Catecóis: Grupo de 1,2-benzenodióis que contêm a fórmula geral R-C6H5O2.Estrogênios: Compostos que interagem com RECEPTORES ESTROGÊNICOS em tecidos alvos para provocar os efeitos semelhantes aos do ESTRADIOL. Os estrogênios estimulam os órgãos reprodutivos femininos, e o desenvolvimento das CARACTERÍSTICAS SEXUAIS femininas. Os compostos químicos estrogênicos incluem os naturais, sintéticos, esteroides, ou não esteroides.Estrogênios de Catecol: 2- ou 4-Hidroxiestrogênios. Substâncias que são fisiologicamente ativas em mamíferos, especialmente no controle da secreção de gonadotropinas. Atividade fisiológica pode ser creditada tanto à ação estrogênica ou à interação com o sistema catecolaminérgico.Catecol 2,3-Dioxigenase: Catalisa a oxidação de catecol ao semialdeído 2-hidroximuconato na degradação do carbazol e do BENZOATO por meio das vias de HIDROXILAÇÃO. Catalisa também a conversão de 3-metilcatecol a cis, cis-2-hidroxi-6-oxohepta-2,4-dienoato na via de degradação de TOLUENO e XILENOS. Esta enzima foi caracterizada anteriormente como EC 1.13.1.2.Catecol 1,2-Dioxigenase: Enzima que cataliza a oxidação de catecol a ácido mucônico utilizando Fe3+ como co-fator. Esta enzima foi anteriormente caracterizada como EC 1.13.1.1 e EC 1.99.2.2.Receptores Estrogênicos: proteínas citoplasmáticas que ligam estrógenos e migram para o núcleo onde elas regulam a transcrição de DNA. A avaliação do estado do receptor de estrogênio em pacientes com câncer de mama tem-se tornado clinicamente importante.Receptor alfa de Estrogênio: Um dos RECEPTORES DE ESTROGÊNIO que tem grande afinidade pelo ESTRADIOL. Sua expressão e função diferem e, de certa forma, são opostos às do RECEPTOR BETA DE ESTROGÊNIO.Receptor beta de Estrogênio: Um dos RECEPTORES DE ESTROGÊNIO que tem maior afinidade pelas ISOFLAVONAS do que o RECEPTOR ALFA DE ESTROGÊNIO. Há uma grande homologia na sequência com o ER alfa no domínio de ligação do DNA, porém não nos domínios de ligação do ligante e de articulação.Catecol O-Metiltransferase: Enzima que catalisa o movimento de um grupo metil da S-adenosilmetionina para um catecol ou catecolamina.Estrogênios Conjugados (USP): Preparação farmacêutica que contém uma mistura de estrogênios hidrossolúveis conjugados, obtidos total ou parcialmente da URINA de éguas prenhes ou sinteticamente a partir de ESTRONA e EQUILINA. Contém uma mistura de sal de sódio dos sulfatos de estrona (52-62 por cento) e de equilina (22-30 por cento) com um total de ambos entre 80-88 por cento. Entre outros conjugados concomitantes estão 17-alfa-di-hidroequilina, 17-alfa-estradiol e 17-beta-di-hidroequilina. A potência da preparação é expressa em termos de uma quantidade equivalente de sulfato sódico de estrona.Dioxigenases: Enzimas não heme contendo ferro e que incorporam dois átomos de OXIGÊNIO ao substrato. São importantes na biossíntese de FLAVONOIDES, GIBERELINAS e HIOSCIAMINAS e na degradação dos HIDROCARBONETOS AROMÁTICOS.Estradiol: Isômero 17-beta do estradiol, um esteroide C18 aromatizado com grupo hidroxila na posição 3-beta e 17-beta. O estradiol-17-beta é a forma mais potente de esteroide estrogênico de mamíferos.Oxigenases: Oxidases que especificamente introduzem átomos de oxigênio derivados de dioxigênio em uma variedade de moléculas orgânicas.Catecol Oxidase: Enzima da classe das oxidorredutases que catalisa a reação entre o catecol e oxigênio para dar benzoquinona e água. É um complexo de proteínas que contém cobre, que age também em uma variedade de catecóis substituídos. EC 1.10.3.1.Fenol: Álcool aromático antisséptico e desinfetante.Ovariectomia: Remoção cirúrgica de um ou ambos os ovários.Moduladores Seletivos de Receptor Estrogênico: Grupo estruturalmente diverso de compostos distintos de ESTROGÊNIOS pela sua capacidade de se ligar aos