Insetos: Classe Insecta, no filo dos ARTRÓPODOS, cujos membros são caracterizados pela divisão em três partes: cabeça, tórax e abdome. Consistem no grupo dominante de animais na Terra; várias centenas de milhares de tipos foram descritos. Três ordens, HEMIPTERA, DIPTERA e SIPHONAPTERA são de interesse para a medicina porque causam doenças em humanos e animais. (Tradução livre do original: Borror et al., An Introduction to the Study of Insects, 4th ed, p1)Proteínas de Insetos: Proteínas encontradas em quaisquer espécies de inseto.Vírus dos Insetos: Vírus que infectam insetos, sendo a maior família a BACULOVIRIDAE.Genes de Insetos: Unidades hereditárias funcionais dos INSETOS.Mariposas: Insetos da subordem Heteróceros da ordem dos LEPIDÓPTEROS.Controle de Insetos: Redução ou regulação da população de insetos nocivos, destrutivos ou perigosos através de meios químicos, biológicos ou de outros meios.Hormônios de Inseto: Hormônios secretados por insetos. Influenciam o seu crescimento e desenvolvimento. Também podem ser substâncias sintéticas que agem como os hormônios de insetos.Spodoptera: Gênero de mariposas corujas da família Noctuidae. Estes insetos são utilizados em estudos de biologia molecular durante todas as fases de seu ciclo de vida.Lepidópteros: Grande ordem de insetos que compreende as borboletas e mariposas.Genoma de Inseto: Complemento genético de um inseto (INSETOS) como representado em seu DNA.Repelentes de Insetos: Substâncias que fazem com que os insetos se afastem delas ou as rejeitem como alimento.Hemípteros: Grande ordem de insetos caracterizados por ter peças bucais adaptadas para perfurar ou sugar. É formada por quatro subordens: HETERÓPTEROS, Auchenorryncha, Sternorryncha e Coleorryncha.Baculoviridae: Família de VÍRUS DOS INSETOS constituída por duas subfamílias: Eubaculovirinae (baculovírus ocluídos) e Nudibaculovirinae (baculovírus não ocluídos). Os Eubaculovirinae apresentam corpos de inclusão poliédricos e se dividem em dois gêneros: NUCLEOPOLYHEDROVIRUS e GRANULOVIRUS. Vetores de baculovírus são utilizados para expressar genes estranhos em insetos.Larva: Estágio de desenvolvimento em que os seres apresentam forma semelhante a uma minhoca (wormlike) ou a uma lagarta (grublike), após o de ovo no ciclo de vida de insetos, vermes (worms), e outros animais que sofrem metamorfose.Insetos Vetores: Insetos que transmitem organismos infecciosos de um hospedeiro para outro, ou de um reservatório inanimado para um hospedeiro animado.Mordeduras e Picadas de Insetos: Mordeduras e picadas infligidas por insetos.Besouros: INSETOS (ordem Coleoptera) compreendem mais de 350.000 espécies em 150 famílias. Possuem corpos duros e suas estruturas bucais estão adaptadas para a mastigação.Dípteros: Ordem da classe dos insetos. Quando presentes, as asas são duas e servem para distinguí-los de outros insetos também denominados de moscas, enquanto que os halteres, ou asas posteriores reduzidas, separam os dípteros de outros insetos com um par de asas. A ordem inclui as famílias Calliphoridae, Oestridae, Phoridae, SARCOPHAGIDAE, Scatophagidae, Sciaridae, SIMULLIDAE, Tabanidae, Therevidae, Trypetidae, CERATOPOGONIDAE, CHIRONOMIDAE, CULICIDAE, DROSOPHILIDAE, GLOSSINIDAE, MUSCIDAE e PSYCHODIDAE. A forma larval das espécies pertencentes à ordem Diptera é denominada maggot, em inglês (ver LARVA).Hemolinfa: Líquido nutriente de alguns invertebrados, semelhante ao sangue/linfa.Baratas: Insetos da ordem dictiópteros englobando diversas famílias como Blaberidae, BLATTELLIDAE, Blattidae (contendo a barata americana PERIPLANETA americana), Cryptocercidae e Polyphagidae.Gafanhotos: Ortópteros herbívoros que possuem patas traseiras adaptadas para saltar. Há duas famílias principais: Acrididae e Romaleidae. Alguns dos gêneros mais comuns são: Melanoplus, o gafanhoto mais comum; Conocephalus, o gafanhoto do prado ocidental; e Pterophylla, o verdadeiro gafanhoto "musical" (katydid).Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Heterópteros: Subordem dos HEMIPTERA caracterizada por possuir dois pares de asas, uma coriácea e a outra membranosa. Inclui famílias importantes para a medicina, como a CIMICIDAE e a REDUVIIDAE. (Dorland, 28a ed)Tenebrio: Gênero de besouros que infestam cereais. Sua larva é conhecida como larva de farinha.Abelhas: Insetos da superfamília Apoidea encontradas em praticamente todo lugar, particularmente sobre flores. Por volta de 3500 espécies ocorrem na América do Norte. Diferem da maioria das VESPAS pelo fato de que suas crias são alimentadas com mel e pólen, ao invés de alimento de origem animal.Tribolium: Gênero de pequenos besouros da família Tenebrionidae; T. confusum é o "caruncho da farinha".Voo Animal: Uso de asas ou apêndices semelhantes a asas para permanecer no ar ou se mover através do ar.Vespas: Qualquer dos numerosos insetos himenópteros, alados, de hábitos tanto sociais como solitários, e que possuem ferrões extraordinários.Periplaneta: Gênero da família Blattidae contendo diversas espécies, sendo a mais comum P. americana, a barata americana.Himenópteros: Extensa ordem de insetos altamente especializados, incluindo abelhas, vespas e formigas.Controle Biológico de Vetores: Uso de organismos que ocorrem naturalmente ou que são produtos de engenharia genética para reduzir ou eliminar populações de pragas.Afídeos: Família (Aphididae) de pequenos insetos, da subordem Sternorrhyncha, que sugam a seiva de plantas. Gêneros importantes incluem Schizaphis e Myzus. Este último é conhecido por transportar mais de 100 doenças virais entre plantas.Bombyx: Gênero de MARIPOSAS conhecidas como bichos-da-seda, da família Bombycidae, ordem LEPIDOPTERA. A família é composta por única espécie, Bombyx mori (do grego: bicho-da-seda + amoreira, planta da qual de alimenta). Nativa da Ásia, às vezes, cultivada nos EUA. Tem sido cultivada por longo tempo por sua SEDA, e após séculos de domesticação, a espécie provavelmente não existe mais na natureza. É amplamente utilizada em genética experimental. (Tradução livre do original: Borror et al., An Introduction to the Study of Insects, 4th ed, p519).Gryllidae: A família Gryllidae consiste do mais comum grilo doméstico, Acheta domesticus, que é utilizado em estudos neurológicos e fisiológicos. Outros gêneros incluem Gryllotalpa (grilo toupeira); Gryllus (grilo de carpina); e Oecanthus (grilo de árvore).Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Filogenia: Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.Formigas: Insetos da família Formicidae, bastante comuns e amplamente distribuídos, provavelmente o grupo de maior êxito dentre os insetos. Todas as formigas são insetos sociais e a maioria das colônias possui três castas: rainhas, machos e operárias. Seus hábitos são frequentemente muito elaborados e diversos estudos têm sido realizados sobre o comportamento das formigas. Formigas produzem diversas secreções que funcionam no ataque, defesa e comunicação.Rhodnius: Gênero da subfamília TRIATOMINAE. Rhodnius prolixus é um vetor de TRYPANOSOMA CRUZI.Hormônios Juvenis: Compostos naturais ou sintéticos, que bloqueiam o desenvolvimento do inseto em crescimento.Gorgulhos: BESOUROS (família Curculionidae) e a maior família (ordem COLEOPTERA). Têm acentuada forma convexa e vários são considerados pragas.Inseticidas: Pesticidas designados para controlar insetos prejudiciais ao homem. Os insetos podem ser diretamente prejudiciais, como aqueles que agem como vetores de doenças, ou indiretamente prejudiciais, como destruidores de safras, produtos alimentícios ou tecidos.Ortópteros: Ordem de insetos compreendendo duas subordens: Caelíferos e Ensíferos. Consistem de GAFANHOTOS, locustas e grilos (GRYLLIDAE).Pupa: Estágio de inatividade entre os estágios larval e adulto no ciclo de vida dos insetos.Herbivoria: Hábito alimentar dos animais que consiste em comer plantas.Drosophila melanogaster: Espécie de mosca de fruta bastante utilizada em genética