Endoscopia: Procedimentos em que se empregam ENDOSCÓPIOS para diagnóstico e tratamento de doenças. A endoscopia envolve a passagem de um instrumento óptico através de pequena incisão na pele, isto é, percutânea; ou através de orifícios naturais e ao longo de vias naturais do corpo, como o trato digestório; e/ou através de incisão na parede de órgão ou estrutura tubular, isto é, transluminal, para examinar ou realizar cirurgia em partes interiores do corpo.Endoscopia Gastrointestinal: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do trato gastrointestinal.Endoscopia por Cápsula: Imagem endoscópica não invasiva obtida mediante o uso de CÁPSULAS ENDOSCÓPICAS para realizar exame do trato gastrointestinal, especialmente o intestino delgado.Endoscopia do Sistema Digestório: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do trato digestório.Gastroscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do interior do estômago.Endoscópios Gastrointestinais: Instrumentos para o exame visual do interior do trato gastrointestinal.Hemorragia Gastrointestinal: Sangramento em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL do ESÔFAGO até o RETO.Endoscópios: Instrumentos para o exame visual de estruturas no interior do corpo. Há endoscópios rígidos e flexíveis de fibra óptica para vários tipos de observação em ENDOSCOPIA.Esofagoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do esôfago.Cápsulas Endoscópicas: Videocâmera do tamanho de uma pílula acondicionada em uma cápsula. É projetada para ser deglutida e subsequentemente atravessar o trato gastrointestinal, enquanto transmite imagens diagnósticas ao longo do caminho.Colonoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da superfície luminal do colo.Duodenoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da superfície luminal do duodeno.Doenças do Esôfago: Processos patológicos no ESÔFAGO.Gastroenteropatias: Doenças em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL desde o ESÔFAGO ao RETO.Trato Gastrointestinal Superior: O segmento do TRATO GASTROINTESTINAL que inclui o ESÔFAGO, o ESTÔMAGO e o DUODENO.Gastroenterologia: Subespecialidade da medicina interna voltada para o estudo da fisiologia e das doenças do sistema digestório e de estruturas relacionadas (esôfago, fígado, vesícula biliar e pâncreas).Dispepsia: Digestão prejudicada, especialmente após alimentação.Melena: FEZES pretas, alcatroadas e fétidas, contendo sangue degradado.Hemostase Endoscópica: Controle do sangramento feito através do canal do endoscópio. A técnica inclui a utilização de lasers, sondas aquecidas, eletrocoagulação bipolar e injeção local. A hemostase endoscópica é geralmente utilizada para tratar sangramento esofágico e varizes e úlceras gastrointestinais.Gastropatias: Processos patológicos envolvendo o ESTÔMAGO.Tecnologia de Fibra Óptica: Tecnologia da transmissão da luz por longas distâncias através de fios de vidro ou outro material transparente.Infecções por Helicobacter: As infecções por organismos do gênero HELICOBACTER, particularmente em humanos do HELICOBACTER PYLORI. As manifestações clínicas estão concentradas no estômago, normalmente na mucosa gástrica e antro e no duodeno superior. Essa infecção tem um papel importante na etiopatogenia da gastrite do tipo B e da úlcera péptica.Helicobacter pylori: Bactéria espiral ativa como um patógeno gástrico humano. É curva ou ligeiramente espiralada, Gram-negativa, positiva para a presença de urease, inicialmente isolada (1982) de pacientes com lesões de gastrite ou úlceras pépticas na Austrália ocidental. Helicobacter pylori foi originalmente classificada no gênero CAMPYLOBACTER, mas a sequência de RNA, o perfil de ácidos graxos celulares, os padrões de crescimento e outras características taxonômicas indicam que o micro-organismo deveria ser incluído no gênero HELICOBACTER. Foi oficialmente transferido para o gênero Helicobacter gen. nov. (v. Int J Syst Bacteriol 1989 Oct; 39(4): 297-405).Esofagite: INFLAMAÇÃO aguda ou crônica do ESÔFAGO, causada por BACTÉRIAS, químicos ou TRAUMA.Esôfago de Barrett: Afecção com lesão no revestimento do ESÔFAGO inferior em consequência de um refluxo ácido crônico (ESOFAGITE DE REFLUXO). Através do processo de metaplasia, as células escamosas são substituídas por um epitélio colunar semelhante ao do INTESTINO ou pela mucosa rosada do ESTÔMAGO. O epitélio colunar de Barret é um marcador de intenso refluxo e precursor do ADENOCARCINOMA do esôfago.Imagem de Banda Estreita: Técnicas de imagem que usam iluminação criada como vários filtros de interferência ópticos por meio dos quais os espectros de frequências são diminuídos e a dispersão da luz é reduzida drasticamente. Assim, os fótons refletidos que reconstituem as imagens são de profundidades distintas (camadas superficiais e profundas) do objeto sendo retratado.Úlcera Péptica Hemorrágica: Sangramento proveniente de ÚLCERA PÉPTICA que pode estar localizada em qualquer segmento do TRATO GASTROINTESTINAL.Esôfago: Segmento muscular membranoso (entre a FARINGE e o ESTÔMAGO), no TRATO GASTRINTESTINAL SUPERIOR.