Proteínas de Arabidopsis: Proteínas que se originam de espécies de plantas do gênero ARABIDOPSIS. A espécie de Arabidopsis mais intensamente estudada é a Arabidopsis thaliana, comumente utilizada como modelo experimental.Arabidopsis: Gênero de plantas (família BRASSICACEAE) contendo PROTEÍNAS DE ARABIDOPSIS e PROTEÍNAS DE DOMÍNIO MADS. A espécie 'A. thaliana' é utilizada em experimentos em genética vegetal clássica, bem como em estudos de genética molecular em fisiologia, bioquímica e desenvolvimento de plantas.Regulação da Expressão Gênica de Plantas: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica nas plantas.Plantas Geneticamente Modificadas: PLANTAS (ou seus descendentes) cujo GENOMA foi alterado por ENGENHARIA GENÉTICA.Genes de Plantas: Unidades hereditárias funcionais de PLANTAS.Raízes de Plantas: Porções geralmente subterrâneas de uma planta, que servem como suporte e estocagem de alimento, e pelas quais a água e nutrientes minerais penetram na planta.Folhas de Planta: Estruturas expandidas, geralmente verdes, de plantas vasculares, consistindo caracteristicamente de uma expansão em lâmina ligada a um caule, funcionando como o principal órgão de fotossíntese e transpiração.Proteínas de Plantas: Proteínas encontradas em plantas (flores, ervas, arbustos, árvores, etc.). O conceito não inclui proteínas encontradas em vegetais para os quais PROTEÍNAS DE VERDURAS estão disponíveis.RNA de Plantas: Ácido ribonucleico de plantas, que tem papéis regulatórios e catalíticos, bem como envolvimento na síntese proteica.Plântula: Plantas muito jovens após GERMINAÇÃO das SEMENTES.Flores: Órgão reprodutivo das plantas.Sementes: Embriões encapsulados de plantas com florescência. São usados como são, ou como ração animal, por causa do alto conteúdo de nutrientes concentrados, como amido, proteínas e lipídeos. Sementes de colza, de algodão e de girassol são também produzidas por causa dos óleos que produzem.Mutação: Qualquer mudança detectável e hereditária que ocorre no material genético causando uma alteração no GENÓTIPO e transmitida às células filhas e às gerações sucessivas.DNA de Plantas: Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de plantas.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Ácidos Indolacéticos: Derivados do ácido acético e do composto heterocíclico indol.Genoma de Planta: Complemento genético de uma planta (PLANTAS) como representado em seu DNA.Reguladores de Crescimento de Planta: Qualquer um dos hormônios produzidos naturalmente em plantas e que atuam no controle de crescimento e outras funções. Existem três classes primárias: auxinas, citocininas e giberelinas.Germinação: Estágios iniciais do crescimento de SEMENTES na PLÂNTULA. O broto embrionário (plúmula) e as RAÍZES DE PLANTAS (radícula) embrionárias emergem crescendo para cima e para baixo, respectivamente. As reservas alimentares para a germinação vêm do tecido endospérmico dentro da semente e/ou das folhas das sementes (COTILÉDONES). (Tradução livre do original: Concise Dictionary of Biology, 1990)Brotos de Planta: Crescimentos novos, imaturos, de uma planta, entre eles caule, folhas, extremidades de ramos e PLÂNTULA.Meristema: Grupo de células vegetais que são capazes de se dividir infinitamente, e cuja função principal é a produção de novo crescimento na extremidade crescente de uma raiz ou caule.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Ácido Abscísico: Substância do crescimento vegetal aceleradora da abscisão isolada a partir do fruto jovem do algodão, folhas de plátano, bétula e outras plantas, além da batata, do limão, do abacate e outras frutas.Epiderme Vegetal: Fina camada de células formando o tegumento externo de plantas com sementes e samambaias.Etilenos: Derivados do etileno, um gás orgânico simples de origem biológica com muitos usos industriais e biológicos.Fenótipo: Aparência externa do indivíduo. É o produto das interações entre genes e entre o GENÓTIPO e o meio ambiente.Oxilipinas: Ácidos graxos poli-insaturados ciclopentil de dezoito carbonos derivados de ÁCIDO ALFA-LINOLÊNICO por uma via oxidativa análoga à dos EICOSANOIDES em animais. A biossíntese é inibida por SALICILATOS. Um membro chave, ácido jasmônico de PLANTAS, desempenha um papel semelhante ao do ÁCIDO ARAQUIDÔNICO em animais.Ácido Salicílico: Composto obtido da casca do salgueiro branco e de folhas perenes. Possui ações bacteriostáticas, fungicidas e ceratolíticas.Doenças das Plantas: Doenças de plantas.Homologia de Sequência de Aminoácidos: Grau de similaridade entre sequências de aminoácidos. Esta informação é útil para analisar a relação genética de proteínas e espécies.Ciclopentanos: Grupo de hidrocarbonetos alicíclicos com a fórmula geral R-C5H9.Cotilédone: Parte do embrião numa semente vegetal. O número de cotilédones é uma característica importante na classificação das plantas. Em sementes sem endosperma, os cotilédones estocam alimento que é usado na germinação. Em algumas plantas, eles emergem acima da superfície do solo e se tornam as primeiras folhas fotossintetizantes.Luz: Parte do espectro eletromagnético nas faixas visível, ultravioleta e infravermelha.Teste de Complementação Genética: Teste utilizado para determinar se ocorrerá ou não complementação (compensação na forma de dominância) em uma célula com um dado fenótipo mutante e quando outro genoma mutante, que codifica o mesmo fenótipo mutante, é introduzido naquela célula.Filogenia: Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.Proteínas de Domínio MADS: Superfamília de proteínas que compartilham um domínio com sequência de motivos MADS altamente conservados. O termo MADS refere-se aos quatro primeiros membros que são