Fibras Nervosas: Prolongações delgadas dos NEURÔNIOS, incluindo AXÔNIOS e seus invólucros gliais (BAINHA DE MIELINA). As fibras nervosas conduzem os impulsos nervosos para e do SISTEMA NERVOSO CENTRAL.Fibras na Dieta: Resíduos de paredes celulares e tecidos de sustentação de vegetais. Desempenham funções importantes no organismo, relacionadas ao metabolismo de lipídios e carboidratos e na fisiologia do trato gastrintestinal, além de assegurar absorção mais lenta dos nutrientes e promover sensação de saciedade. (POURCHET-CAMPOS 1998)Fibras Musculares Esqueléticas: Células grandes, multinucleadas, individualizadas, de forma cilíndrica ou prismática, que formam a unidade básica do MÚSCULO ESQUELÉTICO. Consistem de MIOFIBRILAS confinadas e aderidas ao SARCOLEMA. São derivadas da fusão de MIOBLASTOS ESQUELÉTICOS em um sincício, seguido por diferenciação.Fibras Minerais: Filamentos longos, flexíveis, aderentes, naturais ou manufaturados de comprimentos variáveis. Eles formam a estrutura de alguns minerais. Sua importância médica reside em suas potenciais capacidades de causar vários tipos de PNEUMOCONIOSES (e.g., ASBESTOSE) após a exposição ocupacional ou ambiental.Fibras Musculares de Contração Rápida: Fibras musculares esqueléticas caracterizadas por sua expressão de isoformas Tipo II de CADEIAS PESADAS DE MIOSINA que possuem alta atividade de ATPase e efetuam várias outras propriedades funcionais – diminuição da velocidade, saída de energia, taxa de remodelação da tensão. Vários tipos de fibras de contração rápida já foram identificados.Fibras Musculares de Contração Lenta: Fibras musculares esqueléticas caracterizadas por sua expressão de isoformas Tipo I de CADEIAS PESADAS DE MIOSINA que possuem baixa atividade de ATPase e efetuam várias outras propriedades funcionais – diminuição da velocidade, potência, taxa de remodelação da tensão.Fibra de Algodão: Fibras TÊXTEIS obtidas do arilo (exterior das SEMENTES) das sementes do algodoeiro (GOSSYPIUM). A inalação do pó da fibra do algodão por um periodo prolongado pode resultar em BISSINOSE.Fibras de Estresse: Feixes de filamentos de actina (CITOESQUELETO DE ACTINA) e miosina-II que atravessam a célula ligando-se à membrana celular nas ADÊRENCIAS FOCAIS e à rede de FILAMENTOS INTERMEDIÁRIOS que rodeiam o núcleo.Ramos Subendocárdicos: Fibras musculares cardíacas modificadas que formam a porção terminal do sistema de condução do coração.Fibras Nervosas Mielinizadas: Classe de fibras nervosas definidas por sua estrutura, especificamente o arranjo da bainha nervosa. Os AXÔNIOS das fibras nervosas mielinizadas são completamente revestidos por uma BAINHA DE MIELINA. São fibras de diâmetros relativamente grandes e variados. Sua velocidade de CONDUÇÃO NERVOSA é maior que nas fibras nervosas não mielinizadas (FIBRAS NERVOSAS NÃO MIELINIZADAS). Fibras nervosas mielinizadas estão presentes nos nervos somáticos e autossômicos.Fibras Musgosas Hipocampais: Axônios de certas células do GIRO DENTEADO. Projetam-se para a camada polimórfica do giro denteado e para os dendritos proximais das CÉLULAS PIRAMIDAIS do HIPOCAMPO. Estas fibras musgosas não devem ser confundidas com as fibras musgosas que constituem aferências cerebelares (ver FIBRAS NERVOSAS).Músculos: Tecidos contráteis que produzem movimentos nos animais.Contração Muscular: Processo que leva ao encurtamento e/ou desenvolvimento de tensão no tecido muscular. A contração muscular ocorre por um mecanismo de deslizamento de miofilamentos em que os filamentos da actina [se aproximam do centro do sarcômero] deslizando entre os filamentos de miosina.Músculo Esquelético: Subtipo de músculo estriado fixado por TENDÕES ao ESQUELETO. Os músculos esqueléticos são inervados e seus movimentos podem ser conscientemente controlados. Também são chamados de músculos voluntários.Tecido Elástico: Tecido conjuntivo constituído principalmente por fibras elásticas. Estas têm dois componentes: ELASTINA e MICROFIBRILAS.Fibras Nervosas Amielínicas: Classe de fibras nervosas definidas pelo arranjo da bainha nervosa. Os AXÔNIOS das fibras nervosas não mielinizadas são pequenos em diâmetro e geralmente várias são circundados por uma única BAINHA DE MIELINA. Conduzem os impulsos nervosos de baixa velocidade e representam a maioria das fibras sensoriais periféricas e autônomas, mas também são encontradas no CÉREBRO e na MEDULA ESPINAL.Miofibrilas: Organelas contráteis longas e cilíndricas das células do MÚSCULO ESTRIADO compostas por FILAMENTOS DE ACTINA, filamentos de MIOSINAS e outras proteínas organizadas em arranjos de unidades repetidas chamadas SARCÔMEROS.Fibras Adrenérgicas: Fibras nervosas que liberam catecolaminas em sinapses após um impulso.Cadeias Pesadas de Miosina: As maiores subunidades das MIOSINAS. As cadeias pesadas possuem peso molecular de aproximadamente 230 kDa e cada uma delas geralmente está associada a um par diferente de CADEIAS LEVES DE MIOSINA. As cadeias pesadas possuem atividade ligante de actina e atividade ATPase.Asbestos: Asbestos (amiantos). Minerais fibrosos, incombustíveis, compostos por magnésio e silicatos de cálcio, com ou sem outros elementos. São relativamente inertes quimicamente e utilizados no isolamento térmico e na proteção contra o fogo. Inalação de seu pó causa asbestose seguida por neoplasias pulmonares e gastrointestinais.Rana temporaria: Espécie da família Ranidae que ocorre em ampla variedade de habitats, desde o Círculo Ártico até a África do Sul, Austrália, etc.Estimulação Elétrica: Uso de correntes ou potenciais elétricos para obter respostas biológicas.Vidro: Silicato rígido, amorfo, frágil, inorgânico, geralmente transparente, polimérico, de óxidos básicos, geralmente de potássio ou de sódio. É usado em forma (rígida) de folhas, vasos, tubos, fibras, cerâmicas, contas, etc.Condução Nervosa: Propagação do IMPULSO NERVOSO ao longo do nervo afastando-se do local do estímulo excitatório.Potenciais de Ação: Mudanças abruptas no potencial de membrana, que