RECEPTORES ESTROGÊNICOS e ativá-los, mas que atuam como agonista ou antagonista dependendo do tipo de tecido e ambiente hormonal. São classificados como de primeira geração por demonstrarem propriedades de agonista de estrogênio no ENDOMÉTRIO, ou de segunda geração, baseado em seus padrões de especificidade tecidual. (Tradução livre do original: Horm Res 1997; 48: 155-63)Equilenina: Esteroide estrogênico produzido por CAVALOS. Possui um total de cinco duplas ligações no anel A e B. Concentração alta de equilenina é encontrada na URINA de éguas prenhas.Estrogênios não Esteroides: Compostos não esteroides com atividade estrogênica.Hidroxibenzoatos: Ácido benzoico substituído por um ou mais grupos hidroxi em qualquer posição do anel benzênico.Neoplasias da Mama: Tumores ou câncer da MAMA humana.Ácido Sórbico: Inibidor de fungos e leveduras. Utilizado como fungistático em alimentos, especialmente queijos.Pseudomonas: Gênero de bactérias em forma de bastonete, Gram-negativas e aeróbias, que são amplamente distribuídas na natureza. Algumas espécies são patogênicas a humanos, animais e plantas.Fenóis: Derivados de benzeno que incluem um ou mais grupos hidroxila ligados à estrutura em anel.Hidroxiestronas: Derivados de estronas substituídas com um ou mais grupos hidroxila em qualquer posição. São importantes metabólitos da estrona e de outros estrógenos.Congêneres do Estradiol: Compostos esteroidais relacionados com o ESTRADIOL, o mais importante hormônio sexual feminino dos mamíferos. Os congêneres do estradiol compreendem importantes precursores do estradiol na via biossintética, metabólitos, derivados e os esteroides sintéticos com atividades estrogênicas.Benzoatos: Derivados do ÁCIDO BENZOICO. Sob este descritor está uma ampla variedade de formas de ácidos, sais, ésteres e amidas que contêm a estrutura carboxibenzeno.Tamoxifeno: Um dos MODULADORES SELETIVOS DE RECEPTOR ESTROGÊNICO com atividades específicas para o tecido. O tamoxifeno atua como um antiestrogênio (agente inibidor) no tecido mamário, mas como um estrogênio (agente estimulador) no metabolismo do colesterol, densidade óssea e proliferação celular no ENDOMÉTRIO.Biodegradação Ambiental: Eliminação de POLUENTES AMBIENTAIS, PRAGUICIDAS e outros resíduos usando organismos vivos, geralmente envolvendo intervenção de engenheiros ambiental ou saneamento.Pseudomonas putida: Espécie de bactérias Gram-negativas aeróbias que são isoladas do solo e da água, assim como de amostras clínicas. Ocasionalmente é um patógeno oportunista.Aromatase: Enzima que catalisa a desnaturação (aromatização) do anel A dos androgênios C19 e os converte a estrogênios C18. Neste processo, o metil 19 é removido. Esta enzima é ligada a membrana, localizada no retículo endoplasmático das células produtoras de estrógeno dos ovários, placenta, testículos e tecidos adiposo e encefálico. A aromatase é codificada pelo gene CYP19 e atua na formação do complexo NADPH-FERRI-HEMOPROTEÍNA REDUTASE no sistema do citocromo P-450.Benzeno: Hidrocarboneto aromático, líquido, inflamável, volátil e tóxico, subproduto da destilação do carvão. É utilizado como solvente industrial em tintas, verniz, diluente para laca, gasolina, etc. O benzeno causa lesão aguda no sistema nervoso central e lesão crônica na medula óssea, sendo ainda carcinogênico. Antigamente era usado como parasiticida.Estrona: Esteroide C18 aromatizado com um grupo 3-hidroxila ou uma 17-cetona É o principal estrógeno dos mamíferos. A estrona é convertida diretamente da ANDROSTENEDIONA ou da TESTOSTERONA via ESTRADIOL. Em humanos, é produzida principalmente pelos ovários cíclicos, PLACENTA e TECIDO ADIPOSO de homens e mulheres pós-menopausa.Receptores de Progesterona: Proteínas específicas encontradas dentro ou em células de tecido alvo de progesterona