Úlcera Duodenal: ÚLCERA PÉPTICA situada no DUODENO.Hematemese: Vômito de sangue que apresenta característica de cores vermelho claro ou café-terra. Geralmente indica sangramento do TRATO GASTROINTESTINAL SUPERIOR.Úlcera Péptica: Úlcera que ocorre nas porções do TRATO GASTROINTESTINAL que entram em contato com o SUCO GÁSTRICO contendo PEPSINA e ÁCIDO GÁSTRICO. Ocorre quando há defeitos na barreira da MUCOSA. As formas comuns de úlcera péptica estão associadas com HELICOBACTER PYLORI e o consumo de drogas anti-inflamatórias não esteroides (NSAIDs).Refluxo Gastroesofágico: Fluxo retrógrado de suco gástrico (ÁCIDO GÁSTRICO) e/ou conteúdos duodenais (ÁCIDOS E SAIS BILIARES, SUCO PANCREÁTICO) para dentro do ESÔFAGO distal, frequentemente devido à incompetência do ESFÍNCTER ESOFÁGICO INFERIOR.Enteropatias: Processos patológicos em qualquer segmento do INTESTINO desde o DUODENO ao RETO.Sedação Consciente: Depressão da consciência induzida por droga durante a qual pacientes respondem propositadamente a comandos verbais, ou só ou acompanhados por estimulação de luz tátil. Nenhuma intervenção é exigida para manter uma via aérea patente (Tradução livre do original: American Society of Anesthesiologists Practice Guidelines).Úlcera Gástrica: Ulceração da MUCOSA GÁSTRICA devido contato com SUCO GÁSTRICO. Frequentemente está associada com infecção por HELICOBACTER PYLORI ou consumo de drogas anti-inflamatórias não esteroides (AGENTES ANTI-INFLAMATORIOS NÃO ESTEROIDES).Enteroscopia de Duplo Balão: Endoscopia do intestino delgado realizada enquanto se avança o endoscópio pelo intestino, a partir do estômago, alternando-se a insuflação de dois balões, um em um tubo interno e outro em um mais exterior.Varizes Esofágicas e Gástricas: Vasos sanguíneos dilatados no ESÔFAGO ou FUNDO DO ESTÔMAGO que desviam o sangue da circulação portal (SISTEMA PORTA) para a circulação venosa sistêmica. São observadas com frequência em indivíduos com HIPERTENSÃO PORTAL.Biópsia: Remoção e avaliação patológica de amostras, na forma de pequenos fragmentos de tecido do corpo vivo.Gastrite: Inflamação da MUCOSA GÁSTRICA, uma lesão observada em vários transtornos não relacionados.Esofagite Péptica: INFLAMAÇÃO do ESÔFAGO causada por refluxo do SUCO GÁSTRICO com conteúdos do ESTÔMAGO e DUODENO.Intestino Delgado: Porção do TRATO GASTRINTESTINAL entre o PILORO (do ESTÔMAGO) e a VALVA ILEOCECAL (do INTESTINO GROSSO). É dividido em três porções: DUODENO, JEJUNO e ÍLEO.Doenças do Jejuno: Desenvolvimento patológico na região do JEJUNO do INTESTINO DELGADO.Colonoscópios: Endoscópios especialmente desenvolvidos para visualizar a superfície interior do colo.Neoplasias Gástricas: Tumores ou câncer do ESTÔMAGO.Duodeno: É a menor porção (e a mais larga) do INTESTINO DELGADO, adjacente ao PILORO do ESTÔMAGO. Seu nome é devido ao fato de seu comprimento ser igual à largura aproximada de 12 dedos.Hérnia Hiatal: Herniação do ESTÔMAGO localizada no ou próxima da abertura diafragmática do ESÔFAGO, o hiato esofágico.Mucosa Gástrica: Revestimento do ESTÔMAGO formado por um EPITÉLIO interno, uma LÂMINA PRÓPRIA média e a MUSCULARIS MUCOSAE externa. As células superficiais produzem o MUCO que protege o estômago do ataque de ácidos e enzimas digestivos. Quando o epitélio se invagina para a LÂMINA PRÓPRIA em várias regiões do estômago (CÁRDIA, FUNDO GÁSTRICO e PILORO), há formação de diferentes glândulas tubulares gástricas. Estas glândulas são constituídas por células que secretam muco, enzimas, ÁCIDO CLORÍDRICO, ou hormônios.Sigmoidoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia da dobra sigmoide.Omeprazol: Derivado de 4-metoxi-3,5-dimetilpiridil, 5-metoxibenzimidazol do timoprazol usado na terapia de ÚLCERA GÁSTRICA e SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON. A droga inibe a ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO encontrada em CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS.Antiulcerosos: Vários agentes com mecanismos de ação diferentes, usados para tratar ou melhorar [o estado de pacientes com] ÚLCERA PÉPTICA ou irritação no trato gastrintestinal. Entre eles estão os ANTIBIÓTICOS (para tratar [pacientes com] INFECÇÕES POR HELICOBACTER), ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES HISTAMÍNICOS H2 (para reduzir a secreção de ÁCIDO GÁSTRICO) e ANTIÁCIDOS (para aliviar os sintomas).Estômago: Órgão da digestão, localizado no quadrante superior esquerdo do abdome, entre o final do ESÔFAGO e o início do DUODENO.Pólipos do Colo: Massas discretas de tecido que se projetam no lúmen do COLO. Estes PÓLIPOS são conectados à parede do colo por meio de uma haste, pedúnculo ou por uma base larga.Cápsulas: Cápsulas duras ou moles solúveis utilizadas para a administração oral de medicamento.Estudos Prospectivos: Estudos planejados para a observação de eventos que ainda não ocorreram.Sulfato de Bário: Composto utilizado como meio de contraste em raios-x, existindo