as PROTEÍNAS MCM1, PROTEÍNA AGAMOUS DE ARABIDOPSIS, PROTEÍNAS DEFICIENS e FATOR DE RESPOSTA SÉRICA. Muitas proteínas com domínio MADS têm sido encontradas em espécies de todos os reinos eucarióticos. Desempenham um papel importante no desenvolvimento, especialmente em plantas, nas quais têm papel importante no desenvolvimento das flores.Mutagênese Insercional: Mutagênese onde a mutação é causada pela introdução de sequências estranhas de DNA em um gene ou sequência extragênica. Isto pode ocorrer espontaneamente in vivo ou ser experimentalmente induzido in vivo ou in vitro. As inserções do DNA pró-viral no, ou adjacente à, proto-oncogenes podem interromper a TRADUÇÃO GENÉTICA das sequências de codificação ou interferir com elementos regulatórios de reconhecimento, e causar expressão não regulada de proto-oncogenes resultando em formação de tumor.Citocininas: Hormônios de plantas que promovem a separação de células filhas após a divisão mitótica da célula mãe. São frequentemente derivados de purina.Cloroplastos: Corpos de inclusão das células vegetais que contêm o pigmento fotossintético CLOROFILA, que está associado com a membrana dos TILACOIDES. Os cloroplastos ocorrem nas células das folhas e troncos jovens de plantas superiores. São também encontrados em algumas formas de FITOPLÂNCTON como HAPTÓFITAS, DINOFLAGELADOS, DIATOMÁCEAS e CRIPTÓFITAS.Proteína AGAMOUS de Arabidopsis: Proteína homeótica de planta envolvida no desenvolvimento de estames e carpelos de Arabidopsis thaliana. É uma proteína de ligação de DNA que contém o domínio MADS-box. É uma das quatro proteínas fundadoras que definem estruturalmente a superfamília de PROTEÍNAS DE DOMÍNIO MADS.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Pseudomonas syringae: Espécie de bactérias Gram-negativas, fluorescentes, fitopatogênicas do gênero PSEUDOMONAS. Distinguem-se entre aproximadamente 50 patovares com diferentes patogenicidades para plantas e especificidades de hóspede.Estômatos de Plantas: Aberturas que se fecham na epiderme das plantas sobre a face inferior das folhas. Permitem as trocas gasosas entre os tecidos internos da planta e a atmosfera.Plastídeos: Organelas citoplasmáticas autorreplicantes de células de plantas e algas que contêm pigmentos e que podem sintetizar e acumular várias substâncias. Os GENOMAS DE PLASTÍDEOS são utilizados em estudos filogenéticos.Alinhamento de Sequência: Combinação de dois ou mais aminoácidos ou sequências de bases de um organismo ou organismos de tal forma a alinhar áreas das sequências de distribuição das propriedades comuns. O grau de correlação ou homologia entre as sequências é previsto computacionalmente ou estatisticamente, baseado nos pesos determinados dos elementos alinhados entre as sequências. Isto pode servir como um indicador potencial de correlação genética entre os organismos.Estruturas Vegetais: Partes das plantas, incluindo as SEMENTES.Caules de Planta: Partes de plantas que geralmente crescem verticalmente para cima, em direção à luz, e que dão suporte às folhas, às células germinativas e às estruturas reprodutivas.Giberelinas: Classe de hormônios de crescimento de plantas isolados de cultura de Gibberella fujikuroi, um fungo que causa a doença Bakanae no arroz. Existem muitos membros diferentes assim como as misturas de múltiplos membros; todos são ácidos diterpenoide do esqueleto de giberelana.Oryza sativa: Gramínea de cereal anual (família POACEAE) cujo grão amiláceo comestível (arroz) é o alimento básico para cerca de metade da população mundial.Glucosinolatos: Tioglucosídeos substituídos. São encontrados no nabo silvestre (Brassica campestris) e outras crucíferas. Eles são metabolizados em uma variedade de produtos tóxicos, os quais parecem ser a causa de necrose hepática em animais e humanos.Família Multigênica: Conjunto de genes originados por duplicação e variação de algum gene ancestral. Estes genes podem estar reunidos nos mesmo cromossomo ou dispersos em cromossomos diferentes. São exemplos de famílias multigênicas as que codificam as hemoglobinas, imunoglobulinas, antígenos de histocompatibilidades, actinas, tubulinas, queratinas, colágenos, proteínas de choque térmico, proteínas adesivas salivares, proteínas coriônicas, proteínas de cutícula, proteínas vitelínicas, e faseolinas, bem como as histonas, RNA ribossômico, e genes de RNA de transferência. Os últimos três são exemplos de genes repetidos, onde centenas de genes idênticos estão presentes e ordenados em fila.Fatores de Transcrição: Substâncias endógenas, usualmente proteínas, que são efetivas na iniciação, estimulação ou terminação do processo de transcrição genética.Clonagem Molecular: Inserção de moléculas de DNA recombinante de origem procariótica e/ou eucariótica em um veículo replicante, tal como um plasmídeo ou vírus vetores, e a introdução das moléculas híbridas resultantes em células receptoras, sem alterar a viabilidade dessas células.Pólen: Elemento fertilizador de plantas que contém os GAMETÓFITOS masculinos.Fitocromo: Biliproteína azul-esverdeada amplamente distribuída no reino das plantas.Brassicaceae: Família de plantas (ordem Capparales, subclasse Dilleniidae, classe Magnoliopsida) predominantemente herbáceas com folhas de sabor apimentado devido à gluconapina (GLUCOSINOLATOS) e seu produto de hidrólise butenilisotiocianato. A família inclui muitas plantas de importância econômica que têm sido amplamente alteradas e domesticadas pelos humanos. As flores têm 4 pétalas e os frutos, tipo vagem, contêm várias sementes. Agrião é o termo genérico utilizado para muitas plantas da família Brassicacea. Agrião da Rocha, geralmente é ARABIS; Agrião-Bravo é CARDAMINE; Agrião-do-Brejo