Proteína-1 Relacionada a Receptor de Lipoproteína de Baixa Densidade: Proteína relacionada com receptor de LDL, envolvida na depuração dos remanescentes de quilomícrons e das ALFA-MACROGLOBULINAS ativadas do plama.Proteína-6 Relacionada a Receptor de Lipoproteína de Baixa Densidade: Proteína relacionada ao receptor LDL que se combina com RECEPTORES FRIZZLED, formando os receptores ligantes de PROTEÍNA WNT. A proteína desempenha um papel importante na VIA DE SINALIZAÇÃO WNT durante o DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO e na regulação da proliferação de células vasculares.Proteína-5 Relacionada a Receptor de Lipoproteína de Baixa Densidade: Proteína relacionada com o receptor LDL que se combina com RECEPTORES FRIZZLED na superfície celular para formar receptores que se ligam a PROTEÍNAS WNT. A proteína desempenha um papel importante na VIA DE SINALIZAÇÃO WNT em OSTEOBLASTOS e durante o DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO.Proteína-2 Relacionada a Receptor de Lipoproteína de Baixa Densidade: PROTEÍNAS RELACIONADAS A RECEPTOR DE LDL encontradas no neuroepitélio e nas células tubulares proximais dos rins. É considerada um receptor multi-ligante que se une a vários ligantes com afinidade relativamente alta e pode atuar na mediação da captação e degradação lisossomal de macromoléculas, como as LIPOPROTEÍNAS, ENDOPEPTIDASES e INIBIDORES DE PROTEASES.Receptores de LDL: Receptores da membrana plasmática de células não hepáticas que ligam especificamente LDL. Os receptores estão localizados em regiões especializadas chamadas túnicas perfuradas. A hipercolesteremia é causada por um defeito genético alélico de três tipos: 1) receptores que não se ligam a LDL, 2) redução da ligação de LDL e 3) ligação normal a LDL, mas não ocorre a sua internalização. Como consequência, a entrada de ésteres de colesterol na célula é dificultada e não existe a retroalimentação intracelular do colesterol sobre a 3-hidroxi-3-metilglutaril CoA redutase.alfa-Macroglobulinas: Glicoproteínas com peso molecular de aproximadamente 620.000 a 680.000. A precipitação pela eletroforese encontra-se na região alfa. Incluem as alfa 1- e alfa 2-macroglobulinas. Essas proteínas exibem atividade ligada à tripsina, quimotripsina, trombina e plasmina e funcionam como transportadoras de hormônios.Proteína Associada a Proteínas Relacionadas a Receptor de LDL: Proteína de membrana encontrada no RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO RUGOSO que se liga às PROTEÍNAS RELACIONADAS A RECEPTOR DE LDL. Pode funcionar para impedir a ligação com ligantes de receptores durante os eventos de processamento proteico dentro dos compartimentos endossomais.Receptores Imunológicos: Moléculas de superfície celular em células do sistema imunológico que ligam especificamente moléculas de superfície ou moléculas mensageiras e desencadeiam mudanças no comportamento das células. Embora esses receptores tenham sido identificados primariamente no sistema imunológico, muitos deles possuem importantes funções em outras regiões.Proteínas Relacionadas a Receptor de LDL: Família de proteínas que compartilha a semelhança da sequência com o receptor de lipoproteína de baixa densidade (RECEPTORES DE LDL).Lipoproteínas LDL: Classe de lipoproteínas compostas de partículas de pequeno tamanho (18 a 25 nm) e leves (1,019 a 1,063 g/ml) com um centro constituído principalmente de ÉSTERES DE COLESTEROL e pequenas quantidades de TRIGLICERÍDEOS. A monocamada superficial consiste, na sua maioria, de FOSFOLIPÍDEOS, uma única cópia de APOLIPOPROTEÍNA B-100, e de colesterol livre. A função principal do LDL é o transporte de colesterol e ésteres de colesterol aos tecidos extra-hepáticos.Lipoproteínas: Complexos