Radioisótopos de Cobalto: Isótopos de cobalto instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de cobalto com peso atômico de 54-64, exceto 59, são radioisótopos de cobalto.Cobalto: Oligoelemento componente da vitamina B12. Possui símbolo atômico Co, número atômico 27 e peso atômico 58,93. É utilizado em armamentos nucleares, ligas metálicas e pigmentos. Deficiência de cobalto em animais leva à anemia; em humanos, seu excesso pode levar à eritrocitose.Radioisótopos: Isótopos que exibem radioatividade e que sofrem decomposição radioativa.Radioisótopos de Zinco: Isótopos de zinco instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de zinco com pesos atômicos de 60-63, 65, 69, 71 e 72 são radioisótopos de zinco.Técnica de Diluição de Radioisótopos: Método para avaliar fluxo através de um sistema pela injeção de uma quantidade conhecida de radionuclídeo dentro deste sistema e monitorar sua concentração ao longo do tempo em um ponto específico no sistema.Radioisótopos de Estrôncio: Isótopos de estrôncio instáveis que se decompõem ou desintegram espontaneamente emitindo radiação. Sr 80-83, 85 e 89-95 são radioisótopos de estrôncio.Radioisótopos do Iodo: Isótopos de iodo instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de iodo com pesos atômicos de 117 a 139, exceto I-127, são radioisótopos do iodo.Radioisótopos de Criptônio: Isótopos de criptônio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de criptônio com pesos atômicos 74-77, 79, 81, 85 e 87-94 são radioisótopos de criptônio.Isótopos do Cobalto: Átomos de cobalto estáveis que possuem o mesmo número atômico que o elemento cobalto, porém diferem em relação ao peso atômico. Co-59 é um isótopo do cobalto estável.Radioisótopos de Índio: Isótopos de índio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de índio com pesos atômicos de 106-112, 113m, 114 e 116-124 são radioisótopos de índio.Radioisótopos de Sódio: Isótopos de sódio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de sódio com pesos atômicos de 20-22 e 24-26 são radioisótopos de sódio.Radioatividade: 1) Propriedade que têm certos elementos (rádio, urânio, etc) de emitir espontaneamente radiações corpusculares (raios alfa e beta) ou eletromagnéticas (raios gama); 2) Processo de desintegração do núcleo dos átomos de certos elementos, ditos radioativos, durante o qual há produção de energia e emissão de raios e partículas elementares. Propriedade dos elementos radioativos de emitir espontaneamente radiações (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992) 3) Transformação espontânea de um nuclídeo em um ou mais nuclídeos diferentes, acompanhada da emissão de partículas do núcleo, da captura nuclear ou ejeção de elétrons orbitais, ou de fissão. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Radioisótopos de Bário: Isótopos de bário instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de bário com pesos atômicos de 126-129, 131, 133 e 139-143 são radioisótopos de bário.Cintilografia: Produção de uma imagem obtida por câmeras que detectam as emissões radioativas de um radionuclídeo injetado distribuído diferencialmente ao longo de tecidos no corpo. A imagem obtida de um detector em movimento é chamada de varredura, enquanto a imagem obtida de uma câmera estacionária é chamada de cintifotografia.Radioisótopos de Ítrio: Isótopos de ítrio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de ítrio com pesos atômicos 82-88 e 90-96 são radioisótopos de ítrio.Radioisótopos de Estanho: Isótopos de estanho instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de estanho com pesos atômicos de 108-111, 113, 120-121, 123 e 125-128 são radioisótopos de estanho.Radioisótopos de Carbono: Isótopos de carbono instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de carbono com pesos atômicos 10, 11 e 14-16 são radioisótopos de carbono.Radioisótopos de Ferro: Isótopos de ferro instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de ferro com pesos atômicos de 52, 53, 55 e 59-61 são radioisótopos de ferro.Radioisótopos de Cobre: Isótopos de cobre instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de cobre com pesos atômicos de 58-62, 64 e 66-68 são radioisótopos de cobre.Radioisótopos de Fósforo: Isótopos de fósforo instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de fósforo com pesos atômicos de 28-34, exceto 31, são radioisótopos de fósforo.Partículas beta: PÓSITRONS ou ELÉTRONS de alta energia ejetados de um núcleo atômico em processo de desintegração.Tecnécio: Primeiro elemento produzido artificialmente e um produto radioativo da fissão do URÂNIO. Tecnécio apresenta o símbolo atômico Tc, número atômico 43 e peso atômico 98,91. Todos os isótopos de tecnécio são radioativos. Tecnécio 99m (m=metaestável), que é um produto da desintegração do Molibdênio 99, apresenta uma meia-vida de aproximadamente 6 horas e é utilizado em diagnósticos como um agente radioativo de imagem. O tecnécio 99, que é um produto da desintegração do tecnécio 99m, tem uma meia-vida de 210.000 anos.Radioisótopos de Mercúrio: Isótopos de mercúrio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de mercúrio com pesos atômicos de 185-195, 197, 203, 205 e 206 são radioisótopos de mercúrio.Coloide de Enxofre Marcado com Tecnécio Tc 99m: Composto de cintilografia emissor de raios gama utilizado no diagnóstico de doenças em inúmeros tecidos, particularmente no sistema gastrointestinal, fígado e baço.Isótopos de Césio: Átomos de césio estáveis que possuem o mesmo número atômico que o elemento césio, porém diferem em relação ao peso atômico. Cs-133 é um isótopo que pode ser encontrado na natureza.Radioisótopos de Cério: Isótopos de cério instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de cério com pesos moleculares 132-135, 137, 139 e 141-148 são radioisótopos de cério.Háfnio: Elemento químico de número atômico 72 e peso atômico 178,49; símbolo Hf. Descoberto em uma zirconita, em 1923, por Coster e Hevesy de Copenhague. (Dorland, 28a ed)Radioisótopos de Ouro: Isótopos de ouro instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Au-185-196, 198-201 e 203 são radioisótopos de ouro.Marcação por Isótopo: Técnicas para marcação de uma substância com um isótopo estável ou radioativo. Não é utilizada para condições envolvendo substâncias marcadas a menos que o método de marcação seja substancialmente discutido. Os traçadores que podem ser marcados incluem substâncias, células ou microrganismos.Radioisótopos de Chumbo: Isótopos de chumbo instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de chumbo com pesos atômicos de 194-203, 205 e 209-214 são radioisótopos de chumbo.Técnicas de Diagnóstico por Radioisótopos: Qualquer avaliação diagnóstica utilizando isótopos radioativos (instáveis). Este diagnóstico inclui muitos procedimentos de medicina nuclear assim como testes de radioimunoensaio.Isótopos de Zinco: Átomos de zinco estáveis que possuem o mesmo número atômico que o elemento zinco, porém diferem em relação ao peso atômico. Zn-66-68 e 70 são isótopos de zinco estáveis.Radioisótopos de Enxofre: Isótopos de enxofre instáveis que se decompõem ou desintegram espontaneamente emitindo radiação. S 29-31, 35, 37 e 38 são radioisótopos de enxofre.Radioisótopos de Cádmio: Isótopos de cádmio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de cádmio com pesos atômicos de 103-105, 107, 109, 115 e 117-119 são radioisótopos de cádmio.Astato: Astato (ou Ástato, ou Astatínio). Um halógeno radioativo cujo símbolo atômico é At, número atômico 85 e peso atômico 210. Seus isótopos apresentam números de massa que variam de 200 a 219 e todos apresentam uma meia-vida extremamente curta. Astato pode ser utilizado no tratamento do hipertireoidismo.Radioimunoterapia: Radioterapia onde radionuclídeos citotóxicos são ligados a anticorpos para distribuir as toxinas diretamente nos alvos do tumor. A terapia de radiação ao alvo, ao contrário daquelas cujo alvo das toxinas são os anticorpos (IMUNOTOXINAS) tem a vantagem de que as células tumorais adjacentes, que necessitam de determinantes antigênicos apropriados, podem ser destruídas por radiação de fogo-cruzado. A radioimunoterapia é algumas vezes chamada de radioterapia ao alvo, mas este último termo pode também se referir a radionuclídeos ligados a moléculas não imunes (ver RADIOTERAPIA).Tungstênio: Tungstênio. Elemento metálico com símbolo atômico W, número atômico 74 e peso atômico 183,85. É utilizado em muitas aplicações industriais, incluindo o aumento da solidez, dureza e resistência à tração do aço; na produção de filamentos para lâmpadas incandescentes e em pontos de contato para automóveis e aparatos elétricos.Lutécio: Lutécio. Um elemento da família de terras raras (lantanídeos). Possui símbolo atômico Lu, número atômico 71 e peso atômico 175.Níquel: Oligoelemento com símbolo atômico Ni, número atômico 28 e massa atômica 58,69. É um cofator da enzima UREASE.Rênio: Elemento químico de número atômico 75, peso atômico 186,2 e símbolo Re. (Dorland, 28a ed)Samário: Samário. Um elemento da família de terras raras (lantanídeos). Possui símbolo atômico Sm, número atômico 62 e peso atômico 150,36. Seu óxido é utilizado nos bastões de controle de alguns reatores nucleares.Compostos Radiofarmacêuticos: Compostos usados na medicina como fontes de radiação para radioterapia e para fins diagnósticos. Apresentam vários usos na pesquisa e na indústria.Poluentes Radioativos do Solo: Poluentes, presentes no solo, que exibem radioatividade.Teleterapia