é RORIPPA, "pennycress" é THLASPI; Agrião-D'água refere-se ao NASTURTIUM, RORIPPA ou TROPAEOLUM; o Agrião-de-Horta refere-se ao LEPIDIUM e Agrião-do-México refere-se ao TROPAEOLUM.Cromossomos de Plantas: Estruturas complexas de nucleoproteínas que contêm o DNA genômico e parte delas estão no NÚCLEO CELULAR DE PLANTAS.Glucuronidase: Enzima que hidrolisa a ligação glicosídica na qual reside a função redutora do ácido glucurônico. Encontra-se em todos os tecidos animais, principalmente no fígado e no baço. Intervém na degradação do ácido hialurônico. A enzima glucuronidase beta hidrolisa seletivamente as ligações beta-glucosidurônicos e os grupos aril, acil ou álcool. (Tradução livre do original: Diccionario terminológico de ciencias médicas, Masson, 13a ed.)Tabaco: Gênero de plantas (família SOLANACEAE) cujos membros contêm NICOTINA (e outros produtos químicos biologicamente ativos) e cujas folhas secas são usadas para TABAGISMO.Fitocromo B: Proteína fotorregulatória de planta que existe sob duas formas reversivelmente conversíveis entre si pela LUZ. Em resposta à luz, desloca-se para o NÚCLEO CELULAR regulando a transcrição de genes alvo. O fitocromo B desempenha um papel importante para evitar a sombra de outras plantas e medeia a desestiolação da planta na luz vermelha.Imunidade Vegetal: Capacidade inerente ou induzida das plantas de resistir ou repelir ataques biológicos por patógenos.Perfilação da Expressão Gênica: Determinação do padrão de genes expresso ao nível de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA sob circunstâncias específicas ou em uma célula específica.Gravitropismo: Crescimento direcionado de organismos em resposta à gravidade. Nas plantas a raiz principal é positivamente gravitrópica (cresce para baixo) e o tronco principal é negativamente gravitrópico (cresce para cima), independentemente da posição em que eles são colocados. Acredita-se que o gravitropismo vegetal seja controlado por AUXINAS, substâncias de crescimento vegetal.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Fotoperíodo: Tempo de exposição diária à luz natural ou artificial a que um organismo está sujeito. Acredita-se que as respostas fotoperiódicas podem afetar o controle do equilíbrio energético e da termorregulação.DNA Complementar: DNA complementar de fita única sintetizado a partir de um molde de RNA pela ação da DNA polimerase dependente de RNA. O DNAc (DNA complementar, não DNA circular, não C-DNA) é utilizado numa variedade de experimentos de clonagem molecular assim como servem como uma sonda de hibridização específica.Escuridão: Ausência de luz.Feixe Vascular de Plantas: Feixe de tecido condutor primário que consiste essencialmente de XILEMA, FLOEMA e CÂMBIO.Brassinosteroides: Esteroides de plantas distribuídos ubiquamente ao longo do reino vegetal. Desempenham papéis essenciais na modulação do crescimento e diferenciação das células em concentrações que variam do nível nanomolar ao micromolar.Ecótipo: Variedade geográfica, população ou raça, dentro de uma espécie, que é geneticamente adaptada a um habitat em particular. Caracteristicamente, um ecotipo exibe diferenças fenotípicas mas é capaz de cruzar com outros ecotipos.Clorofila: Derivados de porfirina contendo magnésio que atuam para converter energia luminosa em organismos fotossintéticos.Estresse Fisiológico: Efeito desfavorável de fatores ambientais (estressores) sobre as funções fisiológicas de um organismo. O estresse fisiológico não resolvido e prolongado pode afetar a HOMEOSTASE do organismo, levando a perdas ou afecções.Fitocromo A: Primeiro fotoreceptor de planta responsável pela percepção e mediação das respostas à luz infra-vermelha. É uma PROTEÍNA-SERINA-TREONINA QUINASE translocada para o NÚCLEO CELULAR em resposta aos sinais luminosos.Protoplastos: Protoplasma e membrana plasmática de células de plantas, fungos, bactérias e arqueas sem PAREDE CELULAR.Técnicas do Sistema de Duplo-Híbrido: Primeiras técnicas de blindagem desenvolvidas em leveduras para identificar genes que codificam proteínas de interação. As variações são usadas para avaliar interações entre proteínas e outras moléculas. Técnicas de dois híbridos referem-se à análise de interações de proteína-proteína, e as de um e três híbridos, referem-se à análise de interações DNA-proteína e RNA-proteína (ou interações baseadas em ligantes), respectivamente. Técnicas reversas de n híbridos referem-se à análise de mutações ou outras moléculas pequenas que dissociam interações conhecidas.Antocianinas: Grupo de FLAVONOIDES derivados dos FLAVONÓIS que perdeu o oxigênio cetônico na posição 4. São versões glicosiladas de cianidina, pelargonidina ou delfinidina. As ligações conjugadas resultam nas cores azul, vermelho e roxo das flores das plantas.Secas: 1) Períodos secos prolongados no ciclo climático natural. São fenômenos de estabelecimento demorado causado por deficiência de chuva, combinada com outros fatores de predisposição. (MeSH) 2) Níveis insuficientes de chuva que resultam em escassez da água afetando o bem estar econômico e físico de uma comunidade (REPIDISCA). 3) Ausência prolongada, deficiência acentuada ou fraca distribuição de precipitação. 4) Período de tempo seco, suficientemente prolongado, para que a falta de precipitação provoque grave desequilíbrio hidrológico (Ministério da Ação Social, Brasília, 1992). 