrgicos: Pedaços de pele e tecido subcutâneo, às vezes incluindo músculos retirados de partes subjacentes, porém frequentemente ainda presas a uma extremidade. Eles retêm a própria microvasculatura que também é transferida para o novo local. São utilizados em cirurgias plásticas para reparar um defeito em região vizinha.Base do Crânio: Região inferior do crânio consistindo de uma superfície interna (cerebral) e uma superfície externa (basal).Monitores de Consciência: Dispositivos usados para avaliar o nível de consciência, especialmente durante a anestesia. Medem a atividade cerebral baseada no eletroencefalograma.Traumatismos Encefálicos: Lesões agudas e crônicas (ver também LESÃO ENCEFÁLICA) ao encéfalo, incluindo os hemisférios cerebrais, CEREBELO e TRONCO CEREBRAL. As manifestações clínicas dependem da natureza da lesão. O trauma difuso ao encéfalo é frequentemente associado com LESÃO AXONAL DIFUSA ou COMA PÓS-TRAUMÁTICO. As lesões localizadas podem estar associadas com MANIFESTAÇÕES NEUROCOMPORTAMENTAIS; HEMIPARESIA ou outras deficiências neurológicas focais.Neoplasias dos Nervos Cranianos: Neoplasias malignas e benignas que surgem em um ou mais dos doze pares de nervos cranianos.Fraturas Cranianas: Fraturas do crânio que podem resultar de traumatismos penetrantes ou não penetrantes ou, raramente, de DOENÇAS ÓSSEAS (ver também FRATURAS ESPONTÂNEAS). As fraturas do crânio podem ser classificadas por localização (ex., FRATURA DO CRÂNIO BASILAR), aparência radiográfica (ex., linear) ou baseadas na integridade craniana (ex., FRATURA DO CRÂNIO COM AFUNDAMENTO).Angiografia Cerebral: Radiografia do sistema vascular do cérebro, após injeção de um meio de contraste.Hemorragia Subaracnóidea: Sangramento no ESPAÇO SUBARACNOIDE intracraniano ou espinhal, resultante de ruptura de um ANEURISMA INTRACRANIANO. Pode ocorrer após lesões traumáticas (HEMORRAGIA SUBARACNOIDE TRAUMÁTICA). Entre as características clínicas estão CEFALEIA, NÁUSEA, VÔMITO, rigidez da nuca, deficiências neurológicas variáveis e estado mental reduzido.Aneurisma Roto: Ruptura ou explosão da parede enfraquecida do saco aneurismal, geralmente precursora de dor súbita e piorada. O grande perigo de um aneurisma se romper é a grande quantidade de sangue derramada para dentro de tecidos e cavidades circundantes causando CHOQUE HEMORRÁGICO.Neoplasias da Base do Crânio: Neoplasias especificamente da base do crânio, diferenciadas das neoplasias de localização inespecífica ou de ossos do crânio (NEOPLASIAS CRANIANAS).Sedação Consciente: Depressão da consciência induzida por droga durante a qual pacientes respondem propositadamente a comandos verbais, ou só ou acompanhados por estimulação de luz tátil. Nenhuma intervenção é exigida para manter uma via aérea patente (Tradução livre do original: American Society of Anesthesiologists Practice Guidelines).Veias Cerebrais: Veias que drenam o cérebro.Hemorragias Intracranianas: Sangramento dentro do CRÂNIO, inclusive hemorragias no encéfalo e nas três membranas das MENINGES. A perda de sangue frequentemente leva à formação de HEMATOMA nos espaços epidural craniano, subdural e subaracnóideo.Descompressão Cirúrgica: Operação cirúrgica para aliviar a pressão em um compartimento do corpo. (Dorland, 28a ed)Craniofaringioma: Neoplasia benigna na região hipofisária que se origina na bolsa de Rathke. Os dois principais subtipos clínicos e histológicos são o craniofaringioma adamantino (ou clássico) e o craniofaringioma papilar. A forma adamantina aparece em crianças e adolescentes como uma lesão cística expansiva na região hipofisária. A cavidade cística é preenchida com uma substância viscosa negra e histologicamente o tumor é composto por epitélio adamantinomatoso com áreas de calcificação e necrose. Os craniofaringiomas papilares ocorrem em adultos e histologicamente, apresentam um epitélio escamoso com papilas. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1998, Ch14, p50)Encefalopatias: Afecções que acometem o CÉREBRO, composto de componentes intracranianos do SISTEMA NERVOSO CENTRAL. Este inclui (mas não se limita a estes) CÓRTEX CEREBRAL, substância branca intracraniana, GÂNGLIOS DA BASE, TÁLAMO, HIPOTÁLAMO, TRONCO ENCEFÁLICO e CEREBELO.Artéria Cerebral Anterior: Zona mais interna da córtex adrenal. Esta região produz as enzimas que convertem a PREGNENOLONA, um esteroide de 21 carbonos, a um esteroide de 19 carbonos (DESIDROEPIANDROSTERONA e ANDROSTENEDIONA) via 17-ALFA-HIDROXIPREGNENOLONA.Órbita: Cavidade óssea que segura o globo ocular e seus tecidos associados e apêndices.Fossa Craniana Média: Compartimento contendo as extremidades anteriores e metade da superfície inferior dos lobos temporais (LOBO TEMPORAL) dos hemisférios cerebrais. Situa-se posterior e inferiormente à FOSSA CRANIANA ANTERIOR, sendo formada por parte do OSSO TEMPORAL e do OSSO ESFENOIDE. Está separada da FOSSA CRANIANA POSTERIOR por cristas formadas pelas bordas superiores das partes petrosas dos ossos temporais.Neuroendoscopia: Procedimentos que usam NEUROENDOSCÓPIOS para o diagnóstico e tratamento de doenças. A neuroendoscopia, que geralmente é uma integração do neuroendoscópio com um sistema de NEURONAVEGAÇÃO assistido por computador, fornece diretrizes nos PROCEDIMENTOS NEUROCIRÚRGICOS.Hemorragia Intracraniana Hipertensiva: Sangramento dentro do CRÂNIO causado por HIPERTENSÃO sistêmica, normalmente associada com ARTERIOSCLEROSE INTRACRANIANA. As hemorragias hipertensivas são mais frequentes nos GÂNGLIOS DA BASE, CEREBELO, PONTE, e TÁLAMO, mas também podem envolver o CÓRTEX CERERBAL, substância branca subcortical e outras estruturas encefálicas.Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO.Monitorização Intraoperatória: Verificação constante do estado ou condição de um paciente durante o curso de uma cirurgia (por exemplo, verificação dos sinais vitais).