percorrem a MEMBRANA CELULAR de células excitáveis em resposta a estímulos excitatórios.Neurônios Aferentes: Neurônios que transportam IMPULSOS NERVOSOS ao SISTEMA NERVOSO CENTRAL.Microscopia Eletrônica: Microscopia que utiliza um feixe de elétrons, em vez de luz, para visualizar a amostra, permitindo assim uma grande amplificação. As interações dos ELÉTRONS com as amostras são usadas para fornecer informação sobre a estrutura fina da amostra. Na MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO, as reações dos elétrons transmitidas através da amostra são transformadas em imagem. Na MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE VARREDURA, um feixe de elétrons incide em um ângulo não normal sobre a amostra e a imagem é formada a partir de reações que ocorrem acima do plano da amostra.Amianto Amosita: Amianto grunerita. Forma anfibólica monoclínica de asbesto (amianto) que apresenta longas fibras e uma alta concentração de ferro. É utilizado para isolamento. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed)Gatos: Família carnívora FELIDAE (Felis catus, gato doméstico), composta por mais de 30 raças diferentes. O gato doméstico descende primariamente do gato selvagem da África e do extremo sudoeste da Ásia. Embora provavelmente estivessem presentes em cidades da Palestina há 7.000 anos, a domesticação em si ocorreu no Egito aproximadamente há 4.000 anos . (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 6th ed, p801)Histocitoquímica: Estudo da distribuição intracelular de substâncias químicas, sítios de reação, enzimas etc., por meio de reações coradas, captação de isótopo radioativo, distribuição seletiva de metais em microscopia eletrônica ou outros métodos.Asbestos Serpentinas: Tipo de asbesto que existe na natureza como silicato de magnésio di-hidratado. Existe sob duas formas: a antigorita, uma variedade laminada, e a crisotila, uma variedade fibrosa. Esta última faz 95 por cento de todos os produtos de asbestos. (Tradução livre do original: Merck Index, 11th ed, p.893)Axônios: Fibras nervosas capazes de conduzir impulsos rapidamente para fora do corpo da célula nervosa.Sarcômeros: Unidades contráteis repetidas das MIOFIBRILAS, delimitadas pelas linhas Z ao longo do seu comprimento.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Miosinas: Superfamília diversificada de proteínas que atuam como proteínas de translocação. Compartilham a característica comum de serem capazes de se ligar a ACTINAS e hidrolisar o MgATP. Geralmente, as miosinas consistem em cadeias pesadas envolvidas na locomoção e cadeias leves envolvidas na regulação. Há três domínios inseridos na estrutura na cadeia pesada da miosina: cabeça, pescoço e cauda. A região da cabeça da cadeia pesada contém o domínio de ligação à actina e o domínio MgATPase, que provê energia para locomoção. A região do pescoço está envolvida na união das cadeias leves. A região da cauda possui o ponto de ancoragem que retém a posição da cadeia pesada. A superfamília das miosinas é organizada em classes estruturais baseadas no tipo e arranjo das subunidades que elas contêm.Contração Isométrica: Contrações musculares caracterizadas por aumento de tensão, sem alteração no comprimento [da fibra muscular].Celulose: Polissacarídeo com unidades de glucose ligadas como em CELOBIOSE. É o constituinte principal de fibras de plantas, sendo o algodão, forma natural mais pura desta substância. Como matéria-prima, forma a base de muitos derivados utilizados em cromatografia, material de troca iônica, manufatura de explosivos e preparações farmacêuticas.Cálcio: Elemento fundamental encontrado em todos os tecidos organizados. É um membro da família dos metais alcalinoterrosos cujo símbolo atômico é Ca, número atômico 20 e peso atômico 40. O cálcio é o mineral mais abundante no corpo e se combina com o fósforo para formar os fosfatos de cálcio presentes nos ossos e dentes. É essencial para o funcionamento normal dos nervos e músculos além de desempenhar um papel importante na coagulação do sangue (como o fator IV) e em muitos processos enzimáticos.Vias Aferentes: Estruturas nervosas através das quais os impulsos são conduzidos da parte periférica em direção ao centro do sistema nervoso.Denervação Muscular: Resecção ou remoção da inervação de um músculo ou tecido muscular.Músculos Psoas: Potente flexor da coxa na altura da articulação do quadril (psoas maior) e um fraco flexor do tronco e região lombar da coluna vertebral (psoas menor). A palavra psoas é derivada do Grego 'psoa' significando 'músculos da região lombar'. É uma região comum de infecção que se manifesta como um abscesso (ABSCESSO DO PSOAS). Os músculos psoas e suas fibras também são frequentemente utilizados em experimentos envolvendo fisiologia muscular.Microscopia Eletrônica de Varredura: Microscopia em que o objeto é examinado diretamente por uma varredura de feixe de elétrons na amostra ponto-a-ponto. A imagem é construída por detecção de produtos de interação da amostra que são projetados acima do seu plano como elétrons dispersos no plano oposto. Embora a MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO também varra ponto-a-ponto a amostra com o feixe de elétrons, a imagem é construída pela detecção de elétrons, ou de seus produtos de interação que são transmitidos através do plano da amostra, formando desta maneira, a MICROSCOPIA ELETRÔNICA DE TRANSMISSÃO.Asbesto Crocidolita: Asbesto resistente à ação de ácidos, com cor de alfazema.Desenvolvimento Muscular: Eventos do desenvolvimento que levam à formação do sistema muscular adulto, incluindo a diferenciação de vários tipos de células musculares precursoras, migração de mioblastos, ativação da miogênese e desenvolvimento da fixação do músculo.Rana pipiens: Espécie altamente variável da família Ranidae que ocorre no Canadá, Estados Unidos e América Central. É o anuro mais amplamente utilizado em pesquisa biomédica.Coelhos: Espécie Oryctolagus cuniculus (família Leporidae, ordem