5) Período de deficiência de umidade no solo, de tal forma que não existe a água necessária para plantas, animais e seres humanos.Resistência à Doença: Capacidade de um organismo de se defender de processos mórbidos ou dos agentes destes processos. Na maioria das vezes, envolve a imunidade inata por meio da qual o organismo responde a patógenos de uma forma genérica. O termo resistência a doenças é usado mais frequentemente para os vegetais.Inflorescência: Agrupamento de FLORES (em oposição a uma flor solitária) organizado em uma haste principal da planta.Oomicetos: Eucariotos no grupo dos ESTRAMENÓPILAS, anteriormente consideradas FUNGOS, cujo nível taxonômico preciso não foi definido. Muitos consideram os Oomycetes (Oomycota) um filo do reino Stramenopila ou, alternativamente, como Pseudofungi no filo Heterokonta do reino Chromista. São morfologicamente similares aos fungos, mas não possuem relação filogenética próxima com eles. Os oomicetos são encontrados tanto em água doce, salgada e em ambientes terrestres. (Tradução livre do original: Alexopoulos et al., Introductory Mycology, 4th ed, pp683-4). Produzem esporos flagelados e móveis (zooesporos) que são patogênicos a várias plantas cultivadas e PEIXES.Óvulo Vegetal: Elemento nas plantas que contém os GAMETÓFITOS femininos.Brassica: Gênero de plantas da família das Crucíferas. Contém muitas espécies e variedades cultivadas usadas na alimentação, incluindo repolho, couve-flor, brócolis, couve-de-Bruxelas, couve, vegetais verdes, MOSTARDEIRA; (B. alba, B. juncea, and B. nigra), nabo (BRASSICA NAPUS) e canola (BRASSICA RAPA).Tolerância a Sal: Habilidade de organismos de sentir e se adaptar a altas concentrações de sal em seu ambiente.Fototropismo: Crescimento direcional de organismos em resposta à luz. Os brotos aéreos das plantas geralmente crescem para a luz. Acredita-se que a resposta fototrópica seja controlada por auxina (= AUXINAS), uma substância de crescimento vegetal.Mapeamento Cromossômico: Qualquer método utilizado para determinar a localização das distâncias relativas entre genes em um cromossomo.Fotossíntese: Síntese, por organismos, de compostos químicos orgânicos, especialmente carboidratos, a partir do dióxido de carbono usando a energia proveniente da luz em vez da oxidação dos compostos químicos. A fotossíntese é composta por dois processos distintos: as reações na luz e as reações no escuro. Nas plantas superiores, ALGAS VERDES e CIANOBACTÉRIAS, o NADPH e ATP formados pelas reações na luz dirigem a as reações que ocorrem no escuro, resultando na fixação do dióxido de carbono. (Tradução livre do original: Oxford Dictionary of Biochemistry and Molecular Biology, 2001)Esteroides Heterocíclicos: Compostos esteroides nos quais um ou mais átomos de carbono no sistema de anel esteroide foram substituídos com átomos não carbônicos.Tubo Polínico: Crescimento de um grão de pólen para baixo e para o interior do estilete da flor; este permite que duas espermátides passem: uma para o ovo, dentro do ÓVULO, e a outra para a célula central do óvulo, produzindo endosperma em SEMENTES.Regulação da Expressão Gênica no Desenvolvimento: Qualquer [um] dos processos pelo qual os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem sobre o controle diferencial da ação gênica durante as fases de desenvolvimento de um organismo.Proteínas Recombinantes de Fusão: Proteínas recombinantes produzidas pela TRADUÇÃO GENÉTICA de genes fundidos formados pela combinação de SEQUÊNCIAS REGULADORAS DE ÁCIDOS NUCLEICOS de um ou mais genes com as sequências codificadoras da proteína de um ou mais genes.Regiões Promotoras Genéticas: Sequências de DNA reconhecidas (direta ou indiretamente) e ligadas por uma RNA polimerase dependente de DNA durante a iniciação da transcrição. Sequências altamente conservadas dentro do promotor incluem a caixa de Pribnow nem bactérias e o TATA BOX em eucariotos.Botrytis: Gênero fúngico de Leotiales mitospóricos que são patógenos de plantas. Possui teleomorfos no gênero Botryotina.Tilacoides: Cisternas membranosas do CLOROPLASTO que contêm os pigmentos fotossintéticos, os centros de reação e a cadeia de transporte de elétrons. Cada tilacoide consiste de um saco achatado de membrana encerrando um estreito espaço intra-tilacoide (Tradução livre do original: Lackie and Dow, Dictionary of Cell Biology, 2nd ed). Os tilacoides individuais se conectam entre si e tendem a empilhar-se para formar agregados denominados grana. Eles são encontrados em cianobactérias e em todas as plantas.Primers do DNA: Sequências curtas (geralmente em torno de 10 pares de bases) de DNA que são complementares à sequência do RNA mensageiro e permite a transcriptase reversa, copiando as sequências adjacentes de RNAm. Os primers são utilizados largamente em técnicas de biologia molecular e genética.Plantas: Formas de vida eucarióticas e multicelulares do reino Plantae (lato sensu), compreendendo VIRIDIPLANTAE, RODÓFITAS e GLAUCÓFITAS, todas as quais obtiveram cloroplastos por endossimbiose direta com CIANOBACTÉRIAS. São caracterizadas por modo de nutrição predominantemente fotossintético; crescimento essencialmente ilimitado em certas regiões de divisão celular localizadas (MERISTEMA); celulose no interior das células que confere rigidez, ausência de órgãos de locomoção, ausência de sistemas nervoso e sensorial e alternância entre gerações haploides e diploides.Criptocromos: Flavoproteínas que funcionam como proteínas sinalizadoras de ritmo circadiano em ANIMAIS e como fotorreceptores de luz azul (440-490nm) em PLANTAS. São estruturalmente relacionadas a DNA FOTOLIASE e acredita-se que ambas as classes de proteínas devem ter se originado de uma proteína ancestral que teve um papel na proteção de organismos primitivos à exposição cíclica aos RAIOS ULTRAVIOLETA.Aclimatação: Adaptação a um novo ambiente ou a uma transformação [ocorrida] na velha.Células do Mesofilo: Células grandes e altamente vacuolizadas que possuem muitos cloroplastos e que ocorrem na parte interior de uma seção transversal das folhas, justapostas entre as camadas (abaxial e adaxial) epidérmicas.Temperatura Baixa: [Sensação de] ausência de [uma fonte de energia que transmita] calor, [decorrente da exposição prolongada a ambiente cuja] temperatura está muito abaixo de uma norma usual.