lipoproteicos envolvidos no transporte e metabolismo dos lipídeos no corpo. São partículas esféricas compostas por um centro hidrofóbico de TRIGLICERÍDEOS e ÉSTERES DE COLESTEROL rodeado por uma camada hidrofílica sem COLESTEROL, com FOSFOLIPÍDEOS e APOLIPOPROTEÍNAS. As lipoproteínas são classificadas de acordo com seus vários tamanhos e densidades flutuantes.Lipoproteínas VLDL: Classe de lipoproteínas de partículas muito leves (0,93 a 1,006 g/ml) e grandes (30 a 80 nm), com um centro composto principalmente por TRIGLICERÍDEOS e uma monocamada superficial de FOSFOLIPÍDEOS e de COLESTEROL, nas quais estão inseridas as apolipoproteínas B, E e C. A VLDL facilita o transporte dos triglicerídeos produzidos endogenamente para os tecidos extra-hepáticos. À medida que seus triglicerídeos e a Apo C são removidos, as VLDL são convertidas em LIPOPROTEÍNAS DE DENSIDADE INTERMEDIÁRIA, e depois para LIPOPROTEÍNAS DE BAIXA DENSIDADE, que são as formas que liberam o colesterol para os tecidos extra-hepáticos.Endocitose: Captação celular de materiais extracelulares para o interior de vacúolos ou microvesículas limitadas por membranas. Os ENDOSSOMOS desempenham papel central na endocitose.Complexo Antigênico da Nefrite de Heymann: Complexo de proteínas antigênicas obtidas da borda em escova dos túbulos renais. Contêm dois componentes principais, a PROTEÍNA-2 RELACIONADA A RECEPTOR DE LIPOPROTEÍNA DE BAIXA DENSIDADE e a PROTEÍNA ASSOCIADA A PROTEÍNAS RELACIONADAS A RECEPTOR DE LDL. O nome deste complexo é derivado de seu pesquisador, Dr. Walter Heymann, que desenvolveu um modelo experimental de glomerulonefrite membranosa (GLOMERULONEFRITE) através da injeção deste complexo antigênico, em ratos, para indução de uma resposta autoimune.Ligação Proteica: Processo pelo qual substâncias endógenas ou exógenas ligam-se a proteínas, peptídeos, enzimas, precursores proteicos ou compostos relacionados. Medidas específicas de ligantes de proteínas são usadas frequentemente como ensaios em avaliações diagnósticas.Lipase Lipoproteica: Enzima da classe das hidrolases, que catalisa a clivagem hidrolítica de grupos acil graxo de triglicerídeos (ou di- ou monoglicerídeos) nos quilomícrons, lipoproteínas de muito baixa densidade e lipoproteínas de baixa densidade. Ela ocorre em superfícies endoteliais capilares, especialmente em tecido mamário, muscular e adiposo, exigindo apolipoproteína C-II como cofator. (Dorland, 28a ed)Lipoproteínas HDL: Classe de lipoproteínas compostas de partículas de pequeno tamanho (4 a 13 nm) e denso (maior que 1,063 g/ml). As lipoproteínas HDL, sintetizadas no fígado sem um centro lipídico, acumula ésteres de colesterol dos tecidos periféricos e os transporta para o fígado para serem reutilizados ou eliminados do corpo (o transporte inverso de colesterol). Seu principal componente proteico é a APOLIPOPROTEÍNA A-I. A HDL também faz uma ponte de ida e volta entre as APOLIPOPROTEÍNAS C e as APOLIPOPROTEÍNAS E para formar lipoproteínas ricas em triglicerídeos durante seu catabolismo. O nível plasmático de HDL tem sido inversamente correlacionado com o risco de doenças cardiovasculares.Apolipoproteínas E: Classe de componentes proteicos que podem ser encontrados em várias lipoproteínas, incluindo as LIPOPROTEÍNAS DE ALTA DENSIDADE, as LIPOPROTEÍNAS DE DENSIDADE MUITO BAIXA e os QUILOMICRONS. Sintetizadas na maioria dos órgãos, a Apo E é importante no transporte global de lipídeos e do colesterol no corpo. A Apo E é também um ligante dos RECEPTORES DE LDL, que medeiam a ligação, internalização e catabolismo das partículas lipoproteicas nas células. Há várias isoformas alélicas (como, E2, E3 e E4). Deficiência ou defeitos na Apo E são as causas da HIPERLIPOPROTEINEMIA DO TIPO III.