Propofol: Anestésico intravenoso que possui a vantagem de ter um início muito rápido após infusão ou injeção de bolus, além de um período de recuperação muito curto (alguns minutos). (Tradução livre do original: Smith and Reynard, Textbook of Pharmacology, 1992, 1st ed, p206). O propofol tem sido utilizado como ANTICONVULSIVANTE e ANTIEMÉTICO.Anestésicos Intravenosos: São usados para induzir ação ultracurta. A perda de consciência é rápida e a indução é agradável, mas não há relaxamento muscular e, além disso, os reflexos frequentemente não são reduzidos adequadamente. A administração repetida resulta em acúmulo, prolongando o tempo necessário para recuperação. Como estes agentes apresentam pouca (quando apresentam) atividade analgésica, é raro serem usados isoladamente, exceto em rápidos procedimentos menores.Hipnóticos e Sedativos: Drogas usadas para induzir sonolência, sono ou ainda para reduzir a excitação ou ansiedade psicológicas.Sedação Consciente: Depressão da consciência induzida por droga durante a qual pacientes respondem propositadamente a comandos verbais, ou só ou acompanhados por estimulação de luz tátil. Nenhuma intervenção é exigida para manter uma via aérea patente (Tradução livre do original: American Society of Anesthesiologists Practice Guidelines).Anestésicos Combinados: Dois ou mais compostos químicos usados simultânea ou sequencialmente para induzir anestesia. Essas drogas não precisam estar na mesma forma de dosagem.Período de Recuperação da Anestesia: Período crítico da anestesia geral, onde diferentes elementos da consciência retornam em proporções diferentes.Tiopental: Barbiturato administrado intravenosamente para a indução de anestesia geral ou para a produção de anestesia completa de curta duração.Anestésicos Inalatórios: São gases ou líquidos voláteis que, em diferentes graus, induzem anestesia, potência, [diferentes] graus de depressão (circulatória, respiratória, ou neuromuscular), além dos efeitos analgésicos. Os anestésicos inalatórios apresentam vantagens sobre os endovenosos, pois o grau de anestesia pode ser modificado rapidamente alterando-se a concentração do anestésico inalado. Devido a sua rápida eliminação, qualquer depressão respiratória pós-operatória tem duração relativamente curta.Éteres Metílicos: Grupo de compostos que contêm a fórmula geral R-OCH3.Alfentanil: Opioide anestésico e analgésico de curta duração, derivado do FENTANIL. Produz um pico inicial de efeito analgésico e rápida recuperação da consciência. Alfentanil é eficaz como anestésico durante a cirurgia, para suplementação da analgesia durante procedimentos cirúrgicos e como analgésico para pacientes criticamente enfermos.Anestesia Geral: Procedimento em que os pacientes são induzidos a um estado de inconsciência por meio do uso de vários medicamentos, a fim de que não sintam dor durante a cirurgia.Sedação Profunda: Depressão de consciência induzida por medicamento durante a qual os pacientes não podem ser facilmente despertados, mas respondem propositadamente a repetidas estimulações dolorosas. A capacidade para manter a função respiratória independente pode ser prejudicada. (Tradução livre do original: From: American Society of Anesthesiologists Practice Guidelines).Monitorização Intraoperatória: Verificação constante do estado ou condição de um paciente durante o curso de uma cirurgia (por exemplo, verificação dos sinais vitais).Midazolam: Droga hipnótico-sedativa com efeito de curta duração, com propriedades ansiolítica e amnésica. É usada para sedação em odontologia, cirurgia cardíaca, procedimentos endoscópicos, como medicação pré-anestésica e como adjunto para anestesia local. Devido a sua curta duração e estabilidade cardiorrespiratória torna-se útil em pacientes de risco, idosos e cardíacos. É hidrossolúvel em pH menor que 4 e lipossolúvel em pH fisiológico.Etomidato: Anestésico e hipnótico derivado do imidazol com pouco efeito sobre os gases sanguíneos, ventilação ou sistema cardiovascular. Tem sido indicado na indução anestésica.Metoexital: Anestésico intravenoso de curta duração que pode ser usado na indução anestésica.Fentanila: Potente analgésico narcótico que leva ao hábito ou vício. É principalmente um agonista do receptor opioide mu. A fentanila é também usada como adjunto na anestesia geral e como anestésico para indução e manutenção. (Tradução livre do original: Martindale, The Extra Pharmacopoeia, 30th ed, p1078)Monitores de Consciência: Dispositivos usados para avaliar o nível de consciência, especialmente durante a anestesia. Medem a atividade cerebral baseada no