que se ligam especificamente com progesterona. O complexo receptor e progesterona do citosol associa-se com ácidos nucleicos para dar início à síntese proteica. Existem dois tipos de receptores de progesterona, os tipos A e B. Ambos são induzidos pelo estrógeno e possuem meia-vida curta.Dietilestilbestrol: Estrógeno sintético não esteroide utilizado no tratamento da menopausa e distúrbios pós-menopausais. Também foi outrora utilizado como promotor de crescimento em animais. De acordo com o Quarto Relatório Anual em Carcinógenos (NTP 85-002, 1985), o dietilestilbestrol foi listado como um conhecido carcinógeno.Útero: Órgão muscular oco (de paredes espessas), na pelve feminina. Constituído pelo fundo (corpo), local de IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO e DESENVOLVIMENTO FETAL. Além do istmo (na extremidade perineal do fundo), encontra-se o COLO DO ÚTERO (pescoço), que se abre para a VAGINA. Além dos istmos (na extremidade abdominal superior do fundo), encontram-se as TUBAS UTERINAS.Pirogalol: Tri-hidroxibenzeno ou di-hidroxifenol, que pode ser preparado por aquecimento do ÁCIDO GÁLICO.Ácido Benzoico: Fungistático que é amplamente utilizado na preservação de alimentos. É conjugado em GLICINA no fígado e é excretado como ácido hipúrico.Adipatos: Derivados do ácido adípico. Incluído sob este descritor está uma ampla variedade de formas de ácidos, sais, ésteres e amidas que contêm uma estrutura alifática terminada com carboxila-1,6.ClorobenzenosCresóisEtinilestradiol: ESTRADIOL alquilado semi-sintético com uma substituição 17-alfa-etinil. Possui alta potência estrogênica quando administrado oralmente e frequentemente é utilizado como componente estrogênico em ANTICONCEPCIONAIS ORAIS.HidroquinonasTolueno: Solvente industrial amplamente utilizado.Clorobenzoatos: Ácido benzoico ou ésteres do ácido benzoico substituídos com um ou mais átomos de cloro.Pós-Menopausa: Período fisiológico após a MENOPAUSA (suspensão permanente da vida menstrual).Hexestrol: Estrógeno sintético que tem sido utilizado como antineoplásico hormonal.Bactéria Planococcus: Gênero bactérias cocoides da família PLANOCOCCACEAE. São amplamente distribuídas em vários habitats, incluindo água do mar, lagos de água doce, tapetes de cianobactérias e em animais marinhos.Progesterona: Maior esteroide progestacional secretado principalmente pelo CORPO LÚTEO e PLACENTA. A progesterona atua no ÚTERO, GLÂNDULAS MAMÁRIAS e ENCÉFALO. É necessário para a IMPLANTAÇÃO DO EMBRIÃO, manutenção da GRAVIDEZ e no desenvolvimento do tecido mamário para a produção de LEITE. A progesterona, convertida a partir da PREGNENOLONA, também serve como um intermediário na biossíntese dos HORMÔNIOS ESTEROIDES GONADAIS e dos CORTICOSTEROIDES da suprarrenal.Acinetobacter: Gênero de bactérias Gram-negativas da família MORAXELLACEAE, encontrado no solo e na água e de patogenicidade incerta.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Quinonas: Anéis de hidrocarbonetos que contêm duas partes cetona em qualquer posição. Podem ser substituídos em qualquer posição exceto nos grupos cetonas.Progestinas: Compostos que interagem com RECEPTORES DE PROGESTERONA em tecidos alvos para provocar os efeitos semelhantes aos da PROGESTERONA. As principais ações das progestinas incluem esteroides naturais e sintéticos que estão no ÚTERO e na GLÂNDULA MAMÁRIA na preparação e manutenção da GRAVIDEZ.Fitoestrógenos: EXTRATOS VEGETAIS e compostos , principalmente ISOFLAVONAS, que imitam ou modulam estrogênios endógenos, geralmente por ligação aos RECEPTORES ESTROGÊNICOS.Oxirredução: Reação química em que um elétron é transferido de uma molécula para outra. A molécula doadora do elétron é o agente de redução ou redutor; a molécula aceitadora do elétron é o agente de oxidação ou oxidante. Os