Aquaporinas: Classe de porinas que permite a passagem de ÁGUA e outras moléculas pequenas através das MEMBRANAS CELULARES.Aquaporina 1: Aquaporina 1 forma um canal específico para a água. Constitutivamente expressada na MEMBRANA PLASMÁTICA de ERITRÓCITOS e nos TÚBULOS RENAIS PROXIMAIS. Confere a estas células uma alta permeabilidade à ÁGUA. Em humanos, os polimorfismos desta proteína resultam no antígeno Colton do grupo sanguíneo.Aquaporina 5: Aquaporina 5 é um canal específico para a água, expressada principalmente no EPITÉLIO alveolar, traqueal e brônquios superiores. Desempenha um importante papel na manutenção da HOMEOSTASIA da água nos PULMÕES e pode também regular a liberação de SALIVA e LÁGRIMAS das GLÂNDULAS SALIVARES e glândula lacrimal.Aquaporina 4: Aquaporina 4 é o maior canal seletivo aquoso no SISTEMA NERVOSO CENTRAL de mamíferos.Água: Líquido transparente, inodoro e insípido que é essencial para a maioria dos animais e vegetais, além de ser um excelente solvente para muitas substâncias. A fórmula química é óxido de hidrogênio (H2O). (Tradução livre do original: McGraw-Hill Dictionary of Scientific and Technical Terms, 4th ed)Aquaporina 6: Aquaporina 6 é uma aquagliceroporina encontrada principalmente em ductos coletores renais. A proteína AQP6 funciona como um canal seletivo de ânion.Aquagliceroporinas: Subgrupo de aquaporinas que transporta ÁGUA, GLICEROL e outros solúveis pequenos através das MEMBRANAS CELULARES.Aquaporina 2: Aquaporina 2 é um canal específico para a água, expressada nos TÚBULOS COLETORES RENAIS. A translocação da aquaporina 2 para a MEMBRANA PLASMÁTICA apical é regulada pela VASOPRESSINA e MUTAÇÕES da AQP2 foram relacionadas com vários transtornos renais, incluindo o DIABETES INSÍPIDO.Cloreto de Mercúrio: Cloreto de mercúrio (HgCl2). Composto altamente tóxico que se volatiza levemente a temperaturas normais e consideravelmente a 100 graus Celsius. É corrosivo de mucosas e utilizado como antisséptico e desinfetante tópico.Osmose: Tendência dos líquidos (p.ex., água) de se deslocar do lado menos concentrado [em soluto] para o lado mais concentrado [em soluto] de uma membrana semipermeável.Transpiração Vegetal: Perda de vapor de água pelas plantas para a atmosfera. Ocorre principalmente nas folhas, através dos poros (estômatos), cuja função primária são as trocas gasosas. A água [evaporada] é reposta pela coluna contínua de água que se move pelos vasos de xilema acima, desde as raizes.Equilíbrio Hidroeletrolítico: Equilíbrio de líquidos nos COMPARTIMENTOS LÍQUIDOS CORPORAIS, ÁGUA CORPORAL total, VOLUME SANGUÍNEO, ESPAÇO EXTRACELULAR, ESPAÇO INTRACELULAR, mantidos por processos no corpo que regulam a captação e excreção de ÁGUA e ELETRÓLITOS, particularmente SÓDIO e POTÁSSIO.Proteínas de Plantas: Proteínas encontradas em plantas (flores, ervas, arbustos, árvores, etc.). O conceito não inclui proteínas encontradas em vegetais para os quais PROTEÍNAS DE VERDURAS estão disponíveis.Permeabilidade: Propriedade das membranas e de outras estruturas que permitem a passagem de luz, calor, gases, líquidos, metabólitos, e íons minerais.Compostos de Ouro: Compostos inorgânicos que contêm ouro como parte integral da molécula.Glicerol: Álcool de açúcar tri-hidroxilado, intermediário no metabolismo dos carboidratos e lipídeos. É utilizado como solvente, emoliente, agente farmacêutico e agente adoçante.Capacidade de Concentração Renal: Capacidade do rim de excretar na urina concentrações elevadas de solutos retirados do plasma sanguíneo.Mimosa: Gênero de plantas (família FABACEAE) contendo uma CALCONA denominada cuculcanina.Juglans: Gênero de plantas da família JUGLANDACEAE que dão origem à conhecida castanha-do-pará.Transporte Biológico: Movimento de materiais (incluindo substâncias bioquímicas e drogas) através de um sistema biológico no nível celular. O transporte pode ser através das membranas celulares e camadas epiteliais. Pode também ocorrer dentro dos compartimentos intracelulares e extracelulares.Cistaceae: Família de plantas (ordem Violales, subclasse Dilleniidae, classe Magnoliopsida) cujo nome vulgar 'rosa das rochas' é usado com várias plantas desta família.Raízes de Plantas: Porções geralmente subterrâneas de uma planta, que servem como suporte e estocagem de alimento, e pelas quais a água e nutrientes minerais penetram na planta.Tulipa: Gênero de plantas (família LILIACEAE) cujos membros contêm tuliposídeos e tulipalinas e tem sido associados com dermatite de contato alérgica em floristas.Solidago: Gênero de plantas (da família ASTERACEAE) conhecidas pelo pólen alergênico (ALÉRGENOS).Permeabilidade da Membrana Celular: [Conjunto de] propriedades (quality) das membranas celulares que permite a passagem de solventes e de solutos para dentro e para fora das células.Antígenos de Grupos Sanguíneos: Grupos de antígenos de superfície celular localizados nas CÉLULAS SANGUÍNEAS. Geralmente são GLICOPROTEÍNAS ou GLICOLIPÍDEOS de membranas que antigenicamente se distinguem por suas porções de carboidratos.