Ventrículos do Coração: Câmeras inferiores direita e esquerda do coração. O ventrículo direito bombeia SANGUE venoso para os PULMÕES e o esquerdo bombeia sangue oxigenado para a circulação arterial sistêmica.Miocárdio: Tecido muscular do CORAÇÃO. Composto de células musculares estriadas e involuntárias (MIÓCITOS CARDÍACOS) conectadas, que formam a bomba contrátil geradora do fluxo sanguíneo.Coração: Órgão muscular, oco, que mantém a circulação sanguínea.Frequência Cardíaca: Número de vezes que os VENTRÍCULOS CARDÍACOS se contraem por unidade de tempo, geralmente por minuto.Ventrículos Cerebrais: Quatro cavidades preenchidas com LÍQUIDO CEFALORRAQUIDIANO dentro dos hemisférios cerebrais (VENTRÍCULOS LATERAIS) na linha mediana (TERCEIRO VENTRÍCULO) e dentro da PONTE e o BULBO (QUARTO VENTRÍCULO).Terceiro Ventrículo: Fenda estreita localizada inferiormente ao CORPO CALOSO, dentro do DIENCÉFALO, entre os tálamos pareados. Seu assoalho é formado pelo HIPOTÁLAMO, sua parede anterior, pela lâmina terminal, e seu teto, pela EPÊNDIMA. Comunica-se com o QUARTO VENTRÍCULO pelo AQUEDUTO DO MESENCÉFALO, e com os VENTRÍCULOS LATERAIS, pelos forâmenes interventriculares.Quarto Ventrículo: Cavidade de formato irregular no ROMBENCÉFALO, localizada entre a MEDULA OBLONGA, a PONTE e o istmo na frente, e o CEREBELO atrás. É contínua ao canal central da medula abaixo e ao AQUEDUTO DO MESENCÉFALO acima e, através de suas aberturas lateral e mediana, comunica-se com o ESPAÇO SUBARACNÓIDEO.Insuficiência Cardíaca: Afecção heterogênea em que o coração é incapaz de bombear sangue suficiente para satisfazer as necessidades metabólicas do corpo. A insuficiência cardíaca pode ser causada por defeitos estruturais, anomalias funcionais (DISFUNÇÃO VENTRICULAR), ou uma sobrecarga súbita além de sua capacidade. A insuficiência cardíaca crônica é mais comum que a insuficiência cardíaca aguda que resulta de injúria repentina à função cardíaca, como INFARTO DO MIOCÁRDIO.Ventrículos Laterais: Cavidade localizada em cada um dos hemisférios cerebrais (ver CÉREBRO) derivada da cavidade do TUBO NEURAL embrionário. São separadas pelo SEPTO PELÚCIDO, e cada um se comunica com o TERCEIRO VENTRÍCULO pelo forame de Monro através do qual também os plexos coroides (PLEXO CORIÓIDEO) dos ventrículos laterais continua-se com o plexo do terceiro ventrículo.Cardiopatias Congênitas: Anormalidades do desenvolvimento relacionadas a estruturas do coração. Estes defeitos estão presentes ao nascimento, mas podem ser descobertos mais tarde na vida.Neoplasias do Ventrículo Cerebral: Neoplasias localizadas nos ventrículos cerebrais, incluindo os dois laterais, o terceiro e o quarto ventrículos. Os tumores ventriculares podem ser primários (ex., NEOPLASIAS DO PLEXO COROIDE e GLIOMA SUBEPENDIMAL), metástases de órgãos distantes ou ocorrer como extensão de tumores invasivos locais de estruturas cerebrais adjacentes.Cardiopatias: Afecções que envolvem o CORAÇÃO, inclusive anomalias estruturais e funcionais.Transplante de Coração: Transferência de um coração de um ser humano ou animal para outro.Coração Fetal: Coração existente de feto de qualquer animal vivíparo. Refere-se ao coração do período pós-embrionário e é diferenciado do coração embrionário (CORAÇÃO/embriologia) somente por uma questão temporal.Átrios do Coração: Câmaras do coração às quais o SANGUE circulante retorna.Contração Miocárdica: Atividade contrátil do MIOCÁRDIO.Valvas Cardíacas: Abas de tecido que impedem o refluxo de SANGUE dos VENTRÍCULOS CARDÍACOS para os ÁTRIOS DO CORAÇÃO, ou das artérias pulmonares (ou AORTA) para os ventrículos.Função Ventricular: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica dos VENTRÍCULOS CARDÍACOS.Função Ventricular Esquerda: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ventrículo cardíaco esquerdo. Sua medida é um aspecto importante na avaliação clínica dos pacientes com doença cardíaca para determinar os efeitos da doença sobre o desempenho cardíaco.Bloqueio Cardíaco: Condução prejudicada de impulso cardíaco que pode acontecer em qualquer lugar ao longo da via de condução, como entre NÓ SINOATRIAL e átrio direito (bloqueio SA) ou entre átrios e ventrículos (bloqueio AV). Os bloqueios cardíacos podem ser classificados pela duração, frequência, ou integralidade no bloqueio da condução. A reversibilidade depende do grau dos defeitos estruturais ou funcionais.Ecocardiografia: Registro ultrassônico do tamanho, movimentação e composição do coração e estruturas adjacentes. O acesso padrão é transtorácico.Hemodinâmica: Movimento e forças envolvidos no movimento do sangue através do SISTEMA CARDIOVASCULAR.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Testes de Função Cardíaca: Exames realizados para diagnosticar e tratar doenças do coração.Miócitos Cardíacos: Células do músculo estriado encontradas no coração. São derivadas dos mioblastos cardíacos (MIOBLASTOS CARDÍACOS).Septos Cardíacos: Esta estrutura inclui o septo interatrial muscular delgado entre os dois ÁTRIOS DO CORAÇÃO, e o septo interventricular muscular espesso, entre os dois VENTRÍCULOS DO CORAÇÃO.Cardiomegalia: Aumento do CORAÇÃO, geralmente indicado por uma proporção cardiotorácica acima de 0,50. O aumento do coração pode envolver os VENTRÍCULOS CARDÍACOS direito, esquerdo ou os ÁTRIOS DO CORAÇÃO. A cardiomegalia é um sintoma não específico observado em pacientes com INSUFICIÊNCIA CARDÍACA ou formas graves de CARDIOMIOPATIAS.Endocárdio: Camada mais interna do coração. É formada de células endoteliais.Função Ventricular Direita: Ação hemodinâmica e eletrofisiológica do ventrículo cardíaco direito (VENTRÍCULOS CARDÍACOS).Volume Sistólico: Quantidade de SANGUE bombeada para fora do CORAÇÃO por batimento. Não deve ser confundido com débito cardíaco (volume/tempo). É calculado como a diferença entre o volume diastólico final e o volume sistólico final.Isquemia Miocárdica: Transtorno da função cardíaca causado por fluxo sanguíneo insuficiente ao tecido muscular do coração. A diminuição do fluxo sanguíneo pode ser devido ao estreitamento das artérias coronárias (DOENÇA DA ARTÉRIA CORONARIANA), à obstrução por um trombo (TROMBOSE CORONARIANA), ou menos comum, ao estreitamento difuso de arteríolas e outros vasos pequenos dentro do coração. A interrupção grave do suprimento sanguíneo ao tecido miocárdico pode resultar em necrose do músculo cardíaco (INFARTO DO MIOCÁRDIO).