LAGOMORPHA) nascem nas tocas, sem pelos e com os olhos e orelhas fechados. Em contraste com as LEBRES, os coelhos têm 22 pares de cromossomos.Potenciais da Membrana: Diferenças de voltagem através da membrana. Nas membranas celulares são computados por subtração da voltagem medida no lado de fora da membrana da voltagem medida no interior da membrana. Resultam das diferenças entre as concentrações interna e externa de potássio, sódio, cloreto e outros íons difusíveis através das membranas celulares ou das ORGANELAS. Nas células excitáveis, o potencial de repouso de -30 a -100 mV. Estímulos físico, químico ou elétrico tornam o potencial de membrana mais negativo (hiperpolarização) ou menos negativo (despolarização).Amiantos Anfibólicos: Classe de asbestos (amiantos) que incluem os silicatos de magnésio, ferro, cálcio e sódio. Suas fibras são geralmente quebradiças e não podem ser torcidas, porém são mais resistentes às substâncias químicas que os AMIANTOS SERPENTINAS.Fusos Musculares: Estruturas musculoesqueléticas que funcionam como MECANORRECEPTORES responsáveis pelo estiramento ou reflexo miotático (REFLEXO DE ESTIRAMENTO). São compostos por um feixe encapsulado de fibras (ver FIBRAS NERVOSAS MIELINIZADAS) de MÚSCULO ESQUELÉTICO, isto é, as fibras intrafusais (fibras em saco nuclear bag1, fibras em saco nuclear bag2, e fibras em cadeia nuclear) inervadas por CÉLULAS RECEPTORAS SENSORIAIS.Actinas: Proteínas filamentosas, principais constituintes dos delgados filamentos das fibras musculares. Os filamentos (também conhecidos como filamentos ou actina-F) podem ser dissociados em suas subunidades globulares. Cada subunidade é composta por um único polipeptídeo de 375 aminoácidos. Este é conhecido como actina-G ou globular. Em conjunção com a MIOSINA, a actina é responsável pela contração e relaxamento do músculo.Neurônios Motores: Neurônios que ativam CÉLULAS MUSCULARES.Células de Purkinje: Neurônios eferentes do córtex cerebelar.Mecanorreceptores: Células especializadas na transdução dos estímulos mecânicos e funcionam como um relé destas informações centralmente direcionadas no sistema nervoso. Os mecanorreceptores incluem as células ciliares da ORELHA INTERNA, que medeiam a audição e equilíbrio, e os vários receptores somatossensoriais, que frequentemente apresentam estruturas acessórias não neurais.Ratos Wistar: Linhagem de ratos albinos desenvolvida no Instituto Wistar e que se espalhou amplamente para outras instituições. Este fato diluiu marcadamente a linhagem original.Imuno-Histoquímica: Localização histoquímica de substâncias imunorreativas utilizando anticorpos marcados como reagentes.Estresse Mecânico: Condição puramente física que existe em qualquer material devido à distensão ou deformação por forças externas ou por expansão térmica não uniforme. É expresso quantitativamente em termos de força por área unitária.Membro Posterior: Cada uma das duas extremidades traseiras de animais terrestres não primatas, que apresentam quatro membros. Geralmente é constituído por FÊMUR, TÍBIA, FÍBULA, OSSOS DO TARSO, OSSOS DO METATARSO e DEDOS DO PÉ. (Tradução livre do original: Storer et al., General Zoology, 6th ed, p 73)Diafragma: Divisão fibromuscular que separa a CAVIDADE TORÁCICA da CAVIDADE ABDOMINAL. A contração do diafragma aumenta o volume da cavidade torácica auxiliando na INALAÇÃO.Thoracica: Superordem de CRUSTÁCEOS marinhos, que nadam livremente no estágio larval, mas permanentemente fixos durante a vida adulta. Há cerca de 800 espécies descritas, agrupadas em vários gêneros, entre eles as duas maiores ordens de cracas: pedunculadas (Pedunculata) e sésseis (Sessilia).Fibras Colinérgicas: Fibras nervosas que liberam acetilcolina na sinapse após um impulso.Cereais: Gramíneas que originam sementes (POACEAE) que são importantes na dieta alimentar.Ratos Sprague-Dawley: Linhagem de ratos albinos amplamente utilizada para propósitos experimentais por sua tranquilidade e facilidade de manipulação. Foi desenvolvida pela Companhia de Animais Sprague-Dawley.Fenômenos Biomecânicos: Propriedades, processos e comportamento de sistemas biológicos sob ação de forças mecânicas.Birrefringência: Propriedade dos meios não isotrópicos (como são os cristais) pela qual um feixe único de luz incidente atravessa o meio [comportando-se] como [se houvesse] dois feixes, cada qual polarizado planarmente, sendo os planos perpendiculares entre si.Junção Neuromuscular: A sinapse entre um neurônio e um músculo.Pectinas: Polissacarídeos de alta massa molecular presentes na parede celular de todas as plantas. As pectinas unem as paredes celulares. São usadas como emulsificantes e estabilizantes na indústria alimentícia. Têm sido testadas para uma variedade de usos terapêuticos, inclusive como agentes antidiarreicos (em que geralmente não são mais consideradas efetivas), e no tratamento da hipercolesterolemia.ElastinaVias Neurais: Tratos neurais que conectam partes distintas do sistema nervoso.Elasticidade: Resistência e recuperação da distorção de uma forma.Sinapses: Junções especializadas, nas quais um neurônio se comunica com uma célula alvo. Nas sinapses clássicas, a terminação pré-sináptica de um neurônio libera um transmissor químico armazenado em vesículas sinápticas que se difunde através de uma fenda sináptica estreita, ativando receptores na membrana pós-sináptica da célula alvo. O alvo pode ser um dendrito, corpo celular ou axônio de outro neurônio, ou ainda uma região especializada de um músculo ou célula secretora. Os neurônios também podem se comunicar através de acoplamento elétrico direto com SINAPSES ELÉTRICAS. Vários outros processos não sinápticos de transmissão de sinal elétrico ou químico ocorrem via interações mediadas extracelulares.Atrofia Muscular: Distúrbio do tamanho e número de fibras musculares, que ocorre como passar dos anos e com a redução do suprimento sanguíneo, ou seguido à imobilização, magreza prolongada, desnutrição e particularmente na