Arcada Osseodentária: Estrutura óssea da boca (que fixa os dentes). É constituída pela MANDÍBULA e pela MAXILA.Doenças MaxilomandibularesNeoplasias Maxilomandibulares: Câncer ou tumores inespecíficos da MAXILA ou MANDÍBULA. Para neoplasias da maxila há o termo NEOPLASIAS MAXILARES e para a mandíbula há o termo NEOPLASIAS MANDIBULARES.Anormalidades Maxilomandibulares: A ausência congênita de ou os defeitos das estruturas maxilomandibulares.Osteonecrose da Arcada Osseodentária Associada a Difosfonatos: Necrose da arcada osseodentária ou de outro osso maxilofacial associada com uso de bisfosfonatos (ver BIFOSFONATOS). Fatores que desencadeiam o processo necrótico incluem lesões, procedimentos dentários e trauma.Músculos da Mastigação: Origem: parte superficial, borda inferior dos dois terços anteriores do arco zigomático; parte profunda, borda inferior e superfície medial do arco zigomático; inserção: superfície lateral do ramo e processo coronoide da mandíbula; ação: fecha a mandíbula; inervação: massetérico da divisão mandibular do trigêmeo. (Stedman, 25a ed)Arcada Edêntula: A ausência completa de dentes tanto da mandíbula ou da maxila, mas não de ambas. A ausência completa de dentes de ambas é a BOCA EDÊNTULA. A ausência parcial de dentes em uma delas é a ARCADA PARCIALMENTE EDÊNTULA.Cistos Maxilomandibulares: Lesões saculares revestidas por epitélio e que estão contidas dentro de cavidades de formação patológica na região maxilomandibular; também cistos sem epitélio (pseudocistos) no que diz respeito à região maxilomandibular, p.ex., cisto traumático ou solitário, cavidade óssea estática e cisto ósseo aneurismático. Os cistos maxilomandibulares verdadeiros são classificados em odontogênicos ou não odontogênicos.Osteonecrose: Morte de um osso ou parte dele, tanto sem trauma ou pós-traumática.Músculo Masseter: Músculo mastigatório cuja ação é o fechamento da mandíbula.Mandíbula: O maior (e o mais forte) osso da FACE; constitui o maxilar inferior, que sustenta os dentes inferiores.Arcada Parcialmente Edêntula: A ausência de dentes de uma porção da mandíbula e/ou da maxila.Força de Mordida: Força aplicada pelos músculos mastigatórios na oclusão dental.Fraturas Maxilomandibulares: Fraturas da mandíbula superior ou inferior.Doenças MandibularesRegistro da Relação Maxilomandibular: Registro de qualquer relação posicional da mandíbula com referência ao maxilar. Esses registros podem ser quaisquer de muitas relações verticais, horizontais ou de orientação.Difosfonatos: Compostos orgânicos que contêm ligações P-C-P, em que P significa fosfonatos ou ácidos fosfônicos. Esses compostos afetam o metabolismo do cálcio. Eles inibem a calcificação ectópica e retardam a reabsorção e a reciclagem óssea. Complexos de tecnécio de difosfonatos tem sido utilizados com sucesso como agentes escaneadores ósseos.Articulação Temporomandibular: Articulação entre o côndilo da mandíbula e o tubérculo articular do osso temporal.Dente: Uma de um conjunto de estruturas semelhantes a ossos na boca usadas para morder e mastigar.Maxila: Osso do par de ossos de forma irregular que constituem o maxilar superior. Fornece os processos alveolares dos dentes superiores, forma parte da ÓRBITA e contém o SEIO MAXILAR.Neoplasias Mandibulares: Tumores ou câncer da MANDÍBULA.Músculos Pterigoides: Dois dos músculos mastigatórios: músculo pterigoide interno ou medial e músculo pterigoide externo ou lateral. A ação do primeiro consiste em fechar a mandíbula e o segundo é responsável por abrir, protuberar e mover a mandíbula lateralmente.Região Branquial: Região, no período de desenvolvimento dos SOMITOS, contendo um número de arcos pareados, cada qual com um núcleo mesodérmico revestido por ectoderma e endoderma nos dois lados. Em vertebrados aquáticos inferiores, os arcos branquiais desenvolvem-se nas BRÂNQUIAS. Em vertebrados superiores, os arcos formam bolsas externas e desenvolvem-se nas estruturas da cabeça e pescoço. Separando os arcos estão as fendas ou sulcos branquiais.Músculo Temporal: Músculo mastigatório cuja ação é fechar a mandíbula. Sua porção posterior é responsável pela retração da mandíbula.Doenças MaxilaresDentição: Os dentes conjuntamente na arcada dentária. Normalmente, a dentição se refere aos dentes naturais posicionados em seus alvéolos. A dentição referente aos dentes decíduos é a DENTIÇÃO PRIMÁRIA; e a referente aos dentes permanentes é a DENTIÇÃO PERMANENTE.Crânio: O ESQUELETO da CABEÇA; compreende também os OSSOS FACIAIS e os que recobrem o CÉREBRO.Conservadores da Densidade Óssea: ASubstâncias que inibem a REABSORÇÃO ÓSSEA e/ou favorecem a MINERALIZAÇÃO ÓSSEA e REGENERAÇÃO ÓSSEA. São usados para a consolidação das FRATURAS ÓSSEAS e para o tratamento de DOENÇAS ÓSSEAS METABÓLICAS como OSTEOPOROSE.Radiografia Panorâmica: Radiografia de seção corporal extraoral que retrata todo o maxilar, ou maxilar e mandíbula, em um único filme.Osso Hioide: Osso móvel em forma de U que fica na parte anterior do pescoço na altura da terceira VÉRTEBRA CERVICAL. O osso hioide fica suspenso pelos processos do OSSO TEMPORAL por ligamentos, e é firmemente aderido à CARTILAGEM TIREÓIDEA por músculos.Displasia Fibrosa Óssea: Doença do osso marcada por adelgaçamento do córtex e substituição da medula óssea por tecido fibroso arenoso contendo espículas ósseas, produzindo dor, incapacidade, e deformidade que aumenta gradualmente. Pode comprometer apenas um osso (DISPLASIA FIBROSA MONOSTÓTICA) ou vários (DISPLASIA FIBROSA POLIOSTÓTICA).Fibroma Ossificante: Tumor ósseo central benigno, geralmente dos maxilares (especialmente a mandíbula), composto de tecido conjuntivo fibroso dentro do qual o osso é formado.Desenvolvimento Maxilofacial: Processo de crescimento e diferenciação das mandíbulas e da face.Neoplasias Maxilares: Câncer ou tumores da MAXILA ou maxilar superior.