devido ao grande tamanho de seus cromossomos.Simbiose: Relação entre duas espécies diferentes de organismos que são interdependentes; uma ganha benefícios da outra ou uma relação entre diferentes espécies em que ambos os organismos em questão se beneficiam da presença do outro.Photorhabdus: Gênero de bactérias Gram-negativas que existem simbioticamente com nematoides da família Heterorhabditidae (veja RHABDITOIDEA). Esses nematoides infectam uma variedade de insetos terrestres. Ao penetrar no inseto hospedeiro, o nematoide libera Photorabdus de seu trato intestinal e a bactéria estabelece septicemia letal no inseto.Artrópodes: Membros do filo Arthropoda, composto por organismos que possuem um exoesqueleto duro articulado e pernas pareadas articuladas. Inclui a classe dos INSETOS e a subclasse dos ARACNÍDEOS, das quais muitas espécies são importantes na medicina como parasitas ou vetores de organismos capazes de causar doença no ser humano.Muda: Queda periódica de PLUMAS, CABELO ou cutícula. A muda é um processo de esfoliação ou descamação, especialmente o desprendimento de um revestimento externo e o desenvolvimento de um novo. Este fenômeno permite o crescimento em ARTRÓPODES, renovação de pele em ANFÍBIOS e RÉPTEIS, e a eliminação da cobertura do inverno em AVES e MAMÍFEROS.Xenorhabdus: Gênero de bactérias Gram-negativas, facultativamente anaeróbias e em forma de bastonete, que se movem por flagelos peritricosos. No final do ciclo de crescimento, esferoplastos ou corpos cocoides aparecem, resultantes da desintegração da parede celular. O habitat natural é a luz intestinal de certos nematoides.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Moscas Domésticas: Moscas da espécie Musca domestica (família MUSCIDAE), que infestam habitações humanas ao redor do mundo e frequentemente servem de carreadoras de organismos patogênicos.Corpo Adiposo: Reservatório nutricional de tecido adiposo encontrado principalmente em insetos e anfíbios.Hemócitos: Qualquer elemento presente ou formado no sangue, principalmente em invertebrados.Interações Hospedeiro-Parasita: Relação entre um invertebrado e outro organismo (o hospedeiro), um dos quais vive às custas do outro. Tradicionalmente excluídos da definição de parasitas, são BACTÉRIAS patogênicas, FUNGOS, VÍRUS e PLANTAS; entretanto eles podem viver de modo parasitário.Comportamento Alimentar: Respostas comportamentais ou sequenciais associadas ao ato de alimentar-se, maneira ou modos de se alimentar, padrões rítmicos da alimentação (intervalos de tempo - hora de comer, duração da alimentação).Nucleopolyhedrovirus: Gênero da família BACULOVIRIDAE, subfamília Eubaculovirinae, caracterizado pela formação de cristalinos corpos de oclusão poliédricos no núcleo da célula hospedeira. A espécie típica é o nucleopoliedrovirus Autographa californica.Túbulos de Malpighi: Estruturas excretoras em forma de tubos delgados ou capilares, encontradas em insetos. Emergem do CANAL ALIMENTAR entre o mesenteron (intestino médio) e o proctodeo (intestino posterior).Metamorfose Biológica: Mudanças físicas profundas durante a maturação dos organismos vivos a partir das formas imaturas a formas adultas, como de GIRINOS a rãs, lagartas a MARIPOSAS.Proteínas Recombinantes: Proteínas preparadas através da tecnologia de DNA recombinante.Metarhizium: Gênero de fungos mitospóricos na família Clavicipitaceae. Têm teleomorfos na família Nectriaceae. O Metarhizium anisopliae é utilizado em PESTICIDAS.Bacillus thuringiensis: Espécie de bactéria Gram-positiva que pode ser patogênica a certos insetos. É utilizada para controle biológico da mariposa cigana.Beauveria: Gênero de fungo mitospórico. Os teleomorfos são encontrados na família Clavicipitaceae e incluem o Cordyceps bassiana. A espécie Beauveria bassiana é um patógeno comum de ARTRÓPODES e utilizado em CONTROLE DE PRAGAS.DEET: Composto utilizado topicamente como repelente de insetos. Pode causar irritação aos olhos e mucosas, mas não à pele. Ver