na natureza na forma do mineral de baritina. É misturado com o concreto pesado para atuar como um escudo contra radiação, além de outras aplicações industriais.Angiodisplasia: Dilatação degenerativa adquirida ou expansão (ectasia) de VASOS SANGUÍNEOS normais, frequentemente associados com envelhecimento. São isolados, tortuosos, vasos com paredes delgadas e fontes de sangramento. Ocorrem mais frequentemente nos capilares da mucosa do TRATO GASTROINTESTINAL levando a HEMORRAGIA GASTROINTESTINAL e ANEMIA.Pólipos: Discreta massa tecidual anormal que se projeta para o lúmen dos tratos digestório ou respiratório. Os pólipos podem ser estruturas esferoidais, hemisferoidais ou em forma de montículos irregulares conectados à MEMBRANA MUCOSA da parede do lúmen seja por uma haste, pedúnculo ou uma base larga.Metaplasia: Situação em que há uma alteração de um tipo de célula adulta para outro tipo de célula adulta semelhante.Estudos Retrospectivos: Estudos nos quais os dados coletados se referem a eventos do passado.Gastroscópios: Endoscópios utilizados para examinar o interior do estômago.Neoplasias Gastrointestinais: Tumores ou câncer do TRATO GASTROINTESTINAL, desde a BOCA até o CANAL ANAL.Doenças do Colo: Processos patológicos na região do COLO do INTESTINO GROSSO.Neoplasias Esofágicas: Tumores ou câncer do ESÔFAGO.Úlcera: Lesão na superfície da pele ou superfície mucosa, produzida pela "lamaceira" de tecido necrótico inflamatório.Transtornos de Deglutição: Dificuldade na DEGLUTIÇÃO que pode ser consequência de um distúrbio neuromuscular ou de uma obstrução mecânica. A disfagia é classificada em dois tipos distintos: disfagia orofaríngea devido ao mau funcionamento da FARINGE e ESFÍNCTER ESOFÁGICO SUPERIOR e disfagia esofágica devida ao mau funcionamento do ESÔFAGO.Neoplasias Duodenais: Tumores ou câncer do DUODENO.Duodenite: Inflamação do INTESTINO DELGADO na porção denominada DUODENO. A duodenite erosiva pode causar sangramento no TRATO GASTROINTESTINAL SUPERIOR e ÚLCERA PÉPTICA.Corpos Estranhos: Objetos inanimados que ficam encerrados no corpo.Inibidores da Bomba de Prótons: Compostos que inibem ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO. São utilizados como ANTIULCEROSOS e, às vezes, no lugar de ANTAGONISTAS DOS RECEPTORES H2 DE HISTAMINA para REFLUXO GASTROESOFÁGICO.Pancreatocolangiografia Retrógrada Endoscópica: Endoscopia por fibra ótica projetada para observação duodenal e canulação da AMPOLA DE VATER, para visualizar o sistema de ductos pancreático e biliar por injeção de um meio de contraste retrógrado. A papilotomia endoscópica (Vater) (ESFINCTEROTOMIA ENDOSCÓPICA) pode ser realizada durante este procedimento.Estenose Esofágica: Constrição do ESÔFAGO. A maioria é adquirida, mas pode ser congênita.Resultado do Tratamento: Estudos conduzidos com o fito de avaliar as consequências da gestão e dos procedimentos utilizados no combate à doença de forma a determinar a eficácia, efetividade, segurança, exequibilidade dessas intervenções.Antro Pilórico: Região entre a curvatura acentuada no terço inferior do ESTÔMAGO (incisão angular) e a junção do PILORO com o DUODENO. As glândulas do antro pilórico contêm células que secretam muco e células endócrinas secretoras de gastrina (CÉLULAS G).Sensibilidade e Especificidade: Medidas de classificação binária para avaliar resultados de exames. Sensibilidade ou taxa de recall é a proporção de verdadeiros positivos. Especificidade é a probabilidade do teste determinar corretamente a ausência de uma afecção. (Tradução livre do original: Last, Dictionary of Epidemiology, 2d ed)Dor Abdominal: Sensação de desconforto, mal estar ou agonia na região abdominal.Neoplasias do Jejuno: Tumores ou câncer na região do JEJUNO do INTESTINO DELGADO.Gastrite Atrófica: GASTRITE com atrofia da MUCOSA GÁSTRICA, CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS e glândulas mucosas levando a ACLORIDRIA. A gastrite atrófica geralmente se desenvolve da gastrite crônica.Endossonografia: Ultrassonografia dos órgãos internos utilizando um transdutor de ultrassom algumas vezes instalado em um endoscópio de fibra ótica. Na endossonografia o transdutor converte sinais eletrônicos em pulsos acústicos ou ondas contínuas e age também como um receptor que detecta pulsos refletidos de dentro do órgão. Uma interface audiovisual eletrônica converte o sinal detectado ou o eco processado, que passa através dos componentes eletrônicos do instrumento para uma forma que o tecnólogo possa avaliar. O procedimento não deve ser confundido com ENDOSCOPIA, que utiliza um equipamento especial chamado endoscópio.Esofagite Eosinofílica: ESOFAGITE crônica caracterizada por EOSINOFILIA da mucosa esofágica. É diagnosticada quando ocorre um aumento de EOSINÓFILOS sobre todo o esôfago. Os sintomas de refluxo não respondem ao tratamento com INIBIDORES DA BOMBA DE PRÓTONS, deferentemente da doença do REFLUXO GASTROESOFÁGICO. Os sintomas estão associados com hipersensibilidade mediada por IgE a comida ou alérgenos