desnervação.Anisotropia: Propriedade física que mostra valores diferentes em relação à direção [longitudinal ou transversal] em que a medida é feita. A propriedade física pode estar relacionada com a condutividade térmica ou elétrica ou com a refração da luz. Na cristalografia, descreve cristais cujo índice de refração varia com a direção da luz incidente. É chamada também de acolotropia e colotropia. O oposto de anisotropia é isotropia, em que os mesmos valores caracterizam o objeto quando medido ao longo de eixos em todas as direções.Nervo Óptico: O segundo nervo craniano que transporta informação visual da RETINA para o cérebro. Este nervo leva os axônios das CÉLULAS GANGLIONARES DA RETINA, que se reorganizam no QUIASMA ÓPTICO e continuam através do TRATO ÓPTICO para o cérebro. A maior projeção é para os núcleos geniculados laterais; outros alvos importantes incluem os COLÍCULOS SUPERIORES e NÚCLEO SUPRAQUIASMÁTICO. Ainda que conhecido como o segundo nervo craniano, é considerado parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL.Fibras Autônomas Pré-Ganglionares: FIBRAS NERVOSAS que projetam do sistema nervoso central para os GÂNGLIOS AUTÔNOMOS. Na divisão simpática a maioria das fibras pré-ganglionares originam-se de neurônios da coluna intermediolateral da MEDULA ESPINAL, partem via raízes ventrais do segmento torácico superior por meio do segmento lombar inferior, e projetam-se para os gânglios paravertebrais; nesta região terminam em SINAPSES ou continuam-se através dos NERVOS ESPLÂNCNICOS até os gânglios pré-vertebrais. Na divisão parassimpática as fibras originam-se em neurônios do TRONCO ENCEFÁLICO e medula espinhal sacral. Em ambas as divisões o principal neurotransmissor é a ACETILCOLINA, mas cotransmissores peptídicos também podem ser liberados.Cerebelo: Parte do encéfalo que fica atrás do TRONCO ENCEFÁLICO, na base posterior do crânio (FOSSA CRANIANA POSTERIOR). Também conhecido como "encéfalo pequeno", com convoluções semelhantes àquelas do CÓRTEX CEREBRAL, substância branca interna e núcleos cerebelares profundos. Sua função é coordenar movimentos voluntários, manter o equilíbrio e aprender habilidades motoras.Nervos Periféricos: Nervos localizados fora do cérebro e medula espinhal, incluindo os nervos autônomos, cranianos e espinhais. Os nervos periféricos contêm células não neuronais, tecido conjuntivo e axônios. As camadas de tecido conjuntivo incluem, da periferia para o interior, epineuro, perineuro e endoneuro.Asbestose: Forma de pneumoconiose causada pela inalação de fibras de asbestos que desencadeiam respostas inflamatórias potentes no parênquima do pulmão. A doença é caracterizada por fibrose intersticial do pulmão variando em extensão, desde regiões dispersas até a cicatrização extensa do interstício do alvéolo.Modelos Biológicos: Representações teóricas que simulam o comportamento ou a actividade de processos biológicos ou doenças. Para modelos de doença em animais vivos, MODELOS ANIMAIS DE DOENÇAS está disponível. Modelos biológicos incluem o uso de equações matemáticas, computadores e outros equipamentos eletrônicos.Regeneração Nervosa: Renovação ou reparo fisiológico de um tecido nervoso lesado.Nervo Coclear: Parte coclear do VIII par de nervos cranianos (NERVO VESTIBULOCOCLEAR). As fibras do nervo coclear se originam de neurônios do GÂNGLIO ESPIRAL e se projetam perifericamente para as células ciliadas cocleares e centralmente para os núcleos cocleares (NÚCLEO COCLEAR) do TRONCO ENCEFÁLICO. Elas mediam o sentido da audição.Distrofia Muscular AnimalContração Isotônica: Contração muscular com variação desprezível na força de contração mas com encurtamento da distância entre a origem e a inserção [do músculo].Psyllium: Sementes secas e maduras de PLANTAGO psyllium, P. indica, e de P. ovata. As sementes incham na água, sendo usadas como emolientes e como laxativos.Córtex do Cristalino: Porção do cristalino que se encontra ao redor do núcleo e é limitado anteriormente pelo epitélio e posteriormente pela cápsula. Contém as fibras do cristalino e substância amorfa intercelular.Nervo Vago: O décimo nervo craniano. O nervo vago é um nervo misto que contém fibras aferentes somáticas (da pele da região posterior da orelha e meato acústico externo), fibras aferentes viscerais (da faringe, laringe, tórax e abdome), fibras eferentes parassimpáticas (para o tórax e abdome) e fibras eferentes para o músculo estriado (da laringe e faringe).Citoesqueleto: A rede de filamentos, túbulos e pontes filamentosas interconectantes que fornecem forma, estrutura e organização ao citoplasma.Doenças Musculares: Transtornos adquiridos, familiares e congênitos de MÚSCULO ESQUELÉTICO e MÚSCULO LISO.Colágeno: Substância polipeptídica composta por aproximadamente um terço da proteína total do organismo de mamíferos. É o principal constituinte da PELE, TECIDO CONJUNTIVO e a substância orgânica de ossos (OSSO e OSSOS) e dentes (DENTE).Fibras Autônomas Pós-Ganglionares: Fibras nervosas que emitem projeções dos corpos celulares dos GÂNGLIOS AUTÔNOMOS às SINAPSES nos órgãos alvo.Lasers: Fonte óptica que emite fótons por um feixe coerente. A Amplificação da luz por Emissão de Radiação Estimulada (LASER) trouxe o uso de dispositivos que transformam a luz de várias frequências em uma única intensa, próxima do feixe não divergente de radiação monocromática. Os lasers operam nas regiões do espectro [dos comprimentos de onda] visível, infravermelho, ultravioleta ou de raios X.Microscopia Confocal: Técnica microscópica de luz na qual somente um pequeno ponto é iluminado e observado por um tempo. Dessa forma, uma imagem é construída através de uma varredura ponto-a-ponto do campo. As fontes de luz podem ser convencionais ou por laser, e são possíveis fluorescência ou observações transmitidas.Córtex Cerebelar: SUBSTÂNCIA CINZENTA superficial do CEREBELO. Consiste der duas camadas principais: o estrato molecular e o estrato granuloso.Nanofibras: Fibras submicrométricas