agentes redutores e oxidantes funcionam como pares conjugados de oxidação-redução ou pares redox (tradução livre do original: Lehninger, Principles of Biochemistry, 1982, p471).Alcaligenes: Gênero de bactérias Gram-negativas, aeróbias e com motilidade que ocorrem na água e no solo. Algumas são habitantes comuns do trato intestinal de vertebrados. Estas bactérias ocasionalmente causam infecções oportunistas em humanos.Oxigenases de Função Mista: Enzima amplamente distribuída e que atua em reações de oxirredução nas quais um átomo da molécula de oxigênio é incorporado no substrato orgânico. O outro átomo de oxigênio é reduzido e combinado com íons hidrogênio para formar água. Também são conhecidas como monooxigenases ou hidroxilases. Para estas reações são necessários dois substratos como redutores para cada um dos dois átomos de oxigênio. Há diferentes classes de monooxigenases dependendo do tipo de co-substrato fornecedor de hidrogênio (COENZIMAS) necessários para a oxidação de função mista.Rhodococcus: Gênero de bactérias da ordem ACTINOMYCETALES.Monofenol Mono-Oxigenase: Enzima da classe das oxidorredutases, que catalisa a reação entre L-tirosina, L-dopa e oxigênio, para fornecer L-dopa, dopaquinona e água. É uma proteína de cobre que age nos catecóis, catalisando algumas das mesmas reações que a CATECOL OXIDASE. EC 1.14.18.1.BenzofenonasSideróforos: Compostos de baixa massa [peso] molecular produzidos por micro-organismos, que ajudam no transporte e no sequestro do íon férrico.RNA Mensageiro: Sequências de RNA que servem como modelo para a síntese proteica. RNAm bacterianos são geralmente transcritos primários pelo fato de não requererem processamento pós-transcricional. O RNAm eucariótico é sintetizado no núcleo e necessita ser transportado para o citoplasma para a tradução. A maior parte dos RNAm eucarióticos têm uma sequência de ácido poliadenílico na extremidade 3', denominada de cauda poli(A). Não se conhece com certeza a função dessa cauda, mas ela pode desempenhar um papel na exportação de RNAm maduro a partir do núcleo, tanto quanto em auxiliar na estabilização de algumas moléculas de RNAm retardando a sua degradação no citoplasma.Hidroxilação: Colocação de um grupo de hidroxila em um composto na posição onde não se encontrava antes. (Stedman, 25a ed)Linhagem Celular Tumoral: Linhagem celular derivada de células tumorais cultivadas.Cinética: Taxa dinâmica em sistemas químicos ou físicos.Pseudomonas mendocina: Espécie de bactéria Gram-negativa do gênero PSEUDOMONAS, que é encontrado no SOLO e ÁGUA.Neoplasias Hormônio-Dependentes: Certos tumores que 1) originam-se em órgãos geralmente dependentes de hormônios específicos e 2) são estimulados ou causados para regredir por manipulação do ambiente endócrino.Gentisatos: Sais e ésteres do ácido gentísico.ToluidinasSalicilatos: Os sais ou ésteres dos ácidos salicílicos ou os ésteres salicilatos de um ácido orgânico. Alguns apresentam atividade analgésica, antipirética e anti-inflamatória por inibir a síntese de prostaglandinas.Adrenocromo: Pigmento obtido pela oxidação da epinefrina.Parabenos: Ésteres metílicos, propílicos, butílicos e etílicos do ácido p-hidroxibenzoico. Foram aprovados pelo FDA (vide UNITED STATES FOOD AND DRUG ADMINISTRATION) como agentes antimicrobianos para alimentos e fármacos. (Tradução livre do original: Hawley's Condensed Chemical Dictionary, 11th ed, p872)Especificidade por Substrato: Aspecto característico [(dependência)] da atividade enzimática em relação ao tipo de substrato com o qual a enzima (ou molécula catalítica) reage.Inibidores da Aromatase: Compostos que inibem a AROMATASE a fim de reduzir a produção de hormônios esteroides estrogênicos.Menopausa: Último período menstrual. A cessação permanente da MENSTRUAÇÃO, geralmente é definida após 6 a 12 meses da AMENORREIA numa mulher acima de 45 anos de idade. Nos Estados Unidos, a menopausa geralmente ocorre em mulheres entre os 48 e 55 anos de idade.Normetanefrina: Metabólito metilado da norepinefrina, excretado na urina e encontrado em alguns tecidos. É um marcador para tumores.