eletroencefalograma.Anestésicos Gerais: Agentes que induzem vários graus de analgesia, depressão da consciência, da circulação, e da respiração, relaxamento da musculatura esquelética, redução da atividade reflexa e amnésia. Há dois tipos de anestésicos gerais: inalatórios e intravenosos. Com qualquer um dos dois, a concentração arterial da droga necessária para induzir a anestesia varia com a condição do paciente, com o grau desejado de anestesia e com o uso concomitante de outras drogas. (Tradução livre do original: AMA Drug Evaluations Annual, 1994, p.173)Eletroencefalografia: Registro de correntes elétricas produzidas no cérebro, pela medida de eletrodos adaptados ao couro cabeludo, na superfície do cérebro, ou colocados no cérebro.Anestésicos: Agentes capazes de induzir perda total ou parcial da sensação , especialmente das sensações tátil e dor. Eles podem induzir ANESTESIA geral, na qual se atinge um estado de inconsciência, ou agir localmente induzindo entorpecimento ou falta de sensibilidade em um local escolhido.Anestesia: Estado caracterizado pela perda dos sentidos ou sensações. Esta depressão da função nervosa geralmente é resultante de ação farmacológica e é induzida para permitir a execução de cirurgias ou outros procedimentos dolorosos.Isoflurano: Anestésico inalante estável, não explosivo, relativamente livre de efeitos colaterais significantes.Óxido Nitroso: Óxido de nitrogênio (N2O). Gás incolor e inodoro utilizado como anestésico e analgésico. Altas concentrações causam efeitos narcóticos e podem deslocar o oxigênio, levando a óbito por asfixia. É também utilizado como aerossol alimentar na preparação do creme "chantilly".Estado de Consciência: Conhecimento de si mesmo e do ambiente.Piperidinas: Família de hexa-hidropiridinas.Relação Dose-Resposta a Droga: Relação entre a quantidade (dose) de uma droga administrada e a resposta do organismo à droga.Infusões Intravenosas: Administração por um longo prazo (minutos ou horas) de um líquido na veia por venopunção, deixando o líquido fluir pela ação da gravidade ou bombeando-o.Ketamina: Derivado cicloexanona utilizado para a indução de anestesia. Seu mecanismo de ação não foi completamente elucidado, porém a ketamina pode bloquear os receptores NMDA (RECEPTORES DE N-METIL-D-ASPARTATO) e pode interagir com os receptores sigma.Anestésicos Dissociativos: Anestésicos endovenosos que induzem um estado de sedação, imobilidade, amnésia, e marcante analgesia. Os indivíduos podem sentir-se fortemente dissociados do ambiente. Embora causada pela administração de uma única droga, o estado resultante é semelhante ao da NEUROLEPTANALGESIA. (Tradução livre do original: Gilman et al., Goodman and Gilman's The Pharmacological Basis of Therapeutics, 8th ed)Inconsciência: Perda da capacidade em manter consciência de si próprio e do ambiente, combinados com uma resposta acentuadamente reduzida a estímulos ambientais. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp344-5)Adjuvantes Anestésicos: Agentes administrados em associação com os anestésicos para aumentar sua eficiência, melhorar sua liberação, ou diminuir a dosagem necessária.Emulsões: Coloides formados pela combinação de dois líquidos imiscíveis, como óleo e água. As emulsões de lipídeos em água geralmente são líquidas (como o leite ou as loções) e as emulsões de água em lipídeos tendem a ser cremes. A formação de emulsões pode ser auxiliada por moléculas anfipáticas que envolvem um dos componentes do sistema para formar MICELAS.Bombas de Infusão: Sistemas de propulsão de fluidos conduzidos mecanicamente, eletricamente ou osmoticamente que são usados para injetar (ou infundir) substâncias ao longo do tempo em um paciente ou animal experimental; usado rotineiramente em hospitais para manter uma linha intravenosa evidente, administrar substâncias neoplásicas e outros medicamentos em tromboembolismo, doença cardíaca, diabetes mellitus (SISTEMAS DE INFUSÃO DE INSULINA também estão disponíveis) e outros distúrbios.Procedimentos Cirúrgicos Ambulatórios: Cirurgia feita em paciente externo. Pode ser feita num hospital, consultório ou centro cirúrgico.Medicação Pré-Anestésica: Drogas administradas antes da anestesia para diminuir a ansiedade do paciente e controla os efeitos do próprio anestésico.Anestesia por Inalação: Anestesia causada pela respiração de gases ou vapores anestésicos pela insuflação de gases ou vapores anestésicos no trato respiratório.Intubação Intratraqueal: Procedimento que envolve a colocação de um tubo na traqueia através da boca ou do nariz a fim de proporcionar oxigénio e anestesia ao paciente.