Encefalite: Inflamação do ENCÉFALO produzida por infecção, processos autoimunes, toxinas e outras afecções. As infecções virais (ver ENCEFALITE VIRAL) são causas relativamente frequentes desta afecção.Encefalite Viral: Inflamação do tecido do parênquima cerebral como resultado de uma infecção viral. A encefalite pode ocorrer como manifestação primária ou secundária a INFECÇÕES POR TOGAVIRIDAE, INFECÇÕES POR HERPESVIRIDAE, INFECÇÕES POR ADENOVIRIDAE, INFECÇÕES POR FLAVIVIRIDAE, INFECÇÕES POR BUNYAVIRIDAE, INFECÇÕES POR PICORNAVIRIDAE, INFECÇÕES POR PARAMYXOVIRIDAE, INFECÇÕES POR ORTHOMYXOVIRIDAE, INFECÇÕES POR RETROVIRIDAE e INFECÇÕES POR ARENAVIRIDAE.Encefalite Japonesa: Encefalite transmitida por mosquitos e causada pelo VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA tipo B, que ocorre ao longo da Ásia Oriental e Austrália. A maioria das infecções ocorre em crianças e são subclínicas ou têm características limitadas à febre transitória e sintomas gastrointestinais. Inflamação no cérebro, medula espinhal e meninges pode ocorrer e levar a déficit neurológico transitório ou permanente (incluindo apresentação semelhante à da POLIOMIELITE), CONVULSÕES, COMA e morte. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p 751; Lancet 1998 Apr 11; 351(9109): 1094-7)Vírus da Encefalite Japonesa (Espécie): Espécie de FLAVIVIRUS que é do grupo de VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA, agente etiológico da encefalite japonesa encontrada na Ásia, sudeste asiático e subcontinente indiano.Encefalite Límbica: Síndrome paraneoplásica caracterizada por degeneração de neurônios do SISTEMA LÍMBICO. As características clínicas incluem ALUCINAÇÕES, perda de MEMÓRIA EPISÓDICA, ANOSMIA, AGEUSIA, EPILEPSIA DO LOBO TEMPORAL, DEMÊNCIA e distúrbio afetivo (depressão). Encontram-se associados a esta síndrome anticorpos anti-neurônios (ex.: anti-Hu, anti-Yo, anti-Ri e anti-Ma2) e carcinomas de células pequenas do pulmão ou carcinoma testicular.Encefalite por Arbovirus: Infecções no cérebro causadas por vírus originados em artrópodes (i. é, arbovirus) principalmente das famílias TOGAVIRIDAE, FLAVIVIRIDAE, BUNYAVIRIDAE, REOVIRIDAE e RHABDOVIRIDAE. Os ciclos de vida desses vírus são caracterizados por ZOONOSES, nas quais aves e pequenos mamíferos servem como hospedeiros intermediários. O vírus é transmitido aos homens pela picada de mosquitos (CULICIDAE) ou CARRAPATOS. Entre as manifestações clínicas estão febre, cefaleia, alterações mentais, déficits neurológicos focais e COMA. (Tradução livre do original: Clin Microbiol Rev 1994 Jan; 7(1): 89-116; Walton, Brain's Diseases of the Nervous System, 10th ed, p 321)Vírus da Encefalite Equina Venezuelana: Espécie de ALPHAVIRUS, agente etiológico da encefalomielite em humanos e equinos. É encontrada com maior frequência em regiões das Américas do Sul e Central.Encefalite por Herpes Simples: Processo inflamatório agudo (ou raramente crônico) do cérebro causado por infecções pelo SIMPLEXVIRUS que pode ser fatal. A maioria das infecções é causada pelo herpesvirus 1 humano (HERPESVIRUS 1 HUMANO) e menos frequentemente pelo herpesvirus 2 humano (HERPESVIRUS 2 HUMANO). As manisfestações clínicas incluem FEBRE, CEFALEIA, CONVULSÕES, ALUCINAÇÕES, alterações comportamentais, AFASIA, hemiparesia e COMA. Do ponto de visto patológico, a afecção é caracterizada por uma necrose hemorrágica que envolve o LOBO TEMPORAL medial e inferior e regiões orbitais do LOBO FRONTAL.Encefalite de St. Louis: Encefalite viral causada pelo VÍRUS DA ENCEFALITE DE ST. LOUIS (FLAVIVIRUS). É transmitido a humanos e outros vertebrados, principalmente por mosquitos do gênero CULEX. Os principais vetores animais são aves selvagens e o transtorno é endêmico no médio-oeste e sudeste dos Estados Unidos. As infecções podem ser limitadas a doenças semelhantes à influenza ou apresentarem-se como MENINGITE ASSÉPTICA ou ENCEFALITE. As manifestações clínicas da apresentação encefalítica podem incluir CONVULSÕES, letargia, MIOCLONIA, sinais neurológicos focais, COMA e MORTE. (Tradução livre do original : Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p 750)Vírus da Encefalite: Coleção de vírus RNA de fita simples espalhados entre as famílias Bunyaviridae, Flaviviridae e Togaviridae, cuja propriedade comum é a capacidade de induzir afecções encefalíticas em hospedeiros infectados.Vírus da Encefalite de St. Louis: Espécie de FLAVIVIRUS, um dos vírus do grupo de vírus da encefalite japonesa (VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA (SUBGRUPO)), que é o agente etiológico da ENCEFALITE DE ST. LOUIS nos Estados Unidos, Caribe, Américas do Sul e Central.Vacinas contra Encefalite Japonesa: Vacinas ou vacinas candidatas usadas para prevenir infecção com vírus da encefalite japonesa B (VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA (ESPÉCIE))Vírus da Encefalite Equina do Leste: Espécie de ALPHAVIRUS que causa encefalomielite em equinos e humanos. O vírus está distribuído pela costa do Atlântico dos Estados Unidos e Canadá até o Caribe, México e partes das Américas Central e do Sul. As infecções em cavalos apresentam mortalidade de até 90 por cento, e em humanos, de até 80 por cento em epidemias.Vírus da Encefalite Equina do Oeste: Espécie de ALPHAVIRUS que é o agente etiológico da encefalomielite em humanos e equinos nos Estados Unidos, sul do Canadá e partes da América do Sul.Encefalomielite Equina Venezuelana: Forma de encefalite por arbovírus endêmica na América Central e em latitudes ao norte da América do Sul. O organismo causador (VÍRUS DA ENCEFALITE EQUINA VENEZUELANA) é transmitido aos humanos e cavalos, através da picada de várias espécies de mosquitos. A infecção viral humana pode ser assintomática ou permanecer restrita a uma doença semelhante à influenza. A encefalite, normalmente não é grave, ocorre numa porcentagem pequena de casos e pode raramente apresentar ATAQUES e COMA. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1996, Ch26, pp9-10)Encefalite Antirreceptor de N-Metil-D-Aspartato: Distúrbio caracterizado por sintomas de CATATONIA, HIPOVENTILAÇÃO, DISCINESIAS, ENCEFALITE e CONVULSÕES seguidos de ESTADO DE CONSCIÊNCIA reduzido. É frequentemente seguido por um pródromo viral. Muitos casos são autolimitantes e respondem bem à IMUNOMODULAÇÃO contra os anticorpos dirigidos a RECEPTORES DE N-METIL-D-ASPARTATO.Vírus da Encefalite do Vale de Murray: Espécie de FLAVIVIRUS, do grupo de VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA, encontrados na Austrália e Nova Guiné. Causa viremia fulminante, lembrando a ENCEFALITE JAPONESA.Encefalomielite Equina: Grupo de INFECÇÕES POR ALPHAVIRUS que afeta cavalos e homens, transmitido pela picada de mosquitos. Transtornos desse tipo são endêmicos nas regiões da América do Sul e do Norte. Em humanos, as manifestações clínicas variam com o tipo de infecção e vão desde uma síndrome semelhante à influenza a uma encefalite fulminante. