Receptor ErbB-2: Receptor epidérmico de proteína-tirosina quinase que é superexpresso em vários tipos de ADENOCARCINOMA. Possui grande homologia com os seguintes receptores, podendo se heterodimerizar eles: RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO, RECEPTOR ERBB-3 e o RECEPTOR ERBB-4. A ativação do receptor erbB-2 ocorre por meio da formação do heterodímero com membros da família de receptores erbB.Receptor ErbB-3: Receptor de superfície celular de proteína-tirosina quinase que é específico para NEURREGULINAS. Tem bastante homologia com o RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO e com o RECEPTOR DE ERBB-2, podendo se heterodimerizar com eles. A superexpressão do receptor erbB-3 está associada com tumorigênese.Neurregulinas: Família de peptídeos originalmente descobertas como fatores que estimulavam a fosforilação dos RECEPTORES ERBB-2. Múltiplas formas variantes de NEUREGULINAS ocorrem devido ao processamento alternativo de seus RNA mensageiros. As NEUREGULINAS incluem produtos de três genes conhecidos (NGR1, NGR2 e NGR3).Receptor do Fator de Crescimento Epidérmico: Receptor epidérmico envolvido na regulação de crescimento e diferenciação celular. É específico para o FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO e para peptídeos relacionados ao EGF, incluindo o FATOR TRANSFORMADOR DO CRESCIMENTO ALFA, ANFIRREGULINA, e o FATOR DE CRESCIMENTO SEMELHANTE A EGF DE LIGAÇÃO À HEPARINA. A união do ligante ao receptor causa ativação da sua atividade intrínseca de tirosina quinase, e à rápida internalização do complexo receptor-ligante para a célula.Genes erbB: Sequências de DNA (erbB) associadas a retrovirus, originalmente isoladas a partir de, ou relacionadas com, o vírus da eritroblastose de aves (AEV: Abrev. de Avian Erythroblastosis Virus). Estes genes codificam o receptor do fator de crescimento epidérmico (EGFR: Abrev. de Epidermal Growth Factor Receptor), família de receptores importante no controle da proliferação celular normal e na patogênese do câncer humano. Os genes incluem erbB-1 (GENES ERBB-1), erbB-2 (GENES ERBB-2) e erbB-3, todos os quais mostram anomalias de expressão em várias neoplasias humanas.Neuregulina-1: Fator peptídeo originalmente identificado pela sua habilidade de estimular a fosforilação do receptor erbB-2 (RECEPTOR ERBB-2). É um ligante do receptor erbB-3 (RECEPTOR ERBB-3) e o receptor erbB-4. Formas variantes de NEUREGULINA-1 ocorrem devido ao splicing alternativo de seus RNA mensageiros.Neoplasias da Mama: Tumores ou câncer da MAMA humana.Genes erbB-1: O proto-oncogene c-erbB-1 codifica o receptor do fator de crescimento epidérmico. Seu nome se origina do homólogo v-erbB viral que foi isolado a partir de um vírus da eritroblastose aviária (AEV), onde foi encontrado como um fragmento do gene c-erbB-1 de galinha, sem o domínio de ligação-ligante amino terminal. A superexpressão dos genes erbB-1 ocorre em uma ampla gama de tumores, geralmente em carcinomas escamosos de vários sítios e, menos comumente, em adenocarcinomas. O gene c-erbB-1 humano está localizado na região cromossômica 7p14 e 7p12.Fator de Crescimento Epidérmico: Fator de crescimento polipeptídico de 6 kDa descoberto inicialmente nas glândulas submaxilares de camundongo. O fator de crescimento epidérmico humano foi isolado originalmente a partir da urina baseado na sua capacidade de inibir a secreção gástrica e foi denominado urogastrona. O fator de crescimento epidérmico exerce uma grande variedade de efeitos biológicos, incluindo a promoção da proliferação e diferenciação de células mesenquimais e CÉLULAS EPITELIAIS. É sintetizado como uma proteína transmembrana que pode ser clivada, liberando