também: http://www.anvisa.gov.br/cosmeticos/informa/parecer_deet.htm.Ninfa: Estágio imaturo no ciclo de vida daquelas ordens de insetos caracterizados por metamorfose gradual, em que o jovem se assemelha à imagem [do adulto] na forma geral do corpo, inclusive com olhos compostos e asas externas; também a fase de 8 patas de traças e carrapatos que se segue à primeira muda.Especificidade da Espécie: Restrição de um comportamento característico, estrutura anatômica ou sistema físico, como resposta imunológica, resposta metabólica ou gene ou variante gênico dos membros de uma espécie. Refere-se às propriedades que diferenciam uma espécie de outra, mas também se usa para níveis filogenéticos superiores ou inferiores ao nível de espécie.Oviposição: Processo de deposição ou eliminação de ovos totalmente desenvolvidos, a partir do corpo da fêmea. O termo geralmente é usado para certos INSETOS ou PEIXES que possuem um órgão denominado ovipositor, no qual os ovos são armazenados ou dispostos antes de serem expulsos do corpo.Evolução Biológica: Processo de alterações acumuladas ao longo de gerações sucessivas através das quais os organismos adquirem características morfológicas e fisiológicas distintas.Antenas de Artrópodes: Par de órgãos sensoriais conectados aos segmentos anteriores dos ARTRÓPODES que os ajudam na navegação pelo ambiente.Drosophila: Gênero de moscas pequenas, com duas asas, contendo aproximadamente 900 espécies descritas. Estes organismos são os mais extensamente estudados de todos os gêneros do ponto-de-vista genético e de citologia.Ecdisteroides: Esteroides que causam a MUDA ou ecdise nos insetos. Entre os ecdisteroides estão os hormônios endógenos de insetos (ECDISONA e ECDISTERONA) e os hormônios de mudas dos insetos encontrados em plantas (fitoecdisteroides). Os fitoecdisteroides são inseticidas naturais.Aedes: Gênero de mosquitos (CULICIDAE) frequentemente encontrados em regiões tropicais e subtropicais. A FEBRE AMARELA e a DENGUE são duas das doenças que podem ser transmitidas por espécies deste gênero.Ecdisterona: Hormônio esteroide que regula os processos de MUDA ou ecdise em insetos. A ecdisterona é a ECDISONA 20-hidroxilada.Clonagem Molecular: Inserção de moléculas de DNA recombinante de origem procariótica e/ou eucariótica em um veículo replicante, tal como um plasmídeo ou vírus vetores, e a introdução das moléculas híbridas resultantes em células receptoras, sem alterar a viabilidade dessas células.Locusta migratoria: Espécie de 'locustas' migratórias do Velho Mundo (família ACRIDIDAE), pragas importantes na África e na Ásia.Tegumento Comum: Revestimento externo do corpo composto por PELE, seus acessórios (CABELO, UNHAS, GLÂNDULAS SEBÁCEAS e GLÂNDULAS SUDORÍPARAS) e seus ductos.Borboletas: Insetos diurnos de corpo delgado que possuem largas asas frequentemente coloridas e padronizadas de forma marcante.Proteínas de Drosophila: Proteínas que se originam a partir de espécies de insetos pertencendo ao gênero DROSOPHILA. As proteínas da espécie de Drosophila mais intensamente estudadas, a DROSOPHILA MELANOGASTER, são objeto de muito interesse na área da MORFOGÊNESE e desenvolvimento.Wolbachia: Gênero de bactérias que compreende um grupo heterogêneo de pequenos bacilos e formas cocoides Gram-negativos, associadas com artrópodes.Homologia de Sequência de Aminoácidos: Grau de similaridade entre sequências de aminoácidos. Esta informação é útil para analisar a relação genética de proteínas e espécies.AsaTephritidae: Grande família de moscas de frutas (ordem dos DÍPTEROS) composta por mais de 4.500 espécies em cerca de 100 gêneros. Possuem asas com desenhos e corpos com cores vivas e são encontradas predominantemente nas latitudes tropicais.Células Sf9: Linhagem celular derivadas de CÉLULAS SF21 que constituem uma linhagem celular isolada de explantes primários de tecido de pupa de SPODOPTERA FRUGIPERDA.Evolução Molecular: Processo de mudanças cumulativas em relação ao DNA, RNA e PROTEÍNAS, ao longo de sucessivas gerações.Diapausa de Inseto: Suspensão sazonal do desenvolvimento de insetos. Pode ser induzido por fatores ambientais (FOTOPERÍODO) ou como parte facultativa do ciclo de vida para sincronizar o desenvolvimento com alterações sazonais.