inalantes.Catárticos: Agentes usados para estimular a evacuação dos intestinos.Lesões Pré-Cancerosas: Relativo a um processo patológico que tende a tornar-se maligno. (Dorland, 28a ed)Antiácidos: Substâncias que atuam contra ou neutralizam a acidez do TRATO GASTROINTESTINAL.Desenho de Equipamento: Métodos de criação de máquinas e dispositivos.Azia: Dor subesternal ou sensação de ardência, normalmente associada com regurgitação de suco gástrico no esôfago.Cárdia: Parte do ESTÔMAGO próximo à desembocadura do ESÔFAGO no estômago (óstio cárdico), a JUNÇÃO ESOFAGOGÁSTRICA. O cárdia é assim chamado devido a sua proximidade com o CORAÇÃO. O cárdia é caracterizado pela ausência de células produtoras de ácido (CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS).2-Piridinilmetilsulfinilbenzimidazóis: Compostos que contêm benzilmidazol unido a uma 2-metilpiridina através de uma ligação sulfóxido. Vários compostos desta classe são ANTIULCEROSOS que atuam por meio da inibição da ATPase de hidrogênio e potássio encontrada na BOMBA DE PRÓTON das CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS.Pólipos Intestinais: Massas anormais de tecido que se projetam para dentro do lúmen do INTESTINO. Um pólipo se liga à parede intestinal por meio de um pedículo, pedúnculo, ou por uma larga base.Enema: Solução ou composto que são introduzidos no RETO, para limpar o COLO (ou para procedimentos diagnósticos).Valor Preditivo dos Testes: O valor preditivo de um teste diagnóstico é a probabilidade de um resultado positivo (ou negativo) corresponder a um indivíduo doente (ou não doente). Depende da sensibilidade e especificidade do teste (adaptação e tradução livre do original: Last, 2001)Cáusticos: Substâncias químicas fortemente alcalinas, que destroem os tecidos moles do corpo, resultando em queimadura profunda, penetrante, em contraste aos corrosivos, que produzem um dano mais superficial por meios químicos ou por inflamação. Os cáusticos são geralmente hidróxidos de metais leves. O HIDRÓXIDO DE SÓDIO e o hidróxido de potássio são os agentes cáusticos mais amplamente usados na indústria. Na Medicina, têm sido usados externamente para remover tecidos doentes ou mortos, e destruir verrugas e pequenos tumores. A ingestão acidental de produtos (domésticos e industriais) contendo ingredientes cáusticos resulta em milhares de lesões por ano.Fibras Ópticas: Feixes finos de material transparente, geralmente vidro, que são usados para transmitir comprimentos de onda por longas distâncias.Brunei: Sultanato independente na costa nordeste de Borneo. Seus produtos principais são petróleo e gás natural. Seu nome é hindi e vem do sânscrito bhumi, terra ou região. O nome Brunei deriva de Borneo.Coagulação com Plasma de Argônio: Método de ablação de tecido ou controle de sangramento que usa plasma de ARGÔNIO (gás argônio ionizado) para liberar uma corrente de energia termocoagulante para a área do tecido a ser coagulado.Sangue Oculto: Detecção química, espectroscópica ou microscópica de quantidades extremamente pequenas de sangue.Duodenoscópios: Endoscópios para examinar o interior do duodeno.Midazolam: Droga hipnótico-sedativa com efeito de curta duração, com propriedades ansiolítica e amnésica. É usada para sedação em odontologia, cirurgia cardíaca, procedimentos endoscópicos, como medicação pré-anestésica e como adjunto para anestesia local. Devido a sua curta duração e estabilidade cardiorrespiratória torna-se útil em pacientes de risco, idosos e cardíacos. É hidrossolúvel em pH menor que 4 e lipossolúvel em pH fisiológico.Hipertensão Portal: Aumento anormal de resistência ao fluxo sanguíneo dentro do SISTEMA PORTA hepático, frequentemente observado na CIRROSE HEPÁTICA e em situações com obstrução da VEIA PORTA.Ectasia Vascular Gástrica Antral: Lesão vascular distinta no ANTRO PILÓRICO, caracterizada por vasos sanguíneos dilatados e tortuosos (ectasia) espalhando-se para fora do PILORO. O padrão vascular é semelhante as faixas da superfície de uma melancia. Esta lesão causa HEMORRAGIA GASTROINTESTINAL tanto aguda como crônica.Monitoramento do pH Esofágico: Análise da concentração do íon hidrogênio na luz do esôfago. Usado para registrar o padrão, a frequência e a duração do REFLUXO GASTROESOFÁGICO.Mucosa Intestinal: Revestimento dos INTESTINOS, consistindo em um EPITÉLIO interior, uma LÂMINA PRÓPRIA média, e uma MUSCULARIS MUCOSAE exterior. No INTESTINO DELGADO, a mucosa é caracterizada por várias dobras e muitas células absortivas (ENTERÓCITOS) com MICROVILOSIDADES.Síndrome de Mallory-Weiss: Afecção caracterizada por laceração da mucosa da JUNÇÃO ESOFAGOGÁSTRICA, às vezes, com HEMATEMESE. É causada tipicamente por fortes ataques de ânsia ou VÔMITO.Doenças do Íleo: Desenvolvimento patológico no ÍLEO incluindo VALVA ILEOCECAL.Hipnóticos e Sedativos: Drogas usadas para induzir sonolência, sono ou ainda para reduzir a excitação ou ansiedade psicológicas.Neoplasias Intestinais: Tumores ou câncer dos INTESTINOS.Doenças da Laringe: Processos