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1996, Ch26, pp8-10)Encefalite da Califórnia: Infecção viral do encéfalo causada por sorotipos do VÍRUS DA ENCEFALITE DA CALIFÓRNIA transmitida aos humanos pelo mosquito AEDES triseriatus. A maioria é causada pelo VÍRUS LA CROSSE. Esta afecção é endêmica no meio-oeste dos Estados Unidos e principalmente afeta crianças entre 5-10 anos de idade. Entre as manifestações clínicas estão FEBRE, VÔMITOS, CEFALEIA e dor abdominal seguida por CONVULSÕES, atividade mental alterada e déficits neurológicos focais. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1996, Ch 26, p 13)Vírus da Encefalite Japonesa (Subgrupo): Subgrupo do gênero FLAVIVIRUS que compreende diversas espécies virais que são agentes etiológicos da encefalite humana em muitas regiões geográficas diferentes. Estes incluem o VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA (ESPÉCIE), o VÍRUS DA ENCEFALITE DE ST. LOUIS, o VÍRUS DA ENCEFALITE DO VALE DE MURRAY, e o VÍRUS DO NILO OCIDENTAL.Flavivirus: Gênero FLAVIVIRIDAE (vários subgrupos, muitas espécies) em que a maioria dos membros é composta por arbovirus transmitidos por mosquitos ou carrapatos. O representante da espécie é o VÍRUS DA FEBRE AMARELA.Toxoplasmose Cerebral: Infecções do CÉREBRO causadas por protozoário TOXOPLASMA gondii que surgem inicialmente em indivíduos com SÍNDROMES DE IMUNODEFICIÊNCIA (ver também INFECÇÕES OPORTUNISTAS RELACIONADAS COM A AIDS). A infecção pode acometer o cérebro difusamente ou formar abcessos discretos. Entre as manifestações clínicas estão CONVULSÕES, alterações mentais, cefaleia, déficits neurológicos focais e HIPERTENSÃO INTRACRANIANA. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1998, Ch27, pp41-3)Infecções por Flavivirus: As infecções por vírus do gênero FLAVIVIRUS, família FLAVIVIRIDAE.Vírus do Nilo Ocidental: Espécie de FLAVIVIRUS, do grupo VÍRUS DA ENCEFALITE JAPONESA que pode infectar aves e mamíferos. Em humanos, é observado mais frequentemente na África, Ásia e Europa, apresentando-se como uma infecção silenciosa ou febre indiferenciada (FEBRE DO NILO OCIDENTAL). O vírus surgiu pela primeira vez, em 1999 na América do Norte. É transmitido principalmente pelo mosquito CULEX spp (que se alimenta principalmente nas aves), mas também pode ser transmitida pelo mosquito do Tigre Asiático (AEDES albopictus), que se alimenta principalmente de mamíferos.Febre do Nilo Ocidental: Doença viral transmitida por mosquito e causada pelo VÍRUS DO NILO OCIDENTAL, (FLAVIVIRUS), endêmica para as regiões da África, Ásia e Europa. Entre as características clínicas comuns estão CEFALEIA, FEBRE, erupção maculopapular, sintomas gastrointestinais e linfadenopatia. Também pode ocorrer MENINGITE, ENCEFALITE e MIELITE. A doença, ocasionalmente pode ser fatal ou deixar déficits neurológicos residuais nos sobreviventes. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1996, Ch26, p13; Lancet 1998 Sep 5;352(9130):767-71)Culicidae: Famílias da ordem dos DÍPTEROS que engloba os mosquitos. Os estágios larvais são aquáticos, e os adultos podem ser reconhecidos pela característica vascularização das ASAS, as escalas ao longo das veias das asas e o longo proboscis (aparelho picador-sugador). Várias espécies são de particular importância médica.Encefalomielite Equina do Leste: Forma de encefalite por arbovírus (que afeta principalmente equinos) endêmica das regiões do leste da América do Norte. O organismo causal (VÍRUS DA ENCEFALOMIELITE EQUINA DO LESTE) pode ser transmitido aos humanos por picada de mosquitos AEDES. As manifestações clínicas incluem o início agudo de febre, CEFALEIA, alteração da clareza mental e CONVULSÕES seguidas de coma. A afecção é fatal em 50 por cento dos casos. A recuperação pode ser marcada por déficits neurológicos residuais e EPILEPSIA.Anticorpos Antivirais: Imunoglobulinas produzidas em resposta a ANTÍGENOS VIRAIS.Amebíase: Infecção causada por qualquer uma de várias amebas. Ela é um estado de portador assintomático na maioria dos indivíduos, mas doenças que vão desde diarreias leves e crônicas a disenterias fulminantes podem ocorrer.Culex: Gênero de mosquitos (CULICIDAE) comumente encontrados em regiões tropicais. Espécies deste gênero são vetores da ENCEFALITE DE ST. LOUIS assim como várias outras doenças do homem e de animais domésticos e selvagens.Encéfalo: A parte do SISTEMA NERVOSO CENTRAL contida no CRÂNIO. O encéfalo embrionário surge do TUBO NEURAL, sendo composto de três partes principais, incluindo o PROSENCÉFALO (cérebro anterior), o MESENCÉFALO (cérebro médio) e o ROMBENCÉFALO (cérebro posterior). O encéfalo desenvolvido consiste em CÉREBRO, CEREBELO e outras estruturas do TRONCO ENCEFÁLICO (MeSH). Conjunto de órgãos do sistema nervoso central que compreende o cérebro, o cerebelo, a protuberância anular (ou ponte de Varólio) e a medula oblonga, estando todos contidos na caixa craniana e protegidos pela meninges e pelo líquido cefalorraquidiano. É a maior massa de tecido nervoso do organismo e contém bilhões de células nervosas. Seu peso médio, em um adulto, é da ordem de 1.360 g, nos homens e 1.250 g nas mulheres. Embriologicamente, corresponde ao conjunto de prosencéfalo, mesencéfalo e rombencéfalo. Seu crescimento é rápido entre o quinto ano de vida e os vinte anos. Na velhice diminui de peso. Inglês: encephalon, brain. (Rey, L. 1999. Dicionário de Termos Técnicos de Medicina e Saúde, 2a. ed. Editora Guanabara Koogan S.A. Rio de Janeiro)Encefalite por Varicela Zoster: Inflamação do tecido cerebral causada pela infecção do vírus da varicela-zoster (HERPESVIRUS 3 HUMANO). Essa afecção está associada a estados imunocomprometidos, incluindo a SÍNDROME DE IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA. Patologicamente, o vírus tende a induzir uma vasculopatia e infecta oligodendrócitos e células do epêndima, levando ao INFARTO CEREBRAL, regiões multifocais de desmielinizaçao e necrose periventricular. As manisfestações da encefalite por varicela normalmente ocorrem 5 a 7 dias após o início dO HERPES ZOSTER e incluem CEFALEIA, VÔMITOS, letargia, déficits neurológicos focais, FEBRE e COMA.Doenças dos Cavalos: Doenças dos cavalos domésticos e selvagens da espécie Equus caballus.Vacinas Virais: Suspensões de vírus atenuados ou mortos administradas para prevenção ou tratamento de doença viral infecciosa.Vírus La Crosse: Sorotipo da espécie de VÍRUS DA ENCEFALITE DA CALIFÓRNIA (gênero ORTHOBUNYAVIRUS) causador da MENINGOENCEFALITE humana. Este agente é o maior responsável pela ENCEFALITE DA CALIFÓRNIA, doença de maior prevalência (transmitida por mosquito) conhecida nos Estados Unidos.Vírus da Encefalite da Califórnia: Espécie de vírus (gênero BUNYAVIRUS, família BUNYAVIRIDAE) cujos sorotipos são encontrados em regiões temperadas e árticas, e cada um está estreitamente associado com uma espécie única de mosquito vetor. Geralmente, os hospedeiros vertebrados são mamíferos pequenos, mas vários sorotipos infectam humanos.Síndromes Paraneoplásicas do Sistema Nervoso: Afecções