Ésteres do Colesterol: Ésteres de ácido graxo do colesterol que constituem cerca de dois-terços do colesterol plasmático. O acúmulo de ésteres do colesterol na íntima arterial é uma característica da aterosclerose.Colesterol: Principal esterol de todos os animais superiores, distribuído nos tecidos do corpo, especialmente no cérebro e na medula espinhal, e nas gorduras e óleos animais.Apolipoproteínas B: Principais proteínas estruturais das LIPOPROTEÍNAS ricas em triacilglicerol. Existem duas formas, a apolipoproteína B-100 e a apolipoproteína B-48, ambas provenientes de um único gene. A ApoB-100 expressa no fígado é encontrada nas lipoproteínas de baixa densidade (LIPOPROTEÍNAS LDL; LIPOPROTEÍNAS VLDL). A ApoB-48 expressa no intestino é encontrada em QUILOMÍCRONS. São importantes na biossíntese, no transporte, e no metabolismo de lipoproteínas ricas em triacilglicerol. Os níveis plasmáticos de Apo-B são altos em pacientes ateroscleróticos mão não detectáveis em ABETALIPOPROTEINEMIA.Ligantes: Moléculas que se ligam a outras moléculas. O termo é usado especialmente para designar uma pequena molécula que se liga especificamente a uma molécula maior, e.g., um antígeno que se liga a um anticorpo, um hormônio ou neurotransmissor que se liga a um receptor, ou um substrato ou efetor alostérico que se liga a uma enzima. Ligantes são também moléculas que doam ou aceitam um par de elétrons, formando uma ligação covalente coordenada com o átomo metálico central de um complexo de coordenação. (Dorland, 28a ed)Fibroblastos: Células do tecido conjuntivo que secretam uma matriz extracelular rica em colágeno e outras macromoléculas.Ativador de Plasminogênio Tipo Uroquinase: Enzima proteolítica que converte o PLASMINOGÊNIO em FIBRINOLISINA, em que a clivagem preferencial é entre a ARGININA e a VALINA. Foi isolado originalmente de URINA humana, mas é encontrado na maioria dos tecidos da maior parte dos VERTEBRADOS.Cinética: Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.Lactoferrina: Proteína de ligante de ferro originalmente caracterizada como uma proteína do leite. É amplamente distribuída em líquidos secretados e é encontrada nos grânulos neutrofílicos de LEUCÓCITOS. A porção N-terminal da lactoferrina possui uma serina protease que inativa os SISTEMAS DE SECRECIÓN TIPO III usados pelas bactérias para exportar proteínas de virulência e contribuir para a invasão da célula hospedeira.Células CHO: LINHAGEM CELULAR derivada do ovário do hamster Chinês, Cricetulus griseus (CRICETULUS). Esta espécie é a favorita para estudos citogenéticos por causa de seu pequeno número de cromossomos. Esta linhagem celular tem fornecido modelos para o estudo de alterações genéticas em células cultivadas de mamíferos.Apolipoproteína E3: Proteína glicosilada de 34 kDa. A isoforma da apolipoproteína E principal e mais comum. Desta maneira, também é conhecida como apolipoproteína E (ApoE). Em humanos, a Apo E3 é uma proteína com 299 aminoácidos, estando a cisteína na posição 112 e a arginina na 158. Está envolvida com o transporte de TRIGLICERÍDEOS, FOSFOLIPÍDEOS, COLESTEROL e ÉSTERES DE COLESTEROL para dentro e fora das células.Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Apolipoproteínas: Componentes proteicos na superfície das LIPOPROTEÍNAS. Formam uma camada ao redor do centro lipídico hidrofóbico. Há várias classe de apolipoproteínas, cada uma com um papel diferente no transporte e METABOLISMO DOS LIPÍDEOS. Estas proteínas são sintetizadas principalmente no FÍGADO e nos INTESTINOS.Inibidor 1 de Ativador de Plasminogênio: Membro da família serpina de proteínas. Inibe os ativadores de plasminogênio de ambos os tipos tecidual e uroquinase.