patológicos envolvendo qualquer parte da LARINGE, a qual coordena muitas funções como a produção da voz, respiração, deglutição e tosse.Ranitidina: Bloqueador não imidazólico daqueles receptores de histamina que fazem a mediação da secreção gástrica (receptores H2). É usado para tratar úlceras gastrointestinais.Sinusite: Inflamação da MUCOSA NASAL em um ou mais dos SEIOS PARANASAIS.Recidiva: Retorno de um sinal, sintoma ou doença após uma remissão.Gravação em Vídeo: O armazenamento ou preservação de sinais de vídeo para televisão para serem reproduzidos depois por um transmissor ou receptor. Podem ser feitas gravações em fita magnética ou discos (GRAVAÇÃO EM VIDEODISCO)Metronidazol: Nitroimidazol utilizado para tratar a AMEBÍASE, VAGINITE, TRICOMONÍASE, GIARDÍASE, BACTÉRIAS ANAERÓBICAS e tricomonas INFECÇÕES POR TREPONEMAS. Foi também indicado como sensibilizador de radiação em células em hipóxia. De acordo com o Quarto Relatório Anual em Carcinógenos (NTP 85-002, 1985, p133), esta substância pode ser razoavelmente considerada um carcinógeno. (Tradução livre do original: Merck, 11th ed).Neoplasias do Íleo: Tumores ou câncer no ÍLEO região do intestino delgado (INTESTINO DELGADO)Testes Respiratórios: Quaisquer testes feitos com o ar expirado.Claritromicina: Antibiótico macrolídeo semissintético derivado da ERITROMICINA, que é ativa contra uma variedade de microrganismos. Pode inibir a SÍNTESE PROTEICA nas BACTÉRIAS pela ligação reversível às subunidades ribossômicas 50S, inibindo a translocação do RNA de transferência aminoacilado e impedindo a elongação da cadeia peptídica.Rinite: Inflamação da MUCOSA NASAL, a mucosa que recobre as CAVIDADES NASAIS.Amoxicilina: Antibiótico semissintético de amplo espectro semelhante à AMPICILINA, exceto por sua resistência ao ácido gástrico que permite níveis séricos mais altos quando administrado oralmente.Urease: Enzima que catalisa a conversão da ureia e água a dióxido de carbono e amônia. EC 3.5.1.5.Tomografia Computadorizada por Raios X: Tomografia utilizando transmissão por raio x e um computador de algoritmo para reconstruir a imagem.Procedimentos Cirúrgicos Otorrinolaringológicos: Cirurgia feita na orelha e suas partes, nariz e cavidade nasal ou garganta, incluindo cirurgia de adenoide, tonsilas, faringe e traqueia.Doença de Crohn: Inflamação transmural crônica que pode envolver qualquer parte do TRATO DIGESTÓRIO desde a BOCA até o ÂNUS, principalmente encontrada no ÍLEO, CECO, e COLO. Na doença de Crohn, a inflamação que se estende através da parede intestinal da MUCOSA até a serosa, é caracteristicamente assimétrica e segmentar. GRANULOMAS epitelioides podem ser vistos em alguns pacientes.Neoplasias Colorretais: Tumores ou câncer do cólon, ou do RETO ou ambos. Entre os fatores de risco para o câncer colorretal estão colite ulcerativa crônica, polipose familiar do cólon, exposição a ASBESTO e irradiação do COLO DO ÚTERO.Enterite: Inflamação de qualquer segmento do INTESTINO DELGADO.Doença Celíaca: Síndrome de malabsorção precipitada pela ingestão de alimentos que contêm GLÚTEN, como trigo, centeio e cevada. Caracteriza-se por INFLAMAÇÃO do INTESTINO DELGADO, perda da estrutura de MICROVILOSIDADES, falha na ABSORÇÃO INTESTINAL e DESNUTRIÇÃO.Desinfecção: Procedimento(s) que permitem tornar patógenos inofensivos através do uso de calor, de antissépticos, de agentes antibacterianos, etc.Seguimentos: Estudos nos quais indivíduos ou populações são seguidos para avaliar o resultado de exposições, procedimentos ou efeitos de uma característica, por exemplo, ocorrência de doença.Lansoprazol: Derivado 2,2,2-trifluoroetoxipiridil do timoprazol usado na terapia de ÚLCERAS GÁSTRICAS e SÍNDROME DE ZOLLINGER-ELLISON. A droga inibe a ATPASE TROCADORA DE HIDROGÊNIO-POTÁSSIO que é encontrada nas CÉLULAS PARIETAIS GÁSTRICAS. Lansoprazol é uma mistura racêmica dos isômeros (R)- e (S)-.Gastrectomia: Excisão de todo (g. total) ou parte (g. subtotal, g. parcial, ressecção gástrica) do estômago. (Dorland, 28a ed)Adenoma: Tumor epitelial benigno com organização glandular.Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Dilatação: O ato de dilatar.Junção Esofagogástrica: Área, no cárdia, desde a porção terminal do ESÔFAGO até o começo do ESTÔMAGO.Seios Paranasais: Extensões preenchidas de ar localizadas nos ossos ao redor da CAVIDADE NASAL. São extensões da cavidade nasal e recobertas pela MUCOSA NASAL ciliada. Cada seio é nominado a partir do osso cranial em que está localizado, como o SEIO ETMOIDAL, o SEIO FRONTAL, o SEIO MAXILAR e o SEIO ESFENOIDAL.Refluxo Laringofaríngeo: Fluxo reverso do conteúdo gástrico para a LARINGOFARINGE, o que propicia seu contato com os tecidos do trato aerodigestivo superior. O refluxo laringofaríngeo é uma manifetação extraesofágica do REFLUXO GASTROESOFÁGICO.Detecção Precoce de Câncer: Métodos para identificar e caracterizar o câncer em estágios iniciais da doença e predizer o comportamento do tumor.Glutaral: Uma das proteínas dos REAGENTES PARA LIGAÇÕES