com diâmetros tipicamente entre 50 e 500 nanômetros. As dimensões extremamente pequenas destas fibras podem gerar uma área superficial grande em relação ao volume (razão área/volume elevada), o que os torna potenciais candidatos para várias aplicações biomédicas e outras aplicações.Cães: O cão doméstico (Canis familiaris) compreende por volta de 400 raças (família carnívora CANIDAE). Estão distribuídos por todo o mundo e vivem em associação com as pessoas (Tradução livre do original: Walker's Mammals of the World, 5th ed, p1065).Raízes Nervosas Espinhais: Feixes pareados das FIBRAS NERVOSAS que penetram e partem de cada segmento da MEDULA ESPINAL. As raízes nervosas ventrais e dorsais unem-se para formar os nervos espinais mistos dos segmentos. As raízes dorsais são geralmente aferentes, formadas pelas projeções centrais das células sensitivas dos gânglios espinais (raiz dorsal), enquanto que as raízes ventrais são eferentes, compreendendo os axônios dos neurônios motores espinhais e FIBRAS AUTÔNOMAS PRÉ-GANGLIONARES.Fadiga Muscular: Estado atingido através de contração muscular prolongada e forte. Estudos em atletas durante exercício submáximo prolongado mostraram que a fadiga muscular aumenta em proporção quase direta à taxa de depleção do glicogênio muscular. A fadiga muscular no exercício máximo de curta duração está associada com a falta de oxigênio e com nível aumentado de ácido láctico sanguíneo e muscular, e ainda aumento paralelo na concentração hidrogeniônica no músculo exercitado.Microscopia de Polarização: Microscopia que utiliza luz polarizada na qual os fenômenos devidos à orientação preferencial das propriedades óticas com respeito ao plano de vibração da luz polarizada são tornados visíveis e os parâmetros correlacionados são tornados mensuráveis.Terminações Nervosas: Terminações especializadas das FIBRAS NERVOSAS, NEURÔNIOS sensoriais ou motores. As terminações dos neurônios sensoriais são o começo da via aferente para o SISTEMA NERVOSO CENTRAL. As terminações dos neurônios motores são as terminações dos axônios nas células musculares. As terminações nervosas que liberam neurotransmissores são chamadas TERMINAÇÕES PRÉ-SINÁPTICAS.Pele: Camada externa do corpo, que o protege do meio ambiente. Composta por DERME e EPIDERME.Transmissão Sináptica: Comunicação de um NEURÔNIO com um alvo (músculo, neurônio ou célula secretora) através de uma SINAPSE. Na transmissão sináptica química, o neurônio pré-sináptico libera um NEUROTRANSMISSOR que se difunde através da fenda sináptica e se liga a receptores sinápticos específicos, ativando-os. Os receptores ativados modulam canais iônicos específicos e/ou sistemas de segundos mensageiros, influenciando a célula pós-sináptica. Na transmissão sináptica elétrica, os sinais elétricos estão comunicados como um fluxo de corrente iônico através de SINAPSES ELÉTRICAS.Succinato Desidrogenase: Flavoproteína que contém oxidorredutase que catalisa a desidrogenação do SUCCINATO em fumarato. Na maioria dos organismos eucarióticos, esta enzima é um componente do complexo II de transporte de elétrons das mitocôndrias.Envelhecimento: Mudanças graduais irreversíveis na estrutura e funcionamento de um organismo que ocorrem como resultado da passagem do tempo.Camundongos Endogâmicos mdx: Linhagem de camundongos surgidos de MUTAÇÃO espontânea (mdx) em camundongos endogâmicos C57BL. Esta mutação é ligada ao cromossomo X e produz animais homozigotos viáveis que não possuem a proteína muscular DISTROFINA, possuem altos níveis séricos de ENZIMAS musculares e apresentam lesões histológicas semelhantes à DISTROFIA MUSCULAR humana. As características histológicas, ligação e o local da mutação espontânea fazem destes camundongos um valioso modelo animal da DISTROFIA MUSCULAR DE DUCHENNE.Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.Estimulação Física: Ato de desencadear uma resposta de uma pessoa ou organismo através de contato físico.Gomas Vegetais: Gomas polissacarídeas obtidas de PLANTAS.Ratos Endogâmicos: Indivíduos geneticamente idênticos desenvolvidos de cruzamentos entre animais da mesma ninhada que vêm ocorrendo por vinte ou mais gerações ou por cruzamento entre progenitores e ninhada, com algumas restrições. Também inclui animais com longa história de procriação em colônia fechada.Medula Espinal: Coluna cilíndrica de tecido subjacente dentro do canal vertebral. É composto de SUBSTÂNCIA BRANCA e SUBSTÂNCIA CINZENTA.Proteínas Musculares: Proteínas que compõem o músculo, sendo as principais as ACTINAS e MIOSINAS. Existem mais de uma dúzia de proteínas acessórias, incluindo a TROPONINA, TROPOMIOSINA e DISTROFINA.Placa Motora: Região pós-sináptica especializada da célula muscular. A placa motora localiza-se na fenda sináptica imediatamente oposta ao axônio terminal pré-sináptico. Entre suas especializações anatômicas encontram-se as dobras juncionais que abrigam uma alta densidade de receptores colinérgicos.Digestão: Processo de degradação de alimentos para o metabolismo e uso pelo corpo.Técnicas Histológicas: Métodos para preparação de tecidos para exame e estudo dobre a origem, estrutura, função ou patologia.Nervo Isquiático: Nervo que se origina nas regiões lombar e sacral da medula espinhal (entre L4 e S3) e fornece inervação motora e sensitiva para a extremidade inferior. O nervo ciático, que é a principal continuação do plexo sacral, é o maior nervo do corpo. Apresenta dois ramos principais, o NERVO TIBIAL e o NERVO PERONEAL.Mitocôndrias Musculares: Mitocôndrias localizadas no músculo esquelético e liso. Este tipo de mitocôndria não inclui a mitocôndria do miocárdio para a qual a MITOCÔNDRIAS CARDÍACAS está disponível.Resistência à Tração: Tensão máxima de estiramento que um material pode suportar sem se romper (tear).Silicatos: O termo genérico para os sais derivados da sílica ou do ácido silícico. Contêm silício, oxigênio e um ou mais metais, além de poderem conter hidrogênio. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th Ed)Células Cultivadas: Células propagadas in vitro em meio especial apropriado ao seu crescimento. Células cultivadas são utilizadas no estudo de processos de desenvolvimento, processos morfológicos, metabólicos, fisiológicos e genéticos, entre outros.Tendões: Feixes fibrosos ou cordas de TECIDO CONJUNTIVO nas terminações das FIBRAS MUSCULARES ESQUELÉTICAS, que servem para ligar os MÚSCULOS a ossos e outras estruturas.Retículo Sarcoplasmático: Rede de túbulos e cisternas localizada no citoplasma de FIBRAS MUSCULARES ESQUELÉTICAS que participam na contração e no relaxamento dos músculos através da liberação e armazenamento de íons cálcio.Cinética: Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.Músculo Masseter: Músculo mastigatório cuja ação é o fechamento da mandíbula.Animais Recém-Nascidos: Refere-se a animais no período logo após o nascimento.Colágenos Fibrilares: Família de colágenos estruturalmente relacionados que forma a característica dos feixes de colágenos fibrilares vistos no TECIDO CONJUNTIVO.Galactanos: Polissacarídeos compostos de repetições de unidades de galactose. Podem consistir em cadeias ramificadas ou não ramificadas em quaisquer ligações.Núcleo Olivar: Parte do BULBO situada no corpo olivar. Está envolvido com o controle motor e é a principal fonte de entrada de estímulos sensoriais no CEREBELO.Microeletrodos: Eletrodo com uma ponta extremamente pequena, usado em uma pinça de voltagem ou como aparelho para estimular ou registrar potenciais bioelétricos de células isoladas, intra ou extracelularmente. (Dorland, 28a ed)Músculos Oculomotores: Músculos que movem os olhos. Fazem parte deste grupo os músculos: reto medial, reto lateral, reto superior, reto inferior, oblíquo inferior, oblíquo superior, orbital e levantador da pálpebra superior.Isoformas de Proteínas: Formas diferentes de uma proteína que pode ser produzida a partir de GENES diferentes, ou a partir do mesmo gene por PROCESSO ALTERNATIVO.Microscopia de Fluorescência: Microscopia de amostras coradas com corantes fluorescentes (geralmente isotiocianato de fluoresceína) ou de substâncias naturalmente fluorescentes, que emitem luz quando expostas à luz ultravioleta ou azul. A microscopia de imunofluorescência utiliza anticorpos que são marcados com corante fluorescente.Seda: Fibra de proteína contínua composta principalmente por FIBROÍNAS. É sintetizada por uma variedade de INSETOS e aracnídeos.Tecido Conjuntivo: Tecido que sustenta e conecta outros tecidos. Consiste de CÉLULAS DO TECIDO CONJUNTIVO inseridas em uma grande quantidade de MATRIZ EXTRACELULAR.Citoesqueleto de Actina: Fibras compostas de PROTEÍNAS DOS MICROFILAMENTOS, que são predominantemente ACTINA. São os menores dentre os filamentos citoesqueléticos conhecidos.Células Ganglionares da Retina: Neurônios da camada mais interna da retina, a camada plexiforme interna. Possuem tamanhos e formas variáveis, e seus axônios se projetam via NERVO ÓPTICO para o encéfalo. Um pequeno conjunto destas células age como fotorreceptores com projeções ao NÚCLEO SUPRAQUIASMÁTICO, o centro da regulação do RITMO CIRCADIANO.Imunofluorescência: Teste para antígeno tecidual utilizando um método direto, por conjugação de anticorpo e pigmento fluorescente (TÉCNICA DIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO) ou um método indireto, pela formação do complexo antígeno-anticorpo que é então ligado a uma fluoresceína conjugada a um anticorpo anti-imunoglobulina (TÉCNICA INDIRETA DE FLUORESCÊNCIA PARA ANTICORPO). O tecido é então examinado por microscopia de fluorescência.Vias Eferentes: Estruturas nervosas através das quais os impulsos são conduzidos do centro nervoso para um sítio periférico. Estes impulsos são conduzidos por NEURÔNIOS EFERENTES, como os NEURÔNIOS MOTORES, neurônios autonômicos e hipofisários.Tomografia de Coerência Óptica: Método de diagnóstico por imagem que utiliza LASERS empregado para mapear estruturas subsuperficiais. Quando um sítio refletor da amostra está na mesma longitude de trajetoria óptica (coerência) como espelho de referência, o detector observa o perímetro de interferência.TêxteisRanidae: Família de rãs verdadeiras da ordem Anuros. A família ocorre no mundo todo, exceto na Antártica.Nociceptores: Neurônios aferentes periféricos que são sensíveis a lesões ou dor, geralmente causados pela exposição térmica extrema, forças mecânicas ou outros estímulos nocivos. Seus corpos celulares residem nos GÂNGLIOS DA RAIZ DORSAL. Suas terminações periféricas (TERMINAÇÕES NERVOSAS) inervam alvos nos tecidos e transduzem estímulos nocivos via axônios para o SISTEMA NERVOSO CENTRAL.Processamento de Imagem Assistida por Computador: Técnica de entrada de imagens bidimensionais em um computador e então realçar ou analisar a imagem em uma forma que é mais útil ao observador humano.Temperatura Ambiente: Propriedade de objetos que determina a direção do fluxo de calor quando eles são posicionados em contato térmico direto. A temperatura é a energia dos movimentos microscópicos (translacionais e de vibração) das partículas dos átomos.Miosinas de Músculo Esquelético: Isoformas da miosina tipo II encontradas no músculo esquelético.Adenosina Trifosfatases: Grupo de enzimas que catalisa a hidrólise de ATP. A reação de hidrólise é geralmente acoplada com outra função, como transporte de Ca(2+) através de uma membrana. Estas enzimas podem ser dependentes de Ca(2+), Mg(2+), ânions, H+ ou DNA.Camundongos Endogâmicos C57BLProteína de Membrana Semelhante a Receptor de Coxsackie e Adenovirus: Proteína transmembrana da superfamília das imunoglobulinas localizada nos complexos juncionais que ocorrem entre as CÉLULAS ENDOTELIAIS e as CÉLULAS EPITELIAIS. A proteína pode ter um papel na adesão célula-célula e é o sítio primário para a ligação do adenovírus durante a infecção.Coloração e Rotulagem: Marcação de material biológico com um corante ou outro reagente com o propósito de identificar e quantificar componentes de