uma forma ativa solúvel.Proteínas Proto-Oncogênicas: Produtos dos proto-oncogenes. Normalmente eles não possuem propriedade oncogênicas ou transformadoras, mas estão envolvidas na regulação ou diferenciação do crescimento celular. Geralmente possuem atividade de proteína quinase.Células Tumorais Cultivadas: Células provenientes de tecido neoplásico cultivadas in vitro. Se for possível estabelecer estas células como LINHAGEM CELULAR TUMORAL, elas podem se propagar indefinidamente em cultura de células.Genes bcl-1: Genes da leucemia/linfoma-1 da célula B associados com várias neoplasias, quando superexpressos. A superexpressão resulta da translocação do t(11;14), característico dos linfomas de células B derivados da zona do manto. O gene humano c-bcl-1 está localizado no 11q13, no braço longo do cromossomo 11.Amplificação de Genes: Aumento seletivo no número de cópias de um gene codificado por uma proteína específica sem um aumento proporcional nos outros genes. Ocorre naturalmente através da excisão de uma cópia da sequência repetida do cromossomo e sua replicação extracromossômica em um plasmídeo, ou através da produção de um transcrito de RNA de uma sequência inteira de repetições do RNA ribossômico, seguido pela transcrição reversa da molécula para produzir uma cópia adicional da sequência de DNA original. Técnicas de laboratório foram introduzidas para induzir uma replicação desproporcional por cruzamento desigual, captação do DNA de células lisadas ou geração de sequências extracromossômicas da replicação de circunferências primitivas.Proteínas Oncogênicas v-erbB: Proteínas transformadoras codificadas por oncogenes erbB a partir do vírus da eritroblastose aviária. A proteína é uma forma truncada do receptor de EGF (RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO), cujo domínio de quinase é ativado constitutivamente por deleção do domínio de ligação do ligante.Glicoproteínas: Compostos conjugados proteína-carboidrato que incluem mucinas, mucoides e glicoproteínas amiloides.Fosforilação: Introdução de um grupo fosfato em um composto [respeitadas as valências de seus átomos] através da formação de uma ligação éster entre o composto e um grupo fosfato.Neoplasias Mamárias Experimentais: Neoplasias mamárias experimentalmente induzidas em animais para estabelecer um modelo para estudo das NEOPLASIAS MAMÁRIAS em humanos.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Divisão Celular: Fissão de uma CÉLULA. Inclui a CITOCINESE quando se divide o CITOPLASMA de uma célula e a DIVISÃO DO NÚCLEO CELULAR.Células 3T3: Linhagens de células cujo procedimento original de crescimento consistia em serem transferidas (T) a cada 3 dias e plaqueadas a 300.000 células por placa (de Petri). Linhagens foram desenvolvidas usando várias cepas diferentes de camundongos. Tecidos são normalmente fibroblastos derivados de embriões de camundongos, mas outros tipos e fontes também já foram desenvolvidos. As linhagens 3T3 são valiosos sistemas hospedeiros para estudos, in vitro, de transformação de vírus oncogênicos, uma vez que as células 3T3 possuem alta sensibilidade a INIBIÇÃO DE CONTATO.Tirosina: Aminoácido não essencial. Em animais, é sintetizada a partir da FENILALANINA. Também é o precursor da EPINEFRINA, HORMÔNIOS TIREÓIDEOS e melanina.Dimerização: Processo pelo qual duas moléculas da mesma composição química formam um produto de condensação ou polímero.Transfecção: Captação de DNA simples ou purificado por CÉLULAS, geralmente representativo do processo da forma como ocorre nas células eucarióticas. É análogo à TRANSFORMAÇÃO BACTERIANA e ambos são rotineiramente usados em TÉCNICAS DE TRANSFERÊNCIA DE GENES.Fosfotirosina: Aminoácido presente em proteínas endógenas. A fosforilação e desfosforilação da tirosina desempenham um papel na transdução de sinal celular e, possivelmente, no controle do crescimento celular e carcinogênese.Proteínas Tirosina Quinases: Proteínas quinases que catalisam a FOSFORILAÇÃO dos resíduos da TIROSINA nas proteínas com ATP ou outros nucleotídeos, como os doadores de fosfato.Anticorpos Monoclonais: Anticorpos produzidos porum único clone de células.Proto-Oncogenes: Genes celulares normais homólogos aos oncogenes virais. Os produtos dos proto-oncogenes são reguladores importantes de processos biológicos, e parecem estar envolvidos nos eventos que servem para manter o progresso ordenado ao longo do ciclo celular. Os proto-oncogenes têm nomes com a forma c-onc.Proteínas Recombinantes de Fusão: Proteínas recombinantes produzidas pela TRADUÇÃO GENÉTICA de genes fundidos formados pela combinação de SEQUÊNCIAS REGULADORAS DE ÁCIDOS NUCLEICOS de um ou mais genes com as sequências codificadoras da proteína de um ou mais genes.Regulação para Baixo: Efeito controlador negativo sobre os processos fisiológicos nos níveis molecular, celular ou sistêmico. No nível molecular, os principais sítios regulatórios incluem os receptores de membrana, genes (REGULAÇÃO DA EXPRESSÃO GÊNICA), RNAm (RNA MENSAGEIRO) e proteínas.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Regulação Neoplásica da Expressão Gênica: Qualquer dos processos pelos quais fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica no tecido neoplásico.Ligantes: Moléculas que se ligam a outras moléculas. O termo é usado especialmente para designar uma pequena molécula que se liga especificamente a uma molécula maior, e.g., um antígeno que se liga a um anticorpo, um hormônio ou neurotransmissor que se liga a um receptor, ou um substrato ou efetor alostérico que se liga a uma enzima. Ligantes são também moléculas que doam ou aceitam um par de elétrons, formando uma ligação covalente coordenada com o átomo metálico central de um complexo de coordenação. (Dorland, 28a ed)Integrina alfa6beta4: Esta integrina é um componente chave dos HEMIDESMOSSOMOS e necessária para sua formação e manutenção em células epiteliais. A integrina alfa6beta4 também é encontrada nos timócitos, fibroblastos e células de Schwann, onde as funções de receptor de laminina (RECEPTORES DE LAMININA) está envolvida em cicatrização de feridas, migração celular e tumores não agressivos.Transformação Celular Neoplásica: Alterações celulares manifestadas pela evasão aos mecanismos de controle, aumento do potencial de crescimento populacional (proliferação), alterações na superfície celular, anormalidades cariotípicas, desvios bioquímicos e morfológicos da norma e outros atributos que conferem a habilidade de invadir, metastatizar e matar.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Quinonas: Anéis de hidrocarbonetos que contêm duas partes cetona em qualquer posição. Podem ser substituídos em qualquer posição exceto nos grupos cetonas.Linhagem Celular Tumoral: Linhagem celular derivada de células tumorais cultivadas.Transplante de Neoplasias: Transplante experimental de neoplasias em animais de laboratório para fins de investigação.Fosfatidilinositol 3-Quinases: Fosfotransferases que catalisam a conversão de 1-fosfatidilinositol a 1-fosfatidilinositol 3-fosfato. Muitos membros desta classe de enzimas estão envolvidos na TRANSDUÇÃO DE SINAL MEDIADA POR RECEPTOR e na regulação do transporte de vesículas na célula. As fosfatidilinositol 3-quinases têm sido classificadas de acordo com a especificidade do substrato e com o modo de ação na célula.Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.Camundongos Nus: Camundongos mutantes homozigotos para o gene recessivo de "nudez" que não desenvolvem um timo. São úteis em estudos de tumor e estudos sobre resposta imune.Fator de Crescimento Transformador alfa: Proteína relacionada ao FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO encontrada em uma variedade de tecidos que incluem o EPITÉLIO e a DECÍDUA materna. É sintetizada como uma proteína transmembrana que pode ser clivada e liberar uma forma ativa solúvel que se liga ao RECEPTOR DO FATOR DE CRESCIMENTO EPIDÉRMICO.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Mitógenos: Substâncias que estimulam a mitose e a transformação de linfócitos. Inclui não só as substâncias associadas às LECTINAS, mas também substâncias dos estreptococos (associadas com estreptolisina S) e das linhagens de estafilococos produtores da toxina alfa. (Tradução livre do original: Stedman, 25a ed)Expressão Gênica: Manifestação fenotípica de um gene (ou genes) pelos processos de TRANSCRIÇÃO GENÉTICA e TRADUÇÃO GENÉTICA.Estrutura Terciária de Proteína: Nível de estrutura proteica em que estruturas das proteínas secundárias (alfa hélices, folhas beta, regiões de alça e motivos) se combinam dando origem a formas dobradas denominadas domínios. Pontes dissulfetos entre cisteínas em duas partes diferentes da cadeia polipeptídica juntamente com outras interações entre as cadeias desempenham um papel na formação e estabilização da estrutura terciária. As proteínas pequenas, geralmente são constituídas de um único domínio, porém as proteínas maiores podem conter vários domínios conectados por segmentos da cadeia polipeptídica que perdeu uma estrutura secundária regular.Ativação Enzimática: Conversão da forma inativa de uma enzima a uma que possui atividade metabólica. Este processo inclui 1) ativação por íons (ativadores), 2) ativação por cofatores (coenzimas) e 3) conversão de um precursor enzimático (pró-enzima ou zimógeno) a uma enzima ativa.Fator Intrínseco: Glicoproteína secretada pelas células das GLÂNDULAS GÁSTRICAS, necessária para a absorção de VITAMINA B12 (cianocobalamina). A deficiência do fator intrínseco leva a DEFICIÊNCIA DE VITAMINA B12 e ANEMIA PERNICIOSA.Proteínas Recombinantes: Proteínas preparadas através da tecnologia de DNA recombinante.Substâncias de Crescimento: Moléculas sinalizadoras que estão envolvidas no controle do crescimento e diferenciação celular.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Lactamas Macrocíclicas: LACTAMAS que formam compostos cíclicos de aproximadamente 1 a 3 dúzias de átomos.Peptídeos e Proteínas de Sinalização Intercelular: Proteínas e peptídeos regulatórios que são moléculas sinalizadoras envolvidas no processo de COMUNICAÇÃO PARÁCRINA. De modo geral, são fatores expressos em uma célula e cujos receptores alvos estão em outra célula vizinha. Diferem dos HORMÔNIOS pelo fato de suas ações serem locais e não à distância.Imunotoxinas: Conjugados semissintéticos de várias moléculas tóxicas, incluindo ISÓTOPOS RADIOATIVOS e toxinas de bactérias ou de plantas, com substâncias imunitárias específicas como IMUNOGLOBULINAS, ANTICORPOS MONOCLONAIS e ANTÍGENOS. O agente imunitário antitumoral ou antiviral transporta a toxina para o tumor ou para a célula infectada onde a toxina exerce seu efeito tóxico.Neoplasias Ovarianas: Tumores ou câncer de OVÁRIO. Estas neoplasias podem ser benignas ou malignas. São classificadas de acordo com o tecido de origem, como EPITÉLIO superficial, células endócrinas do estroma e CÉLULAS GERMINATIVAS totipotentes.Proteínas Adaptadoras da Sinalização Shc: Família de proteínas de sinalização adaptadoras que contêm DOMÍNIOS DE HOMOLOGIA SRC. Muitos