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Cloreto de Sódio: Sal de sódio ubíquo que é comumente usado para temperar comida.Transporte Proteico: Processo de movimento de proteínas de um compartimento celular (incluindo extracelular) para outro por várias separações e mecanismos de transporte, tais como transporte de comporta, translocação proteica e transporte vesicular.Proteínas de Cloroplastos: Proteínas codificadas pelo GENOMA DE CLOROPLASTOS ou proteínas codificadas pelo genoma nuclear que são importadas para os CLOROPLASTOS, lá permanecendo.Proteínas de Fluorescência Verde: Análogos e derivados proteicos da proteína fluorescente verde da [água viva] Aequorea victoria que emitem luz (FLUORESCÊNCIA) quando excitados com RAIOS ULTRAVIOLETA. São usadas em GENES REPÓRTER em procedimentos de TÉCNICAS GENÉTICAS. Numerosos mutantes têm sido fabricados para emitir outras cores ou ser sensíveis ao pH.Sequência Conservada: Sequência de aminoácidos em um polipeptídeo ou de nucleotídeos no DNA ou RNA que é semelhante em múltiplas espécies. Um grupo conhecido de sequências conservadas é representado por uma SEQUÊNCIA CONSENSO. Os MOTIVOS DE AMINOÁCIDOS são frequentemente compostos de sequências conservadas.Análise de Sequência de DNA: Processo de vários estágios que inclui clonagem, mapeamento físico, subclonagem, determinação da SEQUÊNCIA DE DNA e análise de informação.Floema: Tecido vegetal que transporta nutrientes, especialmente sucrose, por meio da pressão de turgor. O movimento é bidirecional, em contraste ao XILEMA, no qual o transporte ocorre somente para cima. O floema se origina e cresce externamente a partir das células meristemáticas (MERISTEMA) no câmbio vascular. As proteínas P, um tipo de LECTINAS caracteristicamente são encontradas no floema.Aminoácidos Cíclicos: Classe de aminoácidos caracterizados por uma estrutura em anel fechado.Infertilidade das Plantas: Incapacidade das PLANTAS para completar a fertilização e obter SEMENTES como resultado de PÓLEN ou óvulos defeituosos, ou outras aberrações. (Tradução livre do original: Dict. of Plant Genet. and Mol. Biol., 1998)Modelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Técnicas de Inativação de Genes: Técnicas para alterar uma sequência gênica que resultam em um gene inativo ou um gene cuja expressão pode ser inativada em um momento escolhido durante o desenvolvimento a fim de estudar a perda da função gênica.Parede Celular: Camada mais externa de uma célula na maioria das PLANTAS, BACTÉRIAS, FUNGOS e ALGAS. Geralmente é uma estrutura rígida externa à MEMBRANA CELULAR, e oferece uma barreira protetora contra agentes físicos e químicos.Regulação Enzimológica da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica na síntese enzimática.Alelos: Formas variantes do mesmo gene, ocupando o mesmo locus em CROMOSSOMOS homólogos e governando as variantes na produção do mesmo produto gênico.Evolução Molecular: Processo de mudanças cumulativas em relação ao DNA, RNA e PROTEÍNAS, ao longo de sucessivas gerações.Análise de Sequência com Séries de Oligonucleotídeos: Hibridização de uma amostra de ácido nucleico em um grupo muito grande de SONDAS DE OLIGONUCLEOTÍDEOS, ligadas individualmente a colunas e fileiras de um suporte sólido, para determinar a SEQUÊNCIA DE BASES ou detectar variações em uma sequência gênica, na EXPRESSÃO GÊNICA ou para MAPEAMENTO GENÉTICO.Zeatina: Fator de aminopurina em extratos vegetais que induz a divisão celular.Estrutura Terciária de Proteína: Nível de estrutura proteica em que estruturas das proteínas secundárias (alfa hélices, folhas beta, regiões de alça e motivos) se combinam dando origem a formas dobradas denominadas domínios. Pontes dissulfetos entre cisteínas em duas partes diferentes da cadeia polipeptídica juntamente com outras interações entre as cadeias desempenham um papel na formação e estabilização da estrutura terciária. As proteínas pequenas, geralmente são constituídas de um único domínio, porém as proteínas maiores podem conter vários domínios conectados por segmentos da cadeia polipeptídica que perdeu uma estrutura secundária regular.Lycopersicon esculentum: Espécie de plantas (família SOLANACEAE) nativas da América do Sul, amplamente cultivadas por seu fruto, geralmente vermelho, carnudo e comestível. Também são usadas como medicamento homeopático.Plantas Tolerantes a Sal: Plantas que conseguem crescer bem em solos que contenham alta salinidade.Adaptação Fisiológica: Mudanças biológicas não genéticas de um organismo em resposta a exigências do MEIO AMBIENTE.Fenômenos Fisiológicos Vegetais: Processos, propriedades e estados fisiológicos característicos das plantas.Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa: Variação da técnica de PCR na qual o cDNA é construído do RNA através de uma transcrição reversa. O cDNA resultante é então amplificado utililizando protocolos padrões de PCR.Células Vegetais: Unidade funcional básica das plantas.Amido: Qualquer um do grupo de polissacarídeos de fórmula geral (C6-H10-O5)n, compostos por um polímero de cadeia longa de glucose na forma de amilose e amilopectina. É a principal forma de armazenamento de reserva energética (carboidratos) em plantas.Ceras: Substância plástica depositada por insetos ou obtida de plantas. As ceras são ésteres de vários ácidos graxos com álcoois superiores geralmente monoídricos. A cera de farmácia é principalmente cera amarela (cera de abelha), o material do qual é feito o favo de mel. Esta consiste principalmente de ácido cerótico e miricina, sendo usada para fazer pomadas, ceratos etc. Quando a cera amarela é descorada, torna-se branca. (Dorland, 28a ed)Colestanóis: Colestanos substituídos em qualquer posição com um ou mais grupos hidroxila. São encontrados nas fezes e na bile. Ao contrário dos ácidos e sais biliares, não são reabsorvidos.Células Germinativas Vegetais: Células reprodutivas das plantas.Transformação Genética: Troca causada na composição genética do organismo, por meio de uma transferência unidirecional (TRANSFECÇÃO, TRADUÇÃO GENÉTICA, CONJUGAÇÃO GENÉTICA, etc.) e incorporação de DNA estranho dentro de células procarióticas ou eucarióticas por recombinação de parte ou de todo aquele DNA para dentro do genoma da célula.Transcrição Genética: Biossíntese de RNA realizada a partir de um molde de DNA. A biossíntese de DNA a partir de um molde de RNA é chamada de TRANSCRIÇÃO REVERSA.Fatores de Transcrição de Zíper de Leucina Básica: Superfamília grande de fatores de transcrição contendo uma região rica em resíduos de AMINOÁCIDOS BÁSICOS seguidos por um domínio ZÍPER DE LEUCINA.Vacúolos: Qualquer dos espaços ou cavidades no interior de uma célula. Os vacúolos podem funcionar na digestão, armazenamento, secreção ou excreção.Ligação Proteica: Processo pelo qual substâncias endógenas ou exógenas ligam-se a proteínas, peptídeos, enzimas, precursores proteicos ou compostos relacionados. Medidas específicas de ligantes de proteínas são usadas frequentemente como ensaios em avaliações diagnósticas.Populus: Gênero de plantas (família SALICACEAE) cujo nome vulgar 'Bálsamo de Gilead' é usado para 'P. candicans', 'P. gileadensis', ou ainda, 'P. jachii', além de, algumas vezes, também ser usado para ABIES BALSAMEA ou para COMMIPHORA.Xilema: Tecido vegetal que transporta água para cima (da raiz para o caule). As paredes celulares do xilema são originadas, em sua maioria, de LIGNINA. Os vasos são similares aos tubos perfurados do FLOEMA, mas perderam as células companheiras e não possuem os lados perfurados e nem poros.Caulimovirus: Gênero de VÍRUS DE PLANTAS (família CAULIMOVIRIDAE) transmitidos por AFÍDEOS de modo semipersistente. A transmissão de alguns caulimovirus por afídeos requer certas proteínas codificadas por vírus, denominadas fatores de transmissão.Glucanas: Polissacarídeos compostos de unidades repetidas de glicose. Podem consistir em cadeias ramificadas ou não ramificadas em quaisquer ligações.Ftalimidas: Imidas dos ácidos ftálicos.Cebolas: Plantas herbáceas bianuais e seus bulbos comestíveis, que pertencem às liliáceas (LILIACEAE).Alternaria: Gênero fúngico de Loculoascomicetos mitospóricos, incluindo diversos patógenos de plantas e ao menos uma espécie que produz antibiótico altamente fitotóxico. Seu teleomorfo é Lewia.Inativação Gênica: Interrupção ou supressão da expressão de um gene nos níveis transcricionais ou traducionais.Expressão Gênica: Manifestação fenotípica de um gene (ou genes) pelos processos de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA e TRADUÇÃO GENÉTICA.Gametogênese Vegetal: Processo do desenvolvimento das células germinativas em plantas, das CÉLULAS GERMINATIVAS VEGETAIS até os GAMETAS VEGETAIS haploides maduros.Ácidos Naftalenoacéticos: Derivados do naftaleno contendo o radical -CH2CCO2H na posição 1, posição 2, ou ambas. Os compostos são usados como reguladores do crescimento vegetal para retardar a germinação, exercer controle de ervas daninhas, diminuir o fruto, etc.Proteínas de Ligação a DNA: Proteínas que se ligam ao DNA. A família inclui proteínas que se ligam às fitas dupla e simples do DNA e também inclui proteínas de ligação específica ao DNA no soro, as quais podem ser utilizadas como marcadores de doenças malignas.Topos Floridos: Topo das plantas com flores (incluindo caules, folhas e florescências).Pectinas: Polissacarídeos de alta massa molecular presentes na parede celular de todas as plantas. As pectinas unem as paredes celulares. São usadas como emulsificantes e estabilizantes na indústria alimentícia. Têm sido testadas para uma variedade de usos terapêuticos, inclusive como agentes antidiarreicos (em que geralmente não são mais consideradas efetivas), e no tratamento da hipercolesterolemia.Zea mays: Espécie de planta da família POACEAE. É uma gramínea alta cultivada por seu GRÃO COMESTÍVEL e utilizada como alimento para consumo humano e animal.Endosperma: Tecido nutritivo das sementes de angiospermas que envolve os EMBRIÕES. É produzido por um processo paralelo de fertilização em que um segundo gameta masculino do grão de pólen se fusiona a dois núcleos femininos dentro do saco embrionário. O endosperma varia em ploidia e contém reservas de amido, óleos e proteínas, o que o configura como uma fonte nutricional importante para o ser humano.Galactolipídeos: Grupo de GLICOLIPÍDEOS no qual o grupo açúcar é a GALACTOSE. Diferem dos GLICOESFINGOLIPÍDEOS pela ausência de nitrogênio. São os componentes principais dos LIPÍDEOS DA MEMBRANA em PLANTAS.Cruzamentos Genéticos: Reprodução deliberada de dois indivíduos diferentes, que resulta em descendentes que transportam parte do material genético de cada um dos pais. Os progenitores devem ser geneticamente compatíveis e podem ser de diferentes variedades ou de espécies estreitamente relacionadas.Modelos Genéticos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a atividade de processos ou fenômenos genéticos. Envolvem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Glucosiltransferases: Enzimas que catalisam a transferência de glucose de um nucleosídeo difosfato glucose a uma molécula aceptora que é frequentemente um outro carboidrato. EC 2.4.1.