: Extremidade distal da perna dos vertebrados que consiste do tarso (TORNOZELO), do METATARSO, das falanges e dos tecidos moles que envolvem estes ossos.Doenças do Pé: Transtornos anatômicos e funcionais afetando o pé.Pé Diabético: Problemas comuns no pé de pessoas com DIABETES MELLITUS, causados por qualquer uma das combinações dos fatores, como NEUROPATIAS DIABÉTICAS, DOENÇAS VASCULARES PERIFÉRICAS e INFECÇÃO. Com a perda da sensação e circulação deficitária, as lesões e infecções, com frequência, levam a sérias úlceras do pé, GANGRENA e AMPUTAÇÃO.Deformidades Adquiridas do Pé: A distorção ou desfiguramento do pé ou parte do pé, adquirida através de doença ou lesão depois do parto.Úlcera do Pé: Lesão na superfície da pele (sola) do pé, normalmente acompanhada de inflamação. A lesão pode se tornar infectada ou necrótica e é frequentemente associada com diabetes ou lepra.Traumatismos do Pé: Traumatismos gerais ou inespecíficos envolvendo o pé.Deformidades do Pé: As alterações ou desvios da forma normal ou do tamanho que resultam numa desfiguração do pé.Ossos do Pé: OSSOS DO TARSO, OSSOS DO METATARSO e as FALANGES DOS DEDOS DO PÉ. Os ossos do tarso são constituídos por sete ossos: CALCÂNEO, TÁLUS, cuboide, navicular e ossos cuneiformes (externo, médio e interno). Os cinco ossos do metatarso são numerados de um a cinco, do medial ao lateral. Cada pé apresenta 14 falanges. O maior dedo apresenta duas falanges, enquanto os outros apresentam três.Articulações do Pé: Articulações que se estendem distalmente do TORNOZELO aos DEDOS DO PÉ. Compreendem: ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO, ARTICULAÇÕES TARSIANAS, ARTICULAÇÃO METATARSOFALÂNGICA e ARTICULAÇÃO DO DEDO DO PÉ.Deformidades Congênitas do Pé: As alterações ou os desvios da forma ou tamanho normais que resultam num desfiguramento do pé ocorrendo depois ou ao nascimento.Doença de Mão, Pé e Boca: Doença viral leve e altamente infecciosa que acomete crianças e é caracterizada por lesões vesiculares na boca, nas mãos e nos pés. É causada pelos Coxsackievirus A.Dermatoses do Pé: Doenças cutâneas do pé, geral ou inespecífica.Pé Chato: Situação em que um ou mais dos arcos do pé sejam achatados.Pé Torto: Pé deformado no qual o pé está em flexão plantar, invertido e aduzido.SapatosÓrtoses do Pé: Dispositivos usados para sustentar ou alinhar a estrutura do pé ou para impedir ou corrigir as deformidades no pé.Ossos do Tarso: Os sete ossos que formam o tarso - CALCÂNEO, TÁLUS, cuboide, navicular, e os cuneiformes externo, médio e interno.Antepé Humano: Parte anterior do pé incluindo os ossos metatársicos e os DEDOS DO PÉ.Artropatia Neurogênica: Degeneração progressiva crônica da porção que suporta esforço de uma articulação, com alterações hipertróficas bizarras na periferia; ela constitui usualmente uma complicação de uma doença neurológica tal como TABES DORSALIS, siringomielia ou neuropatia diabética. A perda de sensibilidade leva a relaxamento das estruturas de sustentação e instabilidade crônica da articulação. (Dorland, 28a ed)Pododermatite Necrótica dos Ovinos: Doença das partes córneas e das estruturas moles adjacentes dos pés de bovinos, suínos e ovinos. Geralmente é causada por Corynebacterium pyogenes ou Bacteroides nodosus (v.DICHELOBACTER NODOSUS). Também é conhecida como necrobacilose interdigital. (Tradução livre do original: Black's Veterinary Dictionary, 18th ed)Aparelhos Ortopédicos: Aparelhos utilizados para suportar, alinhar, prevenir ou corrigir deformidades ou melhorar a função de partes móveis do corpo.Articulações Tarsianas: Articulações entre os vários OSSOS DO TARSO, que não incluem a ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO (constituída pelas articulações entre TÍBIA, FÍBULA e TÁLUS).Podiatria: Especialidade voltada para o diagnóstico e o tratamento dos distúrbios e das lesões nos pés, e dos defeitos anatômicos dos pés.Dedos do Pé: Qualquer um dos cinco dígitos terminais do PÉ de vertebrados.Hallux Valgus: Deslocamento lateral do dedo grande do pé (HALLUX), produzindo deformidade da