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Transdução de Sinal: Transferência intracelular de informação (ativação/inibição biológica) através de uma via de sinalização. Em cada sistema de transdução de sinal, um sinal de ativação/inibição proveniente de uma molécula biologicamente ativa (hormônio, neurotransmissor) é mediado, via acoplamento de um receptor/enzima, a um sistema de segundo mensageiro ou a um canal iônico. A transdução de sinais desempenha um papel importante na ativação de funções celulares, bem como de diferenciação e proliferação das mesmas. São exemplos de sistemas de transdução de sinal: o sistema do receptor pós-sináptico do canal de cálcio ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO, a via de ativação da célula T mediada pelo receptor e a ativação de fosfolipases mediada por receptor. Estes sistemas acoplados à despolarização da membrana ou liberação de cálcio intracelular incluem a ativação mediada pelo receptor das funções citotóxicas dos granulócitos e a potencialização sináptica da ativação da proteína quinase. Algumas vias de transdução de sinal podem ser parte de um sistema de transdução muito maior, como por exemplo, a ativação da proteína quinase faz parte da via de sinalização da ativação plaquetária.Trombospondinas: Família de glicoproteínas adesivas relacionadas que são sintetizadas, secretadas e incorporadas à matriz extracelular de uma variedade de células, incluindo os grânulos alfa das plaquetas que sucedem a ativação da trombina, e células endoteliais. Interagem com vários FATORES DE COAGULAÇÃO SANGUÍNEA e fatores anticoagulantes. Já foram identificadas cinco formas diferentes, a trombospondina-1, -2, -3, -4, e a proteína oligomérica de matriz da cartilagem (COMP). Estão envolvidas na adesão celular, agregação plaquetária, proliferação celular, angiogênese, metástase tumoral, crescimento de MÚSCULO LISO VASCULAR e reparo tecidual.Cricetinae: Subfamília (família MURIDAE) que compreende os hamsters. Quatro gêneros mais comuns são: Cricetus, CRICETULUS, MESOCRICETUS e PHODOPUS.Proteínas Recombinantes: Proteínas preparadas através da tecnologia de DNA recombinante.Receptores de Lipoproteínas: Proteínas de superfície celular que liga lipoproteínas com alta afinidade. Os receptores de lipoproteínas no fígado e tecidos periféricos medeiam a regulação do metabolismo e concentração do colesterol celular e plasmático. Os receptores geralmente reconhecem as apolipoproteínas do complexo lipoproteico, e a ligação frequentemente é o desencadeamento da endocitose.TriglicerídeosNexinas de Proteases: Inibidores de protease extracelular que são secretados de FIBROBLASTOS. Formam um complexo covalente com as SERINA PROTEASES e podem mediar sua internalização celular e degradação.Serpina E2: Nexina de protease e subtipo de serpina que é específico para várias SERINA PROTEASES, incluindo UROQUINASE, TROMBINA, TRIPSINA e ATIVADORES DE PLASMINOGÊNIO.Receptores de Superfície Celular: Proteínas de superfície celular que ligam moléculas externas de sinalização à célula com alta afinidade e convertem este evento extracelular em um ou mais sinais intracelulares que alteram o comportamento da célula alvo.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Sítios de Ligação: Partes de uma macromolécula que participam diretamente em sua combinação específica com outra molécula.Ligação Competitiva: Interação de dois ou mais substratos ou ligantes com o mesmo sítio de ligação. O deslocamento de um pelo outro é usado em medidas de afinidade seletivas e quantitativas.Fígado: Grande órgão glandular lobulado no abdomen de vertebrados responsável pela desintoxicação, metabolismo, síntese e armazenamento de várias substâncias.Lipoproteína(a): Lipoproteína que se assemelha às PROTEÍNAS