inflamatórias ou degenerativas que acometem o sistema nervoso central ou periférico e que desenvolvem-se em associação com uma neoplasia sistêmica, sem que haja invasão direta pelo tumor. Podem estar associadas com anticorpos circulantes que reagem com os tecidos neurais afetados.Meningoencefalite: Processo inflamatório envolvendo o cérebro (ENCEFALITE) e meninges (MENINGITE), geralmente causado por organismos patogênicos que invadem o sistema nervoso central e ocasionalmente por toxinas, transtornos autoimunes e outras afecções.Vírus da Artrite-Encefalite Caprina: Espécie de LENTIVIRUS (subgênero LENTIVIRUS OVINO-CAPRINO) estreitamente relacionado ao VÍRUS VISNA-MAEDI causador da encefalomielite aguda, artrite crônica, PNEUMONIA, MASTITE e GLOMERULONEFRITE em cabras. É transmitido principalmente no colostro e leite.Alphavirus: Gênero de TOGAVIRIDAE, também conhecido como arbovirus grupo A, que são sorologicamente relacionados um ao outro, mas não a outros Togaviridae. Os vírus são transmitidos por mosquitos. A espécie típica é o VÍRUS SINDBIS.Arbovirus: Vírus transmitidos por artrópodes. Designação não taxonômica de vírus que podem se replicar tanto em hospedeiros vertebrados como em vetores artrópodes. Fazem parte deste grupo as famílias ARENAVIRIDAE, BUNYAVIRIDAE, REOVIRIDAE, TOGAVIRIDAE e FLAVIVIRIDAE (Tradução livre do original: Dictionary of Microbiology and Molecular Biology, 2nd ed).Infecções por Arbovirus: Infecções causadas por vírus transmitidos por artrópodes, gerais ou não especificadas.Líquido Cefalorraquidiano: Líquido aquoso continuamente produzido no PLEXO CORÓIDEO e circulam ao redor da superfície do ENCÉFALO, MEDULA ESPINAL e nos VENTRÍCULOS CEREBRAIS.Células Vero: LINHAGEM CELULAR derivada do rim do macaco verde (vervet) Africano (CERCOPITHECUS AETHIOPS) utilizada principalmente em estudos de replicação viral e ensaios em placas (in vitro).Complexo AIDS Demência: Afecção neurológica associada com a SÍNDROME DA IMUNODEFICIÊNCIA ADQUIRIDA e caracterizada por perda de concentração e memória, vagareza nos movimentos das mãos, ATAXIA, incontinência, apatia e dificuldades para andar associadas com a infecção pelo vírus HIV-1 no sistema nervoso central. O exame clínico do cérebro revela rarefação de substância branca, infiltrados perivasculares de linfócitos, macrófagos espumosos e células gigantes multinucleadas. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp760-1; N Engl J Med, 1995 Apr 6; 332(14): 934-40)Doença de Parkinson Pós-Encefalítica: Parkinsonismo seguido à encefalite, historicamente observado como uma sequela da encefalite letárgica (encefalite de von Economo). A idade precoce do início da doença, a progressão rápida dos sintomas seguida por estabilização, e a presença de uma variedade de outros transtornos neurológicos (ex. comportamento sociopático, TIQUES, ESPASMOS MUSCULARES, crises oculogíricas, hiperfagia e movimentos bizarros) distinguem esta afecção da DOENÇA DE PARKINSON primária. Entre os sinais clínicos estão a perda neuronal e a GLIOSE concentrada no MESENCÉFALO, SUBTÁLAMO e HIPOTÁLAMO. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p754)Cavalos: Grandes mamíferos com cascos da família EQUIDAE. Cavalos são ativos dia e noite, com a maior parte do dia sendo gasta com a procura e consumo de alimento. Os picos de alimentação ocorrem no início da manhã e ao fim da tarde, e há diversos períodos diários de descanso.Herpes Simples: Um grupo de infecções agudas causadas por vírus de herpes simples tipo 1 ou tipo 2, caracterizadas pelo desenvolvimento de uma ou mais vesículas pequenas cheias de líquido com uma base eritematosa elevada na pele ou mucosa, e ocorrendo como infecção primária ou recorrente em virtude da reativação de uma infecção latente. As infecções tipo 1 geralmente afetam regiões não genitais do corpo, enquanto nas infecções tipo 2 são principalmente vistas nas áreas genitais e circundantes, embora haja superposição entre os dois tipos. Os fatores precipitadores incluem febre, exposição à temperatura fria ou a raios ultravioleta, queimadura solar, escoriações cutâneas ou mucosas, estresse emocional e traumatismo nervoso. (Dorland, 28a ed)Proteínas do Envelope Viral: Camadas de proteínas que circundam o capsídeo num vírus com nucleocapsídeoos tubulares. O envelope consiste em uma camada interna de lipídeos e proteínas específicas de vírus também chamadas de proteínas de matriz. A camada exterior consiste em um ou mais tipos de subunidades morfológicas chamadas peplômeros que se projetam do envelope viral; essa camada sempre é constituída de glicoproteínas.Encefalomielite Aguda Disseminada: Processo inflamatório agudo ou subagudo do SISTEMA NERVOSO CENTRAL, caracterizado histologicamente por múltiplos focos de desmielinização perivascular. O início dos sintomas, normalmente ocorre vários dias após uma infecção ou imunização viral aguda, mas pode coincidir com início da infecção, ou raramente, nenhum evento antecedente pode ser identificado. Entre as manifestações clínicas estão CONFUSÃO, sonolência, FEBRE, rigidez da nuca e movimentos involuntários. A enfermidade pode progredir para o COMA e eventualmente ser fatal. (Tradução livre do original : Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p921)Encefalomielite Equina do Oeste: Forma de encefalite por arbovírus que afeta primariamente cavalos e é endêmica nas regiões do oeste e central da América do Norte. O organismo causador (VÍRUS DA ENCEFALITE EQUINA DO OESTE) pode ser transmitido aos humanos através de picada de mosquitos (CULEX tarsalis e outros). As manifestações clínicas incluem cefaleia e sintomas semelhantes a influenza acompanhados de alteraçoes na clareza mental, CONVULSÕES e COMA. MORTE ocorre na minoria dos casos. Os sobreviventes podem se recuperar integralmente ou podem ficar com disfunções neurológicas residuais, incluindo PARQUINSONISMO PÓS-ENCEFALÍTICO.Vírus Sindbis: Representante da espécie ALPHAVIRUS normalmente transmitido a aves, pelos mosquitos CULEX, no Egito, África do Sul, Índia, Malásia, Filipinas e Austrália. Pode estar associado com febre em humanos. Os sorotipos (que diferem menos que 17 por cento na sequência dos nucleotídeos) incluem os vírus Babanki, Kyzylagach e Ockelbo.Infecções por Roseolovirus: A infecção com o ROSEOLOVIRUS, sendo que a mais comum em humanos é o EXANTEMA SÚBITO, uma doença benigna de lactentes e crianças jovens.Evolução Fatal: Morte resultante da presença de uma doença em um indivíduo, como mostrado por um único caso relatado ou um número limitado de pacientes. Deve ser diferenciado de MORTE, a interrupção fisiológica da vida e de MORTALIDADE, um conceito epidemiológico ou estatístico.RNA Viral: Ácido ribonucleico que constitui o material genético de vírus.Infecções por Henipavirus: Infecções com vírus do gênero HENIPAVIRUS (família PARAMYXOVIRIDAE).Meningite Viral: Infecções virais das leptomeninges e do espaço subaracnoide. INFECÇÕES POR TOGAVIRIDAE, INFECÇÕES POR FLAVIVIRIDAE, RUBÉOLA, INFECÇÕES