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Resistência a Inseticidas: Desenvolvimento de resistência aos inseticidas pelos insetos.Comportamento Predatório: Padrão instintivo de comportamento em que o alimento é obtido pelo abatimento e consumo de outras espécies.Alinhamento de Sequência: Combinação de dois ou mais aminoácidos ou sequências de bases de um organismo ou organismos de tal forma a alinhar áreas das sequências de distribuição das propriedades comuns. O grau de correlação ou homologia entre as sequências é previsto computacionalmente ou estatisticamente, baseado nos pesos determinados dos elementos alinhados entre as sequências. Isto pode servir como um indicador potencial de correlação genética entre os organismos.Análise de Sequência de DNA: Processo de vários estágios que inclui clonagem, mapeamento físico, subclonagem, determinação da SEQUÊNCIA DE DNA e análise de informação.Metoprene: Análogo do hormônio juvenil e regulador do crescimento de insetos. Usado para controlar insetos através da interrupção da metamorfose. Tem sido eficaz no controle das larvas de mosquito.Aranhas: Artrópodes da classe ARACHNIDA [ou ARACNÍDEOS], ordem Araneae. Exceto pelos ácaros e carrapatos, aranhas constituem a maior ordem de aracnídeos, com aproximadamente 37.000 espécies descritas. A maioria das aranhas são inofensivas, embora algumas espécies possam ser consideradas moderadamente nocivas já que suas picadas podem levar a sintomas locais bastante severos.Culicidae: Famílias da ordem dos DÍPTEROS que engloba os mosquitos. Os estágios larvais são aquáticos, e os adultos podem ser reconhecidos pela característica vascularização das ASAS, as escalas ao longo das veias das asas e o longo proboscis (aparelho picador-sugador). Várias espécies são de particular importância médica.Entomologia: Disciplina ou ocupação interessada no estudo dos INSETOS, incluindo a biologia e o controle dos insetos.DNA Complementar: DNA complementar de fita única sintetizado a partir de um molde de RNA pela ação da DNA polimerase dependente de RNA. O DNAc (DNA complementar, não DNA circular, não C-DNA) é utilizado numa variedade de experimentos de clonagem molecular assim como servem como uma sonda de hibridização específica.Isópteros: Ordem de insetos, restritos em sua maioria aos trópicos, contendo ao menos oito famílias. Algumas poucas espécies ocorrem em regiões temperadas da América do Norte.Anopheles gambiae: Espécie (gênero Anopheles) de mosquito, principal vetor da MALÁRIA na África.Receptores Odorantes: Proteínas, que geralmente emergem a partir dos cílios do neurônio receptor olfatório, que ligam especificamente moléculas odoríferas e desencadeiam respostas nos neurônios. O grande número de diferentes receptores odoríferos parece ter origem principalmente em diversas famílias ou subfamílias de gene do que em rearranjos do DNA.Proteínas Hemolisinas: Proteínas de BACTÉRIAS e FUNGOS, suficientemente solúveis para serem secretadas em ERITRÓCITOS alvo, e se inserem na membrana formando poros com estrutura em barril beta. A biossíntese pode ser regulada por FATORES DE HEMOLISINA.Sistema Digestório: Grupo de órgãos que se estende desde a BOCA até o ÂNUS, atuando na degradação de alimentos, absorção dos nutrientes e eliminação dos resíduos. Em humanos, o sistema digestório abrange o TRATO GASTRINTESTINAL e as glândulas acessórias (FÍGADO, TRATO BILIAR, PÂNCREAS).Oxilipinas: Ácidos graxos poli-insaturados ciclopentil de dezoito carbonos derivados de ÁCIDO ALFA-LINOLÊNICO por uma via oxidativa análoga à dos EICOSANOIDES em animais. A biossíntese é inibida por SALICILATOS. Um membro chave, ácido jasmônico de PLANTAS, desempenha um papel semelhante ao do ÁCIDO