DE BAIXA DENSIDADE, mas que possui um grupo proteico adicional, a APOPROTEÍNA (A) também conhecida como APOLIPOPROTEÍNA (A), ligada à APOLIPOPROTEÍNA B-100 no LDL por uma ou duas pontes dissulfeto. Nível plasmático elevado da lipoproteína (a) está associado com maiores riscos de doença cardiovascular aterosclerótica.Heparina: Mucopolissacarídeo altamente ácido formado por partes iguais de D-glucosamina sulfatada e ácido D-glucurônico com pontes sulfamínicas. O peso molecular varia entre 6 a 20 mil. A heparina é encontrada e obtida do fígado, pulmões, mastócitos, etc., de vertebrados. Sua função é desconhecida, mas é utilizada para impedir a coagulação do sangue in vivo e in vitro sob a forma de muitos sais diferentes.Proteína Wnt3A: Subtipo de proteína Wnt que desempenha papel na sinalização célula-célula durante o DESENVOLVIMENTO EMBRIONÁRIO e a morfogênese do TUBO NEURAL em desenvolvimento.Receptores de Ativador de Plasminogênio Tipo Uroquinase: Receptor extracelular específico para o ATIVADOR DE PLASMINOGÊNIO TIPO UROQUINASE. É ancorado à membrana celular por meio de uma ligação com GLICOSILFOSFATIDILINOSITÓIS e desempenha papel na co-localização do ativador de plasminogênio tipo uroquinase com o PLASMINOGÊNIO.Proteoglicanas de Heparan Sulfato: Macromoléculas onipresentes associadas à superfície celular e matriz extracelular de uma ampla variedade de células de tecidos de vertebrados e invertebrados. São cofatores essenciais nos processos de adesão da célula à matriz, nos sistemas de reconhecimento de célula-célula, bem como nas interações entre fatores de crescimento e seus receptores.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Glicoproteínas: Compostos conjugados proteína-carboidrato que incluem mucinas, mucoides e glicoproteínas amiloides.Proteínas de Transporte: Proteínas de transporte que carreiam substâncias específicas no sangue ou através das membranas.Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.Radioisótopos do Iodo: Isótopos de iodo instáveis que se decompõem ou desintegram emitindo radiação. Átomos de iodo com pesos atômicos de 117 a 139, exceto I-127, são radioisótopos do iodo.Ressonância de Plasmônio de Superfície: Técnica biodirigida na qual biomoléculas capazes de se ligarem a analíticos ou ligantes específicos, são primeiro imobilizadas de um lado de um filme metálico. A luz é então focada no lado oposto do filme para excitar o plasmônio de superfície. O índice refrativo da luz refletida dessa superfície é medido. Quando as biomoléculas imobilizadas são ligadas por seus ligantes, é criada uma alteração no plasmônio de superfície no lado oposto do filme que é diretamente proporcional à massa ligada ou absorvida. A ligação é medida pelas alterações no índice refrativo. A técnica é utilizada para estudo das interações biomoleculares, tais como ligação antígeno-anticorpo.Estrutura Terciária de Proteína: Nível de estrutura proteica em que estruturas das proteínas secundárias (alfa hélices, folhas beta, regiões de alça e motivos) se combinam dando origem a formas dobradas denominadas domínios. Pontes dissulfetos entre cisteínas em duas partes diferentes da cadeia polipeptídica juntamente com outras interações entre as cadeias desempenham um papel na formação e estabilização da estrutura terciária. As proteínas pequenas, geralmente são constituídas de um único domínio, porém as proteínas maiores podem conter vários domínios conectados por segmentos da cadeia polipeptídica que perdeu uma estrutura secundária regular.Quilomícrons: Classe de lipoproteínas que transporta COLESTEROL e TRIGLICERÍDEOS de dieta a partir do INTESTINO DELGADO para os tecidos. Sua densidade (0,93-1,006 g/ml) é a mesma das PROTEÍNAS DE DENSIDADE MUITO BAIXA.