POR BUNYAVIRIDAE, infecções por ORBIVIRUS, INFECÇÕES POR PICORNAVIRIDAE, INFECÇÕES POR ORTHOMYXOVIRIDAE, INFECÇÕES POR RHABDOVIRIDAE, INFECÇÕES POR ARENAVIRIDAE, INFECÇÕES POR HERPESVIRIDAE, INFECÇÕES POR ADENOVIRIDAE, infecções por JC VIRUS, e INFECÇÕES POR RETROVIRIDAE podem causar essa forma de meningite. As manifestações clínicas incluem febre, cefaleia, dor no pescoço, vômitos, FOTOFOBIA e sinais de irritação meníngea. (Tradução livre do original: de Joynt, Clinical Neurology, 1996, Ch26, pp1-3)Testes de Neutralização: Medida do título (diluição) de um ANTISSORO que bloqueia uma infecção por meio do teste de uma série de diluições de um determinado ponto final de interação vírus-antissoro, que geralmente é a diluição na qual culturas de tecidos inoculadas com as misturas soro-vírus demonstram algum sinal citopático (CPE) ou a diluição na qual 50 por cento dos animais em teste injetados com as combinações soro-vírus mostram infectividade (ID50) ou morte (LD50).Doenças das Aves: Doenças das aves não consideradas domésticas, sendo portanto, normalmente encontradas em zoológicos, parques e florestas. O conceito difere de DOENÇAS DAS AVES DOMÉSTICAS, que se refere a pássaros criados como fonte de ovos ou carne para o consumo humano, sendo normalmente encontrados em chiqueiros, granjas, etc.Cercopithecus aethiops: Espécie de CERCOPITHECUS composta por três subespécies (C. tantalus, C. pygerythrus e C. sabeus) encontrada em florestas e savanas da África. O macaco-tota-verde (C. pygerythrus) é o hospedeiro natural do Vírus da Imunodeficiência em Símios e é usado em pesquisas sobre AIDS.Testes de Inibição da Hemaglutinação: Testes sorológicos nos quais uma quantidade conhecida de antígeno é adicionada ao soro, antes da adição da suspensão de células vermelhas. A reação resultante é expressa como a menor quantidade de antígeno que causa inibição completa da hemaglutinação.Insetos Vetores: Insetos que transmitem organismos infecciosos de um hospedeiro para outro, ou de um reservatório inanimado para um hospedeiro animado.Replicação Viral: Processo de multiplicação viral intracelular que consiste em síntese de PROTEÍNAS, ÁCIDOS NUCLEICOS, e às vezes LIPÍDEOS, e sua reunião em uma nova partícula infecciosa.Vacinas contra o Vírus do Nilo Ocidental: Vacinas ou candidatos a vacinas utilizadas para impedir infecção com o VÍRUS DO NILO OCIDENTAL. .Infecções por Alphavirus: As doenças virais causadas por membros do gênero ALPHAVIRUS da família TOGAVIRIDAE.Proteínas não Estruturais Virais: Proteínas codificadas por um GENOMA VIRAL, produzidas nos organismos que infectam, mas não são empacotadas nas partículas virais. Algumas dessas proteínas podem desempenhar funções na célula infectada durante a REPLICAÇÃO VIRAL ou atuar na regulação da replicação do vírus ou do BROTAMENTO VIRAL.Vírus Nipah: Espécie de HENIPAVIRUS, intimamente relacionado com o VÍRUS HENDRA, que surgiu na Península da Malásia (1998). Causa uma grave ENCEFALITE VIRAL febril em humanos, e nos suínos também causa encefalite e INFECÇÕES NO TRATO RESPIRATÓRIO. Os morcegos frugívoros (PTEROPUS) são seus hospedeiros naturais.Cricetinae: Subfamília (família MURIDAE) que compreende os hamsters. Quatro gêneros mais comuns são: Cricetus, CRICETULUS, MESOCRICETUS e PHODOPUS.Infecções por Togaviridae: As doenças virais causadas pelo TOGAVIRIDAE.Herpesvirus Humano 6: Representante do ROSEOLOVIRUS, isolado de pacientes com AIDS e outros TRANSTORNOS LINFOPROLIFERATIVOS. O vírus infecta e se replica em linhagens recentes e estabelecidas de células hematopoiéticas e células de origem neural. Também parece alterar a atividade das células NK. Os níveis de anticorpos HHV-6 (HBLV) são elevados em pacientes com AIDS, síndrome de Sjogren, sarcoidose, síndrome de fadiga crônica e algumas outras doenças malignas. HHV-6 é o causador do EXANTEMA SÚBITO e está implicado na encefalite.Doenças Autoimunes do Sistema Nervoso: Transtornos causados por respostas imunes celulares ou humorais, dirigidas principalmente a autoantígenos do sistema nervoso. A resposta imune pode ser dirigida a componentes teciduais específicos (ex. mielina) e pode ser limitada ao sistema nervoso central (ex. ESCLEROSE MÚLTIPLA) ou ao sistema nervoso periférico (ex. SÍNDROME DE GUILLAIN-BARRE).Vírus da Dengue: Espécie do gênero FLAVIVIRUS que causa doença febril aguda, e às vezes hemorrágica, no homem. A dengue é transmitida por mosquitos, tendo quatro sorotipos conhecidos.Lobosea: Classe de EUCARIOTOS ameboides que formam subpseudópodes filiformes ou lobópodes. Suas características incluem ausência de sorocarpos, esporângios ou corpos de frutificação semelhantes. Membros da classe Lobosea faziam parte do filo Sarcomastigophora, subfilo Sarcodina, sob o antigo paradigma dos cinco reinos.Virulência: Grau de patogenicidade dentro de um grupo ou espécies de micro-organismos ou vírus, conforme indicado pela taxa de fatalidade dos casos e/ou pela capacidade do organismo invadir os tecidos do hospedeiro. A capacidade patogênica de um organismo é determinada por seus FATORES DE VIRULÊNCIA.Tchecoslováquia: Criada como uma república em 1918 por Tchecos e Eslovacos de territórios que antigamente eram parte do Império Austro-Húngaro. O país dividiu-se em República Tcheca e Eslováquia em 1 de janeiro de 1993.Ensaio de Placa Viral: Método para medida da infectividade viral e multiplicação em CÉLULAS CULTIVADAS. Áreas claramente lisadas ou placas desenvolvidas como partículas virais são liberadas das células infectadas durante a incubação. Com alguns VÍRUS, as células são mortas por efeito citopático; com outros, as células infectadas não são mortas, mas podem ser detectadas por sua habilidade de hemadsorção. Algumas vezes as placas de células contêm ANTÍGENOS VIRAIS que podem ser medidos por IMUNOFLUORESCÊNCIA.Surtos de Doenças: Aumento repentino na incidência de uma doença. O conceito inclui EPIDEMIA e PANDEMIA.Antígenos Virais: Substâncias elaboradas pelos vírus que apresentam atividade antigênica.Infecções por EnterovirusVacinas Atenuadas: Vacinas vivas preparadas a partir de micro-organismos submetidos à adaptação física (p. ex., através de radiações ou de condicionamento térmico), ou passagem seriada em animais hospedeiros em laboratório, ou ainda em culturas de tecidos/células infectados, para produzir linhagens de mutantes não virulentas, capazes de induzir imunidade protetora.Imagem por Ressonância Magnética: Método não invasivo de demonstração da anatomia interna baseado no princípio de que os núcleos atômicos em um campo magnético forte absorvem pulsos de energia de radiofrequência e as emitem como ondas de rádio que podem ser reconstruídas nas imagens computadorizadas. O conceito inclui técnicas tomográficas do spin do próton.