-.Etiquetas de Sequências Expressas: Sequências parciais de cDNA (DNA COMPLEMENTAR) que são únicas aos cDNAs dos quais são derivadas.Sacarose: Dissacarídeo não redutor composto por GLUCOSE e FRUTOSE ligados por intermédio dos seus carbonos anoméricos. É obtido comercialmente da Cana-de-Açúcar, beterraba (BETA VULGARIS) e outras plantas. É amplamente utilizado como alimento e adoçante.Duplicação Gênica: Processos que ocorrem em vários organismos, pelos quais novos genes são copiados. A duplicação gênica pode resultar em uma FAMÍLIA MULTIGÊNICA, em supergenes ou PSEUDOGENES.Transporte Biológico: Movimento de materiais (incluindo substâncias bioquímicas e drogas) através de um sistema biológico no nível celular. O transporte pode ser através das membranas celulares e camadas epiteliais. Pode também ocorrer dentro dos compartimentos intracelulares e extracelulares.Microscopia Eletrônica de Varredura: Microscopia em que o objeto é examinado diretamente por uma varredura de feixe de elétrons na amostra ponto-a-ponto. A imagem é construída por detecção de produtos de interação da amostra que são projetados acima do seu plano como elétrons dispersos no plano oposto. Embora a MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO também varra ponto-a-ponto a amostra com o feixe de elétrons, a imagem é construída pela detecção de elétrons, ou de seus produtos de interação que são transmitidos através do plano da amostra, formando desta maneira, a MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO.DNA Bacteriano: Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético de bactérias.Proteínas Recombinantes: Proteínas preparadas através da tecnologia de DNA recombinante.Salinidade: Grau de conteúdo salino, que é basicamente a CONCENTRAÇÃO OSMOLAR de CLORETO DE SÓDIO mais quaisquer outros SAIS presentes. É um fator ecológico de considerável importância, que influencia os tipos de organismos que vivem em um MEIO AMBIENTE.Peronospora: Gênero de OOMICETOS da família Peronosporaceae. A maioria das espécies é parasita obrigatório e muitos são patógenos de plantas.Relógios Circadianos: Mecanismo biológico que controla o RITMO CIRCADIANO. O relógio circadiano existe na forma mais simples em Cianobactérias e em sistemas mais complexos nos fungos, plantas e animais. Em humanos, o sistema inclui as CÉLULAS GANGLIONARES DA RETINA e o NÚCLEO SUPRAQUIASMÁTICO que age como o oscilador (marca-passo) central.Ácido 2,4-Diclorofenoxiacético: Herbicida com efeitos irritantes no olho e sistema gastrointestinal.Proteínas de Membrana Transportadoras: Proteínas de membrana cuja função primária é facilitar o transporte de moléculas através da membrana biológica. Incluídas nesta ampla categoria estão as proteínas envolvidas no transporte ativo (TRANSPORTE BIOLÓGICO ATIVO), transporte facilitado e CANAIS IÔNICOS.Imunidade Inata: Capacidade de um organismo normal permanecer não infectado por microrganismos e suas toxinas. Resulta da presença de ANTI-INFECCIOSOS que ocorrem naturalmente, fatores constitucionais, como TEMPERATURA CORPORAL, e células do sistema imunitário que agem prontamente, tais como as CÉLULAS MATADORAS NATURAIS.Proteínas Quinases: Família de enzimas que catalisam a conversão de ATP e uma proteína a ADP e uma fosfoproteína.Fotorreceptores de Plantas: Proteínas vegetais que medeiam a TRANSDUÇÃO DE SINAL LUMINOSO. Estão envolvidas em FOTOTROPISMO e outras respostas adaptativas à luz durante o crescimento e desenvolvimento da planta. Incluem as fototropinas, os fitocromos (FITOCROMO) e membros da família ubíqua de criptocromos.Xilanos: Polissacarídeos constituídos de unidades de xilose.Saccharomyces cerevisiae: Espécie do gênero SACCHAROMYCES (família Saccharomycetaceae, ordem Saccharomycetales) conhecida como levedura "do pão" ou "de cerveja". A forma seca é usada como suplemento dietético.Ervilhas: Vinha leguminosa anual variável (Pisum sativum), que é cultivada por suas sementes arredondadas, lisas ou rugosas, que são comestíveis e ricas em proteína, a semente da ervilha e as vagens imaturas com suas sementes incluídas.Desenvolvimento Vegetal: Processos orquestrados ou dirigidos por uma grande quantidade de genes, hormônios vegetais e mecanismos inerentes de cronometragem biológica facilitados por moléculas secundárias, que resultam na transformação sistemática de plantas e partes de plantas, de um estágio de maturação para outro.Núcleo Celular: Corpo, limitado por uma membrana, localizado no interior das células eucarióticas. Contém cromossomos e um ou mais nucléolos (NUCLÉOLO CELULAR). A membrana nuclear consiste de uma membrana dupla que se apresenta perfurada por certo número de poros; e a membrana mais externa continua-se com o RETÍCULO ENDOPLÁSMICO. Uma célula pode conter mais que um núcleo.Proteínas de Homeodomínio: Proteínas encodificadas por genes "homeobox" (GENES, HOMEOBOX) que exibem similaridades estruturais a certas proteínas de ligação ao DNA de procariotos e eucariotos. Proteínas de homeodomínio estão envolvidas no controle da expressão gênica durante a morfogênese e desenvolvimento (REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA NO DESENVOLVIMENTO).Motivos de Aminoácidos: Componentes estruturais de proteínas comumente observados, formados por combinações simples de estruturas secundárias adjacentes. Uma estrutura comumente observada pode ser composta por uma SEQUÊNCIA CONSERVADA que pode ser representada por uma SEQUÊNCIA CONSENSO.Mutagênese: Processo de gerar MUTAÇÃO genética. Pode ocorrer espontaneamente ou ser induzido por MUTÁGENOS.Proteínas Nucleares: Proteínas encontradas