por Radioisótopo: Tipo de radioterapia de alta energia que utiliza um feixe de radiação gama produzido por uma fonte de radioisótopo encapsulado, em uma unidade de teleterapia.Radioisótopos de Bromo: Isótopos de bromo instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de bromo com pesos atômicos de 74-78, 80 e 82-90 são radioisótopos de bromo.Contagem de Cintilação: Detecção e contagem de cintilações produzidas em um material fluorescente pela radiação ionizante.Derrame Subdural: Infiltração e acúmulo de LÍQUIDO CEFALORRAQUIDIANO no espaço subdural, que pode estar associado com um processo infeccioso, TRAUMA CRANIOCEREBRAL, NEOPLASIAS CEREBRAIS, HIPOTENSÃO INTRACRANIANA e outras afecções.Isótopos de Cálcio: Átomos de cálcio estáveis que possuem o mesmo número atômico que o elemento cálcio, porém diferem quanto ao peso atômico. Ca-42-44, 46 e 48 são isótopos de cálcio estáveis.Resíduos Radioativos: Resíduos líquidos, sólidos ou gasosos resultantes da mineração do minério radioativo, produção de combustíveis nucleares, operação do reator, processamento de combustíveis nucleares irradiados e operações relacionadas, e do uso dos materiais radioativos na pesquisa, indústria e medicina. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed)Vitamina B 12: Composto de coordenação que contém cobalto produzido por micro-organismos do intestino e também encontrado no solo e água. As plantas superiores não concentram a vitamina B 12 do solo e, portanto, são uma fonte pobre dessa substância quando comparadas aos tecidos animais. O FATOR INTRÍNSECO é importante para a assimilação da vitamina B 12.Cromo: Oligoelemento que participa do metabolismo da glucose. Possui símbolo atômico Cr, número atômico 24 e peso atômico 52. De acordo com o Quarto Relatório Anual sobre Carcinógenos (NTP85-002, 1985), o cromo e alguns de seus compostos foram listados como substâncias carcinógenas notórias.Soroalbumina Radioiodada: Soroalbumina humana normal moderadamente iodada com iodo radioativo (I-131). Possui meia-vida de 8 dias e emite raios beta e gama. É utilizada como ferramenta de diagnóstico na determinação de volumes sanguíneos.Ligas de Cromo: Ligas específicas com não menos que 85 por cento de cromo e níquel ou cobalto, com sinais de níquel ou cobalto, molibdênio e outras substâncias. São utilizados em dentaduras parciais, implantes ortopédicos, etc.Espectrometria gama: Determinação da distribuição de energia de raios gama emitidos pelos núcleos.Radioisótopos de Rutênio: Isótopos de rutênio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de rutênio com pesos atômicos de 93-95, 97, 103 e 105-108 são radioisótopos de rutênio.Datação Radiométrica: Técnicas usadas para determinar a idade dos materiais, baseadas no conteúdo e meias-vidas dos ISÓTOPOS RADIOATIVOS que eles contêm.Radioisótopos de Selênio: Isótopos de selênio instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de selênio com pesos atômicos de 70-73, 75, 79, 81 e 83-85 são radioisótopos de selênio.Partículas alfa: Partículas carregadas positivamente compostas de dois prótons e dois NÊUTRONS, isto é, equivalentes a núcleos de HÉLIO, emitidos durante a desintegração de ISÓTOPOS pesados. Os raios alfa têm poder de ionização muito elevado, porém baixa penetrabilidade.Compostos Heterocíclicos com 1 Anel: Classe de compostos orgânicos contendo uma estrutura em anel com mais de um tipo de átomo, geralmente carbono mais outro átomo. A estrutura em anel pode ser aromática ou não aromática.Pertecnetato Tc 99m de Sódio: Composto de cintilografia emissor de raios gama utilizado no diagnóstico de doenças em inúmeros tecidos, particularmente no sistema gastrointestinal, cardiovascular e circulação cerebral, cérebro, tireoide e articulações.Compostos Organometálicos: Classe de compostos do tipo R-M, em que o átomo C está ligado diretamente a qualquer outro elemento que não o H, C, N, O, F, Cl, Br, I ou At.Distribuição Tecidual: Acúmulo de uma droga ou substância em vários órgãos (inclusive naqueles não relevantes para sua ação farmacológica ou terapêutica). Essa distribuição depende do fluxo sanguíneo ou da taxa de perfusão do órgão, da capacidade de a droga permear membranas de órgãos, da especificidade do tecido, da ligação a proteínas. A distribuição geralmente é expressa como razão tecido / plasma.Isótopos: Espécies atômicas que diferem quanto ao número de massa, porém apresentam o mesmo número atômico.Ácido Pentético: Quelante de ferro com propriedades semelhantes às do ÁCIDO EDÉTICO. O DTPA também tem sido usado como quelante de outros metais, como o plutônio.Medicina Nuclear: Especialidade, dentro da radiologia, voltada para o uso diagnóstico, terapêutico e investigativo de formulações farmacêuticas radioativas.