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Imunoglobulina M: Classe de imunoglobulinas que possui CADEIAS MU DE IMUNOGLOBULINA. A IgM pode fixar o COMPLEMENTO. A designação IgM foi escolhida porque essa imunoglobulina possui alto peso molecular e foi originalmente chamada de macroglobulina.Infecções do Sistema Nervoso Central: Infecções patogênicas do cérebro, medula espinhal e meninges. INFECÇÕES POR DNA VÍRUS, INFECÇÕES POR RNA VÍRUS, INFECÇÕES BACTERIANAS, INFECÇÕES POR MICOPLASMA, INFECÇÃO POR SPIROCHAETALES, infecções fúngicas, INFECÇÕES POR PROTOZOÁRIOS, HELMINTÍASE e DOENÇAS DE PRÍON podem acometer o sistema nervoso central como processos primários ou secundários.Cabras: Quaisquer dos numerosos RUMINANTES, ágeis, cornos ocos, (gênero Capra, família Bovidae) muito relacionados com as OVELHAS.Aciclovir: Análogo de GUANOSINA que age como antimetabólito. Vírus são especialmente susceptíveis. É usado especialmente contra herpes.Linhagem Celular: Determinadas culturas de células que têm o potencial de se propagarem indefinidamente.Infecções Protozoárias do Sistema Nervoso Central: Infecções do cérebro, medula espinhal ou meninges por organismos unicelulares do subreino outrora denominado Protozoa. O sistema nervoso central pode ser sítio primário ou secundário de infecções por protozoários. Estas doenças podem ocorrer como INFECÇÕES OPORTUNISTAS ou surgir em hospedeiros imunocompetentes.Aedes: Gênero de mosquitos (CULICIDAE) frequentemente encontrados em regiões tropicais e subtropicais. A FEBRE AMARELA e a DENGUE são duas das doenças que podem ser transmitidas por espécies deste gênero.Filogenia: Relacionamentos entre grupos de organismos em função de sua composição genética.Cultura de Vírus: Processo de cultivo de vírus em animais vivos, plantas ou células em cultura.Vírus da Febre Amarela: Espécie típica do gênero FLAVIVIRUS. O principal vetor de transmissão (em humanos) é o mosquito AEDES spp.Doenças das Cabras: Doenças das cabras domésticas ou selvagens do gênero Capra.Doenças Transmissíveis Emergentes: Doenças infecciosas que são novas em relação à abrangência de seus surtos (geográficos e de hospedeiros) ou modo de transmissão.Viroses do Sistema Nervoso Central: As infecções virais do cérebro, medula espinhal, meninges ou espaços perimeningeanos.Síndromes Paraneoplásicas: Em pacientes com doenças neoplásicas uma variedade grande de quadros clínicos que são os efeitos indiretos e normalmente remotos produzidos por metabólitos de células tumorais e outros produtos.Ensaio de Imunoadsorção Enzimática: Imunoensaio utilizando um anticorpo ligado a uma enzima marcada, tal como peroxidase de raiz-forte (ou rábano silvestre). Enquanto a enzima ou o anticorpo estiverem ligados a um substrato imunoadsorvente, ambos retêm sua atividade biológica; a mudança na atividade enzimática como resultado da reação enzima-anticorpo-antígeno é proporcional à concentração do antígeno e pode ser medida por espectrofotometria ou a olho nu. Muitas variações do método têm sido desenvolvidas.Acanthamoeba: Gênero de amebas terrestres de vida livre que não possuem fase flagelada. Seus organismos são patógenos para diversas infecções em humanos e foram encontrados no olho, ossos, cérebro e trato respiratório.Sistema Nervoso Central: Principais órgãos processadores de informação do sistema nervoso, compreendendo encéfalo, medula espinal e meninges.Antivirais: Agentes usados na profilaxia ou no tratamento das VIROSES. Entre seus modos de ação estão o impedimento da replicação viral por meio da inibição da polimerase de DNA viral; unindo-se a receptores específicos de superfície celular, inibindo a penetração viral ou provocando a perda do capsídeo; inibindo a síntese proteica viral o bloqueando as etapas finais da montagem viral.Meningite Asséptica: Síndrome caracterizada por cefaleia, rigidez de pescoço, febre baixa e pleocitose linfocítica do CSF na ausência de um patógeno bacteriano agudo. A meningite viral é a causa mais frequente, embora INFECÇÕES POR MICOPLASMA, INFECÇÕES POR RICKETTSIA, procedimentos diagnósticos ou terapêuticos, PROCESSOS NEOPLÁSICOS, focos sépticos perimenigeanos e outras afecções podem resultar nessa síndrome. (Tradução livre do original: de Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p745)Replicon: Qualquer sequência de DNA capaz de replicação independente, ou uma molécula que possui uma ORIGEM DE REPLICAÇÃO, e que portanto é potencialmente capaz da ser reproduzida em uma célula conveniente.Camundongos Endogâmicos BALB CSíndrome de Isaacs: Transtorno neuromuscular raro com início normalmente no final da infância ou início da idade adulta, caracterizado por contrações musculares involuntárias muito difundidas, contínuas ou intermitentes, FASCICULAÇÃO, hiporeflexia, CÃIBRA MUSCULAR, FRAQUEZA MUSCULAR, HIPERIDROSE, TAQUICARDIA e MIOQUIMIA. O acometimento dos músculos laringeo e faríngeo podem interferir com a fala e respiração. A atividade motora contínua persiste durante o sono e a anestesia geral (o que distingue esta afecção da RIGIDEZ MUSCULAR ESPASMÓDICA). Formas adquiridas (principalmente autoimunes) e familiares têm sido relatadas. (Tradução livre do original: Ann NY Acad Sci 1998 May 13;841:482-496; Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, p1491)Encefalomielite: Termo geral indicando inflamação do CÉREBRO e MEDULA ESPINAL, com frequência usado para indicar um processo infeccioso, mas também aplicável a uma variedade de afecções autoimunes e tóxico-metabólicas. Há uma considerável sobreposição do emprego deste termo e do termo ENCEFALITE na literatura.Toxoplasma: Gênero de protozoários parasitas de aves e mamíferos. T. gondii é um dos animais patogênicos infecciosos mais comuns como parasitas do homem.Infecções por Lentivirus: As doenças virais causadas pelo gênero Lentivirus. Elas são doenças que afetam vários órgãos e são caracterizadas por longos períodos de incubação e infecção persistente.Ixodes: Maior gênero de CARRAPATOS (família IXODIDAE) composto por mais de 200 espécies. Muitos deles infestam o homem e outros mamíferos e vários são vetores de doenças como DOENÇA DE LYME, ENCEFALITE TRANSMITIDA POR CARRAPATOS e DOENÇA DA FLORESTA DE KYASANURE.Dengue: Doença febril aguda transmitida por picada de mosquitos AEDES infectados com o VÍRUS DA DENGUE. É autolimitada e caracterizada por febre, mialgia, cefaleia e exantema. A DENGUE GRAVE é uma forma mais virulenta da dengue.Ochlerotatus: Gênero de mosquitos da família CULICIDAE. Numerosas espécies são encontradas na parte neotropical das Américas.Sulfadiazina: Uma das SULFONAMIDAS de curta duração utilizada em combinação com PIRIMETAMINA para tratar toxoplasmose em pacientes com síndrome da imunodeficiência adquirida e recém-nascidos com infecções congênitas.Modelos Animais de Doenças: Doenças animais ocorrendo de maneira natural ou são induzidas experimentalmente com processos patológicos suficientemente semelhantes àqueles de doenças humanas. São utilizados como modelos para o estudo de doenças humanas.Raiva: Uma das VIROSES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL, aguda, que afeta mamíferos, inclusive o homem. É causada por VÍRUS DA RAIVA e é geralmente disseminada pela contaminação