membros desta família estão envolvidos na transmissão de sinais dos RECEPTORES DA SUPERFÍCIE CELULAR para as PROTEÍNAS QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENO.Inibidores Enzimáticos: Compostos ou agentes que se combinam com uma enzima de tal maneira a evitar a combinação substrato-enzima normal e a reação catalítica.Benzoquinonas: Anéis benzeno que contêm duas partes cetona em qualquer posição. Podem ser substituídos em qualquer posição exceto nos grupos cetonas.Trimestres da Gravidez: Três períodos aproximadamente iguais de uma GRAVIDEZ normal em humanos. Cada trimestre dura cerca de três meses ou 13 a 14 semanas dependendo de como é considerado o primeiro dia de gestação.Inibidores do Crescimento: Substâncias endógenas ou exógenas que inibem o crescimento normal de células humanas e animais ou microrganismos, distinguíveis daqueles que afetam o crescimento de plantas.Doença de Paget Extramamária: Neoplasia cutânea rara que ocorre em idosos. Desenvolve-se mais frequentemente em mulheres e envolve predominantemente áreas contendo glândulas apócrinas, especialmente a vulva, escroto e áreas perianais. As lesões desenvolvem-se como áreas escamosas eritematosas que progridem para placas eritematosas, pruriginosas e em crostas. O diagnóstico diferencial clínico inclui o carcinoma in situ de célula escamosa e infecção fúngica superficial. Em geral, acredita-se que seja um adenocarcinoma da epiderme, de onde ele se estende para dentro do epitélio contíguo aos folículos pilosos e de ductos sudoríparos écrinos.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Óxidos S-CíclicosProteínas Quinases Ativadas por Mitógeno: Superfamília das PROTEÍNAS SERINA-TREONINA QUINASES que são ativadas por vários estímulos via cascatas de proteína quinase. São componentes finais das cascatas, ativados pela fosforilação por PROTEÍNAS QUINASE QUINASES ATIVADAS POR MITÓGENO que, por sua vez, são ativadas pelas proteínas quinase quinase quinases ativadas por mitógeno (MAP QUINASE QUINASE QUINASES).Células CHO: LINHAGEM CELULAR derivada do ovário do hamster Chinês, Cricetulus griseus (CRICETULUS). Esta espécie é a favorita para estudos citogenéticos por causa de seu pequeno número de cromossomos. Esta linhagem celular tem fornecido modelos para o estudo de alterações genéticas em células cultivadas de mamíferos.Rabdomiossarcoma Embrionário: Forma de RABDOMIOSSARCOMA originando-se primariamente na cabeça e na nuca, especialmente na órbita, de crianças abaixo de 10 anos de idade. As células são menores do que as de outros rabdomiossarcomas e são de dois tipos celulares básicos: células em fuso e células redondas. Esse câncer é altamente sensível à quimioterapia e tem uma alta taxa de cura com terapia de modalidades múltiplas.Proteína Oncogênica v-cbl: Oncoproteína do retrovírus murina Cas NS-1 que induz o pré-LINFOMA DE CÉLULAS B e as LEUCEMIAS MIELOIDES. A proteína v-cbl é uma tirosina fosforilada, forma truncada de seu homólogo celular, a PROTEÍNA PROTO-ONCOGÊNICA C-CBL.Antineoplásicos: Substâncias que inibem ou impedem a proliferação de NEOPLASIAS.Marcadores Biológicos de Tumor: Produtos moleculares metabolizados e secretados por tecidos neoplásicos e [que podem ser] caracterizados bioquimicamente nos líquidos celulares e corporais. Eles são [usados como] indicadores de estágio e grau tumoral, podendo também ser úteis para monitorar respostas ao tratamento e prever recidivas. Muitos grupos químicos estão representados [nesta categoria] inclusive hormônios, antígenos, aminoácidos e ácidos nucleicos, enzimas, poliaminas, além de proteínas e lipídeos de membrana celular específicos.Neoplasias Vulvares: Tumores ou câncer da VULVA.