Cardiotônicos: Agentes que têm efeito tônico sobre o coração, ou que podem aumentar o débito cardíaco. Podem ser GLICOSÍDEOS CARDÍACOS, SIMPATOMIMÉTICOS, ou ainda outras drogas. São usados após INFARTO DO MIOCÁRDIO, PROCEDIMENTOS CIRÚRGICOS CARDÍACOS, CHOQUE, ou na insuficiência cardíaca congestiva (INSUFICIÊNCIA CARDÍACA).PiridazinasAmrinona: Cardiotônico inotrópico positivo (CARDIOTÔNICOS) com propriedades vasodilatadoras, atividade inibitória sobre a fosfodiesterase 3 e capacidade em estimular o influxo de íon cálcio na célula cardíaca.Glicosídeos Cardíacos: Ciclopentanofenantrenos com um anel de lactona de 5 ou 6 braços ligado na posição 17 e AÇÚCARES ligados na posição 3. As plantas das quais se originam têm sido usadas na deficiência cardíaca congestiva. Aumentam a força da contração cardíaca sem afetar significantemente outros parâmetros, mas são muito tóxicos em altas doses. Seu mecanismo de ação geralmente envolve a inibição da ATPASE CONVERSORA DE NA(+)-K(+) e frequentemente são usados em estudos de biologia celular com esse propósito.Bufanolídeos: Ciclopentanofenantrenos com um anel lactona de 6 membros ligado na posição 17 e AÇÚCARES ligados na posição 3. São encontrados em BUFONIDAE e frequentemente possuem propriedades cardiotônicas.Contração Miocárdica: Atividade contrátil do MIOCÁRDIO.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sanguíneo.Ouabaína: Glicosídeo cardioativo que consiste em ramnose e ouabagenina obtido de sementes de Strophanthus gratus e outras plantas da família Apocynaceae. Usada como DIGITALIS. É geralmente utilizada em estudos de biologia celular como inibidor da ATPASE CONVERSORA DE NA(+)-K(+).Cardenolídeos: Esteroides C(23) com grupos metil em C-10 e C-13 e uma lactona de cinco membros em C-17. São os constituintes da aglicona dos GLICOSÍDEOS CARDÍACOS e devem ter no mínimo uma dupla ligação na molécula. A classe inclui cardadienolídios e cardatrienolídios. Os membros incluem a DIGITOXINA e DIGOXINA e seus derivados, e as ESTROFANTINAS.ATPase Trocadora de Sódio-Potássio: Enzima que catalisa o sistema de transporte ativo de íons sódio e potássio através da parede celular. Os íons sódio e potássio são intimamente acoplados à ATPase da membrana, que sofre fosforilação e desfosforilação, fornecendo dessa maneira energia para o transporte desses íons contra os gradientes de concentração.Digoxina: Glicosídeo cardiotônico obtido principalmente da Digitalis lamata. Consiste em três açúcares e da DIGOXIGENINA aglicona. A digoxina tem atividade inotrópica positiva e cronotrópica negativa. É utilizada para controlar a velocidade ventricular na FIBRILAÇÃO ATRIAL e no tratamento da insuficiência cardíaca congestiva com fibrilação atrial. Seu uso na insuficiência cardíaca congestiva e no ritmo do seio é menos certo. A margem entre as doses tóxica e terapêutica é pequena. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p666).Digitoxina: Glicosídeo cardíaco algumas vezes usado no lugar da DIGOXINA. Tem uma meia-vida mais longa do que a digoxina. Os efeitos tóxicos, que são similares aos da digoxina, duram mais tempo.Glicosídeos Digitálicos: Glicosídeos oriundos de plantas do gênero DIGITALIS. Alguns deles são úteis como agentes cardiotônicos e antiarrítmicos. Incluem também os derivados semi-sintéticos dos glicosídeos. Algumas vezes, este termo tem sido utilizado de forma mais ampla, incluindo-se todos os GLICOSÍDEOS CARDÍACOS, mas neste caso, estão restritos apenas àqueles relacionados a Digitalis.Venenos de Anfíbios: Venenos produzidos por rãs, sapos, salamandras, etc. As glândulas de veneno geralmente estão na pele das costas e contêm glicosídeos cardiotóxicos, colinolíticos, e vários outros materiais bioativos, muitos dos quais foram caracterizados. Os venenos (inclusive a bufogenina, a bufotoxina, a bufagina, a bufotalina, histrionicotoxinas, e a pumiliotoxina) têm sido usados em flechas.TiadiazinasCimarina: Glicosídeo cardiotônico encontrado no STROPHANTHUS. A aglicona é a estrofantina.Cardanolídeos: Constituintes da aglicona dos GLICOSÍDEOS CARDÍACOS. A estrutura em anel é basicamente um núcleo de ciclopentanoperidrofenantreno ligado a um anel de lactona na posição C-17.Digitoxigenina: 3 beta,14-Diidroxi-5 beta-card-20(22)enolídio. Cardenolídio que é a aglicona da digitoxina. Sinônimos: Cerberigenina; Echujetina; Evonogenina; Tevetigenina.Antiaris: Gênero de plantas (família MORACEAE) cujos membros são utilizados como venenos de flechas.Estrofantidina: 3 beta,5,14-Triidroxi-19-oxo-5 beta-card-20(22)-enolídio. O agente cardioativo aglicônico isolado de Strophanthus kombe, S. gratus e outras espécies. É um material muito tóxico, usado antigamente como digitalis. Sinônimos: Apocimarina, Corchorina, Cinotoxina, Corchogenina.Isótopos de Césio: Átomos de césio estáveis que possuem o mesmo número atômico que o elemento césio, porém diferem em relação ao peso atômico. Cs-133 é um isótopo que pode ser encontrado na natureza.Milrinona: Cardiotônico inotrópico positivo com propriedades vasodilatadoras. Inibe a atividade da AMPc-fosfodiesterase tipo 3 no miocárdio e no músculo liso vascular. A milrinona é um derivado da amrinona e possui de 20 a 30 vezes mais potência ionotrópica que a amrinona.Dipterocarpaceae: Família de plantas da ordem Theales.Hidrazonas: Compostos com a fórmula geral R:N.NR2, como resultado da ação das hidrazinas com aldeídos ou cetonas.Salvia miltiorrhiza: Espécie de plantas conhecidas como sendo da medicina tradicional Oriental.Piridonas: Derivados da piridina com um ou mais grupos cetona no anel.Músculos Papilares: Projeções musculares cônicas das paredes dos ventrículos cardíacos ligados às cúspides das válvulas atrioventriculares pelas cordas tendíneas.Saponinas: Tipo de glicosídeo amplamente distribuído em plantas. Cada um consiste de uma sapogenina como fração aglicona e um açúcar. A sapogenina podem ser um esteroide ou um triterpeno e o açúcar pode ser glicose, galactose, uma pentose ou uma metilpentose.Cobaias: Nome popular utilizado para o gênero Cavia. A espécie mais comum é a Cavia porcellus, que é o porquinho-da-índia, ou cobaia, domesticado e usado como bicho de estimação e para pesquisa biomédica.Anêmonas-do-Mar: Ordem Actiniaria (classe ANTHOZOA) composta de grandes pólipos solitários. Todas as espécies são carnívoras.Troponina C: Uma das três cadeias polipeptídicas que formam o complexo TROPONINA do músculo esquelético. É uma proteína ligante de cálcio.Sódio: Membro do grupo de metais alcalinos. Possui o símbolo Na, o número atômico 11 e peso atômico 23.Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sanguínea.Quinolinas