com saliva carregada de vírus através de mordidas infligidas por animais raivosos. Animais vetores importantes incluem o cão, gato, morcego, raposa, guaxinim, gambá e lobo.Carrapatos: Parasitas acarídeos sugadores de sangue (ordem Ixodida) composto por duas famílias: os carrapatos de dorso mole (ARGASIDAE) e os carrapatos de dorso duro (IXODIDAE). Os carrapatos são maiores que os seus correlatos, os ÁCAROS. Penetram na pele de seus hospedeiros através de regiões da boca altamente especializadas em forma de gancho, e se alimentam de seu sangue. Os carrapatos atacam todos os grupos de vertebrados terrestres. No homem são responsáveis por muitas DOENÇAS TRANSMITIDAS POR CARRAPATOS, incluindo a transmissão da FEBRE MACULOSA DAS MONTANHAS ROCHOSAS, TULAREMIA, BABESIOSE, FEBRE SUÍNA AFRICANA e FEBRE RECORRENTE. (Tradução livre do original: Barnes, Invertebrate Zoology, 5th ed, pp543-44).Viremia: A presença de vírus no sangue.Panencefalite Esclerosante Subaguda: Encefalite rara e de progressão lenta causada por infecção crônica com o VÍRUS DO SARAMPO. O quadro ocorre principalmente em crianças e adultos jovens, aproximadamente 2 a 8 anos após o início da infecção. Um declínio gradual nas habilidades intelectuais e alterações comportamentais são seguidas por MIOCLONIA progressiva, ESPASTICIDADE MUSCULAR, CONVULSÕES, DEMÊNCIA, disfunções autônomas e ATAXIA. A MORTE geralmente ocorre entre 1 e 3 anos após o início da doença. As características patológicas incluem espessamento perivascular, inclusões citoplásmicas eosinofílicas, neurofagia e gliose fibrosa. É causada por vírus SSPE que é uma variante defeituosa do VÍRUS DO SARAMPO. (Tradução livre do original de: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp767-8)Infecções por Reoviridae: As infecções produzidas por reovirus, gerais ou inespecíficas.Toxoplasmose Animal: A infecção adquirida que ocorre em animais que não o homem causada por organismos do gênero TOXOPLASMA.Vetores de Doenças: Invertebrados ou vertebrados não humanos que transmitem organismos infecciosos de um hospedeiro a outro.Sarampo: Doença infecciosa altamente contagiosa, causada por MORBILLIVIRUS, comum entre crianças, mas também observada nos não imunes em qualquer idade, em que o vírus entra no trato respiratório através de núcleos em gotículas, multiplica-se nas células epiteliais disseminando-se por todo o SISTEMA FAGOCITÁRIO MONONUCLEAR.Aves: Vertebrados de sangue quente que possuem PLUMAS e pertencem à classe das Aves.Vacinação: Administração de vacinas para estimulação da resposta imune do hospedeiro. Isto inclui qualquer preparação que objetive a profilaxia imunológica ativa.Insetívoros: Ordem de MAMÍFEROS insetívoros, incluindo TOUPEIRAS, MUSARANHOS, OURIÇOS-CACHEIROS e tanreques.Doenças dos Roedores: Doenças dos roedores da ordem RODENTIA. Este termo inclui doenças dos Sciuridae (esquilos), Geomyidae (geômis), Heteromyidae (camundongos papados), Castoridae (castores), Cricetidae (ratos e camundongos), Muridae (ratos e camundongos do Velho Mundo), Erethizontidae (porcos-espinhos) e Caviidae (cobaias).Genoma Viral: Complemento genético completo contido em uma molécula de DNA ou RNA de um vírus.Autoanticorpos: Anticorpos que reagem com AUTOANTÍGENOS do organismo que os produziu.DNA Viral: Ácido desoxirribonucléico que forma o material genético dos vírus.Análise de Sequência de DNA: Processo de vários estágios que inclui clonagem, mapeamento físico, subclonagem, determinação da SEQUÊNCIA DE DNA e análise de informação.Reação em Cadeia da Polimerase Via Transcriptase Reversa: Variação da técnica de PCR na qual o cDNA é construído do RNA através de uma transcrição reversa. O cDNA resultante é então amplificado utililizando protocolos padrões de PCR.Doença Aguda: Doença relativamente grave de curta duração.Zoonoses: Doenças de animais que podem ser transmitidas aos HUMANOS ou podem ser transmitidas dos humanos para os animais.Reação em Cadeia da Polimerase: Método in vitro para produção de grandes quantidades de DNA específico ou fragmentos de RNA de comprimento definido de pequenas quantidades de oligonucleotídeos curtos de sequências flanqueantes (iniciadores ou "primers"). O passo essencial inclui desnaturação térmica de moléculas alvo da dupla fita, reassociação dos primers a suas sequências complementares e extensão do iniciador reassociado pela síntese enzimática com DNA polimerase. A reação é eficiente, específica e extremamente sensível. A utilização da reação inclui diagnóstico de doenças, detecção de patógenos difíceis de se isolar, análise de mutações, teste genético, sequenciamento de DNA e análise das relações evolutivas.Vacinas de Produtos Inativados: Vacinas em que os componentes infecciosos dos ácidos nucleicos microbianos foram destruídos por tratamento químico ou físico (p. ex., formalina, beta-propiolactona, radiação gama) sem afetar a antigenicidade ou a imunogenicidade do envelope viral ou das proteínas da membrana externa bacteriana.Reações Cruzadas: Reações sorológicas em que um antissoro [desenvolvido] contra um antígeno reage com um antígeno não idêntico mas estreitamente relacionado com ele.Proteínas Virais: Proteínas encontradas em quaisquer espécies de vírus.Herpesvirus Humano 1: Espécie típica de SIMPLEXVIRUS que causa a maioria das formas de herpes simplex não genital em humanos. A infecção primária ocorre principalmente em crianças, e então o vírus fica latente no gânglio da raiz dorsal. É então reativado periodicamente ao longo da vida, causando principalmente afecções benignas.Enterovirus: Gênero da família PICORNAVIRIDAE cujos membros habitam preferencialmente o trato intestinal de diversos hospedeiros. O gênero contém várias espécies. Membros recentemente descritos de enterovirus humanos são designados com números contínuos na espécie denominada "enterovirus humano".Hemisferectomia: Procedimento neurocirúrgico que remove ou desconecta o CÓRTEX CEREBRAL epileptogênico de um hemisfério. A hemisferectomia é geralmente realizada em pacientes com EPILEPSIA unilateral sem tratamento devido a malformações do desenvolvimento cortical ou lesões encefálicas. Dependendo da área epileptogênica no hemisfério, a remoção cortical pode ser total ou parcial.Infecções por Rhabdoviridae: Doenças virais causadas por RHABDOVIRIDAE. Infecções importantes incluem RAIVA, FEBRE EFÊMERA e estomatite vesicular.Encefalopatias: Afecções que acometem o CÉREBRO, composto de componentes intracranianos do SISTEMA NERVOSO CENTRAL. Este inclui (mas não se limita a estes) CÓRTEX CEREBRAL, substância branca intracraniana, GÂNGLIOS DA BASE, TÁLAMO, HIPOTÁLAMO, TRONCO ENCEFÁLICO e CEREBELO.Meningite: Inflamação das membranas de recobrimento do encéfalo e/ou medula espinal constituída por PIA MATER, ARACNOIDE e DURA MATER. Infecções virais, bacterianas e fúngicas são as causas mais comuns desta afecção, porém HEMORRAGIA SUBARACNÓIDEA, irritação química (meningite química), afecções granulomatosas, afecções neoplásicas (MENINGITE CARCINOMATOSA) e outras afecções inflamatórias podem produzir esta síndrome. (Tradução livre do original: Joynt, Clinical Neurology, 1994, Ch24, p6)Doenças do Cão: Doenças do cão doméstico (Canis familiaris). Este termo não inclui doenças de cães selvagens, LOBOS, RAPOSAS e outros Canidae, para os quais o termo CARNÍVOROS é utilizado.Macaca nemestrina: Espécie do gênero MACACA que habita Malásia, Sumatra e Bornéu. É uma das espécies mais arboreais dos Macaca. A cauda é curta e destorcida.Anticorpos Neutralizantes: Anticorpos que reduzem ou abolem algumas atividades biológicas de um antígeno solúvel ou agente infeccioso (geralmente vírus).Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.Simplexvirus: Gênero de vírus (família HERPESVIRIDAE, subfamília ALPHAHERPESVIRINAE) semelhantes ao herpes simples. Seu representante é o HERPEVIRUS HUMANO 1.Infecções por Herpesviridae: As doenças virais causadas pelo HERPESVIRIDAE.Leucoencefalite Hemorrágica Aguda: Doença cerebral desmielinizante, fulminante e geralmente fatal, que afeta principalmente adultos jovens e crianças. Entre as características clínicas estão início rápido de fraqueza, CONVULSÕES e COMA. Pode seguir uma enfermidade viral ou infecções por MYCOPLASMA PNEUMONIAE, mas em muitos casos, não há um evento precipitante. Exames patológicos revelam desmielinização perivascular marcante e necrose de substância branca com micro-hemorragias. (Tradução livre do original: Adams et al., Principles of Neurology, 6th ed, pp924-5)Vírus do Sarampo: Espécie típica de MORBILLIVIRUS, causadora do sarampo, doença humana altamente contagiosa que afeta principalmente as crianças.Sarcocistose: A infecção do músculo estriado de mamíferos por parasitas do gênero SARCOCYSTIS. Os sintomas das doenças tais como vômitos, diarreia, fraqueza muscular e paralisia são produzidos pela sarcocistina, uma toxina produzida pelo organismo.Convulsões: Distúrbios clínicos ou subclínicos da função cortical, devido à descarga súbita, anormal, excessiva e desorganizada de células cerebrais. As manifestações clínicas incluem fenômenos motores, sensoriais e psíquicos. Os ataques recidivantes são normalmente referidos como EPILEPSIA ou "transtornos de ataques".Vacinas Sintéticas: Pequenos peptídeos sintéticos que mimetizam antígenos de superfície de patógenos e são imunogênicos, ou vacinas manufaturadas com o auxílio de tecnologias de DNA recombinante. As últimas também podem ser vírus inteiros cujos ácidos nucleicos foram modificados.Imunoglobulina G: Principal classe de isotipos da imunoglobulina no soro normal humano. Há várias subclasses de isotipos de IgG, por exemplo, IgG1, IgG2A e IgG2B.Microglia: O terceiro tipo de células da glia, juntamente com astrócitos e oligodendrócitos (que juntos formam a macroglia). A microglia varia em aparência de pendendo do estágio de desenvolvimento, estado funcional e localização anatômica. Os subtipos incluem ramificados, perivasculares, ameboides, em repouso e ativadas. A microglia é claramente capaz de realizar fagocitose e desempenhar um papel importante num amplo espectro de neuropatologias. Sugere-se também seu papel em vários outros processos incluindo secreção (por exemplo, de citocinas e fatores de crescimento neuronal), em processos imunológicos (por exemplo, apresentação de antígenos) e no desenvolvimento e remodelação do sistema nervoso central.Mordeduras e PicadasTronco Encefálico: Parte do encéfalo que conecta os hemisférios cerebrais (ver CÉREBRO) à MEDULA ESPINAL. É formado por MESENCÉFALO, PONTE e BULBO.RNA Helicases: Família de proteínas que promovem o desenrolamento de RNA durante a quebra e tradução.Sequência de Bases: Sequência de PURINAS e PIRIMIDINAS em ácidos nucleicos e polinucleotídeos. É chamada também de sequência nucleotídica.Reservatórios de Doenças: Fontes animadas ou inanimadas que normalmente abrigam organismos causadores de doenças, servindo, assim, como fontes potenciais para surtos de doenças. Os reservatórios são diferenciados em vetores (VETORES DE DOENÇAS) e transmissores, que são agentes de transmissão de doenças, ao invés de fontes contínuas de surtos potenciais.Efeito Citopatogênico Viral: Alterações morfológicas visíveis, em células infectadas por vírus. Inclui a paralisação de RNA celular e síntese proteica, fusão celular, liberação de enzimas lisossômicas, alterações na permeabilidade da membrana celular, alterações difusas em estruturas intracelulares, presença de inclusão de corpos virais e aberrações cromossômicas. Exclui a transformação maligna, que é a TRANSFORMAÇÃO CELULAR, VIRAL. Os efeitos citopatogênicos virais dão um método valioso para identificação e classificação de vírus infectantes.Doença de Mão, Pé e Boca: Doença viral leve e altamente infecciosa que acomete crianças e é caracterizada por lesões vesiculares na boca, nas mãos e nos pés. É causada pelos Coxsackievirus A.HistóriaEletroencefalografia: Registro de correntes elétricas produzidas no cérebro, pela medida de eletrodos adaptados ao couro cabeludo, na superfície do cérebro, ou colocados no cérebro.Síndrome de Imunodeficiência Adquirida dos Símios: Defeito adquirido de imunidade celular que ocorre naturalmente em macacos infectados com os sorotipos do SRV, experimentalmente em macacos inoculados com SRV ou o VÍRUS MASON-PFIZER DO MACACO, ou ainda, em macacos infectados com VIRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA SÍMIA.VietnãInfecções por Coronaviridae: As doenças virais causadas por CORONAVIRIDAE.Imunoglobulinas Intravenosas: Preparações de imunoglobulinas usadas na infusão intravenosa, contendo principalmente IMUNOGLOBULINA G. São utilizadas para tratar várias doenças associadas com níveis diminuídos ou anormais de imunoglobulina, incluindo AIDS pediátrica, HIPERGAMAGLOBULINEMIA primária, SCID, infecções por CITOMEGALOVÍRUS em recipientes de transplantes, LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA, síndrome de Kawasaki, infecções em neonatos, e PÚRPURA TROMBOCITOPÊNICA IDIOPÁTICA.Coronavirus Humano OC43: Espécie de vírus (gênero CORONAVÍRUS) causadores do resfriado comum e possivelmente de infecção no sistema nervoso em humanos. Apresenta a hemaglutinina-esterase.Camundongos Endogâmicos C57BLVenezuelaMacaca mulatta: Espécie do gênero MACACA que habita a Índia, China e outras partes da Ásia. A espécie é utilizada extensamente em pesquisa biomédica e se adapta bem a viver com humanos.Estações do Ano: Estações do ano: Divisões do ano de acordo com algum fenômeno regularmente recorrente, geralmente astronômico ou climático. (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 6th ed) Variações sazonais: Diferenças sazonais na ocorrência de eventos vitais.Malásia: Democracia parlamentar com um monarca constitucional no sudeste da Ásia, consistindo em 11 estados (Malásia Ocidental) na Península Malaia e dois estados (Malásia Oriental) na ilha de BORNEO. Também é chamada Federação da Malásia. Sua capital é Kuala Lumpur. Antes de 1963 era a União da Malaia. Reorganizou-se