CRUZADAS utilizada como desinfetante para esterilizar equipamentos sensíveis ao calor e como reagente laboratorial, especialmente como fixador.Pouchite: A inflamação aguda na MUCOSA INTESTINAL vista num coletor ileal (bolsa) em pacientes submetidos a ILEOSTOMIA e PROCTOCOLECTOMIA RESTAURADORA.Propofol: Anestésico intravenoso que possui a vantagem de ter um início muito rápido após infusão ou injeção de bolus, além de um período de recuperação muito curto (alguns minutos). (Tradução livre do original: Smith and Reynard, Textbook of Pharmacology, 1992, 1st ed, p206). O propofol tem sido utilizado como ANTICONVULSIVANTE e ANTIEMÉTICO.Procedimentos Desnecessários: Procedimentos de diagnóstico, terapêuticos e investigativos prescritos e executados por profissionais de saúde cujos resultados não justificam os benefícios ou perigos e custos para o paciente.Fístula Gástrica: Via anormal comunicando com ESTÔMAGO.Trânsito Gastrointestinal: Passagem de alimento (algumas vezes na forma de um alimento teste) através do trato gastrointestinal medida em minutos ou horas. A velocidade de passagem pelo intestino é um indicador de função intestinal reduzida.Equinostomíase: A infecção causada por trematódeos do gênero Echinostoma.Obstrução Intestinal: Qualquer prejuízo (parada ou reversão) no fluxo do CONTEÚDO INTESTINAL no sentido do CANAL ANAL.Proctoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia do interior do reto.Anti-Inflamatórios não Esteroides: Anti-inflamatórios não esteroidais. Além das ações anti-inflamatórias eles têm ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas. Eles bloqueiam a síntese de prostaglandinas inibindo a ciclo-oxigenase, que converte o ácido araquidônico em endoperóxidos cíclicos, precursores de prostaglandinas. A inibição da síntese de prostaglandinas explica as ações analgésicas, antipiréticas, e inibidoras de plaquetas; outros mecanismos podem contribuir para seus efeitos anti-inflamatórios.Adenocarcinoma: Tumor epitelial maligno com organização glandular.Linfangiectasia Intestinal: Dilatação do sistema linfático intestinal, geralmente causada por uma obstrução na parede intestinal. Pode ser congênita ou adquirida e caracteriza-se por DIARREIA, HIPOPROTEINEMIA, EDEMA periférico e/ou abdominal e ENTEROPATIAS PERDEDORAS DE PROTEÍNAS.Broncoscopia: Exame endoscópico, terapia ou cirurgia dos brônquios.Fundo Gástrico: Porção superior do corpo do estômago acima do nível da região cárdica.Membrana Mucosa: EPITÉLIO com células secretoras de MUCO, como as CÉLULAS CALICIFORMES. Forma o revestimento de muitas cavidades do corpo, como TRATO GASTROINTESTINAL, TRATO RESPIRATÓRIO e trato reprodutivo. A mucosa, rica em sangue e em vasos linfáticos, compreende um epitélio interno, uma camada média (lâmina própria) do TECIDO CONJUNTIVO frouxo e uma camada externa (muscularis mucosae) de CÉLULAS MUSCULARES LISAS que separam a mucosa da submucosa.Antagonistas dos Receptores Histamínicos H2: Fármacos que se ligam seletivamente aos receptores H2 da histamina, porém sem ativá-los, bloqueando assim a ação da histamina. Sua ação clínica mais importante é a inibição da secreção de ácido no tratamento das úlceras gastrintestinais. O músculo liso também pode ser afetado. Alguns fármacos desta classe apresentam um forte efeito no sistema nervoso central, mas estas ações [ainda] não são bem compreendidas.Neuroleptanalgesia: Forma de analgesia acompanhada por inatividade geral e indiferença psíquica aos estímulos ambientais, sem perda da consciência, e produzida pela administração combinada de um tranquilizante maior (neuroléptico) e um narcótico.Cirurgia de Second-Look: Operação de acompanhamento para examinar o resultado de cirurgia anterior e outros tratamentos, como quimioterapia ou radioterapia.Cirurgia Endoscópica por Orifício Natural: Procedimentos cirúrgicos executados através de uma abertura natural do corpo, como a boca, nariz, uretra ou ânus, e ao longo das cavidades corporais naturais com as quais são contínuas.Reprodutibilidade dos Testes: Propriedade de se obter resultados idênticos ou muito semelhantes a cada vez que for realizado um teste ou medida. (Tradução livre do original: Last, 2001)Diagnóstico por Imagem: Qualquer exibição visual de padrões estruturais ou funcionais de órgãos ou tecidos para avaliação diagnóstica. Inclui medidas fisiológicas e respostas metabólicas a estímulos físicos e químicos, assim como ultramicroscopia.Pré-Medicação: Administração preliminar de um medicamento que antecede um procedimento diagnóstico, terapêutico ou cirúrgico. Os tipos mais comuns de pré-medicação são antibióticos (PROFILAXIA DE ANTIBIÓTICOS) e agentes ansiolíticos. Não abrange MEDICAÇÃO PRÉ-ANESTÉSICA.Pólipos Adenomatosos: Pólipos que consistem em tecido neoplásico benigno derivado do epitélio glandular. (Stedman, 25a ed)Manometria: A medição da pressão ou tensão de líquidos ou gases por meio de um manômetro.Programas de Rastreamento: Tentativa de identificação de pessoas portadoras de uma doença ou agravo