Água Corporal: Líquidos encontrados dentro do corpo, compostos principalmente de água.Compostos de Mercúrio: Compostos inorgânicos que contêm mercúrio como parte integral da molécula.Regulação da Expressão Gênica de Plantas: Qualquer dos processos pelos quais os fatores nucleares, citoplasmáticos ou intercelulares influem no controle diferencial da ação gênica nas plantas.Tricomas: Extensões semelhantes a cabelos de superfícies epidérmicas de plantas que protegem contra danos provocados por insetos ou outros animais, fotodegradação e infecção por fungos. Os tricomas também podem ocorrer em certos EUCARIOTAS unicelulares.Calotropis: Gênero de plantas da família ASCLEPIADACEAE. A fibra sedosa e cotonosa das sementes deste gênero é usada como sumaúma.Dados de Sequência Molecular: Descrições de sequências específicas de aminoácidos, carboidratos ou nucleotídeos que apareceram na literatura publicada e/ou são depositadas e mantidas por bancos de dados como o GENBANK, European Molecular Biology Laboratory (EMBL), National Biomedical Research Foundation (NBRF) ou outros repositórios de sequências.Pressão Osmótica: Pressão necessária para impedir a passagem de solvente através de uma membrana semipermeável que separa um solvente puro de uma solução de soluto com o solvente, ou que separa diferentes concentrações de uma solução. É proporcional à osmolalidade da solução.Dourada: Espécie de PERCIFORMES comumente usada em AQUICULTURA salina.Ductos Ejaculatórios: Dutos pares no macho humano através do qual o sêmen é ejaculado na uretra.Sequência de Aminoácidos: Ordem dos aminoácidos conforme ocorrem na cadeia polipeptídica. Isto é chamado de estrutura primária das proteínas. É de importância fundamental para determinar a CONFORMAÇÃO DA PROTEÍNA.4-Cloromercuriobenzenossulfonato: Reagente sulfidrila citotóxico que inibe vários sistemas metabólicos subcelulares e utilizado como ferramenta em fisiologia celular.Membrana Celular: Membrana seletivamente permeável (contendo lipídeos e proteínas) que envolve o citoplasma em células procarióticas e eucarióticas.Canais Iônicos: Glicoproteínas seletivas a íons com passagem controlada que atravessam a membrana. O estímulo para a ATIVAÇÃO DO CANAL IÔNICO pode ser uma variedade de estímulos, como LIGANTES, POTENCIAIS DA MEMBRANA, deformação mecânica ou por meio de PEPTÍDEOS E PROTEÍNAS DE SINALIZAÇÃO INTRACELULAR.Folhas de Planta: Estruturas expandidas, geralmente verdes, de plantas vasculares, consistindo caracteristicamente de uma expansão em lâmina ligada a um caule, funcionando como o principal órgão de fotossíntese e transpiração.Máculas Acústicas: Áreas sensitivas na parede vertical do sáculo e no assoalho do utrículo. As células ciliadas nas máculas são inervadas por fibras do NERVO VESTIBULAR.Pulvínulo: Grupo de células na base de uma folha que ocorre em certas plantas que, por perderem água rapidamente, provocam alterações na posição das folhas.Spinacia oleracea: Planta amplamente cultivada, nativa da Ásia, que possui folhas comestíveis suculentas, consumidas como verdura. (tradução livre do original: American Heritage Dictionary, 1982)Estruturas Vegetais: Partes das plantas, incluindo as SEMENTES.Glândulas Exócrinas: Glândulas de secreção externa que liberam suas secreções nas cavidades corpóreas, órgãos ou superfícies por meio de um duto.Poliúria: Micção de um grande volume de urina com aumento na frequência urinária, geralmente observada em diabetes (DIABETES MELLITUS, DIABETES INSIPIDUS).Tephritidae: Grande família de moscas de frutas (ordem dos DÍPTEROS) composta por mais de 4.500 espécies em cerca de 100 gêneros. Possuem asas com desenhos e corpos com cores vivas e são encontradas predominantemente nas latitudes tropicais.Túbulos Renais Coletores: Tubos retos que se iniciam na parte radial do córtex renal onde recebem as terminações curvas dos túbulos contorcidos distais. Na medula, os túbulos coletores de cada pirâmide de Malpighi convergem para juntarem-se em um tubo central (ducto de Bellini) que se abre no ápice da papila.Desidratação: Afecção resultante de perda excessiva de água pelo organismo vivo.Edema Encefálico: Aumento do líquido intra ou extracelular em tecidos cerebrais. O edema encefálico citotóxico (inchaço devido ao aumento do líquido intracelular) é indicativo de um distúrbio do metabolismo celular e normalmente associado com lesões isquêmicas ou hipóxicas (ver HIPÓXIA ENCEFÁLICA). Um aumento no líquido extracelular pode ser causado por aumento na permeabilidade capilar encefálica (edema vasogênico), um gradiente osmótico, bloqueio local das vias de líquidos intersticiais, ou por obstrução do fluxo de CSF (ex. HIDROCEFALIA obstrutiva). (Tradução livre do original: Childs Nerv Syst 1992 Sep; 8(6):301-6)Xenopus laevis: Espécie de "rã" com garras (Xenopus) mais comum e de maior abrangência na África. Esta espécie é utilizada intensamente em pesquisa científica. Há atualmente uma população significativa na Califórnia descendente de animais que escaparam de laboratórios.Líquidos Corporais: Componentes líquidos presentes em organismos vivos.