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Ralstonia: Gênero na família BURKHOLDERIACEAE, composto por muitas espécies. Estão associados com uma variedade de infecções, incluindo MENINGITE, PERITONITE e INFECÇÕES URINÁRIAS.Vitelogeninas: Fosfolipoglicoproteína produzida no corpo graxo de animais que chocam ovos, como os VERTEBRADOS não mamíferos, ARTRÓPODES e outros. As vitelogeninas são secretadas na HEMOLINFA e captadas pelos OÓCITOS por ENDOCITOSE mediada por receptor para formar a principal proteína da gema, as VITELINAS. A produção de vitelogenina é regulada por hormônios esteroides, como ESTRADIOL e HORMÔNIOS JUVENIS em insetos.Catecolaminas: Classe geral de orto-di-hidroxifenilalquilaminas derivadas da tirosina.Xilenos: Família de hidrocarbonetos líquidos, aromáticos, incolores e isoméricos que contém a fórmula geral C6H4(CH3)2. São produzidos pela destilação destrutiva de carvão ou pela reformulação catalítica das frações naftênicas do petróleo. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 5th ed)Bacilos e Cocos Aeróbios Gram-Negativos: Grupo de bactérias gram-negativas que compreende células em forma de bacilos e cocos. São tanto aeróbias (capazes de crescer em atmosfera de ar) quanto microaerofílicas (crescem melhor em baixas concentrações de oxigênio) sob condições de fixação de nitrogênio, mas quando supridas com fonte de nitrogênio já fixado, crescem como aeróbias.Dienestrol: Estrógeno sintético e não esteroidal estruturalmente relacionado ao estilbestrol. Geralmente é utilizado como creme no tratamento dos sintomas da menopausa e pós-menopausa.Relação Dose-Resposta a Droga: Relação entre a quantidade (dose) de uma droga administrada e a resposta do organismo à droga.Ratos Sprague-Dawley: Linhagem de ratos albinos amplamente utilizada para propósitos experimentais por sua tranquilidade e facilidade de manipulação. Foi desenvolvida pela Companhia de Animais Sprague-Dawley.Antineoplásicos Hormonais: São os antineoplásicos usados para tratar tumores sensíveis a hormônios. Os tumores sensíveis a hormônios podem ser dependentes de hormônios, responsivos a hormônios, ou ambos. Um tumor dependente de hormônio regride com a remoção do estímulo hormonal, seja por cirurgia ou através do bloqueio farmacológico. Já os tumores responsivos a hormônios podem regredir quando são administradas quantidades farmacológicas de hormônios, mesmo que sinais anteriores de sensibilidade aos hormônios não tenham sido observados. Os principais cânceres responsivos a hormônios incluem carcinomas de mama, próstata, e de endométrio; de linfoma; e certas leucemias. (Tradução livre do original: AMA Drug Evaluations Annual 1994, p2079)Nafoxidina: Antagonista estrogênico que tem sido utilizado no tratamento de câncer de mama.Biotransformação: Alteração química de uma substância exógena por/ou em um sistema biológico. A alteração pode inativar o composto ou pode resultar na produção de um metabólito ativo de um composto precursor inativo. As alterações podem ser divididas em DESINTOXICAÇÃO METABÓLICA FASE I e DESINTOXICAÇÃO METABÓLICA FASE II.Mama: Em humanos, uma das regiões pareadas na porção anterior do TÓRAX. As mamas consistem das GLÂNDULAS MAMÁRIAS, PELE, MÚSCULOS, TECIDO ADIPOSO e os TECIDOS CONJUNTIVOS.Transcrição Genética: Biossíntese de RNA realizada a partir de um molde de DNA. A biossíntese de DNA a partir de um molde de RNA é chamada de TRANSCRIÇÃO REVERSA.Genes Bacterianos: Unidades hereditárias funcionais das BACTERIAS.