não evidente por meio de testes, exames, questionários ou outros procedimentos de aplicação rápida. O rastreamento classifica as pessoas em negativas ou positivas; estas (casos suspeitos) são encaminhadas para confirmação clínica de diagnóstico ou tratamento. (Tradução livre do original: Last, 2001)Aspiração Respiratória: Inalação de líquidos ou sólidos, como conteúdo estomacal, pelo TRATO RESPIRATÓRIO. Quando isto causa dano grave ao pulmão, é denominado de PNEUMONIA ASPIRATIVA.Neuroendoscopia: Procedimentos que usam NEUROENDOSCÓPIOS para o diagnóstico e tratamento de doenças. A neuroendoscopia, que geralmente é uma integração do neuroendoscópio com um sistema de NEURONAVEGAÇÃO assistido por computador, fornece diretrizes nos PROCEDIMENTOS NEUROCIRÚRGICOS.Fármacos Gastrointestinais: Fármacos usados por seus efeitos no sistema gastrointestinal, como o controle da acidez gástrica, a regulação da motilidade gastrointestinal e o fluxo de água, e a melhora da digestão.Fatores de Risco: Aspecto do comportamento individual ou do estilo de vida, exposição ambiental ou características hereditárias ou congênitas que, segundo evidência epidemiológica, está sabidamente associado a uma condição relacionada com a saúde considerada importante de ser prevenida.Polipose Intestinal: Crescimento de PÓLIPOS INTESTINAIS. Os processos de crescimento podem ser neoplásico (ADENOMA e CARCINOMA) e não neoplásico (hiperplásico, mucoso, inflamatório e outros pólipos).Coristoma: Massa de tecido histologicamente normal presente em uma localização anormal.Referência e Consulta: Prática de enviar um paciente para outro programa ou médico para provisão de serviços ou aconselhamento, os quais a fonte da referência não está preparada para fornecer.Pepsinogênio C: Este é um dos 2 sistemas pepsinogênicos relacionados em humanos. É encontrado na próstata e líquido seminal, ao passo que o PEPSINOGÊNIO A, não.Método Simples-Cego: Método de estudo sobre uma droga ou procedimento no qual os grupos estudados desconhecem quem está recebendo o fator em questão, mas o investigador, sim. (Tradução livre do original: Last, 2001)Reutilização de Equipamento: Utilização adicional ou repetida de equipamentos, instrumentos, dispositivos ou materiais. Abrange o uso adicional, independente da intenção original do fabricante como disponibilidade ou durabilidade. Não inclui o uso repetido de fluidos ou soluções.Unidades Hospitalares: Áreas da organização hospitalar não consideradas como departamentos que prestam assistência especializada ao paciente. Incluem várias unidades de cuidados especiais no hospital.Satisfação do Paciente: O grau pelo qual o indivíduo considera o serviço ou produto de saúde ou o modo pelo qual este é executado pelo provedor como sendo útil, efetivo ou que traz benefício.Bismuto: Elemento metálico com símbolo atômico Bi, número atômico 83 e peso atômico 208,98.Intubação Gastrointestinal: Inserção de um tubo no estômago, intestinos ou outra porção do trato gastrointestinal para permitir a passagem de produtos alimentares, etc.Enteropatias Perdedoras de Proteínas: Afecções nos INTESTINOS, caracterizados por perda por via gastrointestinal de proteínas séricas, incluindo ALBUMINA SÉRICA, IMUNOGLOBULINAS e às vezes, LINFÓCITOS. O estado grave pode resultar em hipogamaglobulinemia ou LINFOPENIA. As enteropatias com perda proteica estão associadas com várias doenças, incluindo LINFANGIECTASIA INTESTINAL, DOENÇA DE WHIPPLE e NEOPLASIAS do INTESTINO DELGADO.Quimioterapia Combinada: Terapia administrada simultaneamente com duas ou mais preparações diferentes para obter um efeito combinado.Anemia Ferropriva: Anemia caracterizada por diminuição ou ausência dos estoques de ferro, baixa concentração de ferro sérico, baixa saturação de transferrina e baixa concentração de hemoglobina ou valor de hematócrito. Nesta condição, os eritrócitos estão hipocrômicos e microcíticos e a capacidade de ligação do ferro está aumentada.Miniaturização: Desenho ou construção de objetos grandes em escala reduzida.Pólipos Nasais: Acumulações focais de EDEMA líquido na MUCOSA NASAL acompanhadas de HIPERPLASIA do tecido conjuntivo submucoso. Os pólipos podem ser NEOPLASIAS, focos de INFLAMAÇÃO, lesões degenerativas ou malformações.Cimetidina: Congênere da histamina, inibe competitivamente a ligação da HISTAMINA com os RECEPTORES DE HISTAMINA H2. A cimetidina possui várias ações farmacológicas. Inibe a secreção de ÁCIDO GÁSTRICO, bem como a liberação de PEPSINA e GASTRINAS.Pepsinogênio A: Este é um dos 2 sistemas pepsinogênicos relacionados em humanos, também conhecido como pepsinogênio. (O outro é o PEPSINOGÊNIO C). Inclui os isozimogênios Pg1-Pg5 (pepsinogênios 1-5, grupo I ou produtos dos genes PGA1-PGA5). Este é o principal pepsinogênio encontrado na urina.Aumento da Imagem: Melhora da qualidade de uma imagem por várias técnicas, inclusive processamento computadorizado, filtração digital, técnicas ecocardiográficas, MICROSCOPIA ótica e ultraestrutural, espectroscopia e