tecidos, células ou seus extratos.Minerais: Substâncias orgânicas fossilizadas ou inorgânicas, naturais, que apresentam uma composição química definida e formadas por reações inorgânicas. Podem apresentar-se sob a forma de cristais individuais ou podem estar disseminadas em outros minerais ou rochas.Sarcolema: Membrana plasmática excitável de uma célula muscular.Dieta: Método regular de ingestão de comida e bebida adotado por uma pessoa ou animal.Nervo Vestibulococlear: O VIII par dos nervos cranianos. O nervo vestibulococlear apresenta uma parte coclear (NERVO COCLEAR) que está relacionado com a audição e uma parte vestibular (NERVO VESTIBULAR) que medeia o senso de equilíbrio e posição da cabeça. As fibras do nervo coclear se originam de neurônios do GÂNGLIO ESPIRAL DA CÓCLEA e projetam para os núcleos cocleares (NÚCLEO COCLEAR). As fibras do nervo vestibular nascem de neurônios do gânglio de Scarpa e projetam para os NÚCLEOS VESTIBULARES.Teste de Materiais: Teste de materiais e dispositivos, especialmente os usados para PRÓTESES E IMPLANTES; SUTURAS; ADESIVOS TECIDUAIS, etc., para dureza, força, durabilidade, segurança, eficácia e biocompatibilidade.Refratometria: Medida do índice de refração (razão da velocidade da luz ou outra radiação no primeiro de dois meios pela sua velocidade no segundo quando ele passa de um a outro).Cerâmica: Produtos feitos por cozimento ou queima de minerais não metálicos (argila e materiais semelhantes). No preparo de restaurações dentais, ou partes das restaurações, o material é porcelana fundida.: Pelos de OVINOS ou outros animais que são usados para tecer.Estrôncio: Elemento da família dos metais alcalinoterrosos. Possui símbolo atômico Sr, número atômico 38 e peso atômico 87,62.Músculos Laríngeos: Grupos de músculos estriados que movem a LARINGE como um todo ou suas partes, como para alterar a tensão das CORDAS VOCAIS, ou o tamanho da fenda (RIMA DA GLOTE).Imagem de Difusão por Ressonância Magnética: Técnica diagnóstica que usa o grau de difusão de moléculas (como água ou metabólitos) para avaliação de um tecido por MRI. O grau do movimento molecular pode ser medido por variações no coeficiente de difusão aparente (CDA) em função do tempo, segundo (as reflected by) a microestrutura do tecido. MRI de difusão tem sido usada para estudar ISQUEMIA ENCEFÁLICA e resposta tumoral a tratamento.Mesotelioma: Tumor derivado de tecido mesotelial (peritônio, pleura, pericárdio); existem variedades benignas e malignas. As malignas são muitas vezes resultado de exposição excessiva ao asbesto. (Dorland, 28a ed)Cafeína: Metilxantina que ocorre naturalmente em algumas bebidas e também usada como agente farmacológico. O efeito farmacológico mais notável da cafeína é como estimulante do sistema nervoso central, aumentando o estado de alerta e produzindo agitação. Também relaxa o MÚSCULO LISO, estimula o MÚSCULO CARDÍACO, estimula a DIURESE e parece ser útil no tratamento de alguns tipos de dor na cabeça. Vários efeitos celulares da cafeína têm sido observados, mas não está completamente esclarecido como cada um contribui para o seu perfil farmacológico. Entre os mais importantes estão a inibição de FOSFODIESTERASES de nucleotídeos cíclicos, o antagonismo de RECEPTORES DA ADENOSINA e a modulação do processamento do cálcio intracelular.Capsaicina: Alquilamida encontrado em CAPSICUM que atua nos CANAIS DE CÁTION TRPV.Bainha de Mielina: Bainha rica em lipídeos que circunda os AXÔNIOS, tanto no SISTEMA NERVOSO CENTRAL como no SISTEMA NERVOSO PERIFÉRICO. A bainha de mielina é um isolante elétrico e permite a condução mais rápida e mais eficiente energeticamente dos impulsos nervosos. A camada é formada por membranas celulares de células da glia (CÉLULAS DE SCHWANN no sistema nervoso periférico e OLIGODENDROGLIA no sistema nervoso central). A deterioração desta bainha nas DOENÇAS DESMIELINIZANTES é um grave problema clínico.Bovinos: Animais bovinos domesticados (do gênero Bos) geralmente são mantidos em fazendas ou ranchos e utilizados para produção de carne, derivados do leite ou para trabalho pesado.Crustáceos: Grande subfilo de ARTRÓPODES (mais de 42.000 espécies) geralmente marinhos, sendo alguns muito conhecidos, como lagostas (NEPHROPIDAE), caranguejos (BRAQUIÚROS), camarões (PENAEIDAE) e cracas (THORACICA).Tetrodotoxina: Veneno aminoperidroquinazolínico encontrado principalmente no fígado e ovários de peixes da ordem TETRAODONTIFORMES, que são comestíveis. A toxina causa parestesia e paralisia por sua interferência na condução neuromuscular.Disco Óptico: Porção do nervo óptico vista no fundo de olho com a utilização do oftalmoscópio. É formado pelo encontro de todos os axônios das células ganglionares da retina assim que penetram no nervo óptico.Eletromiografia: Registro das alterações no potencial elétrico do músculo por meio de eletrodos de superfície ou agulhas.Cadeias Leves de Miosina: As menores subunidades das MIOSINAS que se ligam próximo às cabeças das CADEIAS PESADAS DE MIOSINA. As cadeias leves de miosina possuem peso molecular de aproximadamente 20 kDa e geralmente há um par essencial e um par regulador de cadeias leves associado a cada cadeia pesada. Muitas cadeias leves de miosina que se ligam a cálcio são consideradas proteínas 'semelhantes à calmodulina'.Denervação: Ressecção ou remoção dos nervos para um órgão ou parte. (Dorland, 28a ed)Nervo Glossofaríngeo: O IX nervo craniano. O nervo glossofaríngeo é um nervo misto - motor e sensorial. Transporta sinais eferentes somáticos e autônomos, e aferentes gerais, especiais e viscerais. Entre suas conexões encontram-se fibras motoras enviadas para o músculo estilofaríngeo, fibras parassimpáticas para as glândulas parótidas, aferentes gerais e relacionadas à gustação provenientes do terço posterior da língua, da nasofaringe e do palato, e fibras aferentes provenientes das células barorreceptores e das CÉLULAS QUIMIORRECEPTORAS do seio carotídeo.Corantes Fluorescentes: Agentes que