ARAQUIDÔNICO em animais.Blattellidae: Família de insetos da ordem Dictyoptera (BARATAS) que inclui os gêneros Blattella, Parcoblatta e Symploce.Ecdisona: Hormônio esteroide que regula os processos de MUDA ou ecdise em insetos.Odores: Parte volátil das substâncias perceptível pelo sentido do olfato.Rabditídios: Ordem de nematódeos da subclasse SECERNENTEA. Seus organismos são caracterizados por cutícula anelada ou lisa e a ausência de glândulas caudais.Polinização: Transferência dos grãos de PÓLEN (gametas masculinos) para o óvulo da planta (gameta feminino).Endotoxinas: Toxinas estreitamente associadas com o citoplasma vivo ou com a parede celular de certos micro-organismos, e que não se difundem rapidamente para o meio de cultura, sendo liberados apenas com a lise celular.Comportamento Animal: A resposta observável de um animal diante de qualquer situação.Triatoma: Gênero da subfamília TRIATOMINAE. Diversas espécies são vetores de TRYPANOSOMA CRUZI.Ciclopentanos: Grupo de hidrocarbonetos alicíclicos com a fórmula geral R-C5H9.Plantas: Formas de vida eucarióticas e multicelulares do reino Plantae (lato sensu), compreendendo VIRIDIPLANTAE, RODÓFITAS e GLAUCÓFITAS, todas as quais obtiveram cloroplastos por endossimbiose direta com CIANOBACTÉRIAS. São caracterizadas por modo de nutrição predominantemente fotossintético; crescimento essencialmente ilimitado em certas regiões de divisão celular localizadas (MERISTEMA); celulose no interior das células que confere rigidez, ausência de órgãos de locomoção, ausência de sistemas nervoso e sensorial e alternância entre gerações haploides e diploides.Estágios do Ciclo de Vida: Sequência contínua de transformações sofridas por organismos vivos durante o processo de desenvolvimento pós-embrionário, como a metamorfose nos insetos e anfíbios. Inclui estágios de desenvolvimento de apicomplexos como o parasita da malária, PLASMODIUM FALCIPARUM.Feromônios: Substâncias químicas excretadas por um organismo no ambiente e que induzem respostas fisiológicas ou comportamentais em outros organismos da mesma espécie. A percepção destes sinais químicos pode ser olfatória ou por contato.Reprodução: O processo total pelo qual organismos geram a prole. (Stedman, 25a ed)Folhas de Planta: Estruturas expandidas, geralmente verdes, de plantas vasculares, consistindo caracteristicamente de uma expansão em lâmina ligada a um caule, funcionando como o principal órgão de fotossíntese e transpiração.Sensílios: Nome coletivo para um grupo de MECANORRECEPTORES externos e quimiorreceptores que se assemelham a estruturas sensoriais nos ARTRÓPODOS. Incluem projeções cuticulares (tufos ciliares, pelos e cerdas), poros e fendas.Controle de Pragas: Redução ou regulação da população de plantas, insetos ou outros animais nocivos, destrutivos ou perigosos. Inclui o controle de plantas que servem como habitats ou fonte de alimento para pragas animais.Comportamento Sexual Animal: Atividades sexuais dos animais.Catecol Oxidase: Enzima da classe das oxidorredutases que catalisa a reação entre o catecol e oxigênio para dar benzoquinona e água. É um complexo de proteínas que contém cobre, que age também em uma variedade de catecóis substituídos. EC 1.10.3.1.Olfato: A habilidade de detectar aromas ou odores, como a função dos NEURÔNIOS RECEPTORES OLFATÓRIOS.Atrativos Sexuais: Feromônios que despertam atração sexual ou comportamento reprodutor, geralmente nos membros do sexo oposto da mesma espécie.Extremidades: Projeções mais distantes ou mais externas do corpo, como a MÃOS e PÉS.Ecossistema: 1) Sistema funcional que inclui os organismos de uma comunidade natural junto a seu ambiente. (MeSH/NLM)(Tradução livre do original: McGraw Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed) 2)Sistema aberto integrado pelos organismos vivos (inclusive o homem) e os elementos não vivos de um setor ambiental definido no tempo e no espaço, cujas propriedades globais de funcionamento e autorregulação derivam da interação entre seus componentes, tanto pertencentes aos sistemas naturais como aqueles modificados ou organizados pelo próprio homem. 