microscopia por fluorescência, cintilografia e processamento de imagens in vitro ao nível molecular.Guias de Prática Clínica como Assunto: Orientações ou princípios apresentando regras de política atuais ou futuras para o praticante de cuidados de saúde, para assisti-lo nas decisões de cuidados ao paciente a respeito de diagnóstico, terapia ou circunstâncias clínicas relacionadas. Os guias podem ser desenvolvidos por agências governamentais em qualquer nível, instituições, sociedades profissionais, juntas governamentais ou reuniões de especialistas para discussão. Os guias formam a base para avaliação de todos os aspectos de cuidados e distribuição da saúde.Colo: O segmento do INTESTINO GROSSO entre o CECO e o RETO. Inclui o COLO ASCENDENTE; o COLO TRANSVERSO; o COLO DESCENDENTE e o COLO SIGMOIDE.Acalasia Esofágica: Distúrbio da motilidade do ESÔFAGO em que o ESFÍNCTER ESOFÁGICO INFERIOR (próximo ao CÁRDIA) não consegue relaxar acarretando obstrução funcional do esôfago e DISFAGIA. A acalasia caracteriza-se por um esôfago grosseiramente contorcido e dilatado (megaesôfago).Índice de Gravidade de Doença: Níveis dentro de um grupo de diagnósticos estabelecidos por vários critérios de medição aplicados à gravidade do transtorno de um paciente.Distribuição de Qui-Quadrado: Distribuição na qual a variável está distribuída como a soma dos quadrados de qualquer variável dada independente e aleatória, tendo cada qual uma distribuição normal com média zero e desvio um. O teste de Qui-quadrado é um teste estatístico baseado na comparação de uma estatística e uma distribuição de Qui-quadrado. Os testes mais antigos se usam para detectar se duas ou mais distribuições da população diferem entre si.Cirurgia Vídeoassistida: Procedimentos cirúrgicos endoscópicos feitos com visualização através da transmissão por vídeo. Quando o vídeo em tempo real é combinado interativamente com uma varredura CT ou imagens MRI prévios, é chamada cirurgia guiada por imagem (v. CIRURGIA ASSISTIDA POR COMPUTADOR).Trato Gastrointestinal: Geralmente refere-se às estruturas digestórias que se estendem da BOCA ao ÂNUS, sem incluir os órgãos glandulares acessórios (FÍGADO, TRATO BILIAR, PÂNCREAS)Diazepam: Benzodiazepina com propriedades anticonvulsiva, ansiolítica, sedativa, de relaxante muscular, amnésica e de efeito de longa duração. Suas ações são mediadas pelo aumento da atividade do ÁCIDO GAMA-AMINOBUTÍRICO.Colite Ulcerativa: Inflamação do COLO predominantemente confinada à MUCOSA. Seus principais sintomas incluem DIARREIA, SANGRAMENTO retal, a passagem de MUCO, e DOR ABDOMINAL.Doenças Faríngeas: Processos patológicos envolvendo a FARINGE.Laparoscopia: Procedimento em que um laparoscópio (LAPAROSCÓPIOS) é inserido através de uma pequena incisão próxima ao umbigo para examinar os órgãos abdominais e pélvicos na CAVIDADE PERITONEAL Se necessário, pode ser realizado biópsia ou cirurgia durante a laparoscopia.Índigo Carmim: Ácido indol-sulfônico utilizado como corante em teste da função renal para detecção de nitratos e cloratos e para fazer testes em leite.Técnicas Fotoacústicas: Métodos e procedimentos de pesquisa e diagnóstico baseados nos efeito fotoacústico que, por sua vez, é a geração de ondas sonoras (ver SOM) a partir da absorção da RADIAÇÃO eletromagnética.Tinidazol: Antitricomona nitroimidazol eficaz contra infecções por Trichomonas vaginalis, Entamoeba histolytica e Giardia lamblia.Suco Gástrico: Secreção líquida da mucosa estomacal composta por ácido clorídrico (ÁCIDO GÁSTRICO), PEPSINOGÊNIOS, FATOR INTRÍNSECO, GASTRINA, MUCO e íon bicarbonato (BICARBONATOS). (tradução livre do original: Best & Taylor's Physiological Basis of Medical Practice, 12th ed, p651).Dissecação: Separação e isolamento de tecidos para propostas cirúrgicas ou para as análises ou estudo de suas estruturas.Pancreatopatias: Processos patológicos do PÂNCREAS.Anatomia Transversal: Anatomia descritiva baseada em imagens tridimensionais (IMAGENS TRIDIMENSIONAIS) do corpo, órgãos e estruturas usando uma série de secções computadorizadas em vários planos mostrados em uma análise transversal, coronal e sagital. É essencial para interpretação precisa pelo radiologista, de técnicas, como o diagnóstico de ultrassom, IMAGEM POR RESSONÂNCIA MAGNÉTICA e tomografia computadorizada (TOMOGRAFIA OMPUTADORIZADA POR RAIOS-X). (Tradução livre do original: Lane & Sharfaei, Modern Sectional Anatomy, 1992, Preface)Serviços de Diagnóstico: Serviços com o objetivo de determinar a condição de saúde ou seus fatores determinantes em indivíduos, famílias, grupos ou comunidades.Técnicas de Diagnóstico do Sistema Digestório: Métodos e procedimentos para o diagnóstico de doenças ou disfunções do sistema digestório ou seus órgãos, ou a demonstração de seus processos fisiológicos.Complicações Pós-Operatórias: Processos patológicos que afetam pacientes após um procedimento cirúrgico. Podem ou não estar relacionados à doença pela qual a cirurgia foi realizada, podendo ser ou não resultado direto da cirurgia.