emitem luz após excitação luminosa. O comprimento de onda da luz emitida geralmente é maior que o da luz incidente. Os fluorocromos são substâncias que causam fluorescência em outras substâncias, ou seja, corantes usados para marcar ou diferenciar outros compostos com etiquetas fluorescentes.Distrofina: Proteína muscular localizada na superfície de membranas a qual é o produto da distrofia muscular de Duchenne/Becker. Indivíduos com distrofia muscular de Duchenne usualmente têm falta da proteína, enquanto aqueles portadores da distrofia muscular de Becker possuem a distrofina de tamanho alterado. A distrofina compartilha características com outras proteínas do citoesqueleto tais como a ESPECTRINA e a alfa-actinina, mas a função precisa da distrofina ainda não está esclarecida. Um papel possível dessa proteína pode estar relacionado à integridade e alinhamento da membrana plasmática às miofribilas durante a contração muscular e relaxamento. Seu peso molecular é de 400 kDa.Fezes: Excrementos oriundos do INTESTINO que contêm sólidos não absorvidos, resíduos, secreções e BACTÉRIAS do SISTEMA DIGESTÓRIO.Reflexo: Movimento involuntário, ou exercício de função, de determinada região estimulada, em resposta ao estímulo aplicado na periferia e transmitido ao cérebro ou medula.Actomiosina: Complexo proteico de actina e MIOSINAS presente no músculo. É a substância contrátil essencial do músculo.Microscopia Eletrônica de Transmissão: Microscopia eletrônica em que os ELÉTRONS ou seus produtos de reação que atravessam a amostra são convertidos em imagem abaixo do plano da amostra.Bufo marinus: Espécie de sapos verdadeiros, Bufonidae, que se tornou bastante comum no sul dos Estados Unidos e é praticamente pantropical. As secreções das glândulas cutâneas desta espécie são muito tóxicas para animais.Ovinos: Qualquer mamífero ruminante com chifres curvados (gênero Ovis, família Bovodae) que possuem sulco lacrimal e glândulas interdigitais (ausentes nas CABRAS).Galinhas: Nome vulgar dado a espécie Gallus gallus "ave doméstica" (família Phasianidae, ordem GALIFORME). São descendentes das aves selvagens vermelha do SUDESTE DA ÁSIA.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Aranhas: Artrópodes da classe ARACHNIDA [ou ARACNÍDEOS], ordem Araneae. Exceto pelos ácaros e carrapatos, aranhas constituem a maior ordem de aracnídeos, com aproximadamente 37.000 espécies descritas. A maioria das aranhas são inofensivas, embora algumas espécies possam ser consideradas moderadamente nocivas já que suas picadas podem levar a sintomas locais bastante severos.Biofísica: Estudo dos FENÔMENOS FÍSICOS e PROCESSOS FÍSICOS aplicáveis aos seres vivos.Poluentes Ocupacionais do Ar: Poluentes do ar encontrados na área de trabalho. São geralmente produzidos pela natureza específica da ocupação.Sódio: Membro do grupo de metais alcalinos. Possui o símbolo Na, o número atômico 11 e peso atômico 23.Verduras: Grupo de alimentos que compreende as PLANTAS COMESTÍVEIS e/ou suas partes.Ubiquitina Tiolesterase: Tioéster hidrolase que atua sobre ésteres formados entre os tióis (como DITIOTREITOL ou GLUTATIONA) e o resíduo de glicina C-terminal da UBIQUITINA.Regeneração: Renovação, reparo ou substituição fisiológicos de tecido.Fermentação: Degradação anaeróbica da GLUCOSE (ou de outros nutrientes orgânicos), que fornece energia em forma de ATP. Os produtos finais variam, dependendo dos organismos, substratos e das vias enzimáticas. Entre os produtos comuns de fermentação estão o ETANOL e o ÁCIDO LÁTICO.Materiais de Construção: Sortimentos usados em construções.Proteínas do Capsídeo: Proteínas que formam o CAPSÍDEO de VÍRUS.Adenovírus Humanos: Espécie de vírus (gênero MASTADENOVIRUS) causador de uma grande gama de doenças em humanos. As infecções geralmente são assintomáticas, mas podem estar associadas com doenças nos sistemas respiratório, ocular e gastrointestinal. Os sorotipos (designados com algarismos arábicos) foram agrupados dentro de espécies denominadas adenovírus humanos A-F.Tamanho da Partícula: Relativo ao tamanho de sólidos.Relaxamento Muscular: Fase do abalo (twitch) muscular durante a qual o músculo retorna a sua posição de repouso.Peso Corporal: Massa ou quantidade de peso de um indivíduo, expresso em unidades de quilogramas ou libras.Zeolitas: Zeolitas: grupo de silicatos de álcali-alumínio hidratado e cristalino. Existem naturalmente em pedras sedimentares e rochas vulcânicas, basaltos modificados, minérios e depósitos de argila. Atualmente, 40 diferentes tipos de minerais de zeolita e uma grande quantidade de zeolitas sintéticas encontram-se disponíveis comercialmente.Substância P: Neurotransmissor de onze aminoácidos que se encontra tanto no sistema nervoso central como no periférico. Está envolvido na transmissão da DOR, causa rápidas contrações do músculo liso gastrointestinal e modula as respostas inflamatórias e imunológicas.Ração Animal: Produtos alimentícios usados para animais domésticos, de laboratório ou para o gado.Difração de Raios X: Dispersão de raios-x pela matéria, especialmente cristais, que acompanha a variação da intensidade devido a efeitos de interferência. A análise da estrutura cristalográfica das substâncias é feita pela passagem de raios-x através delas e do registro de difração da imagem dos raios (CRISTALOGRAFIA POR RAIOS X).Tratos Piramidais: Fibras que nascem de células localizadas no córtex cerebral, passam através da pirâmide medular e descem à medula espinhal. Muitos autores dizem que os tratos piramidais incluem tanto os tratos córtico-espinhais como os córtico-bulbares.Nervo Sural: Ramo do nervo tibial que fornece inervação sensitiva para partes da região inferior da perna e pé.Troponina C: Uma das três cadeias polipeptídicas que formam o complexo TROPONINA do músculo esquelético. É uma proteína ligante de cálcio.Microfibrilas: Componentes da matriz extracelular consistindo primariamente de fibrilina. São essenciais para a integridade das fibras elásticas.