3) Complexo constituído pelo biótopo e pela biocenose (Material III - Ministério da Ação Social, Brasília, 1992)Vetores Genéticos: Moléculas de DNA capazes de replicação autônoma dentro de uma célula hospedeira, na qual outras sequências de DNA podem ser inseridas e amplificadas. Muitos são provenientes de PLASMÍDEOS, BACTERIÓFAGOS ou VÍRUS. São usados para transportar genes estranhos às células receptoras. Os vetores genéticos possuem um local de replicação funcional e contêm MARCADORES GENÉTICOS para facilitar seu reconhecimento seletivo.Percevejos-de-Cama: Percevejo da família CIMICIDAE, gênero Cimex. C. lectularius, das regiões temperadas, e C. rotundatus (himepterus), dos trópicos, são insetos avermelhados, ovais, achatados, que habitam em casas, mobília e leitos maltratados e alimentam-se do sangue humano, usualmente à noite. (Dorland, 28a ed)Doenças das Plantas: Doenças de plantas.Hypocreales: Ordem de fungos do filo ASCOMYCOTA que inclui numerosas espécies que são parasitas de plantas superiores, insetos ou fungos. Outras espécies são saprotróficas.Triatominae: Subfamília de percevejos (REDUVIIDAE) assassinos, hematófagos obrigatórios de vertebrados. Entre os gêneros estão: TRIATOMA, RHODNIUS e PANSTRONGYLUS, vetores do TRYPANASOMA CRUZI (agente da DOENÇA DE CHAGAS em humanos).Transporte Respiratório: Processo de difusão através da BARREIRA SANGUE-AR e as reações químicas acopladas com a difusão que efetuam a taxa de TROCA GASOSA PULMONAR, geralmente no nível alveolar.Polydnaviridae: Família de vírus de insetos, isolados de insetos himenópteros endoparasitas pertencentes às famílias Ichneumonidae e Braconidae. Seus dois gêneros são Ichnovirus e Bracovirus.Modelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Dinâmica Populacional: Qualquer processo ou inter-relação de fenômenos que provocam mudanças em uma população.Solidago: Gênero de plantas (da família ASTERACEAE) conhecidas pelo pólen alergênico (ALÉRGENOS).Nematoides: Classe de helmintos não segmentados com simetria bilateral fundamental e simetria trirradiada secundária das estruturas oral e esofagianas. Diversas espécies são parasitas.Odonatos: Ordem de insetos que compreende três subordens: Anisoptera, Zygoptera e Anisozygoptera. Consistem das libélulas e donzelinhas.Interferência de RNA: Fenômeno de inativação gênica, pelo qual os RNAds (RNA DE CADEIA DUPLA) desencadeiam a degradação de RNAm homólogo (RNA MENSAGEIRO). Os RNAs de cadeia dupla específicos são processados em RNA INTERFERENTE PEQUENO (RNAsi) que serve como guia para a clivagem do RNAm homólogo no COMPLEXO DE INATIVAÇÃO INDUZIDO POR RNA. A METILAÇÃO DE DNA também pode ser desencadeada durante este processo.Estruturas Animais: Órgãos e outras estruturas anatômicas de animais vertebrados não humanos e animais invertebrados.Compostos Orgânicos Voláteis: Compostos orgânicos que possuem uma PRESSÃO DE VAPOR relativamente alta à temperatura ambiente.Hormônios de Invertebrado: Hormônios produzidos por invertebrados, geralmente insetos, moluscos, anelídeos e helmintos.Moscas Tsé-Tsé: Moscas hematófagas do gênero Glossina, encontradas primariamente na África equatorial. Diversas espécies são hospedeiros intermediários de tripanossomos.Âmbar: Resina fóssil amarelada; goma de várias espécies de coníferas, encontrada em depósitos aluviais no nordeste da Alemanha. Usado em biologia molecular para análise da matéria orgânica nela fossilizada.Comunicação Animal: Comunicação entre animais que envolve a emissão, por parte de um animal, de um sinal químico ou físico que influencia o comportamento daquele que o recebe.Tisanópteros: Ordem de INSETOS muito pequenos de asas franjadas que inclui muitas pragas da agricultura.Comportamento Social: Qualquer comportamento que é causado por um outro indivíduo, ou que afeta outro indivíduo, em geral da mesma espécie.