no núcleo de uma célula. Não se deve confundir com NUCLEOPROTEÍNAS, que são proteínas conjugadas com ácidos nucleicos, que não estão necessariamente no núcleo.Complexo de Proteína do Fotossistema II: Grande complexo de proteínas com múltiplas subunidades encontrado nos TILACOIDES. Utiliza a energia luminosa derivada dos COMPLEXOS DE PROTEÍNAS CAPTADORES DE LUZ para catalisar o processamento da ÁGUA em dioxigênio e de equivalentes redutores de HIDROGÊNIO.Brassica rapa: Espécie de plantas cultivadas para obter as sementes usadas como ração animal e como uma fonte do óleo de canola para cozinha.Proteínas de Transporte: Proteínas de transporte que carreiam substâncias específicas no sangue ou através das membranas.Metabolismo dos Carboidratos: Processos celulares na biossíntese (anabolismo) e degradação (catabolismo) de CARBOIDRATOS.Peroxissomos: Microcorpos encontrados em células animais e vegetais e em certos fungos e protozoários. Contêm peroxidase, catalase e enzimas associadas.Dormência de Plantas: Estado ou falha em iniciar e completar o processo de crescimento, reprodução ou germinação de plantas ou estruturas vegetativas que seriam normais.Especificidade por Substrato: Aspecto característico [(dependência)] da atividade enzimática em relação ao tipo de substrato com o qual a enzima (ou molécula catalítica) reage.Componentes Aéreos da Planta: Parte da planta acima da terra (sem as raizes).Brassica napus: Espécie de plantas (família BRASSICACEAE) mais conhecidas pelas raizes comestíveis.Ritmo Circadiano: Recorrência regular, em ciclos de aproximadamente 24 horas, de processos ou atividades biológicas tais como sensibilidade a drogas e estímulos, secreção de hormônios, sono, alimentação.Angiospermas: Membros do grupo de plantas vasculares que possuem flores. São diferenciadas das GIMNOSPERMAS por sua produção de sementes dentro de câmaras (OVÁRIO VEGETAL). A divisão de Angiospermas é composta por duas classes: as monocotiledôneas (Liliopsida) e as dicotiledôneas (Magnoliopsida). As angiospermas representam aproximadamente 80 por cento de todas as plantas vivas conhecidas.Bryopsida: Classe de plantas, dentro de Bryophyta, que compreenda os musgos encontrados tanto em pântanos (incluindo de água doce) como em condições mais áridas. Os musgos possuem hastes cauloides (caulídeos) eretas ou prostradas sem folhas (musgos talosos), que dão origem a hastes sem folhas (setas) que sustentam cápsulas. Os esporos formados nas cápsulas são liberados e crescem produzindo novas plantas. (Tradução livre do original: Concise Dictionary of Biology, 1990). Na realidade, muitas plantas pequenas cujos nomes contêm a palavra 'musgo' não são musgos. O 'musgo' encontrado em árvores do lado norte (válido para o hemisfério norte; no hemisfério sul, estes 'musgos' se desenvolvem no lado sul) é na realidade uma alga verde (CLORÓFITAS). O musgo-da-Irlanda é, na verdade, uma alga vermelha (RODÓFITAS). O líquen em forma de barba (musgo do tipo barba), o musgo da Islândia, o musgo carvalho e o musgo rena são na realidade LÍQUENS. O musgo espanhol é um nome vulgar tanto para os LÍQUENS como para uma planta aérea (TILLANDSIA usneoides) da família do abacaxi (BROMELIACEAE). O licopódio é uma planta perene da família LYCOPODIACEAE.Transgenes: Genes introduzidos em um organismo empregando TÉCNICAS DE TRANSFERÊNCIA DE GENES.Transcriptoma: Padrão de EXPRESSÃO GÊNICA ao nível da transcrição gênica em um organismo específico ou sob determinadas condições em células específicas.Lignina: Polímero orgânico aromático natural mais abundante em todas as plantas vasculares. A lignina junto com a celulose e a hemicelulose são os principais componentes da parede celular das fibras de todas as madeiras e espécies de gramas. A lignina é composta por coniferil, p-comaril e álcoois sinapil em diferentes proporções em diversas espécies de plantas. (Tradução livre do original: Merck Index, 11th ed)Exsudatos de Plantas: Substância liberadas por PLANTAS, como GOMAS VEGETAIS e resinas vegetais.Ascorbato Peroxidases: Peroxidases que usam ÁCIDO ASCÓRBICO como doador de elétron para reduzir o PERÓXIDO DE HIDROGÊNIO em ÁGUA. Esta reação resulta na produção de ácido monodesidroascórbico e ÁCIDO DESIDROASCÓRBICO.Herbicidas: Pesticidas usados para destruir a vegetação indesejada, especialmente vários tipos de ervas daninhas, gramas (POACEAE) e plantas lenhosas. Algumas plantas desenvolvem RESISTÊNCIA A HERBICIDA.Especificidade da Espécie: Restrição de um comportamento característico, estrutura anatômica ou sistema físico, como resposta imunológica, resposta metabólica ou gene ou variante gênico dos membros de uma espécie. Refere-se às propriedades que diferenciam uma espécie de outra, mas também se usa para níveis filogenéticos superiores ou inferiores ao nível de espécie.Agrobacterium tumefaciens: Espécie de bactéria Gram-negativa, aeróbica isolada do solo, troncos, folhas e raizes de plantas. Alguns biótipos são patogênicos e causam a formação de TUMORES DE PLANTAS em uma grande variedade de plantas superiores. A espécie é uma das principais ferramentas usadas em biotecnologia.Hidroponia: Técnica de fazer crescer plantas em soluções de cultura no lugar do solo. As raizes são submergidas em uma solução arejada que contém as proporções corretas de sais minerais essenciais.FlavoproteínasVariação Genética: Diferenças genotípicas observadas entre indivíduos em uma população.Fitoquelatinas: Peptídeos de poliglutationas compostos por (Glu-Cys)n-Gli onde n assume um valor entre dois e sete. São biossintetizados pela glutationa gama-glutamilcisteiniltransferase e são encontrados em muitas PLANTAS, LEVEDURAS e algas. Removem METAIS PESADOS.