primeira ARTICULAÇÃO METATARSOFALÂNGICA com formação de calo, bursa ou joanete sobre a proeminência óssea.Metatarso: Parte do pé entre os ossos do tarso e os DEDOS DO PÉ.Ossos do Metatarso: Cinco ossos longos do METATARSO que se articulam proximalmente com os OSSOS DO TARSO e distalmente com as FALANGES DOS DEDOS DO PÉ.Marcha: Modo ou estilo de andar.Pé de Imersão: Afecção nos pés, produzida por exposição prolongada dos pés à água. A exposição por 48 horas ou mais à água quente causa pé de imersão tropical ou pé de imersão à água quente, comum no Vietnã, onde as tropas eram expostas a caminhadas difíceis na água, repetidas ou prolongadas, em campos de arroz ou rios. O pé de trincheira resulta da exposição prolongada ao frio, sem congelar realmente. Era comum nas trincheiras de guerra durante a Primeira Guerra Mundial, quando os soldados permaneciam, algumas vezes por horas, em trincheiras com algumas polegadas de água gelada dentro delas.Articulação do Tornozelo: Articulação formada pelas superfícies articulares inferior e maleolar da TÍBIA, a superfície articular maleolar da FÍBULA e superfícies maleolares medial, lateral superior do TÁLUS.Pronação: Aplica-se a movimentos do antebraço para deslocar a palma para trás ou para baixo. Quando se refere ao pé, consiste de uma combinação de movimentos de eversão e abdução nas articulações do tarso e do metatarso (deslocando o pé para cima e para dentro, em direção à linha média do corpo).Articulação Metatarsofalângica: Articulação entre um osso do metatarso (OSSOS DO METATARSO) e uma falange.Tornozelo: A região do membro inferior entre o PÉ e a PERNA.Neuropatias Diabéticas: Transtornos periféricos autônomos do nervo craniano associados com DIABETES MELLITUS. Estas afecções normalmente resultam de lesão microvascular diabética envolvendo pequenos vasos sanguíneos que nutrem os nervos (VASA NERVORUM). Entre as afecções relativamente comuns que podem estar associadas com a doença diabética estão paralisia do terceiro nervo (v. DOENÇAS DO NERVO OCULOMOTOR), MONONEUROPATIA, mononeuropatia múltipla, amiotrofia diabética, POLINEUROPATIA dolorosa, neuropatia autônoma e neuropatia toracoabdominal. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1325)Amputação: A remoção de um membro, outro apêndice ou saliência do corpo. (Dorland, 28a ed)Calcâneo: O maior OSSO DO TARSO que está situado na parte posterior e inferior do PÉ, formando o CALCANHAR.Deformidades Congênitas da Mão: As alterações ou os desvios da forma e do tamanho normais que resultam no desfiguramento da mão ocorrendo antes ou ao nascimento.Fenômenos Biomecânicos: Propriedades, processos e comportamento de sistemas biológicos sob ação de forças mecânicas.Hálux: Dedo mais interno do pé de PRIMATAS.Tálus: O segundo maior OSSO DO TARSO. Articula-se com a TÍBIA e a FÍBULA para formar a ARTICULAÇÃO DO TORNOZELO.Síndrome do Dedo do Pé em Martelo: Estado caracterizado por uma série de sintomas digitais inter-relacionados e alterações das articulações dos dedos menores e da ARTICULAÇÃO METATARSOFALÂNGICA do PÉ. A síndrome pode incluir alguns ou todos os seguintes estados: artelho em forma de martelo, pinça, macete, sobreposição do quinto artelho, artelho encurvado, EXOSTOSE, HIPEROSTOSE, heloma interdigital ou artelho contraído.Fasciíte Plantar: Inflamação dos tecidos duros da planta do pé (fáscia plantar) causando dor no CALCANHAR. A fáscia plantar (também denominada aponeurose plantar) são faixas de tecido fibroso que se estende da tuberosidade calcânea até os DEDOS DO PÉ. A etiologia da fasciíte plantar permanece controversa, mas é provável que envolva um desequilíbrio biomecânico. Embora se manifesta com frequência com o ESPORÃO DO CALCÂNEO, não parecem estar relacionados.Articulação Talocalcânea: Formada pela articulação do tálus com o calcâneo.Calcanhar: Parte posterior do PÉ em PRIMATAS, encontrado atrás do TORNOZELO e distalmente aos DEDOS DO PÉ.Moldes Cirúrgicos: Ataduras feitas de fibra de vidro, plástico, ou bandagem impregnada com emplastro de paris usadas para imobilização de várias partes do corpo em casos de fraturas, deslocamentos e ferimentos infectados. Em comparação com modelos de emplastro, modelos feitos de fibras de vidro ou plástico são leves, radiolucentes, hábeis a resistir à misturas e menos rígidos.Enterovirus Humano A: Espécie de ENTEROVIRUS que infecta humanos e contém 10 sorotipos (principalmente coxsackievirus).Pressão: Tipo de estresse exercido uniformemente em todas as direções. Sua medida é a força exercida por unidade de área. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed)Transtornos Neurológicos da Marcha: Anormalidades da marcha, que são manifestações de disfunção do sistema nervoso. Estas afecções podem ser causadas por uma ampla variedade de transtornos que afetam o controle motor, feedback sensorial e força muscular, incluindo: DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL, DOENÇAS DO SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO, DOENÇAS NEUROMUSCULARES ou DOENÇAS MUSCULARES.Calosidades: Hiperlasia localizada da camada córnea da epiderme devido à pressão ou atrito. (Dorland, 28a ed)Articulação do Dedo do Pé: Articulação entre a cabeça de uma falange e a base da falange distal a ela, em cada dedo do pé.Pernas: Parte mais baixa, na extremidade inferior, entre o JOELHO e o TORNOZELO.Supinação: Aplica-se aos movimentos do antebraço voltando a palma para frente ou para cima. Quando se refere ao pé, consiste de uma combinação de movimentos de adução e inversão.Pé Equino: A declinação plantar do pé.Artrodese: A fixação cirúrgica de uma articulação por um procedimento destinado a realizar a fusão das superfícies articulares por promover a proliferação das células ósseas. (Dorland, 28a ed)Traumatismos do Tornozelo: Lesão ou ferida do tornozelo ou junção dos tornozelos, normalmente causada por uma fonte externa.Transferência Tendinosa: Procedimento cirúrgico pelo qual um tendão é cortado na sua inserção e colocado numa região anatômica distante da inserção original. O tendão permanece ligado ao ponto de origem e retira a função de um músculo inativado por trauma ou doença.Podócitos: Células epiteliais altamente diferenciadas na camada visceral da CÁPSULA GLOMERULAR no RIM. São formadas por um corpo celular, com EXTENSÕES DA SUPERFÍCIE CELULAR e extensões digitiformes secundárias (pedicelos). Com aquelas, envolvem os capilares do GLOMÉRULO RENAL, formando uma estrutura de filtração. Os pedicelos dos podócitos vizinhos interdigitam, deixando aberturas de filtração (ligadas a estruturas extracelulares, impermeáveis a grandes macromoléculas) denominadas diafragma de fenda (slit diaphragm), a última barreira no RIM contra perda de proteínas.Membros Artificiais: Reposição protética de braços, pernas e suas partes.Mãos: Parte distal do braço além do punho em seres humanos e primatas, que inclui a palma da mão, dedos e o polegar.Postura: Posição ou atitude do corpo.Nervo Fibular: Ramo lateral dos dois ramos terminais do nervo ciático. O nervo fibular (ou peroneal) fornece inervação sensitiva e motora para partes da perna e pé.OsteomieliteTinha dos Pés: Lesão dermatológica prurídica nos pés, causada por Trichophyton rubrum, T. mentagrophytes ou Epidermophyton floccosum.Hydra: Gênero de pólipos (família Hydradae, ordem Hidroida, classe dos HIDROZOÁRIOS) de água doce, particularmente interessantes devido a sua organização complexa e porque sua organização adulta corresponde grosseiramente à gástrula dos animais superiores.Locomoção: Movimento ou capacidade para se deslocar de um lugar a outro. Pode se referir a humanos, vertebrados ou invertebrados, e microrganismos.Metatarsalgia: Dor na região do METATARSO. Isto inclui dor nos OSSOS DO METATARSO, ARTICULAÇÃO METATARSOFALÂNGICA e/ou articulações intermetatársicas (ARTICULAÇÕES TARSIANAS).Casco e Garras: Anexos altamente queratinizados que são afiadas e curvas, ou achatadas e com bordas pontiagudas. São encontrados principalmente na terminação dos membros em certos animais.Gangrena: Morte e putrefação de tecidos, geralmente devido à perda de suprimento sanguíneo.