em 1948 como Federação da Malaia, ficando independente da Malaia Britânica em 1957 e tornando-se Malásia em 1963 como uma federação de Malaia, Sabah, Sarawak e Cingapura (que se separou em 1965). A forma Malaio provavelmente deriva do Tâmil malay, montanha, com referência a sua geografia. (Tradução livre do original: Webster's New Geographical Dictionary, 1988, p715 & Room, Brewer's Dictionary of Names, 1992, p329)Testes de Fixação de Complemento: Testes sorológicos baseados na inativação do complemento pelo complexo antígeno-anticorpo (estágio 1). A ligação do complemento livre pode ser visualizada pela adição de um segundo sistema antígeno-anticorpo, tal como o de células vermelhas e anticorpos apropriados contra células vermelhas (hemolisina) que requerem complemento para seu término (estágio 2). A ausência de lise das células vermelhas indica que uma reação antígeno-anticorpo específica ocorreu no estágio 1. Se ocorre lise das células vermelhas, o complemento livre está presente, indicando que não ocorreu a reação antígeno-anticorpo no estágio 1.Febre Amarela: Doença infecciosa aguda originariamente dos trópicos, causada por um vírus e transmitida ao homem por mosquitos dos gêneros Aedes e Haemagogus. A forma grave é caracterizada por febre, ICTERÍCIA e dano renal.Roedores: Ordem de mamíferos que consiste de 29 famílias e diversos gêneros.Camundongos Endogâmicos ICRÍndiaInfecções Oportunistas Relacionadas com a AIDS: Infecções oportunistas encontradas em pacientes que possuem teste positivo ao vírus da imunodeficiência humana (HIV). Entre as mais comuns estão PNEUMONIA POR PNEUMOCYSTIS, sarcoma de Kaposi, criptosporidose, herpes simples, toxoplasmose, criptococose e infecções com o complexo Mycobacterium avium, Microsporidium e Citomegalovírus.Vírus da Imunodeficiência Símia: Espécie do gênero LENTIVIRUS (subgênero VÍRUS DA IMUNODEFICIÊNCIA DE PRIMATAS) que induz a síndrome de imunodeficiência adquirida em macacos e Símios Antropoides (SAIDS). A organização genética do SIV é virtualmente idêntica ao HIV.Receptores de N-Metil-D-Aspartato: Classe de receptores ionotrópicos do glutamato caracterizados pela afinidade pelo N-metil-D-aspartato. Os receptores NMDA possuem um sítio alostérico de ligação para a glicina que deve ser ocupado para a abertura eficiente do canal e um sítio dentro do próprio canal ao qual se liga o íon magnésio de maneira dependente de voltagem. A dependência de voltagem positiva da condutância do canal e a alta permeabilidade de condutância aos íons cálcio (bem como para cátions não covalentes) são importantes na excitotoxicidade e plasticidade neuronal.Barreira Hematoencefálica: CÉLULAS ENDOTELIAIS especializadas (não fenestradas, unidas firmemente por meio de JUNÇÕES ÍNTIMAS), que formam uma barreira à troca de algumas substâncias entre os capilares e o tecido encefálico (ENCÉFALO).Fatores de Tempo: Elementos de intervalos de tempo limitados, contribuindo para resultados ou situações particulares.Sibéria: Região do centro-norte da Ásia, em grande parte, na Rússia. Estende-se a partir dos Montes Urais ao Oceano Pacífico e do Oceano Ártico até o centro do Cazaquistão e às fronteiras da China e Mongólia.Vírus da Raiva: Espécie típica de LYSSAVIRUS que causa raiva em humanos e outros animais. A transmissão ocorre principalmente por mordidas de animais, pela saliva. O vírus é neurotrópico, multiplicando-se em neurônios e miotubos de vertebrados.Doenças do Sistema Nervoso: Doenças do sistema nervoso central e periférico. Estas incluem distúrbios do cérebro, medula espinhal, nervos cranianos, nervos periféricos, raizes nervosas, sistema nervoso autônomo, junção neuromuscular e músculos.Federação RussaEnterovirus Humano A: Espécie de ENTEROVIRUS que infecta humanos e contém 10 sorotipos (principalmente coxsackievirus).Especificidade da Espécie: Restrição de um comportamento característico, estrutura anatômica ou sistema físico, como resposta imunológica, resposta metabólica ou gene ou variante gênico dos membros de uma espécie. Refere-se às propriedades que diferenciam uma espécie de outra, mas também se usa para níveis filogenéticos superiores ou inferiores ao nível de espécie.Doenças dos Suínos: Doenças dos suínos domésticos e do javali selvagem do gênero Sus.Ásia: O maior dos continentes. Foi conhecido mais especificamente pelos Romanos como o que nós conhecemos hoje como Ásia Menor. O nome vem de pelo menos duas possíveis fontes: do Assírio asu (subir) ou do Sânscrito usa (amanhecer), ambos com referência a ser esta a terra do sol nascente, ou seja, oriente em oposição a Europa, para o oeste.Imunização: Estimulação deliberada da resposta imune do hospedeiro. A IMUNIZAÇÃO ATIVA envolve a administração de ANTÍGENOS ou ADJUVANTES IMUNOLÓGICOS. A IMUNIZAÇÃO PASSIVA envolve a administração de SOROS IMUNES ou LINFÓCITOS ou seus extratos (p.ex., fator de transferência, RNA imune), ou transplante de tecido produtor de célula imunocompetente (timo ou medula óssea).Neurônios: Unidades celulares básicas do tecido nervoso. Cada neurônio é formado por corpo, axônio e dendritos. Sua função é receber, conduzir e transmitir impulsos no SISTEMA NERVOSO.Infecções por Echovirus: Os processos de doenças infecciosas, incluindo meningite, diarreia e transtornos respiratórios, causados por echovirus.Serviço Hospitalar de Admissão de Pacientes: Serviço hospitalar responsável pela circulação de pacientes e pelos processos de admissão, alta, transferências e outros procedimentos a serem cumpridos no caso de morte do paciente.Proteínas Estruturais Virais: Proteínas virais componentes das PARTÍCULAS VIRAIS montadas maduras. Podem incluir proteínas centrais do nucleocapsídeoo (proteínas gag), enzimas contidas dentro das partículas virais (proteínas pol) e componentes de membrana (proteínas env). Não estão incluídas as proteínas codificadas pelo GENOMA VIRAL produzidas nas células infectadas, mas que não estão empacotadas nas partículas virais maduras, isto é, as denominadas PROTEÍNAS VIRAIS NÃO ESTRUTURAIS.Togaviridae: Família de vírus RNA, principalmente arbovirus, que compreende dois gêneros: ALPHAVIRUS (arbovirus grupo A) e RUBIVIRUS. Os vírions são esféricos, de 60 a 70 nm em diâmetro, com lipoproteína de envelope firmemente ligada ao nucleocapsídeoo icosaédrico.Doenças Desmielinizantes: Doenças caracterizadas por perda ou disfunção de mielina no sistema nervoso central ou periférico.Vírus Visna-Maedi: Espécie de LENTIVIRUS, do subgênero de LENTIVIRUS OVINO-CAPRINO, que pode causar pneumonia crônica (maedi), mastite, artrite e encefalomielite (visna) em carneiros. Maedi é uma pneumonia progressiva de carneiros que é semelhante à "jaagsiekte" (ADENOMATOSE PULMONAR OVINA). Visna é uma leucoencefalomielite de carneiros que é semelhante à SCRAPIE.Toxoplasmose: A forma adquirida de infecção por Toxoplasma gondii em animais e no homem.Encefalite Viral Ovina: Infecção aguda por arbovirus transmitida por carrapato que causa meningoencefalomielite em carneiros.